Arquivos da categoria ‘Polícia’

Blairo Maggi é alvo da Polícia Federal

14 de setembro de 2017

E a manhã de hoje (14) é de uma dia de muito trabalho para a Polícia Federal. Também no alvo de investigações, o ministro Blairo Maggi (PP), da Agricultura.

Policiais fizeram busca e apreensão no apartamento do ministro em Brasília, na Asa Sul, e em imóveis localizados em São Paulo e no Mato Grosso.

Trata-se da Operação Malebolge (12ª fase da Ararath), com mandados expedidos pelo ministro Luiz Fux (STF), a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Maggi foi citado na delação do ex-governador matogrosense Silval Barbosa (PMDB), que foi vice de Maggi entre 2007 e 2010. Apontou que o ministro da Agricultura participou de uma série de irregularidades e esquema de corrupção no estado, entre elas uma espécie de “mensalinho” pago a deputados da Assembleia de Mato Grosso para ter apoio político na votação de projetos do interesse do então governador. De acordo com o delator, os pagamentos começaram em 2003, sendo R$ 30 mil por deputado.

Reitor da UFSC é preso pela Polícia Federal

14 de setembro de 2017

Reitor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) desde 2015, Luís Carlos Cancellier de Olivo é acusado de não dar andamento a investigações internas sobre desvios em programa de educação a distância.

Na manhã de hoje (14), ele foi preso por agentes da Polícia Federal, na Operação Ouvidos Moucos, que também conta com a participação pelo Ministério Público, Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria Geral da União (CGU).

Pesa sobre ela a suspeita de proteger um grupo acusado de desviar R$ 80 milhões de cursos de Educação a Distância (Ead) da UFSC. Ao todo são cumpridos sete mandados de prisão temporária, cinco de condução coercitiva e 16 de busca e apreensão em Florianópolis, Itapema (SC) e Brasília.

Lupas foram jogadas sobre fraude em licitação, peculato, falsidade documental, estelionato, inserção de dados falsos em sistemas e organização criminosa.

O nome da operação faz referência à “desobediência reiterada” da gestão da UFSC aos pedidos e recomendações dos órgãos de fiscalização e controle.

PT na cola de Rogério Marinho?

12 de setembro de 2017

Durante todo a gestão petista na presidência da República, órgãos federais ficarão sob o comando da legenda estadual no RN, como Ibama, SPU (Secretaria do Patrimônio da União) e Iphan.

Muitos eram as reclamações de entraves, intransigências, perseguição – principalmente a empresários que investem em setores que envolvem área da União -, gestão de ideologias etc. E mais.

Com a queda do PT, houve mudanças nesses órgãos. Desde então, a intenção é destravar, desengavetar projetos parados há anos, com a garantia de preservar o meio ambiente, é claro.

O Ibama foi um dos órgãos que mais reuniu reclamação no período vermelho. Inclusive dos servidores concursados.

Eis que com a posse de Temer, o aliado potiguar Rogério Marinho, deputado federal pelo PSDB, arqui-inimigo petista, indicou o novo superintendente do órgão: Clécio Santos, que, em entrevista ao Bate-Papo na Cidade (94 FM), apresentado por mim e por Alexandre Mulatinho, ele foi claro que encontrou muitos entraves, várias reclamações, muita insatisfação. Assim, sua tarefa seria destravar para o desenvolvimento do estado, a harmonia no ambiente de trabalho, afirmando que preservaria o meio ambiente.

Pois bem, noves fora toda essa história, eis que hoje (12) a Polícia Federal deflagra a Operação Kodama, com cerca de 50 policiais federais nas ruas para cumprir 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Natal, Goianinha, Ceará-Mirim e Tibau do Sul.

No alvo, coletar possíveis provas dos crimes de prevaricação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Também, evitar a continuidade de atos lesivos que estariam sendo cometidos contra o meio ambiente do elefante.

Segundo a PF, a investigação começou nos primeiros meses deste ano, a partir de  dados do Relatório de Auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) e de um Processo administrativo Disciplinar instaurado pelo Ibama que aponta irregularidades atribuídas ao superintendente .

Diz que, no primeiro momento, foram identificadas, pelo menos, 10 condutas de favorecimento ilícito a pessoas físicas e jurídicas, que teriam sido beneficiadas indevidamente por meio da anulação de autos de infração, desembargo de atividade e restituição de bens apreendidos.

Entre as irregularidades aparentes, houve a compra aquisição de aproximadamente oito toneladas de lagosta de origem não comprovada. Também, facilitação para construção de empreendimento hoteleiro em área de preservação permanente em Tibau do Sul.

O nome da operação remete ao folclore japonês:  Kodama é um espírito que habita em árvores e protege o meio ambiente.

Mais uma de Joesley

11 de setembro de 2017

Mais uma da duvidosa delação premiada que Joesley Batista fez com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que surpreendeu todo o país.

Ele omitiu informações do acordo.

Pois bem, admitiu agora que tem outras gravações, não entregues à Justiça. De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de SP, ele disse que só entrega se o acordo de colaboração da JBS, do grupo J&F, for mantido.

Na delação feita, homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), o empresário teria direito a imunidade total e não ficaria preso pelos crimes confessados.

Curioso, entregou apenas gravações que implicavam o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Pois, Joesley

11 de setembro de 2017

E Joesley Batista é tão, digamos assim, sortudo, que a Polícia Federal só fez busca e apreensão em sua morada no dia após ele ser preso.

Não passou o constrangimento da varredura pelos lugares menos imagináveis que a PF realiza em operações.

Geddel foi preso! E a dinheirama?

8 de setembro de 2017

Três dias depois da descoberta de R$ 51 milhões que o ex-ministro Geddel Vieira guardava em um apartamento de mui amigo, o peemedebista foi preso hoje (8), um dia após a Independência, em seu luxuoso apartamento na capital baiana, pela Polícia Federal.

Agora, as perguntas que não querem calar: de onde saíram tantos milhões? São todos de Geddel: Qual o destino? Etc. E mais.

Na saída do prédio onde mora, o ex-,ministro dos governos lula, Dilma e Temer cobriu o rosto. Será que emagreceu?

Será para Brasília. Deve ir inicialmente para a carceragem da PF e depois pode ser transferido para o Presídio da Papuda.

Geddel, uma Boa Ideia

6 de setembro de 2017

As notas de dinheiro que recheavam malas e caixas encontradas ontem (5) pela Polícia Federal em um apartamento cedido ao ex-ministro Geddel Vieira, em Salvador (BA), somaram, depois de contadas em maquininhas, nada menos que R$ 51 milhões.

Foram 42,6 milhões em reais e 2,688 milhões em dólar. Somou a maior apreensão em dinheiro já realizada no Brasil.

Pensando bem…se essa dinheirama for aplicada, calculando-se juros de apenas 0,6% ao mês, geraria nada menos que R$ 306 mil mensalmente.

É. Geddel, sabido que só ele, teve uma Boa Ideia.

A PF  levou cerca de 14 horas para concluir a contagem das notas. O apartamento pertence a Sílvio Silveira, amigo de Geddel, que teria cedido o local para que o ex-ministro guardasse os pertences do pai já falecido.

Geddel é o que se pode chamar de O Cara. Na capital baiana, cumpre prisão domiciliar, em confortabilíssimo apartamento, que fica próximo ao de onde foi encontrado o dinheiro.  sem tornozeleira, porque na Bahia ainda não se usa o tal instrumento.

Então. O ex-ministro dos governos Lula e Temer é também suspeito de ter recebido cerca de R$ 20 milhões em propina de empresas interessadas na liberação de financiamentos na Caixa Econômica Federal (CEF), banco no qual foi vice-presidente de Pessoa Jurídica entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff.

Vai um dinheiro aí? Tem pra muitos!

5 de setembro de 2017
Foto: PF-DF

Foto: PF-DF

Quando se pensa que de tudo já foi visto pelos dutos da corrupção no Brasil, sempre aparece uma nova cena surpreendente. A de hoje (5) supera todos as notícias de dinheiros em mala e cueca.

Senão, vejamos: em cumprimento aos mandados expedidos pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, a Polícia Federal (PF) encontrou hoje várias caixas e malas com dinheiro em imóvel na Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça, em Salvador.

Mas, quequeisso?

Segundo a PF, “seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima [ex-ministro] como ‘bunker’ para armazenagem de dinheiro em espécie”.

Foi a Operação Tesouro Perdido, decorrente de dados colhidos nas últimas fases da Operação Cui Bono.

A dinheirama apreendida foi transportada para um banco, onde será contabilizada e depositada em conta judicial. De acordo com a Justiça, o apartamento pertence a Silvio Silveira, “que teria cedido o imóvel ao ex-ministro para que guardasse, “supostamente, pertences do pai, falecido em janeiro de 2016”.

A PF chegou ao local após denúncia anônima, feita por telefone, de que Geddel estaria utilizando o apartamento para “guardar caixas com documentos”.

Para lembrar:

A primeira fase da Operação Cui Bono foi deflagrada pela PF em 13 de janeiro deste ano. Ela investigou esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013. De acordo com a investigação, entre março de 2011 e dezembro de 2013, a vice-presidência de Pessoa Jurídica da instituição era ocupada por Geddel Vieira Lima.

A investigação da Operação Cui Bono – expressão latina que em português significa “a quem beneficia?” – é um desdobramento da Operação Catilinárias, deflagrada em dezembro de 2015, no âmbito da Operação Lava Jato, quando policiais federais encontraram um telefone celular na residência do então presidente da Câmara dos Deputados, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que revelou intensa troca de mensagens eletrônicas entre Cunha e Geddel. A operação tinha a finalidade de evitar que provas importantes fossem destruídas por investigados da Lava Jato.

Atualmente, Geddel Vieira Lima cumpre prisão domiciliar. A Agência Brasil entrou em contato com a defesa de Geddel e aguarda retorno – explica a Agência Brasil.

No alvo

30 de agosto de 2017

Notas na coluna de hoje, sob o título “Ouvidos no chão”

Que nova operação em solo de potis-implicados pode ocorrer a qualquer hora. Dia. Momento. Tempo. Bareta já sente o faro de busca e apreensão em órgãos públicos.

São desdobramentos de anteriores buscas e apreensões. Novo novelo pode ser desenrolado.

Pois bem

E hoje (30), o a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) deflagraram a Operação Alcmeón, com dois mandados de prisão preventiva, oito de condução coercitiva e 13 de busca e apreensão no RN e Pernambuco, determinados pelas 2ª e 14ª varas federais do RN, de dois inquéritos distintos.

O primeiro trata da possível compra e venda de votos de desembargadores federais (um falecido e outro aposentado) do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), no Recife, para análise de habeas corpus e de mandado de segurança julgados em 2012, no âmbito da Operação Pecado Capital, que apurou desvio de recursos federais repassados pelo Inmetro ao Ipem-RN (Instituto de Pesos e Medidas).

O inquérito aponta possível “exploração de prestígio” por parte do desembargador aposentado, perante o mesmo TRF5, entre os anos de 2015 e 2017. Desrespeitando, inclusive, a quarentena prevista no art. 95, parágrafo único, inciso V, da Constituição.

Indica que o desembargador aposentado teria solicitado e recebido valores a pretexto de influir em outros magistrados até mesmo em casos nos quais ele próprio havia atuado como julgador, como na “Operação Pecado Capital” e na “Operação Salt” (que apura esquema de sonegação fiscal de grupo empresarial de Mossoró).

PRF prende homem que assaltou estudantes em van na BR 304

25 de agosto de 2017

Informada por telefone sobre assalto a estudantes que estavam em um van que seguia de Assú para Mossoró, na BR 304, ontem à noite, próximo ao posto de combustível de “Zé da volta”, equipe da PRF (Polícia Rodoviária Federal) foi até o local.

Os estudantes disseram que o veículo foi obrigado a parar devido ao um pneu que furou. No momento em que o motorista consertava, todos foram surpreendidos por três homens que saíram do matagal com armas longas e anunciaram o assalto.

Recolheram os celulares dos alunos. Há suspeita de que os bandidos espalharam objetos perfurantes sobre a pista para forçar o veículo a parar.

Após diligências na região, os policiais localizaram, em uma casa dentro do mato, um jovem de 28 anos, suspeito de ser um dos assaltantes. Foram feitas buscas na residência, mas nada foi encontrado. Contudo, as vítimas reconheceram o homem como um dos envolvidos no assalto. Foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de plantão de Mossoró.

Chegou a vez da prisão de Cândido Vaccarezza

18 de agosto de 2017

Em fase inédita da Lava Jato, a Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (18) duas fases, a 43ª e a 44º fases, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Um dos alvos é o ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, que seria o articulador de um esquema de corrupção de um grupo de executivos da Petrobras.

Ex-deputado pelo PT, Vaccarezza hoje é do PTdoB. Já foi do PR e líder dos governos Dilma e Lula.

Associação de subtenentes e sargentos é contra exoneração do coronel Azevedo

15 de agosto de 2017

Por meio do presidente, subtenente Eliabe, a Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN emitiu nota para externar a insatisfação pela exoneração do coronel André Azevedo do comando-geral da PM.

Eis a nota:

É com surpresa e decepção que recebi a notícia da exoneração do Comandante Geral da PMRN, Coronel Azevedo. Perde a Polícia Militar, perde a população, perde a segurança pública do RN. O crime agradece.

Para o atual governo é mais fácil trocar o Comandante da PMRN do que ouvi-lo nas suas reivindicações na tentativa de buscar uma solução para diminuição da violência através das condições adequadas de trabalho dos seus comandados.

Agindo assim o governador Robinson Faria passa para a população a falsa impressão de que o caos na Segurança Pública do RN é culpa da Polícia Militar. Um equívoco, pois a PMRN tem feito o que lhes compete, mesmo diante de todas as dificuldades enfrentadas na luta contra o crime.

Falta de efetivo, Coletes vencidos, viaturas insuficientes, falta de custeio para manutenção da frota existente, salários atrasados, pagamento de promoções atrasados, pagamento dos níveis do subsídio atrasados, diárias operacionais defasadas, descumprimento de acordo pactuado em 14 de fevereiro com os policiais militares. Estas são algumas das sérias dificuldades enfrentadas pela polícia militar e que com certeza comprometem o serviço prestado a população do RN.

Ao Coronel Azevedo, em nome da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN agradecemos e, ao mesmo tempo reconhecemos o seu esforço, compromisso e dedicação na busca por uma segurança pública melhor para profissionais e população do RN.

Atenciosamente,

Presidente da ASSPMBMRN, Subtenente Eliabe

Braço direito de Eduardo Paes é alvo da Lava Jato

15 de agosto de 2017

No Rio, a Polícia Federal bateu na porta da residência e do escritório de Rodrigo Bethlem (PMDB), ex-deputado e ex-secretário estadual de Assistência Social do Rio, considerado braço direito do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Trata-se de parte da Operação Ponto Final, desdobramento da Lava Jato, autorizadas pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal.

Rodrigo Bethlem é suspeito de ter participado de um esquema de corrupção envolvendo os empresários do transporte Lélis Teixeira e Jacob Barata Filho, presos em julho, segundo o Congresso em Foco.

O Ministério Público Federal (MPF) afirma que captou menagens nos celulares de presos na Ponto Final que indicam o ex-secretário como intermediário do esquema.

Operação desarticula esquema que movimentou mais de R$ 5,7 bilhões em cinco estados

15 de agosto de 2017

Para desarticular uma organização criminosa transnacional especializada na prática de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, ação em conjunta entre a Polícia Federal e a Receita Federal foi deflagrada hoje (15), sob o nome Operação Hammer-on.

De acordo com a PF, empresas controladas pela organização criminosa investigada movimentaram mais de R$ 5,7 bilhões de origem ilícita no período de 2012 a 2016.

Cerca de 300 policiais federais e 45 servidores da Receita cumprem 153 mandados expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba – dois de prisão preventiva, 17 de prisão temporária, 53 de condução coercitiva e 82 de busca e apreensão em várias cidades do Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais e Santa Catarina.

As investigações, iniciadas em 2015, apontam “cinco núcleos interdependentes que utilizavam contas bancárias de várias empresas, em geral fantasmas, para receberem vultosos valores de pessoas físicas e jurídicas interessadas em adquirir mercadorias, drogas e cigarros provenientes do exterior, especialmente do Paraguai”, diz a PF.

Nome

“Hammer-on é uma técnica usada em instrumentos de corda para ligar duas notas musicais com uma mesma mão. Fazendo-se novamente referência à teoria musical, na operação Hammer-on, numa só toada, com uma só mão, ligaram-se duas notas musicais (intermediários e demandantes)”.

Brasil acorda com três operações da PF, uma no RN

15 de agosto de 2017

A Polícia Federal deflagrou nas primeiras horas da manhã de hoje três operações: uma no Rio de Janeiro, como desdobramento da Lava Jato; uma em cinco estados, chama de Hammer-On, que combate lavagem de dinheiro e evasão de divisas; outra em Natal e na Praia de Pirangi, desdobramento da Operação Dama de Espadas, que chegou à espera federal com a delação premiada da ex-procuradora da Assembleia Legislativa Rita das Mercês.

Em Natal, foram alvos o apartamento do governador Robinson Faria em Areia Preta, a casa no condomínio Porto Brasil, em Pirangi; Governadoria e Escola da Assembleia Legislativa.

Segundo nota da PF, o ministro Raul Araújo Filho, do STJ, “determinou que fosse iniciada investigação preliminar para apurar os crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça que estariam sendo praticados pelo governador do Estado com ajuda de servidores estaduais”.

Foram nove mandados de busca e apreensão e dois de prisão: Magaly Cristina, responsável pela AL Cidadã, e Adelson Reis (que nas horas vagas imita o personagem ZéBonitinho). Segundo os investigadores, RF é suspeito de praticar atos na contratação de funcionários fantasmas na folha de pagamento da AL, desde 2006.

Na mitologia grega, Anteros é a antítese do irmão Eros. Remete à antipatia, aversão. Enquanto Eros une, Anteros separa, desune e desagrega.

Desembargadores na mira de criminosos

14 de agosto de 2017

No início da manhã de hoje (14), dois assaltantes foram baleados pelo motorista-segurança do desembargador Virgílio Macedo, do Tribunal de Justiça (TJ), por volta das 6h, no momento em que tentavam levar o carro oficial do magistrado, em frente ao apartamento onde mora, no Tirol. Os dois foram socorridos pelo Samu e levados ao Hospital Walfredo Gurgel.

No final da manhã, o carro do desembargador Cláudio Santos foi tomado de assalto e o motorista levado como refém, enquanto este esperava o filho do magistrado deixar o colégio, na Rua Floriano Peixoto, em Petrópolis.

Associação emite nota de pesar pelo assassinato do PM Amauri

14 de agosto de 2017

O corpo do subtenente PM Amauri Soares foi encontrado na noite de ontem (15) pela equipe do Corpo de bombeiros na área do mangue do Rio Potengi.

O PM estava desaparecido desde o dia 10 (quinta-feira) após ser alvo de criminosos enquanto pescava com colegas. Os outros dois sobreviveram.

Eis a nota:

É com tristeza e indignação que os membros da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN) – receberam a notícia sobre a morte do Subtenente Amauri Soares Firmo, desaparecido desde a tarde de quinta-feira (10), vítima de ataque de criminosos enquanto pescava no Rio Potengi, em Natal.

O associado ST Amauri, admirável profissional, faria 52 anos na próxima quarta-feira (16), e foi mais uma vítima da insegurança do Rio Grande do Norte. Ele formou-se Sargento em 1996 e deixa esposa e dois filhos amados.

Estendemos nossos sentimentos de tristeza à família do policial e a todo o quadro de colegas e amigos da Polícia Militar do RN.

Eliabe Marques

Presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN

Até tu, Bendine!

27 de julho de 2017

A manhã desta quinta (27) começou com policiais federais nas ruas para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão. É a 42ª fase da Operação Lava-Jato.

Entre os presos, Aldemir Bendine, que presidiu o Banco do Brasil e a Petrobras no governo do PT. Segundo o procurador da República Athayde Ribeiro Costa, “é incrível topar com evidências de que, após a Lava Jato já estar em estágio avançado, os criminosos tiveram a audácia de prosseguir despojando a Petrobras e a sociedade brasileira”.

As investigações, segundo o MPF, apontam Bendine e os operadores financeiros André Gustavo Vieira da Silva e Antônio Carlos Vieira da Silva Jr, também presos, solicitaram propina em 2015 – após várias operações da Lava-Jato realizadas.

Diante da ousadia, o procurador defende, em nota divulgada pelo MPF: “Os crimes recentes são a prova viva de que a prisão é necessária para frear o ímpeto criminoso de um esquema que vem desviando bilhões há mais de década”.

Maaasss…o advogado de Bendine, Pierpaolo Cruz Bottini, disse ser “desnecessária” a prisão temporária do cliente, que foi encontrado em sua casa, no município de Sorocaba (SP).

Sócios da empresa de publicidade Arcos, os operadores financeiros são suspeitos de viabilizarem R$ 3 milhões em propinas pagas pela Odebrecht em favor de Bendine.

A operação foi batizada de Cobra, em referência ao codinome de Bendine na planilha do Setor de Operações Estruturadas da empresa.

Justiça determina uso de coletes balísticos por policiais federais no RN

27 de julho de 2017

Titular da 1ª Vara Federal do RN, o juiz Magnus Delgado concedeu liminar solicitada pelo Sindicato dos Policiais Federais (Sinpef-RN) que determina a obrigatoriedade do uso de coletes balísticos por policiais federais, com prazo de validade legal.

Para garantir a integridade física dos policiais, os coletes novos devem ser disponibilizados imediatamente, no prazo de 48 horas, para todos os policiais federais lotados no RN.

E mais: o número de policiais federais escalados para realizar qualquer trabalho operacional não pode exceder o número de coletes balísticos disponíveis pela Superintendência da Polícia Federal no estado.

No momento, segundo o Sinpef, são 13 coletes balísticos atualmente disponibilizados.

O magistrado estipulou multa diária no valor de R$ 1 mil em caso de descumprimento do provimento de urgência. E determinou que os gestores não podem abrir qualquer procedimento administrativo se o policial se negar a sair sem o equipamento de proteção individual.

Zelotes volta à cena com dois presos pela PF

26 de julho de 2017

A Operação Zelotes volta à cena. Deflagrada em março de 2015 pela Polícia Federal, investiga esquema de corrupção no Carf (Conselho de Administração de Recursos Fiscais), órgão colegiado do Ministério da Fazenda responsável por julgar os recursos administrativos de autuações contra empresas e pessoas físicas por sonegação fiscal e previdenciária.

Pois bem, hoje (26), a PF prendeu dois investigados: o auditor da Receita Eduardo Cerqueira Leite e Mario Pagnozzi, do escritório Pagnozzi & Associados Consultoria Empresarial. Ordem do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em Brasília. O magistrado considerou que eles soltos podem destruir ou ocultar provas.

O grupo é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de envolvimento em esquema pagamento de propina para livrar o BankBoston, atualmente Itaú Unibanco, de autuações milionárias. O Fisco teria deixado de recolher R$ 509 milhões.

Na ação, os procuradores pedem que os citados também sejam condenados a pagar indenização de R$ 100 milhões por “danos morais coletivos”. Não há executivos do Itaú Unibanco entre os denunciados.

E

Em nota, o banco diz que “não é parte do processo e não teve acesso à decisão mencionada”, e garante que “em 2006, adquiriu as operações do BankBoston no Brasil, sendo que o contrato de aquisição não abrangeu a transferência dos processos tributários do BankBoston, que continuaram sob inteira responsabilidade do vendedor, o Bank of America.

Mais: afirma que o Itaú “não tem e não teve qualquer ingerência na condução de tais processos nem tampouco qualquer benefício das respectivas decisões. O Itaú esclarece, ainda, que nenhum dos denunciados foi funcionário ou diretor desta instituição”.