Escola de Natal realiza aulão no cinema para exibir “Coringa”

8 de outubro de 2019 por ulyssesfreire

Comentários 0

“Coringa”, a história do palhaço anti-herói dos quadrinhos da DC Comics e inimigo do Batman, estreou nas salas de cinema no dia 3 de outubro já como campeão de bilheteria. Além do sucesso de público, a produção tem levantado diversas polêmicas por apresentar assuntos delicados relacionados à saúde mental. Em Natal, o Complexo Educacional Contemporâneo, que já tem a tradição de trabalhar o desenvolvimento de habilidades socioemocionais dos alunos em diversos projetos, resolveu se antecipar e realizou uma aula especial, no cinema, para tratar temas como bullying, construção do discurso de ódio e banalização da violência relacionados à produção cinematográfica.

A sessão especial aconteceu na tarde desta terça-feira (8), no Cinépolis (Natal Shopping). A programação foi toda elaborada para que adolescentes do 9ª ano e da 1ª série do Ensino Médio, com as devidas autorização dos pais ou responsáveis, tivessem acesso a esse conteúdo de maneira adequada e acompanhada, com os devidos esclarecimentos e contextualizações. A aula, que reuniu 200 alunos, começou às 13h com a abordagem do psicólogo do Contemporâneo e professores de história e literatura acerca dos aspectos socioemocionais despertadas pelo longa, que foi exibido na sequência.

“Nós identificamos que o filme, até pela repercussão prévia, traria temáticas que precisam ser trabalhadas em sala de aula. Temas como violência, bullying, discurso de ódio e poder simbólico do anti-herói, além de questões que envolvem o socioemocional. São tópicos presente no filme e na vida real e na escola o lugar para serem discutidos, orientados e apresentados ao aluno de forma que ele tenha pensamento crítico diante do filme, exercendo o protagonismo da sua aprendizagem a partir do que foi assistido e discutido na aula”, explica Mônica Guimarães, gestora educacional da escola.

Essa não é a primeira vez que a escola realiza ações sobre produções audiovisuais que abordam transtornos mentais e podem abalar a saúde dos jovens quando não são recebidas por eles com as instruções necessárias. Em 2017, em meio ao lançamento da polêmica série norte-americana “13 Reasons Why”, na qual uma jovem de 17 anos narra as razões para o seu suicídio, o Contemporâneo lançou a campanha #13RazõesParaSerFeliz, que ganhou força nas salas de aula, redes sociais e envolveu as famílias, escola e estudantes em uma ação de valorização da vida.

Toda a equipe de profissionais envolvidos na ação assistiu ao filme antecipadamente para preparar a aula, que faz parte do projeto “De frente pro Ensino Médico” — presente para estimular a travessia dos anos finais do Ensino Fundamental para o Ensino Médio, que estimula a interação entre os dois grupos.

Com informações da Assessoria de Imprensa

emailEntre em contato: ulyssesfreire@tribunadonorte.com.br

insta Siga o ULYSSES FREIRE no Instagram: @ulyssesfreire

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.