Mais um delinquente preso por incêndio da estátua

Um entregador de aplicativos que na maior parte do dia age como ativista político, chamado Paulo Roberto da Silva Lima e conhecido como Galo, se apresentou nesta quarta-feira (28) à polícia paulista e confessou ter sido um dos autores do incêndio à estátua do bandeirante Borba Gato, na zona sul da capital, no último sábado . Outros delinquentes que participaram do crime já foram presos.

Galo, que se define como entregador antifascista e ganhou visibilidade ao tentar aliciar motoboys como militantes durante a pandemia, disse que o seu objetivo era abrir um debate sobre o monumento em homenagem a um “genocida e abusador de mulheres”. E eu que fui um bom aluno no primário das professoras Iaponira e Cianúzia, nunca tinha ouvido falar na tara do vulto histórico Borba Gato por gatas.

Talvez o rapaz queira ter sua própria estátua, do Borba Galo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *