Clima quente na Fórmula Um

O piloto Valtteri Bottas, que se sobressaiu nos treinos livres dessa sexta-feira, comparou o calor que está fazendo no autódromo de Hungaroring, na Hungria, uma sauna filandesa. Mas o repórter esportivo espanhol Fábio Marchi escreveu com garantia de testemunha ocular: “Fez 31,5 graus no ambiente, mas uns 60 graus na pista”. O clima infernal é uma alusão ao relacionamento entre os dois líderes da temporada, Max Verstappen e Lewis Hamilton.

Depois do holandês fazer umas queimações no rival, por causa da última corrida, onde ele saiu da pista numa disputa com o inglês, o pessoal da Mercedes não economizou críticas e, para incendiar mais o clima, o próprio Hamilton disse que se tiver outra situação igual “faria a mesma coisa” que fez em Silverstone. A imprensa que cobre os treinos já insinua o início de uma tremenda guerra.

Coincidência ou não, os dois pilotos quase provocam faísca na primeira parte dos treinos ao se encontrarem no asfalto quente. E depois no pit lane, quando Hamilton saía do box, Verstappen saiu no mesmo minuto e fez uma ultrapassagem descarada, fazendo o britânico frear para evitar um choque. A primeira sessão de treinos livres do GP da Hungria de F1 de 2021 terminou com o holandês na frente.

Seja o que Deus quiser no domingo, porque por hoje é o diabo quem tá por perto.

2 thoughts on “Clima quente na Fórmula Um

  • 30 de julho de 2021 em 14:06
    Permalink

    Com transmissão na Band voltei a assistir, e está ótima essa briga.

    Resposta
  • 30 de julho de 2021 em 14:07
    Permalink

    Com transmissão na Band voltei a assistir, e está ótima essa briga com esses 2 magnifícos pilotos.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *