Hoje é o Dia Mundial das Abelhas. E elas estão ameaçadas

20 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

O 20 de Maio é a data que a ONU elegeu como o Dia Mundial das Abelhas. A data foi proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas para lembrar a importância da polinização para o desenvolvimento sustentável.

Insetos podem visitar cerca de 7 mil flores por dia, atuando como agentes fundamentais ao equilíbrio dos ecossistemas. Animais também são fonte de mel e outros produtos que dão oportunidade de sustento para agricultores e alternativa saudável para as pessoas.

Abelha Uruçu. Foto: Reprodução

Abelha Uruçu. Foto: Reprodução

Segundo reportagem do G1 de domingo (leia Aqui), o mundo sem abelhas não seria seria só um mundo menos doce, sem mel… “Mas também sem maçãs, peras, abacates, abóboras, melões, melancias, cerejas, pimentas, chocolate, café”.

A maior parte dos alimentos cultivados depende da polinização. Só que alguns agrotóxicos usados em lavouras estão matando as abelhas e ameaçando o equilíbrio tão importante para todos nós.

Se você ama mel e seus derivados e também um mundo mais sustentável, precisa ficar alerta.

De acordo com a Organização Greepeace, a data serve de alerta para lembrar que as abelhas correm perigo de extinção. “Entre dezembro de 2018 e março de 2019, mais de meio bilhão de abelhas foram encontradas mortas, e os principais culpados são os agrotóxicos”, informou a organização em suas redes sociais.

As abelhas e outros polinizadores — como as mariposas, morcegos e pássaros — permitem a reprodução de diferentes espécies de plantas, incluindo muitos vegetais consumidos como alimento pelos seres humanos.

O 20 de maio foi escolhido para a data por ser o dia do nascimento de Anton Janša, esloveno nascido no século XVIII que foi pioneiro na criação e uso de técnicas modernas de apicultura.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) já desenvolve atividades de capacitação em apicultura no âmbito de diferentes projetos de desenvolvimento rural, do Azerbaidjão ao Níger.

Atualmente, os polinizadores não apenas contribuem com a segurança alimentar, uma vez que são fomentadores da vida vegetal, mas também atuam como sentinelas do meio ambiente, pois variações de seu comportamento indicam ameaças emergentes e desequilíbrios nos ecossistemas.

Insetos invasores, pesticidas, mudanças no uso da terra e a prática da monocultura reduzem os nutrientes disponíveis na natureza e representam uma ameaça às colônias de abelhas.

O Rio Grande do Norte é um grande produtor e mel e única região onde habitam as raras abelhas de Jandaíra, que produzem um mel levíssimo. Essas abelhas sem ferrão também estão ameaçadas.

Para conhecer mais sobre a produção de mel no RN, desafios e dificuldades, bem como a importância das abelhas, acesse nossas reportagens:

Agrotóxicos encurtam vida e mudam o comportamento das abelhas

O doce mel das abelhas mansas

Mel potiguar exportado para o mercado Europeu

 

Fonte: Organização das Nações Unidas (ONU)

Samanaú reativa selo da centenária cachaça Murim

19 de maio de 2019 por Cinthia Lopes
Barris da fábrica Samanau, no Seridó potiguar. Foto Sebrae

Barris da fábrica Samanau, no Seridó potiguar. Foto Sebrae

Quem não lembra do comercial “Beba Cachaça Murim Mirim filtrada”!? Bom, eu me recordo que ouvia a propaganda no rádio de casa em alguma época perdida no passado.

Pois bem, a marca fundada em Canguaretama foi uma das primeiras, senão a primeira dentre as aguardentes filtradas vendidas no Brasil.

Recentemente os direitos da centenária marca foram adquiridos pela cachaçaria Samanaú, uma das potiguares mais premiadas no ramo de cachaças artesanais orgânicas.

A Samanaú é dirigida pelo empresário Vidalvo Costa, o Dadá Costa, como é carinhosamente chamado pelos amigos. Dadá deu a notícia na entrevista da edição deste domingo (19.05) da Tribuna do Norte, na nossa tradicional seção “Minha Área”, do caderno TN Família. MURIM

A Murim tem uma história de 102 anos. Pertencia a Lindolfo Sales. Segundo Dadá, foi seu colega de turma Lindolfo Neto quem o ajudou a articular a patente da Mirim e coloca-la de volta no mercado: “Lançamos as opções Murim Ouro e Prata”, comentou.

A Samanaú também tem outras novidades. Lançou recentemente uma Vodca e lançará ainda em 2019 uma linha com 10 cachaças saborizadas, também orgânicas, nos sabores tamarindo, siriguela, café. No total temos 16 produtos.

Para ver a entrevista completa, acesse o link AQUI

 

De novas e velhas pistas, e a falta que faz um lugar pra dançar em Natal

15 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

one 2Natal já foi uma cidade sortida de boates, danceterias e clubes com suas trilhas sonoras mais ou menos em sintonia com as pistas mundiais. Isso até o final da década de 1990. Mas como toda cena efêmera, e este segmento não é fácil, daquela década não restou nem os escombros.

Hoje em dia dançar em Natal é uma questão de garimpar primeiro o estilo musical que se quer ouvir, para depois escolher aonde ir. Não incluindo uma roda de samba aqui outra acolá e algumas festas pontuais com muito psy trance e discotecagens variadas, os poucos clubes que abrem as portas nesta década optam pela música ao vivo com um forte sotaque sertanejão e um pouco de forró. A pista praticamente migrou para os bares, botecos e até o meio da rua.

Esta semana fiquei sabendo de novidades da cena noturna. O antigo Hamachi de Ponta Negra vai dar lugar a uma nova pista, batizada de Amsterdam. Não sei qual será a proposta sonora. Na Pipa também está a pleno vapor a ONE, boate do veterano empresário Ronaldo Lopes, nos moldes das pistas modernas.

Dos locais recentes o Kosmopolit da Hermes da Fonseca tem uma proposta diferente, pode-se dizer similar a lugares conhecidos dos roteiros turísticos como o Clube Metrópole em Recife e ao Bagatelle de São Paulo. É um misto de restaurante com salão, palco, pista e muitos videoclipes clássicos de pop rock, synthpop, dance music dos 80 e 90, além de uma banda ao vivo. Começa com som lounge e vai aumentando gradativamente até que depois da meia-noite o som convida os clientes a entrar na pista. A trilha sonora tem bom gosto e o lugar é muito elegante, mas não sei se o natalense entendeu a proposta.

Para a galera que dança em qualquer estilo musical, ainda está ativo o Seven na praça das Flores e recentemente abriu o Front Stage, em Ponta Negra. Dos antigos que resistem com suas baladas animadas estão o Casanova e a Vogue. 

Recentemente o El Rock passou a investir em noites dançantes com seleção “autoral”. No próximo sábado (18.05) tem a noite ‘Golden Ages’ com trilha sonora de dois conhecedores no assunto Carito Cavalcanti e Isaac Ribeiro.

DJ Samir, um dos melhores na discotecagem em Natal e cercanias, também faz uns sets no Bardallos todas as quintas-feiras, e vez ou outra é visto no Lounge da praia de São Miguel do Gostoso — Ele consegue juntar Tim Maia com Baiana System, Simonal com Luísa e os Alquimistas, Tom Zé, James Brown e Chico Science… O Sabadaço do Synthpop, no Beco da Lama, também trouxe algo novo pras ruas, mas o local ainda carece de estrutura. São limitações do próprio ambiente urbano.

Como baladeira quase aposentada, não estou tão atualizada hoje em dia sobre os ambientes pra dançar. Quem tiver mais dicas de lugares que não citei pode sugerir pra ir ampliando a lista.

Restaurante Madero aporta no Natal Shopping

15 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

O restaurante paranaense Madero e o Natal Shopping acabam de bater o martelo confirmando a chegada da marca com exclusividade ao shopping. Eleita a Melhor Hamburgueria pelo Guia São Paulo da Folha, o empreendimento gastronômico irá ocupar lugar de destaque na Alameda Gourmet do Natal Shopping, em uma loja com 570m². As obras da reforma começam em junho e a previsão é de que o restaurante abra no segundo semestre, ainda sem data prevista.

Estrutura do restaurante e hanburgueria Madero. Foto Cedida

Estrutura do restaurante e hanburgueria Madero. Foto Cedida

Fundado em 2005 por Junior Durski, o Madero é uma rede conhecida por produzir e servir cheeseburgers gourmet, palmito assado e petit gateau de doce de leite, os carros-chefes do restaurante, além de carnes, massas, saladas e sobremesas.

 

De festivais gastronômicos em praias paradisíacas

9 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

A Barra do Camaratuba, última faixa de praia do litoral paraibano que faz divisa com o Rio Grande do Norte, em breve será a rota de eventos gastronômicos reunindo chefs do RN e Paraíba. Quem dá pistas dessa história é Verlândia de Medeiros Morais, proprietária da Queijeira 504, que está engajada na programação.

Barra do Camarratuba fica no litoral sul da Paraíba, limites com o RN. Foto reprodução

Barra do Camarratuba fica no litoral sul da Paraíba, limites com o RN. Foto reprodução Felipe lima

A parceria deverá contar com a participação da apresentadora Nadia Bochi, conhecida pelas viagens gastronômicas ao lado do chef Jimmy num quadro do programa Mais Você, de Ana Maria Braga. Nadia inaugurou recentemente um empreendimento na região, a pousada Yemanjá Toré, e está em sintonia com pessoas da região, chefs e produtores da área. Está nos planos da equipe a realização de um festival gastronômico e outro de cinema em 2019. Vamos aguardar.

São Miguel do Gostoso deve receber festival em 2019. A imagem é um dos recantos tradicionais da praia, o Jack Sparrow

São Miguel do Gostoso deve receber festival em 2019. A imagem é um dos recantos tradicionais da praia, o Jack Sparrow

Do lado de cá, também deve sair do papel em 2019 0 primeiro festival gastronômico da bela e gastronômica São Miguel do Gostoso, litoral norte do RN. O Gostoso Fest Gourmet será braço itinerante do já consolitado Natal Fest Gorumet, evento realizado há dois anos pelo produtor e empresário Habib Chalita. O festival está em negociações para o segundo semestre. O formato terá oficinas gastronômicas e espaço dos restaurantes na praça.

Chef realiza oficina ‘Como montar uma mesa de café e receber em grande estilo’ na Galeria B612

8 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

Antes de pegar estrada para a Expedição Caatinga, que levará pessoas interessadas em uma imersão na culinária de Cerro Corá e região, a chef pesquisadora Adriana Lucena realiza em Natal uma oficina super legal para quem gosta de mesa farta ao estilo café nordestino.

Galeria B612 é espaço de arte e cultura na Ribeira. Foto Tribuna do Norte

Galeria B612 é espaço de arte e cultura na Ribeira. Foto Tribuna do Norte

“Como montar uma mesa de café e receber em grande estilo”será realizada nesta sexta-feira, dia 10, das 14h às 17h, no café na belíssima Galeria de Arte B612, localizada na rua Dr Barata, Ribeira. A galeria é um dos locais mais cheios de arte e história da cidade. Reservas pelo Tel.: 99670 3351. Investimento é de R$ 59,00.

Com restaurante francês e spa da L’Occitane, Vogal Luxury Beach Hotel e SPA confirma inauguração para 7 de junho

8 de maio de 2019 por Cinthia Lopes

Após sete anos de construção, está pronto para inaugurar o luxuoso Vogal Luxury Beach Hotel e SPA. O hotel de padrão seis estrelas confirma a inauguração na cidade para o dia 7 de junho.

Fachada do Vogal Luxury Beach Hotel. Foto de Fernando Chirimboga

Fachada do Vogal Luxury Beach Hotel. Foto de Fernando Chiriboga

Além do alto padrão do empreendimento hoteleiro, a novidade está no restaurante de cozinha francesa, o Le Château e um SPA de beleza e bem-estar com a marca francesa de cosméticos L’Occitane.

O elegante Lobby do hotel reflete o padrão seis estrelas do empreendimento turístico. Foto: Gustavo Dantas

O elegante Lobby do hotel reflete o padrão seis estrelas do empreendimento turístico. Foto: Gustavo Dantas

O Vogal está localizado em um recanto de Ponta Negram onde natureza e urbanidade se integram, ali no finalzinho da Via Costeira. Clima paisagístico pé na areia e todos os 84 quartos, sendo 21 suítes, tem vistas panorâmicas para o mar, além de 5 piscinas outdoor, pool bar, spa, restaurantes, beach service e fitness center.

Área de lazer conta com cinco piscinas à beira mar e 5 piscinas outdoor, pool bar. Foto: Fernando Chiriboga

Área de lazer conta com cinco piscinas à beira mar e pool bar. Foto: Fernando Chiriboga

Dois restaurantes compõme a oferta gastronômica do empreendimento e serão abertos ao público externo do hotel. Ambos,  sob o comando do chef Jomair Moreira. O sotaque regional fica no restaurante Terraço, servindo os temperos da cozinha potiguar. Já o Le Château propõe uma imersão nos aromas e sabores da secular cozinha francesa.

A suite master, chamada de Presidencial com com piscina em frente. Foto: Fernando Chiriboga

A suite master, chamada de Presidencial tem piscina exclusiva em frente. Foto: Fernando Chiriboga

O luxuoso hotel oferece ainda espaços exclusivos para eventos sociais e corporativos, com toda infraestrutura e serviços pensados para proporcionar o que há de melhor para todas as ocasiões. Os serviços de spa, restaurante e áreas de eventos são abertos ao público mediante reserva para garantir maior comodidade e privacidade.

Apartamento luxo do Vogal Beach Hotel

Apartamento luxo do Vogal Beach Hotel

Segundo a assessoria, a ambientação é intimista e os serviços refletem elegância e exclusividade. Os hóspedes terão mordomo, guest relations, concierges, enxoval Trussardi em algodão egípcio 600 fios, amenities L’Occitane en Provence, talheres de prata, welcome drink com champagne Veuve Clicquot, tratamento acústico nas instalações, serviço de praia, entre outros mimos.
O empreendimento disponibiliza atendimento personalizado para quem pretende planejar suas férias e eventos sociais ou corporativos no mais novo hotel de luxo de Natal.

Vogal Luxury Beach Hotel &Spa
R. Cel. Inácio Vale, 8861
Ponta Negra – Natal – RN
+55 84 3227.1000

www.vogalhotel.com.br
www.facebook.com/vogalhotel
Instagram: @vogalhotel

 

 

Uber Eats chega a Natal como nova opção para entrega de comida em casa

29 de novembro de 2018 por Cinthia Lopes

Com tantas pessoas optando por comer em casa, novos aplicativos surgem como opção. O mais novo a operar em Natal é o Uber Eats, aplicativo da Uber que conecta o consumidor a restaurantes da cidade. Presente em mais de 60 países, o Uber Eats é a plataforma de entrega de comida que mais cresce no mundo. Nesta quinta-feira (29), os natalenses poderão começar a usar a plataforma para receber comida de um modo mais cômodo, eficiente e inovador.

Uber Eats abre espaço para restaurantes e mais motoristas

Uber Eats abre espaço para restaurantes e mais motoristas

Para conhecer o Uber Eats, pelos próximos dias, a entrega será grátis. Desde a chegada em São Paulo em dezembro de 2016 até agora, já são 25 cidades. “O Brasil é o maior mercado de entrega de comida da América Latina e, desde que o Uber Eats chegou, vimos o quanto os brasileiros ansiavam por uma plataforma que conecta os usuários aos melhores restaurantes da cidade”, diz Delon White, diretor-geral do Uber Eats no Brasil. “Até o fim do ano, o Uber Eats chegará a ainda mais cidades, trabalhando sempre para se tornar a plataforma de preferência dos brasileiros.”

“Com o app, multiplicam-se as oportunidades para toda a cadeia. Os usuários, em vez de pedirem pelo telefone o prato de sempre do restaurante de sempre, podem agora navegar por milhares de opções e fazer melhores escolhas conforme seu orçamento, necessidades e restrições”, disse.

Do lado dos entregadores parceiros, mais pessoas passam a poder se beneficiar da tecnologia para gerar renda extra ao toque de um botão. As entregas do Eats podem ser realizadas por motoristas de carros que não atendem os requisitos mínimos da Uber, motoqueiros e até ciclistas. E os motoristas do uberX ganham uma chance maior de trabalhar mesmo em horários de menor movimento, como ao meio-dia. Para saber mais sobre entregas, acesse AQUI.

De acordo com a Uber Eats, os restaurantes parceiros são os maiores beneficiados. Eles passam a poder se focar na comida. Podem atingir novos públicos de forma descomplicada. Podem também inaugurar o que chamamos de “restaurantes virtuais”, que são lojas que existem no Uber Eats, mas, no mundo real, não têm fachadas, não têm mesas e não têm garçons, por exemplo.

 

Segunda edição do Natal Fest Gourmet valoriza gastronomia e espaço turístico de Natal

27 de novembro de 2018 por Cinthia Lopes

Terminou em grande estilo a 2ª edição do Natal Fest Gourmet, realizado no último final de semana (22 a 24). Mais de três mil pessoas circularam na última noite, dia 24, consolidando o festival e também o Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Natal, na Ribeira, como grande ponto cultural da capital.

Varanda concorrida de frente para o rio Potengi. Foto Rogério Vital

Varanda concorrida de frente para o rio Potengi. Foto Rogério Vital

O lugar agradável de frente para o rio Potengi, com boa infraestrutura, casou bem com um evento voltado para a valorização da gastronomia. Somou-se a isso a entrada gratuita e as atividades para todos os públicos – inclusive crianças com espaço infantil. Virou uma ótima opção de lazer ao combinar música, comidinhas (algumas pratos excelentes!) e conhecimento.

Salão climatizado e com shows ao vivo também foi um espaço disputado

Público lotou o salão climatizado para degustar das apresentações musicais

Com tanta gente circulando e a fim de comer, não era de se surpreender as inevitáveis filas que se formaram desde a compra das fichas até a escolha dos pratos nos restaurantes. Preços de petiscos variando entre R$8 e R$ 15 e pratos mais robustos entre R$ 20 e R$ 30. Formou-se um gargalo em determinadas horas, mas no final todo mundo conseguiu comer e beber quando o movimento fluiu ao longo da noite.

As oficinas da Arena Senac atraiu público com sua programação de oficinas e degustações

A Arena Senac teve plateia cheia todas as  noites com sua programação de oficinas e degustações

Caberá um ajuste para agilizar os pedidos, talvez mais garçons e maquinhas portáveis para venda de bebidas e comidas. Outra sugestão seria abrir no último dia pela manhã, pois daria para contemplar a paisagem e almoçar em um lugar diferente…

Comidas preparadas na oficina da Arena Senac de Gastronomia

Receitas preparadas na oficina da Arena Senac de Gastronomia foram servidas para o público

O produtor Habib Chalita comentou que a escolha do local foi acertada. “Queremos somar forças na valorização da região como potencial gastronômico, cultural e turístico e nisso o local é perfeito”.

Oficina de brownies encerrou a série de minicursos da Unidade de Panificação do Senai. Excelente a aula de pães da quinta-feira

Oficina de brownies encerrou a série de minicursos da Unidade de Panificação do Senai. Excelente a aula de pães também na quinta-feira

Dos pratos que consegui degustar no Natal Fest Gourmet, destaco os excelentes assados na parrilla da Cordeiro Chique. O bife ancho com batatas rústicas e picantes foi de comer suspirando. Na feirinha de produtos gastronômicos organizada pelo festival e convidados do Sebrae, além dos queijos, mel e cervejas artesanais, descobri o padeiro D’Vini – em breve falaremos sobre pães artesanais.

Visão do terraço com público e tendas de restaurantes. Pense um lugar agradável!

Vista do terraço para o lugar mais apreciado pelo público: na beira do rio e perto das tendas de restaurantes. Pense um lugar agradável!

A homenagem ao renomado chef Tadeu Lubambo, criador do restaurante Camamo de Tibau do Sul, foi um momento especial do evento. Tadeu atualmente reside em Natal e está aposentado da cozinha, por conta de sua saúde debilitada. Ele se emocionou ao receber a comenda Le Magnifique Chef conferida pelo Natal Fest como reconhecimento da contribuição no fomento da gastronomia potiguar, entregue no encerramento das oficinas com presença de autoridades e pessoal da gastronomia .

Uma homenagem merecida ao chef Tadeu Lubambo. Na foto, o chef com o prefeito Álvaro Dias, o presidente da Funcarte Dácio Galvão e os produtores Habib Chalita e Jenner Tinoco

Uma homenagem merecida ao chef Tadeu Lubambo. Na foto, o chef recebe a comenda das mãos do prefeito Álvaro Dias, com o presidente da Funcarte Dácio Galvão e os produtores Habib Chalita e Jener Tinoco

“É uma satisfação estar ao lado desses empresários, participando dessa atividade e incentivando o Natal Fest Gourmet, participando e sendo parceiro de todos que fazem este evento”, afirmou o prefeito Álvaro Dias, citando algumas obras que contemplam o turismo na cidade, como o Terminal Turístico na Redinha.

Seminário foi destaque do festival. A pesquisadora e chef Gabriela Sales falou sobre a importância das Pancs e da agricultura familiar

Seminário foi destaque do festival. A pesquisadora e chef Gabriela Sales falou sobre a importância das Pancs – Plantas Alimentícias não convencionais – e sua relação com a agricultura familiar

Entre uma comidinha e outra, considero o ponto alto do Natal Fest Gourmet a diversidade de ações de formação. Foram oferecidas várias atividades para público leigo ou para quem já está na área da gastronomia. Palestras, oficinas, minicursos na Arena Senac, padaria móvel do Senai  ou no Cozinha Brasil, além do seminário técnico realizado pelo próprio festival.

Especiarias do mundo e azeites foi o tema de Sérgio Motta, que encerrou a programação do Seminário.

Especiarias do mundo e azeites foram temas da fala de Sérgio Motta, encerrando a programação do Seminário.

O SENAI realizou seis minicursos técnicos na sua unidade móvel de panificação, uma espécie de sala de aula itinerante climatizada, estacionada no terraço do Terminal. Os inscritos tiveram contato com o universo do pão artesanal de alta qualidade e aprenderam noções de preparo da massa madre, da escolha e manipulação de ingredientes. O SESI trouxe a Cozinha Brasil para abordar o reaproveitamento alimentar. O SEBRAE-RN participou com estantes de vendas dos produtos de terroir potiguar. Já o SESC deu a sua contribuição cultural formando o time de artistas em dois shows diários.

Bancadas movimentadas na cozinha da Arena Senac

Bancadas movimentadas na cozinha da Arena Senac

O Fest Gourmet também apostou em uma experiência de discussão da gastronomia muito interessante com o I Seminário Técnico de Gastronomia. Os temas abordados estão em alta nos diversos ambientes gastronômicos da cidade, entre chefs, técnicos e pesquisadores. Vale investir no seminário, trazendo convidados de outros estados para dialogar com a cena local.

Chef Adriana Lucena expôs sua seleta curadoria de queijos artesanais. Foto Rogério Vital

Chef Adriana Lucena expôs sua seleta curadoria de queijos artesanais e mel de Jandaíra.

Para falar sobre gastronomia e identidade cultural foi convidada a pesquisadora de cozinha potiguar Adriana Lucena. A chef é proprietária do sítio Aroeira é uma ativista do movimento mundial Terra Madre, que luta por uma gastronomia que valorize toda a cadeia produtiva. O mestre cervejeiro Fábio DeSilva, criador da cerveja artesanal Perversa, falou sobre a sua experiência de cervejeiro “cigano” e aproveitou para conversar sobre o mercado cervejeiro local.

Palestra concorrida com o cervejeiro Fábio DeSilva, na primeira noite do Seminário

Palestra concorrida com o cervejeiro Fábio DeSilva, na primeira noite do Seminário

O laticinista Raoni Carbogim destacou as tendências dos queijos artesanais potiguares, e Deborah Sá falou sobre a comida vegana pelo viés da cozinha contemporânea. A chef e pesquisadora Gabriela Sales falou da importância da agricultura familiar para resgatar a diversidade alimentar do País, principalmente na revalorização PANCs — Plantas Alimentícias não convencionais.

Grupo Choro do Elefante embalou o público com choros, valsas e maxixes

Grupo Choro do Elefante embalou o público com choros, valsas e maxixes

Além de chef, Gabriela é servidora pública da Funcarte e está com um projeto de desenvolvimento de horta orgânica nas escolas, capacitando alunos e professores sobre o conhecimento e manipulação desses novos vegetais. Por fim, o engenheiro e pesquisador Sérgio Motta, proprietário da Koru Brasil, encerrou o Seminário do Natal Fest Gourmet abordando os usos, conservação e o preparo de temperos e azeites.

Oficina de pães especiais do Senai

Oficina de pães especiais do Senai foi destaque na quinta-feira

Ele é um especialista no setor. Em uma rápida conversa, o engenheiro destacou a iniciativa de promover os debates, mas acredita que é possível aproximar o seminário do resto da programação, já que o encontro aconteceu no primeiro andar do Terminal.  Quem sabe em 2019 o festival ocupe além do salão e do terraço, também a varanda!

Canequinhas do Instituto Histórico para colecionar. Confira as séries ‘Patrimônio histórico’ e ‘Newton Navarro’

19 de setembro de 2018 por Cinthia Lopes
Coleção com imagens da obra de Newton Navarro. Foto Cedida

Coleção com imagens da obra de Newton Navarro. Foto Cedida

O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte não para de inovar. A casa da memória potiguar lançou recentemente sua coleção de canecas com ilustrações do artista potiguar Carlos José. São 20 modelos ao todo, com imagens de Luís da Câmara Cascudo, de prédios e monumentos do Centro Histórico, como o Palácio Potengi, a coluna Capitolina e outros. Custa R$ 30 e a tiragem é limitada.

Caneca com xilogravura da Pinacoteca do Palácio Potengi

Caneca com xilogravura da Pinacoteca do Palácio Potengi

A primeira coleção de canecas é produto de uma garimpagem diária da equipe atual do IHGRN no acervo da instituição. Recentemente foi encontrado um álbum de xilogravuras de Carlos André, com o registro de vários prédios históricos da cidade. O conteúdo gerou uma exposição “Roteiro Histórico do Rio Grande do Norte” e parte das imagens reproduzidas nos souvenirs.

A nova coleção tem como tema a obra do artista plástico Newton Navarro (1928-1992), reproduzindo cenários  e personagens característicos de sua obra, como pescadores e vaqueiros. Para a coleção Navarro foram fabricadas 30 modelos.

Coluna Capitolina também ganha um lugar na canequinha do IHGRN

Coluna Capitolina também ganha um lugar na canequinha do IHGRN

ONDE

Para adquirir, basta visitar o Instituto Histórico, localizado na rua da Conceição, Cidade Alta, próximo à Assembleia Legislativa do RN. Mais no LINK

Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande é a mais antiga instituição cultural do Rio Grande do Norte. Encerra em seu acervo, documentos, biblioteca e museu, e atende a estudantes e pesquisadores, franqueando o acesso ao seu acervo. Aberto à visitação, também promove exposições, palestras e outras atividades voltadas à promoção da cultura norte-rio-grandense.

Temporariamente, não está aberto para pesquisa, tendo em vista que o seu acervo passa por processo de reorganização, manutenção, digitalização e catalogação a fim de, futuramente, dinamizar a consulta e permitir, de forma adequada, a utilização do material para consulta e pesquisa.