75398295_538818720275355_9192603428017143808_n

POR AUGUSTO BEZERRIL

@augustobezerril

augustobezerril@tribunadonorte.com.br 

Para quem não me conhece, meu nome é Augusto. Mas muitas vezes falam ou gritam Bezerril. Romero Rafael é aproveitou o ABZ que me acompanha e, no Minas Trend, repetiu uma pronuncia nova ABEZ. Não sei quem disse que ABZ tem uma coisa AB e vai unindo tudo que dá liga até chegar em Z.  Lembrei ter inventado uma retrospectiva que é era 2019 (por exemplo) de A a Z. Ano passado, lembro, tinha Duda Beat – que apareceu divando no prêmio Multishow, esta semana, usando Helô Rocha. H sempre tem Helô. E nesta edição da SPFW não teve Guilherme Silva em G, mas Gaby Cruz introduziu o F de Fagner Bispo como companheiro do meu anjo da guarda. Pense no axé! Voltando a G, rolou até foto de Gabriel Pita – modelo baiano que eu e Gabi adoramos – usando a potiguar Sem Etiqueta em collab com a Raffe. Pois é isso que teve, neste puzzle da temporada, o J de Jully Lourenço. A cearense é, assim, desde o Inspira Mais. Jully ganhou uma tee com o nome dela completo. Eu ganhei uma tee estampada de Augusto. Mas meu orixá ou anjo da guarda me avisou no meu ouvido. E Fagner Bispo – todo acreditado no axé – pode muito confirmar que testemunhou tais os sinais. Batata, não dorei ! Mas a gente super trabalhou, mostrou que risca no riscado e se divertiu. Janete só observando…. né?

O momento mais engraçado de São Paulo foi quando Pablo Vittar me chamou para sentar do lado dele na festa da Calvin Klein. E Thiago Malva fez filminho da cena e, acreditem, sentei do lado do filho de Antonio Fagundes. E, desculpe, não vi o moço. Só lembro de ficar rindo com Lorena sobre o nome do drink feito com Jack Deaniels. Muita diversão, gente! Tânia Otranto, um luxo, toda anfitriã. Os desfiles que eu mais curti na temporada estão em review no blog e vocês conferem na edição impressa da Tribuna do Norte. Mas depois de conhecer pessoalmente Espedito Seleiro no desfile na Amapô na SPFW, tive a grata surpresa em conhecer as bolsas feitas por Rogério Lima – diretor de criativo do Minas Trend. A tradução de Rogério para o trabalho de Seleiro é de nível internacional. O mais bacana é que o mineiro exibe a modéstia verdadeira que Seleiro é infinitamente maior no primor do trabalho artesanal. Sabe aquela de ter uma sapato Chanel pret-à-porter e outra coisa ter o calçado feito pelo sapateiro da grife? Rogério põe as coisas na mesma ordem. Eu penso que é bem por aí. O brilhante é verdadeiro quando há verdade brilhante na história. Simples e assim.

Neste quebra-cabeça de ir-e-vir, cheguei direto para casa de mamãe. Trouxe doce de leite de minas e mamãe, mesmo não estando tão bem, deu troco com legítimo doce de goiaba. Na casa de mamãe eu sou “Zé Augusto”. Olha o Z de ABZ! Minha tia Marlene, figura crucial em muitas sagas, também me chama de Zé Augusto. Direto de Roma e Israel, ela mandava “menino, como está aí?”. Não tem preço. Eu pedi para minha prima Margarete colocar meu nome lá muro das lamentações. Minha prima mais companheira de Carnaval ganhou a missão de me dar uma ajudinha lá pelas forças celestiais!! A foto de Margarete rezando lá, não sei bem qual local da Bíblia, é linda. Nem parece as nossas bagunças de momo. É assim. Agradecido aqui ao meu anjo da Guarda, ganhei uma mensagem linda minha amigã Bruna Castello Branco. Ela disse que todo ama está comigo. E eu chorando lembrando da minha irmã Carminha….

Não estou bem certo, mas meu anjo da guarda tende para o A das águas da Bahia e tem G pronunciado dos Filhos de  Gandhi. E foto que ilustra o post é do meu amigo Marcos Biazi. Sem corte, recortes e filtros.

Foto M.Biazi

 

Comentários do Facebook

Deixe um comentário