AntiV-0516_bx (1)

POR AUGUSTO BEZERRIL

@augustobezerril

augustobezzerril@tribunadonorte.com.br 

O futuro é agora. Grifes, estilistas e indústria desenham o que chamamos de “novo now”. O cenário trama a favor da tecnologia, ciência, sustentabilidade aliado ao conforto e estilo. Os tecidos antivirais despontam na Oriba- grife masculina amiga da natureza e estilo supercoool – e na DeMillus. A Uma – que sempre primou pelo urbanidade e conforto – entra no mapa eco-friendly. O que faz muito sentido com o estilo da consumidora da grife.O calendário de eventos digitaliza. A Beauty Fair comunica que a 16ª edição da maior feira de beleza profissional das Américas está oficialmente adiada para setembro de 2021 e aproveita para apresentar as novidades que a empresa prepara até o final do ano. Serão jornadas gratuitas de capacitação na Beauty Fair Week, uma nova plataforma de educação e entretenimento por assinatura, Beauty Fair On, para trazer cada vez mais conteúdo relevante e atualizado para profissionais de beleza, e a realização dos congressos da Beauty Fair de forma virtual. A Dragão Fashion Festival, evento autoral de Fortaleza, promete desfiles on line para, agora, final de agosto. Now, now!

ORBITANDO…

A Oriba, marca paulistana super amiga do planeta –  lançou  uma linha de moletons (veja foto 1) com tecnologia antiviral e eficaz contra o coronavírus. A novidade chegou ao e-commerce da label no dia 6 de julho e inclui dois modelos de moletom e uma calça, pensados para reduzir o risco e a velocidade de contaminação durante o inverno. As peças são feitas de algodão orgânico com certificado GOTS (Global Organic Textile Standard) e levam o aditivo que desativa vírus e bactérias em até 1 minuto após o contato. Os testes foram feitos pelos laboratórios de virologia aplicada da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade Estadual de Campinas, garantem a eficácia de 99,9% contra a contaminação pelas roupas. O tecido é testado conforme normas da ISO 18184 (Determination of Antiviral Activity of Textile Products) e AATCC 100 (American Association of Textile Chemists and Colorists). “Começamos a utilizar esse aditivo antiviral e antibacteriano em itens que lavamos com menos frequência, para aumentar a segurança de quem estiver usando a peça, mas também para reduzir o número de vezes que lavamos as nossas roupas por medo de nos contaminarmos, dessa maneira reduzimos o consumo desnecessário de água e energia elétrica. Peças que lavamos todos os dias já não têm essa necessidade”, explica Rodrigo Ootani, sócio-fundador da Oriba.

mascara anti viral_061005_03_2351

MAIS PROTEÇÃO 

Referência brasileira quando o assunto é lingerie, A DeMillus desenvolveu tecidos com o fio da Rhodia, batizado de Amni® Virus-Bac OFF, um fio têxtil de poliamida antiviral e antibacteriano com efeito permanente, que impede a ação de bactérias e vírus envelopados (influenza, herpesvírus e coronavírus) e não envelopados, com eficiência comprovada de acordo com padrões internacionais ISO 18184 (Determination of Antiviral Activity of Têxtil Products) e AATCC100 (antibacteriano). A função dessa poliamida é bloquear a contaminação cruzada entre os artigos têxteis. “Estamos usando o mesmo material de camisetas esportivas, por exemplo, que matam as bactérias causadoras do mau cheiro com a transpiração. Esse tecido que nós desenvolvemos desativa 99% dos vírus e mata 99% das bactérias que entrarem em contato com o mesmo”, diz Viviane Figueiroa, Superintendente de Marketing da DeMillus. A marca dedicou parte da unidade fabril, localizada na Penha, Rio de Janeiro, para produção de máscaras.

UMAX_c-0150

PRESENTE DO FUTURO 

 Nascida em abril e só agora convertida em verdade por causa da pandemia, a UMA X, traz a essência e transparência para marca UMA. A linha  tem o DNA de  Vanessa Davidowicz, filha de  Raquel Davidowicz – fundadora da grife paulistana. . Vanessa, com seus 27 anos de idade, foi responsável por todo o conceito e missão da linha, que conta com design de Raquel, e busca atingir um público jovem, com preços mais acessíveis, pegada genderless e compromisso com meio ambiente. s peças contam com preços mais acessíveis se comparado às coleções da UMA (entre R$ 155 e R$ 795), e sempre trazem algum elemento sustentável na sua composição e confecção – como a tecnologia ECONYL®, usada pela primeira vez para uma marca brasileira (a Prada é uma das grifes que já utilizam esse material lá fora, por exemplo). Veja (foto 3) o novo da Uma em dois looks masculinos. . Quem acredita que o presente é puro futuro, eis uma prova via Uma.

 

 

 

 

Comentários do Facebook

Deixe um comentário