NORMAM 07- CASOS EM QUE O “BARCO” PODE SER APREENDIDO

2 02Etc/GMT+3 julho 02Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

A embarcação só será impedida de dar continuidade ou iniciar uma singradura, quando a infração praticada efetivamente caracterizar perigo ou risco potencial à navegação, à salvaguarda da vida humana nas águas e/ou de poluição ambiental.
Essa medida será aplicada sempre que necessário, pois nada justifica o comprometimento da segurança. As embarcações serão apreendidas mediante lavratura do Auto de Apreensão, sempre que:
a) conduzidas por pessoas não habilitadas;
b) não forem registradas e/ou inscritas;
c) estiver a embarcação estrangeira operando em águas sob jurisdição nacional, sem estar devidamente regularizada de acordo com o previsto na NORMAM-04/DPC;
d) trafegando sem o cumprimento de exigências de vistorias que comprometam a segurança, após o prazo estabelecido; 
e) qualquer fato que represente perigo à salvaguarda da vida humana no mar e nas águas interiores, segurança da navegação e à poluição ambiental; e
f) conduzida por pessoa em estado de embriaguez. As embarcações serão retidas pelo tempo que for necessário para atendimento das exigências requeridas.
Apesar da  Normam não informar uma embarcação pode ser apreendida ou retirada de tráfego por órdem judicial.

Honda comemora 40 anos do Accord, o carro que é sucesso nos Estados Unidos

1 01Etc/GMT+3 julho 01Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Você sabia que o automóvel  Honda Accord foi lançado no Brasil no início da década de 1990?. Sabia que o modelo era bastante popular nos Estados Unidos, onde foi lançado em 1976 como um hatch de duas portas e começou a ser produzido a partir de 1982 na versão “sedã”?.

Pois bem, para celebrar o 40º aniversário de seu modelo mais bem-sucedido no mercado norte-americano (12,7 milhões de unidades vendidas), a Honda divulgou imagens e um infográfico que mostram as diferenças entre as nove gerações do Accord; confira na galeria abaixo:

Patente da vulcanização da borracha chega a 172 anos

por fernandosiqueira

A vulcanização – processo que consiste na aplicação de calor e pressão a uma composição de borracha, a fim de dar forma e propriedades ao produto final – foi criada pelo inventor norte-americano Charles Goodyear em 1839. No entanto, sua invenção foi patenteada apenas em 15 de junho de 1844 e acaba de completar 172 anos.

O processo de vulcanização é a fase mais importante da indústria da borracha e essencial para a fabricação de pneus. Homenageando o inventor, em 1898, o empresário Frank Seiberling fundou a The Goodyear Tire & Rubber Company, na cidade de Akron, em Ohio, nos Estados Unidos. Com a ajuda do projetista de pneus Paul Litchfield, Seiberling levou a empresa à liderança. Em 1917, a Goodyear já era o maior fabricante de pneus do mundo.

Descoberta

A borracha utilizada no início do século XVIII apresentava dois grandes problemas. Se apresentava dificuldade em ser trabalhada no estado sólido, por outro lado tornava-se mole e pegajosa quando submetida ao calor. Em tempo frio, tornava-se progressivamente rígida e, no rigor do inverno, quase completamente inflexível. Além disso, desenvolvia odor desagradável após curto período de tempo. Por conta disso, Goodyear começou a estudar uma forma de a borracha resistir a variações de temperatura

Após vários ensaios, ele conseguiu obter borracha vulcanizada misturando enxofre com borracha em alta temperatura. O processo foi descoberto acidentalmente, quando Goodyear deixou uma mistura de borracha e enxofre cair, sem querer, sobre o fogão quente. Foi então que ele notou que a borracha não chegou a derreter, tendo queimado apenas um pouco. Ele percebeu que a adição de enxofre à borracha a tornava mais resistente. A partir daí, desenvolveu o processo de vulcanização para estabilizar a borracha.

Yamaha lança Factor 125 ED 2017 com motor flex

por fernandosiqueira

yamaha factor 125i ed flex 2017

A Yamaha está lançando no Brasil a nova Factor YBR 125i ED 2017, a moto street de baixa cilindrada, chega apostando no visual esportivo e bonito, somado com a economia do novo motor de 125 cilindradas com tecnológica BlueFlex, é o único 125 da categoria a contar com tecnologia bi-combustível, o preço é de R$ 7.390,00.

Motor BlueFlex 125…

O motor 125 cc da nova Factor ED 2017 foi desenvolvido levando em conta os motociclistas que rodam diariamente nos grandes centros urbanos, por isso ele foca principalmente na economia de combustível, porém sem abrir mão da durabilidade e agilidade necessária, para o dia-a-dia nas grandes cidades.

É um motor completamente novo, SOCH, com comando único no cabeçote e 2 válvulas, injeção eletrônica e refrigeração a ar, conta com exatos 124.9 cm³, a potência máxima é de 11 cv a 7.500 rpm com gasolina e 11.1 cv com etanol, a Yamaha afirma que ele é o motor 125 cc com mais torque da categoria, são 1.16kgfm a 6.000 rpm com etanol no tanque e 1.15 kgfm a 6.000 rpm quando abastecido com gasolina.

Outra exclusividade é o tanque de 15.7 litros, com boa capacidade, promete proporcionar uma grande autonomia a YBR 125i ED 2017. A partida é elétrica e o câmbio manual de cinco marchas.

FONTE: Encontracarros

Coluna “DE CARRO POR AÍ”. Roberto Nasser

por fernandosiqueira

Bom, bonito, o Kia Sportage

Quarta edição, sucesso de vendas crescente, projeto premiado, Kia Sportage inicia ser vendido no Brasil e, com esperanças de José Luiz Gandini, importador, de retomar a posição de mais vendido da marca.

Mudou tudo, incluindo design atualizado e conteúdo. Terá sido o último Sportage sob o lápis de Peter Schreyer, festejado designer, presidente da Kia. Deve se aposentar em dois anos e próxima geração surgirá em 2021. Embute muita dedicação para se tornar referência, linhas agradáveis, grade e frontal inconfundíveis, incorporando detalhes marcantes em outros produtos, como os frisos em relevo no capô, lembrando esportivos Mercedes, e o perfil do aerofólio traseiro, assemelhado ao do Macan Porsche.

Fugiu do desenho ensandecido em planos e cortes, tão a gosto de coreanos, e tem harmonia de formas. Tanta, venceu prêmios de design, como o Red Dot e o iF. Cresceu 4 cm em comprimento, 3 cm em altura, manteve a largura de 185,5 cm e esticou entre eixos em 3 cm, indo a 267 cm. Arquitetura interior oferece mais espaço para passageiros e carga. Nova construção aderiu à moda tecnológica de aço leve e resistente para áreas de maior esforço, aumentando em 33% sua aplicação, atingindo pontuação máxima em entidades de segurança nos EUA: cinco estrelas no NHTSA e máxima no IIHS.

Conteúdo enriquecido em conforto e segurança, as duas versões compostas para o Brasil tentam cercar os compradores. Entrada, mais simples, sem entretanto passar vergonha por não portar revestimento em couro, 10 regulagens elétricas nos bancos frontais, é bastante palatável. Altamente recomendável não fosse a omissão do auxílio eletrônico para estabilidade, o EPS, e das aletas sob o volante para o comando manual das marchas, não embarcados por razões de continência.

Motorização única, 4 cilindros, dianteiro, transversal, flex, 2,0 litros, DOHC e 16 válvulas. Com álcool, torque de 20,2 kgmf, e 167 cv; gasálcool, 156 cv e torquede 18,8 kgmf. Transmissão automática, seis velocidades, tração dianteira.

Quanto custa

Versão                R$

LX                   109.990,00

EX                   134.990,00

Kia Sportage, 4ª. Geração revista e melhorada

Saab vai-se

No pós-Guerra, engenheiros aeronáuticos da sueca Saab – a dos caças Grippen – projetaram pequeno automóvel. Leve, resistente, aerodinâmico, motor 3 cilindros, 2 tempos. Marcou-se mundialmente por vencer rallyes contra concorrentes mais fortes.

Em 1989 focando no negócio principal, equipamentos de defesa, passou à GM 50% das ações e o controle, gerando o óbvio: se a rede de supermercados compra a ótima doceria do bairro, cai a qualidade, vai-se o charme, negócio fecha. Perdem todos. Ao comprador falta refinamento, sobra grosseria.

GM entrou em crise após tentar assumir a Fiat, e passou a Saab à Skyper, marca exumada para fazer carros esportivos. Muita lenha sueca para o caminhãozinho holandês, negócio se inviabilizou.

Foi vendida ao grupo chinês NEV, de carros elétricos, e logo a carroceria do Saab 9-3 movida por eletricidade era o modelo NEVS – S, de Suécia. Operação complicou em caixa, fluxo, recursos, desde 2012 entre a recuperação judicial e a falência e, ante planos de se transferir para a China, a holding Saab proibiu o uso da marca e da logo. Os NEVS não serão Saab.

Referencial qualidade é pouco conhecida no Brasil. Em 1956, à implantação da indústria automobilística nacional, numa bravata, a UDN, partido de oposição ao governo JK, para inviabilizar o projeto, criou oportunidade de importação de veículos. Entre os neo importadores a companhia T Janer, trouxe Saabs. Mais famoso, o do arquiteto Oscar Niemeyer, para rodar em Brasília e viagens, ante seu pavor a aviões. Início dos anos ’90, representante em S Paulo vendeu dúzia de unidades e saiu do negócio. Saab agora é história.

Em veículos Suécia resumiu-se aos caminhões e produtos industriais Volvo. Outras, Scania é Volkswagen, e Volvo automóveis, chinesa.

Saab

Vespa que voltar. De novo

Motoneta, ou termo da moda Scooter, italiana Vespa quer voltar à produção no Brasil. Novo representante, a Asset Beclley Investments Management, visa construir parque industrial e abastecer Brasil, Mercosul e América Latina e em 5 anos, conquistar 10% do mercado de motos com marcas Vespa e Piaggio.

Pretensões elevadas, repetir participação mundial, como 15,2% e liderança europeia e 21,4% entre scooters. Lidera nos EUA com 20%.

Quarta vez – Chegou ao início da motorização nacional, de 1958 a 1964, pela carioca Panambra. Década após, 1974 a 1983, no modelo de montagem na Zona Franca de Manaus, pela empresa Barra Forte. Fechou. Voltou em 1985 mudando desenho operacional, societário, pela Motovespa, juntando matriz italiana Piaggio, 45%; Caloi, 45% e B. Forte, 10%. Em 1985 e 1986 em superficial montagem e, daí produção e nacionalização de 90%. Dado inimaginável, superou a líder Honda CG 125. Pouca duração, em 1987 Caloi deixou a sociedade, e crise de administração encerrou-a em 1990. Quatro anos após a ágil Brandani, de Ribeirão Preto, SP, importou modelo 150 da Índia. Cessou em 2.000. Outros quatro anos de ausência, Piaggio e Vespa com outro importador a partir de 2004. Fechou.

Agora, novo empreendedor contratou para implantá-la Longino Morawski, responsável pela sedimentação da Harley-Davidson, e ex-Toyota.

Vespa, de novo, novamente ….

RODA-A-RODA

Fumaça – Incalculadas mudanças e prejuízos econômicos para a decisão de o Reino Unido deixar a União Europeia, na indústria automobilística inglesa, para patrões e empregados situação medeia entre o receio e o pavor.

Base – A grande ilha baseia grande número de fabricantes estrangeiros exportando sensível parte de sua produção. Segundo maior fabricante de automóveis ingleses é a japonesa Nissan …

Custos – Sair da UE significa o estabelecer de barreiras administrativas e tributárias para importar e para exportar – ou seja, aumento de preço nos produtos, com inevitável queda em demanda – e risco aos empregos.

Aqui – De lá Brasil importa Minis, Rolls-Royces e Jaguar Land Rover. BMW informou situação não afetará o preço dos Mini. RR é inexpressivo no panorama: 4 unidades em 2015, nenhuma em 2016. Jaguar e Land Rover entendem cedo para projeções.

Outro lado – Enquanto muitos perderão, cálculos dizem, Bernie Ecclestone, diretor comercial da Fórmula 1, ganhará muito. Empresa sediada na Inglaterra, faturamento externo estimado em US$ 2B, valorizou 10% ande queda de valor da Libra. O Brexit deu ao polêmico e processado Ecclestone, mais de inesperados US$ 200M!

Negócio – VW alemã traçou projeto de indenização aos compradores nos EUA de 482.000 veículos diesel TDI com emissões acima do teto legal, o Dieselgate. Pagará entre US$ 1 mil e US$ 7 mil, dependendo do carro e caso. Em re- call impossível comprará os carros. No total, US$ 15B para encerrar ações no âmbito civil, indenizar proprietários, multas e dedicar a pesquisas.

Razão – História contada pela publicação AutoData diz de estudo da Escola de Guerra Econômica, do Ministério da Defesa francês, apontando o Dieselgate como iniciativa tática dos EUA contra os fabricantes europeus de veículos e a aproximação da Volkswagen à liderança mundial.

Pontos – Relaciona a divulgação da história à véspera do Salão de Frankfurt; a hábil condução para o lado da falha dos alemães sobre o diesel, preferido na Europa, desprezado nos EUA; as multas maiores para Toyota e VW relativamente às aplicadas contra a GM.

Resumo – Capítulo da disputa de condições nas quase secretas negociações para o Tratado Transatlântico. Tal Cavalo de Tróia regerá relações empresariais em todos os campos de atuação. Críticos dizem, Washington entra com as regras, os europeus com a submissão. Sendo, o Dieselgate quebra a canela dos industriais europeus de automóveis.

Mais um – Renault Brasil importará o SUV Koleos. Quer reduzir a ociosidade de sua licença de importação para 4.800 u/a. Grande aos padrões nacionais, 4,67m de comprimento, aproximado ao Land Rover Discovery.

Parâmetros – Novo modelo será apresentado na França próxima semana, e versão importada marcar-se- á pelo refinamento na decoração, motorização 2,5 litros e 175 cv, transmissão CVT, tração total. Dúvida maior na Renault é como chamá-lo: Koleô, em pronúncia francesa; Kôleos ou Kolêos ? Nome grego, expressão de medicina, nada tem a ver com o produto: é bainha.

SUVs – Em um ano Renault terá quatro utilitários em seu portfólio. Do Kwid, pequeno, a ser apresentado no Salão do Automóvel em S Paulo, novembro, substituindo o Clio; o Captur, pouco maior; o Duster; e o Koleos.

Koleô? Kôleos? Kolêos? No Brasil ao Salão do Automóvel

Primeiro – Dentre novas montadoras de picapes médios no Mercosul, Renault arrancou primeiro: mostrou seu Alaskan na Colômbia. Será produzido na fábrica Renault em Córdoba, Argentina – de onde, há 60 anos, saiam picapes Willys.

Setorial – Argentina firma-se como produtora de picapes. Hoje Toyota Hi-Lux, Ford Ranger e VW Amarok.  Fará, como a Coluna também antecipou, base comum para picapes Renault Alaskan, e Nissan NP 300 Navara – ou Frontier – na fábrica de Córdoba. E estenderá o fornecimento à Mercedes-Benz no modelo Classe GLT, além de Peugeot. Alaskan à venda em julho.

Picape Renault Alaskan, aqui, início de 2017. (Divulgação)

Vem mesmo – Presidente da holding PSA, Carlos Gomes, confirmou picape Peugeot para 1 t no Mercosul. Frédéric Chapuis diretor de veículos comerciais da marca, à frente do projeto. Local não anunciado.

Mais – VW Amarok ganhará motor V6, 3,0 litro, diesel. Vendas em 2017.

Questão – Argentinos dizem, seu presidente Maurício Macri, ouvirá dia 5, na matriz VW na Alemanha, durante visita, investimentos para novo produto na fábrica onde hoje fazem Amarok e CrossFox – lá dito Suran. Porta voz de David Powels, presidente da VW América Latina, desconhece.

Parou – Chinesa Chery, mais nova das montadoras no Brasil, parou linha de produção até novembro. Muito estoque, poucas vendas. Dará férias coletivas, licença remunerada e lay-off – inatividade com pagamento reduzido.

Continua – Processo produtivo interrompido não impedirá lançamento do novo QQ nacional em julho. Formou estoque.

Por cima – Ford aplicou motor de três cilindros, 1,0, à versão Titanium, topo do Fiesta. Pico da tecnologia para a cilindrada: turbo, injeção direta, duplo comando variável, pressão variável pela bomba de óleo, dois sistemas de refrigeração e resfriamento dos pistões por jato de óleo.

Mais – Faz 125 cv, torque de 17,3 kgfm e, diz a Ford, o mais econômico do País. Transmissão é a polêmica sequencial antes chamada PowerShift. Lançamento não é fato isolado, opção e evento na linha Fiesta, mas integra processo de recuperação de vendas, com mudança de gestão interna – gerente comercial de caminhões venderá automóveis e vice versa.

Democratização – Versão 1,0 custa R$ 71.990; 1,6 Sigma SE (R$ 51.990), SEL (R$ 58.790) e Titanium (R$ 70.690), transmissões manual ou a sequencial.

Charme – Mercedes incluiu o modelo nacional Classe C dentre os vendáveis a pessoas com deficiência. Com direito a isenção de IPI custará R$ 134.144,15.

Curiosidade – Na lista, o GLA, iniciando produção paulistana. Primeiros a dirigi-lo não foram jornalistas especializados, mas motoristas com deficiência. A público será apresentado em julho.

Clima – José Luiz Gandini, presidente da Kia e da Abeifa, associação dos importadores de veículos, crendo em novos ventos econômicos perlustrou sofás em Brasília. Argumenta, cota de 4.800 u/a isenta dos 30 pontos percentuais sobre o IPI de veículos importados, é irreal no país e no setor.

Elegância – Sugere cota seja a média das importações dos 3 últimos anos pré imposição dos 30% sobre imposto. Não toca no assunto de os ex-ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel e Mauro Borges, condutores da legislação, serem indiciados em processos sobre facilidades legais. Ministro Henrique Meirelles, da Fazenda, ouviu com interesse.

Acordo – Brasil e Argentina renovaram acordo automotivo até 2020. Regras tortas mantidas para a isenção alfandegária: cada US$ 1 exportado ao Brasil, a Argentina poderá importar US$ 1,5 em produtos brasileiros.

Sub estabelecimento – A partir do dia 8, Resolução do Contran torna obrigatório uso de farol baixo durante o dia, em estradas, como item sinalizador de presença. Obrigou mas não explicou. Carros novos tem Luz de Rodagem Diurna, as lanternas com lâmpadas LED. Moral da história, concederam aos policiais rodoviários o poder de exegese, a interpretação legal: as LRD LED e sua específica e mundial função substituem os faróis – ou geram multa ?

Gente – Lulla Gancia, 92, elegante, passou. OOOO Melhor qualificação para a senhora ativa, fina por origem e educação, mulher do Piero Gancia (1922-2010), piloto e representante da marca Alfa Romeo, renovador do automobilismo brasileiro. OOOO Lulla foi a responsável pela alteração positiva do Kartódromo de Interlagos; correu com seu motorista nos 1.000 Quilômetros de Brasília – 1966, 5º. lugar na geral – brilhou na apresentação do protótipo Simca Ventania junto com a atriz Normal Bengell, autódromo do Rio. OOOO Vladimir Mello, comunicólogo, gerente de relacionamento da BMW no Brasil, promoção. OOOO Entra na folha de pagamento da matriz. Do México assistirá instalação de fábrica, e comandará área no Caribe e América Latina. OOOO Frisson no segmento: bom emprego procura titular. OOOO

 

Acontece o primeiro acidente fatal envolvendo o piloto automático da Tesla

por fernandosiqueira

Joshua Brown estava a bordo de seu Tesla Model S com a direção semi-autônoma ativada no dia 7 de maio quando um caminhão de 18 rodas fez uma conversão à esquerda na sua frente. Por causa da cor do compartimento de carga, o piloto automático do carro de Brown confundiu o caminhão com o céu e não desacelerou, enfiando o Model S embaixo da carroceria e matando seu motorista. Esse é, possivelmente, o primeiro acidente fatal registrado num veículo semi-autônomo com sua função de direção automática ativada.

A Agência Nacional de Segurança do Tráfego em Rodovias (NHTSA – sigla em inglês) anunciou que está ciente do acidente e já está conduzindo uma investigação preliminar para averiguar “o design e a performance de qualquer sistema automatizado de direção em uso durante o tempo da colisão“. A Tesla postou hoje em seu blog uma carta reconhecendo o acidente chamada “Uma Perda Trágica”, onde ela defende que seus sistemas são confiáveis e que a investigação da NHTSA é meramente para determinar “se os sistemas funcionaram de acordo com a expectativa“. São 4 parágrafos de longo texto defendendo seus sistemas, onde inclusive se lê a frase:

Nem o piloto-automático ou o motorista notaram o lado branco da carroceria do caminhão contra o céu brilhante, então os freios não foram usados“.

No quinto, último e menor dos parágrafos é direcionado os pêsames ao motorista e sua família. A carta pode ser lida na íntegra, em inglês, neste link.

Apesar da Tesla muito ressaltar que seu piloto automático é até mais seguro do que dirigir sem ele, Clarence Ditlow, diretor executivo do Centro para Segurança Automobilística dos EUA, pensa diferente:

Isso é um defeito claro e deveria haver um recall. Quando você coloca um piloto automático num veículo, você está dizendo para as pessoas confiarem no sistema, mesmo que tenha um aviso ‘estilo advogado’ para manter suas mãos no volante.

Brown era um grande entusiasta da nova tecnologia autônoma em seu Model S, inclusive tendo um canal no YouTube dedicado a mostrar o sistema. Elon Musk, o CEO da Tesla,chegou a tweetar sobre o conteúdo do motorista.

FONTE: Adrenaline

Anfavea promove campanha sobre segurança veicular

por fernandosiqueira

A ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), promoverá campanha sobre segurança veicular como parte das celebrações dos 60 anos da entidade. O foco da iniciativa é a conscientização sobre os riscos da utilização do celular ao volante e da importância do uso do cinto de segurança nos bancos dianteiros e traseiros.

Sob o mote “Patrulha Mirim: Unidos pela Segurança”, a campanha lúdica e interativa consiste em criar espaços personalizados e itinerantes nos principais postos de parada das rodovias próximas à Região Metropolitana de São Paulo. No local estarão profissionais caracterizados como patrulheiros, que convidarão crianças para participar da ação.

Ao entrar no espaço exclusivo, as crianças assistirão a um vídeo que explica de forma simples, rápida e prática a importância de usar o cinto de segurança também no banco traseiro, e como o uso do celular na direção atrapalha o motorista e pode ocasionar sérios acidentes de trânsito.

Ao término das mensagens, as crianças receberão um Kit Especial de Patrulheiro Mirim composto por adesivos, insígnia e um talão de multas. A ideia é que a cada vez que alguém utilize o celular ou esqueça de colocar o cinto enquanto dirige, a criança pode aplicar uma multa e em troca ganhar um chocolate ou balas e pirulitos. Desta forma a criança se torna um patrulheiro mirim do trânsito e pode repassar as mensagens de segurança para toda família e amigos.

As atividades ocorrerão em todos os sábados e domingos de julho, época de férias escolares, em pontos de parada da rede Frango Assado, localizados nas rodovias dos Bandeirantes, Carvalho Pinto, Presidente Dutra, Fernão Dias e Anhanguera. O horário de realização é sempre das 10h00 às 16h00.

Nos canais digitais, as pessoas poderão acessar o hotsite exclusivo da campanha e acompanhar onde a Patrulha Mirim estará naquele final de semana. Além disso, poderão criar uma imagem de patrulheiro, compartilhar fotos e mensagens nas redes sociais e imprimir seu próprio talão de multas. O endereço é: www.patrulhamirim.com.br.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, esta ação é de extrema importância para conscientizar adultos e também as crianças, que futuramente serão motoristas:

“A educação é um dos pilares básicos para toda sociedade e não seria diferente para o trânsito e mobilidade. Precisamos criar desde cedo motoristas mais responsáveis, conscientes da importância da segurança veicular e capazes de disseminarem as boas práticas”.

A primeira ação da campanha será realizada em 2 e 3 de julho no Frango Assado Caieiras, localizado à Rodovia dos Bandeirantes, Km 34, São Paulo, SP.

 

Projeção: Novo VW Polo europeu indica o caminho a ser seguido pelo GOL

por fernandosiqueira

Novo VW Polo projeção

Lançada na Europa em 2009, a atual geração do Volkswagen Polo já tem data marcada para se aposentar. Conforme relata a revista alemã AutoBild, a sexta linhagem do compacto estreará em março do ano que vem, durante o Salão de Genebra, na Suíça. Segundo a publicação, o modelo evoluirá mecanicamente com a adoção da plataforma modular MQB e ficará mais tecnológico e conectado. A produção será concentrada na fábrica de Landaben, na Espanha.

Novo VW Polo projeção 2

Por fora, a meta é tornar o Polo num modelo esteticamente mais maduro e evoluído. O estilo será marcado pela nova filosofia de design da marca, com destaque para teto com linhas planas, para-brisa inclinado e maior distância entre os eixos (hoje de 2,45 metros). A adoção da plataforma MQB, versão A0, permitirá ainda que o carro perca entre 70 e 80 quilos, com reflexos diretos na eficiência energética. Falando disso, são esperados motores 1.0, 1.5 e 2.0 TSI, além de um 1.6 TDI.

Polo na Europa, Gol no Brasil

Lançado no Brasil em 2002 como precursor dos “compactos premium”, o Polo não voltará a ser feito no país. No entanto, o nosso futuro Gol estará cada vez mais intimamente ligado ao Polo europeu. Dividirá a plataforma MQB A0 e muito do design, conforme já mostramos desde o ano passado em projeções baseadas em um modelo em clay da VW (veja abaixo).

novo-vw-gol-g7-2016-620x384

Claro que o projeto será simplificado em termos de oferta de tecnologias e acabamento, pois a intenção na Europa é ter um Polo sofisticado, enquanto aqui o novo Gol terá de atuar na faixa do atual e também na do Fox – a não ser que a VW planeje um Polo Plus, com teto elevado e mais espaço, que aqui acabaria sendo o Fox.

novo-vw-gol-g7-2016-traseira

Os motores serão os conhecidos 1.0 3-cilindros aspirado e TSI, com o 1.4 TSI servindo aos modelos maiores da nova gama Gol, como o futuro SUV compacto. Isso mesmo, conforme a VW do Brasil já adiantou, a nova família Gol terá hatch, sedã e um SUV inédito para brigar contra Honda HR-V, Ford EcoSport, Jeep Renegade e cia. Já a Saveiro deverá seguir caminho próprio. O lançamento do SUV será em 2018, seguido pelo novo Gol.

Projeções: Reprodução AutoBild e Du Oliveira/CARPLACE 

FONTE: Carplace

De carona no automóvel dos ‘Caça-fantasmas’

por fernandosiqueira

Se você pedir um carro pelo aplicativo Lyft, nos EUA, pode ser atendido pelo Cadillac do filme

Parte da graça de usar serviços como o Uber (no Brasil) ou o Lyft (o similar dele nos Estados Unidos) é que você nunca sabe ao certo que tipo de carro virá buscá-lo.

Mas, se você estiver em algumas cidades selecionadas dos EUA neste final de semana, o carro poderá ser o Ecto 1, do filme “Caça-fantasmas”.

O Lyft está nas ruas com um Cadillac DeVille 1982 idêntico ao do filme, que traz no teto os apetrechos utilizados para caçar fantasmas. A ação é promocional, motivada para atrair atenção para a estreia do novo filme da série.

Para andar no carro, o usuário deve selecionar o modo “Ghost” quando pede o serviço, e o Ecto 1 pode aparecer. Cada carro vem equipado com Hi-C Ecto Cooler, o relançamento de um suco popular nos anos 80, época do filme original (que é de 1984).

Entre hoje e amanhã (1º e 2), é possível pedir uma corrida grátis no Ecto 1 em Nova York, São Francisco, Boston e Washington, das 10h às 18h.

O filme estreia nos EUA no dia 15 deste MÊS (julho).

FONTE: Jornal do Carro

PSA adquire participação na TravelerCar, start-up que oferece soluções de estacionamento e locação

por fernandosiqueira

Fornecer uma gama completa de serviços ligados à mobilidade

O investimento na TravelerCar representa uma nova etapa para o Grupo PSA.  O Grupo dá seguimento à implementação do seu plano estratégico para 2016-2021, o  “Push to Pass”, para tornar-se um fornecedor de serviços de mobilidade mundialmente reconhecido pelos clientes. Para isso, no último mês de abril, o Grupo PSA anunciou que vai aplicar a quantia de 100 milhões de euros em capital de risco para investir em empresas da área da mobilidade.

Para atender as novas expectativas de consumo

O carro é um meio de mobilidade; a sua imobilização prolongada deve ser evitada e a frota existente deve ser utilizada. A TravelerCar propõe três tipos de serviços disponíveis nos aeroportos, estações ferroviárias e no centro das cidades para facilitar o dia a dia dos proprietários e locatários de veículos:

  • Uma oferta de estacionamento gratuito para os proprietários que disponibilizarem seus veículos para a locação. Além disso, se o veículo for alugado, os proprietários são remunerados. O carro é protegido por um seguro total e a TravelerCar administra o processo de A a Z.
  • Uma oferta de estacionamento com preço preferencial para os proprietários que não desejarem compartilhar seus veículos.
  • Uma oferta de locação de veículos entre pessoas com preços reduzidos. Este serviço é prestado pelas agências da TravelerCar, que garantem a ligação entre os locatários e os proprietários.

A TravelerCar propõe um serviço vantajoso para todos e encarrega-se de tudo. Ela oferece um modelo híbrido entre os serviços de uma agência de locação convencional e uma plataforma de contatos entre as pessoas, proporcionando aos usuários o benefício de um serviço de qualidade, ao mesmo tempo em que adota uma atitude ecologicamente responsável.

A start-up, criada em 2012, conta atualmente com 80 agências e mais de 100 mil usuários em 6 países: França + DOMTOM (departamentos e territórios ultramarinos da França),  Espanha, Países Baixos, Alemanha, Suíça e Bélgica.