Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Volkswagen lança “Polo GTS” com preço que parte de R$ 99.470,00

24 24Etc/GMT+3 janeiro 24Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

Versão esportiva vem equipada com motor 1.4 turbo de 150 cavalos de potência e câmbio automático de 6 velocidades. Com todos os opcionais (pintura metálica e som “Beats”), o preço sobe. Vai para R$ 103.440,00

 

 

gts, polo, vw                                                     Volkswagen POLO “GTS” é lançado no mercado brasileiro. FOTO: divulgação

A Volkswagen reuniu ontem, dia 23 do mês em curso, a imprensa especializada brasileira para lançar o novo “Polo GTS”, um esportivo de garra. O carro causou uma ótima impressão aos presentes, tanto no seu visual esportivo, quanto em seu desempenho nas pistas do Autódromo Velocittá, no interior de São Paulo. A versão esportiva do modelo tem preço inicial de R$ 99.470,00, podendo chegar a R$ 103.440,oo com opcionais. O lançamento do sedã VIRTUS GTS será em fevereiro próximo.

O modelo tem à disposição apenas um pacote opcional, por R$ 2.400,00, que adiciona sistema de som Beats com subwoofer e amplificador, e variador de espaço e rede no porta-malas. As cores metálicas (cinza, prata ou azul) custam mais R$ 1.570,00.

O Polo GTS é equipado, de fábrica, com motor 1.4 turbo de 150 cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque. Muito esperto. O câmbio é automático de 6 velocidades, com tração dianteira. É o mesmo conjunto mecânico usado em veículos maiores da marca, como Tiguan, Jetta e T-Cross.

A versão esportiva foi anunciada logo após o lançamento do Virtus. Naquele momento, Paulo Di Si, presidente da Volkswagen,  confirmou que os dois modelos seriam equipados com o propulsor 1.4 turbo.

Depois, em novembro de 2018, o hatch e o sedã Virtus foram apresentados, ainda como concept-car, no Salão Internacional do Automóvel de 2018, em São Paulo. Finalmente, em novembro de 2019, eles foram lançados no mercado nacional.

Além das rodas maiores, e com desenho exclusivo, os GTS possuem um filete em vermelho ligando os faróis, que, por sinal, são full-LED, para-choque com visual exclusivo e detalhes em preto brilhante, grade do tipo colmeia com o logo GTS e rodas com novo desenho.

gts-polo-interior

O VW POLO GTS tem interior com bancos de maior apoio para o corpo e costuras vermelhas. Elas também estão presentes no volante e na alavanca de câmbio.

Para que a esportividade não fique apenas no visual, a Volkswagen também adotou acertos específicos de suspensão e condução. Ainda há o bloqueio de diferencial que, segundo a montadora, “diminui a necessidade de movimentação do volante por meio de intervenções seletivas nos freios das rodas”.

Historicamente o nome GTS remete a esportivos intermediários na linha Volkswagen. Com o GOL, no final de 1987, era assim. Enquanto o GTS trazia motor 1.8 de 99 cavalos de potência  a álcool, o GTI vinha com um 2.0 a gasolina de 120 cavalos de potência.

modelo-vwpolo-traseira-

A traseira do novo Volkswagen POLO “GTS” é muito harmoniosa e tem saída do cano de escape cromada dupla. Esportiva e elegante.

Coluna Alta Roda. por Fernando Calmon

por fernandosiqueira

 

Vencedores e Vencidos

 

Dealer New Cars Stock. Colorful Brand New Compact Vehicles For Sale Awaiting on the Dealer Parking Lot. Car Market Business Concept.

 

No ano passado as vendas de automóveis e comerciais leves cresceram 7,7% sobre 2018, um pouco abaixo das expectativas. O segmento de maior expansão (27%) foi o de SUVs compactos, porém os hatches subcompactos e compactos (incluídas versões “aventureiras”) continuam de longe o mais importante. Em números absolutos, somaram 1,027 milhão contra 421.000 unidades. Somados, todos os SUVs venderam 577.000 unidades.
Onix, Prisma e novo Onix ocuparam com grande folga a liderança absoluta e nos respectivos segmentos.

Tudo indica que a tendência é de crescer ainda, a depender da política de preço que a GM praticar. O Renegade liderou pela primeira vez entre os SUVs compactos desde seu lançamento em 2015, mas nos últimos dois meses de 2019 o T-Cross o superou
por margem mínima.
Outro SUV da Jeep, o Compass, continua com participação impressionante de 60%. Trata-se do maior percentual entre 16 segmentos nos quais
esta “Coluna” divide o mercado. Além do preço atraente, muitos dos seus concorrentes têm preço maior por serem importados.
A segunda e última mudança na classificação foi entre os sedãs médio-grandes com os BMW Séries 3 e 4 recuperando a liderança. Tiguan quase desbancou o SW4: a diferença entre os dois foi a menor do ranking, apenas 1 p.p.
Nosso ranking tem base técnica com classificação por silhuetas. A referência principal é distância entre eixos, além de outros parâmetros. O enquadramento às vezes implica dúvidas e a escolha, em pouquíssimos casos, torna-se subjetiva.
Base de pesquisa é o Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Citados apenas os modelos mais representativos (mínimo de três) e em função da importância do segmento. Compilação de Paulo Garbossa, da consultoria ADK.
Hatch subcompacto: Kwid, 55%; Mobi, 35%; up!, 9%. Kwid consolidou-se.
Hatch compacto: Onix, 28%; Ka, 12%; HB20, 11%; Gol, 9,4%; Argo, 9,1%; Polo, 8,4%; Sandero, 6%; Fox, 4,4%; Yaris, 4,3%; Uno, 2,3%; Etios, 2,2%. Líder continua a avançar.
Sedã compacto: Prisma+Onix Plus, 23%; Ka, 12%; Virtus, 11%; HB20, 9%; Voyage, 7,4%; Yaris, 6,9%; Logan, 6,2%; Cronos, 6%; Versa, 5%; Grand Siena, 3,7%, City, 3,4%; Etios, 3,1%; Cobalt, 3%. Vantagem tende a ampliar.
Sedã médio-compacto: Corolla, 45%; Civic, 22%; Cruze, 14%; Jetta, 9%. Inabalável liderança.
Sedã médio-grande: BMW Série 3/4, 33%; Mercedes Classe C, 31%; Passat, 9%. BMW de volta ao topo.
Sedã grande: BMW Séries 5/6, 38%; Mercedes Classe E/CLS, 26%; Panamera, 21%. Líder com menos folga.
Sedã de topo: Mercedes Classe S, 51%; BMW Série 7, 42%; Jaguar XJ, 4%. Mercedes ameaçado.
Cupê esportivo: Mustang, 52%; Camaro, 20%; BMW M2, 14%. Mustang tranquilo.
Cupê esporte: 718 Boxster/Cayman, 35%; 911 24%; BMW Z4, 23%. Domínio Porsche.
SUV compacto: Renegade, 16%; Creta, 13,7%; Kicks, 13,3%; HR-V, 12%; T-Cross, 9%; EcoSport, 8%; Captur, 6,8%; Duster, 6,2%. Renegade, novo líder.
SUV médio-compacto: Compass, 60%; ix35/Tucson, 9%; RAV4, 4%. Imbatível Compass.
SUV médio-grande: SW4, 30%; Tiguan, 29%; Equinox, 10%. SW4 sob ameaça.
SUV grande: Trailblazer, 33%; Volvo XC90, 10%; Range Rover Velar, 8%. Líder tranquilo.
Monovolume: Fit/WR-V, 53%; Spin, 41%; C3 Aircross, 4%. Firme o Fit.
Picape pequena: Strada, 53%; Saveiro, 29%; Oroch, 9%. Strada como sempre.
Picape média: Toro, 33%; Hilux, 20%; S10, 16%. Liderança mantida.

 

ALTA RODA

PEUGEOT vai ousar nas ações de marketing com carros de teste. Pela primeira vez, quem deixar um SUV de qualquer marca na concessionária participante poderá usar por 24 horas um 2008 THP, topo de linha. Unidades de teste de outras marcas só ficam disponíveis por percursos limitados e com acompanhamento (não dá para levar e devolver no dia seguinte). É preciso agendar no site da marca.

LOCADORAS respondem hoje por metade das chamadas vendas diretas, ou seja, 22% dos 44% que representam a comercialização por meio de faturamento direto da fabricante para empresas (com CNPJ) ou PCD e taxistas (com CPF).
Cada marca tem sua política de maior ou menor desconto para microempresas. Depende ainda do momento de mercado e do modelo, mas concessionárias disputam clientes como no varejo tradicional.

COROLLA GLi atrai pela boa relação preço-benefício. Bancos mesclam couro e tecido, porém ar-condicionado não é digital. Suspensão ficou melhor e o câmbio CVT responde bem ao tirar o carro da inércia. Novo motor 2-litros destaca-se pelos 177 cv e ótimo torque. Como ficou mais econômico, compensou, em parte, o tanque de combustível menor. Este é 17% menor que o anterior (perdeu 10 litros), contudo a autonomia caiu só 8% em estrada.

RESSALVA: Aston Martin tem 107 anos de vida (fundada em 1913) e não 197. Na coluna da semana passada houve erro de digitação.
______________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

 

banner calmon

 

 

 

Seguimento automotivo brasileiro espera lançar 60 modelos este ano

22 22Etc/GMT+3 janeiro 22Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

Entre as novidades, a Fiat Strada, pick-up mais comercializada do Brasil, ganhará uma substituta. Entre os SUVs, o novo Tracker, agora baseado no Onix, será destaque ao lado dos elétricos Mercedes EQC e Audi e-tron

 

A indústria automotiva brasileira reserva para este ano gratas surpresas, com lançamentos expressivos. Afinal, este é o ano do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

O segmento de Utilitários-Esportivos, por exemplo, que vem convergindo as atenções dos consumidores nos últimos tempos, será aquecido com novos representantes de peso como o Ford Territory e as reestilizações do Tracker (GM) e Renault Duster (este último com lançamento confirmado para os dias 4 e 5 de março próximo).

Outras importantes presenças serão as novas gerações da pick-up Fiat Strada e do Honda Fit. A vitoriosa Strada, deverá conviver com o modelo atual, que será posicionado para uma faixa de preço mais baixa.

E, para completar esse mosaico, vamos assistir a aceleração da estratégia de automóveis híbridos e elétricos. E não podemos esquecer os modelos de luxo, Mercedes EQC e o Audi e-tron, além dos novos carros  elétricos JEEP, MINI e Honda.

Confira o que vem por aí
AUDI
  • A4: reestilização; A8: nova geração; Q3: nova geração; Q3 Sportback:  modelo inédito; RS6/RS 7:  nova geração; Q7: reestilização; e-tron: modelo inédito.

BMW

  • Série 2 Gran Coupé: modelo inédito; X6: nova geração.

Caoa Chery

  • Tiggo 8: modelo inédito; Arrizo 6: modelo inédito.

Citroën

  • C5 Aircross: modelo inédito.

 

General Motors

  • Tracker: nova geração; S10: reestilização.

Ferrari

  • F8 Tributo e F8 Tributo Spider:  modelos inéditos; SF90 Stradale:  modelo inédito; 812 GTS:  modelo inédito.

Fiat

  • Pick-up compacta: modelo inédito.

Ford

  • Escape: modelo inédito; Territory: modelo inédito.

Honda

  • Fit: nova geração; Accord híbrido: nova versão.

Hyundai

  • Palisade:  modelo inédito

Jac Motors

  • iEV20:  modelo inédito; iEV60:  modelo inédito; iEV 330P: modelo inédito.

Jaguar

  • F-Type: reestilização.

Jeep

  • Renegade, Compass híbridos: nova versão; Wrangler híbrido: nova versão; Gladiator:  modelo inédito.

Kia

  • Soul: nova geração.

Lamborghini

  • Aventador SVJ Roadster:  nova versão; Huracan Evo RWD: nova versão.

Land Rover

  • Defender: nova geração; Range Rover e Range Rover Sport PHEV: nova versão; Velar SVAutobiography: nova versão.

Mercedes-Benz

  • CLA 45 AMG: nova versão; GLA: nova geração; GLB: modelo inédito; GLE: nova geração; GLS: nova geração; EQC: modelo inédito.

Mini

  • Cooper elétrico: modelo inédito.

Mitsubishi

  • L200: reestilização.

Nissan

Porsche

  • Taycan: modelo inédito; 911 Turbo e Turbo S: novas versões; Macan GTS: nova versão; 718 Cayman GT4: nova versão

RAM

  • 1500: modelo inédito.

Renault

  • Dusterr: nova geração; Zoe: reestilização.

Toyota

  • Hilux V6: nova versão.

Volkswagen

  • Nivus: modelo inédito; Polo e Virtus: nova versão; Tarek: modelo inédito; Atlas Cross Sport:  modelo inédito.

O ano será altamente movimentado no que tange ao “seguimento” que é o sonho de consumo de todo brasileiro o automotivo,

Land Rover realiza “LIVE” para apresentar ao público o novo DISCOVERY SPORT 2020

21 21Etc/GMT+3 janeiro 21Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

novo-land-rover-sport-modelo-2020

Novo Land Rover Discovery Sport modelo 2020. FOTO: divulgação

Nesta terça-feira, 21 de janeiro, às 11 horas, a Land Rover desvenda todos os detalhes do Novo Discovery Sport modelo 2020 em uma “LIVE” em seu canal no Instagram.

As vendas do Novo Discovery Sport 2020 foram iniciadas no dia 16 deste mês. O novo modelo chega ao mercado brasileiro com novo design, interior completamente renovado, mais tecnologia e eficiência. Além da combinação de atributos, aliada à robustez e ao verdadeiro espírito off road da marca. A reestilização do modelo inclui aprimoramento do interior premium, entregando ainda mais conforto e versatilidade.

Mais detalhes, consulte a PG PRIME, concessionária autorizada Land Rover em NATAL (RN).

BMW do Brasil anuncia recall do “M5”

por fernandosiqueira

 

bmw_m5

Automóvel sedã BMW M5 é convocado para atender a “RECALL”. FOTO: divulgação

A BMW do Brasil convoca os proprietários dos carros modelo M5, fabricados entre fevereiro e outubro de 2019, a entrarem em contato com uma concessionária autorizada BMW para agendar, gratuitamente, o reposicionamento do chicote elétrico da transmissão automática e substituição do clipe de fixação dos veículos afetados.

Verificou-se que os veículos podem apresentar posicionamento incorreto do chicote elétrico da transmissão. Tal situação gera dano mecânico ao chicote, que, combinado com o aumento da temperatura ambiente, pode ocasionar o derretimento do material de isolamento do chicote elétrico da transmissão e resultar em curto circuito.

Nesse cenário, aciona-se o modo de emergência da transmissão, com perda de potência do veículo, e a alavanca seletora de marchas ficará na posição “Neutro”. Em nova partida do veículo, a alavanca seletora de marchas altera-se automaticamente para a posição “Estacionado”,
impossibilitando a movimentação das rodas. Nessas situações, não se descarta a possibilidade de acidentes que resultem em danos físicos e/ou
materiais aos ocupantes e terceiros.

Os chassis não sequenciais envolvidos são os abaixo nominados.

M5 WBSJF0100LBS92123 WBSJF010XLCD37887

Para verificar se a sua unidade está dentro do sequenciamento de chassis ou para mais informações, por favor, acesse www.bmw.com.br e clique na opção “Recall”, e “Ferramenta de Busca de Recall”, ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente BMW, exclusivo para recall: 0800 0197097, de segunda a sexta-feira, das 9,00 horas às 18,00 horas.

Os reparos poderão ser agendados de imediato, com início de atendimento a partir de 10 de fevereiro de 2020 e levam 50 minutos.

Para mais informações sobre a BMW do Brasil, acesse: www.bmw.com.br

Veja dicas para economizar combustível no Guia Prático do G1

20 20Etc/GMT+3 janeiro 20Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

consumo-de-combustível

Consumo de combustível. FOTO: divulgação

Por G1

O Guia Prático, série do G1, com mais de 130 vídeos sobre carros e motocicletas, tem entre seus temas dicas sobre consumo de combustível.

Veja, abaixo, que “VÍCIOS” ao volante podem fazer o carro “consumir” mais, como calcular o consumo do seu veículo e quais as diferenças entre gasolina aditivada, premium e comum, entre outras reportagens.

  • Aceleradas: evite aceleradas bruscas e desnecessárias. Elas afetam muito a média de consumo.
  • Vidros: andar com a janela aberta interfere na aerodinâmica e no consumo, principalmente a mais de 80 km/h.
  • Combustível: gasolina ou etanol “batizados” interferem na média porque a leitura do sistema de injeção eletrônica é afetada pela composição errada.
  • Na banguela: aquele costume de deixar o carro em ponto morto em descidas é coisa do passado. O veículo engrenado gasta menos porque a injeção corta o combustível.
  • No trânsito: próximo aos semáforos, por exemplo, diminua a velocidade se estiver vermelho. Evite o “zigue-zague” e acelerar sem necessidade.
  • Velas: se ela está ruim, a queima do combustível fica irregular, o que reflete diretamente no aumento do combustível injetado.
  • Filtros: precisam ser trocados nas datas previstas no manual, sem desculpas. Em caso de entupimento, eles interferem diretamente na mistura de ar e combustível na câmara de combustão.
  • Rodas: o alinhamento é fundamental para a aerodinâmica. Se o veículo está fora de geometria, as rodas serão arrastadas, em vez de somente girar.
  • Pneus: a calibragem influencia diretamente no consumo e deve ser feita no máximo a cada 15 dias.
  • Peso: quanto mais pesado, mas o veículo consome. Então retire o “armário” do porta-malas.
  • Troca de marcha: uso do câmbio deve ser suave, sem necessidade de “esticar” a marcha. Andar com uma marcha alta em baixa velocidade também aumenta o consumo.Velocidade – outra atitude eficiente é não andar em altas velocidades. Um carro consome cerca de 20% a mais quando está a 100 km/h do que quando está a 80 km/h.
  • Rotina: se o trajeto for curto, deixe o carro em casa. Um pouco de exercício não faz mal a ninguém.

Aprenda a calcular o consumo do seu carro

Guia Prático #74: Aprenda a calcular o consumo de seu carro

Guia Prático #74: Aprenda a calcular o consumo de seu carro

Não é complicado, mas requer seguir algumas regrinhas , como rodar um mínimo de 200 km, para ter uma boa média.

Se você mantiver um histórico do consumo, poderá identificar quando é a hora certa de fazer a manutenção e se o combustível que está no seu carro pode ter sido “batizado”.

‘Tanquinho’ de gasolina: veja como cuidar dele

Veja dicas para abastecer carro flex

Veja dicas para abastecer carro flex

  • Amigo do frio: o tanquinho só é acionado se a temperatura ambiente for menor do que 18 graus.
  • Encher ou não?: se você mora em um local onde costuma fazer frio, deixe meio litro de gasolina nele sempre. Prefira usar gasolina aditivada ou premium, que dura mais.
  • E se não tem tanquinho: modelos mais modernos de motor flex dispensam o ‘tanquinho’. Eles usam o aquecimento do etanol na entrada do bico injetor.

Gasolina premium, aditivada ou comum?

Veja dicas sobre combustíveis e abastecimento

Veja dicas sobre combustíveis e abastecimento

Em um primeiro momento, a gasolina aditivada não influencia no consumo. A função dela é manter a limpeza e preservar o motor, por meio de aditivos que ela contém.

A gasolina premium também tem aditivos, e possui octanagem maior. Esta é a medida de resistência da gasolina à queima espontânea que ocorre dentro da câmara de combustão. Na prática, ela permite uma combustão mais rápida e maior do produto, mas o efeito só é perceptível para carros mais potentes, como os esportivos.

Injeção direta: entenda por que ajuda a economizar

Guia Prático #133: entenda como funciona a injeção direta de combustível

Guia Prático #133: entenda como funciona a injeção direta de combustível

Motor tradicional + elétrico: como é o carro híbrido

Guia Prático #125: Sabe o que são carros híbridos? Entenda

Guia Prático #125: Sabe o que são carros híbridos? Entenda

Não é complicado, mas requer seguir algumas regrinhas (veja no vídeo acima), como rodar um mínimo de 200 km, para ter uma boa média.

Se você mantiver um histórico do consumo, poderá identificar quando é a hora certa de fazer a manutenção e se o combustível que está no seu carro pode ter sido “batizado”.

Leia mais sobre o que faz o consumo aumentar no ‘Oficina do G1’

Oficina do G1: andar com vidro aberto economiza?

 NÃO!
Oficina do G1: andar com vidro aberto economiza combustível?

Oficina do G1: andar com vidro aberto economiza combustível?

Nem sempre! O especialista em mecânica Denis Marum explica que, na estrada, em alta velocidade, é preciso considerar que o vidro aberto afeta a aerodinâmica do carro. Leia mais

Análise de dados e inteligência artificial apontam o futuro das cidades

por fernandosiqueira

Por Thiago Lavado, G1 (Las Vegas, Estados Unidos.

O jornalista viajou a convite da Ford

 

carro-japaocarro-japao

 

Fábrica de automóveis no Japão. De olho no futuro. FOTO: divulgação

Com novas tecnologias e discussões chegando aos carros, eletrificaçãoautomação, redução de combustíveis fósseis e até a relação dos consumidores com a posse dos automóveis, as fabricantes discutem como essas novidades irão mudar as cidades. E, em última análise, até mesmo o futuro dessas empresas.

A discussão foi um dos principais pontos da CES (Consumer Electronic Show), maior feira de tecnologia do mundo, que passou a ser o principal evento do setor no início do ano, agora que o Salão do Automóvel de Detroit acontece em junho.

Em Las Vegas, Ford, Hyundai e Toyota tiraram o foco dos carros e tentaram olhar para as cidades com outras tecnologias, como análise dados e inteligência artificial. O objetivo é tentar prever, com algum grau de precisão, como as montadoras de automóveis podem se adaptar ao futuro e entender a mobilidade nas cidades que virão.

Dados e novas formas de mobilidade

Tentando entender quais são as necessidades urbanas e como direcionar soluções para os problemas que enfrentamos nas cidades, as montadoras recorreram à análise de dados e à inteligência artificial.

A Ford tem um projeto desse tipo, chamado de City Insights Platform (Plataforma de Entendimento da Cidade), em tradução livre, em Ann Arbor, cidade que fica no Estado de Michigan (Estados Unidos).

Ann Arbor tem a maior rede de transporte público daquele Estado, o que ainda é insuficiente para lidar com o volume de pessoas. Embora tenha aproximadamente 120.000 habitantes, o que corresponde a apenas 1% da população de São Paulo, a cidade viu crescer sua população em 5 vezes nos últimos 20 anos, o que trouxe problemas de locomoção, tráfego e estacionamento.

A plataforma, fruto de parceria da Ford com autoridades locais e com o Instituto de Pesquisa do Trânsito da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, permitiu criar um modelo preditivo, baseado em dados, que consegue visualizar os congestionamentos nas próximas 24 horas e testar soluções para o trânsito.

Um dos testes foi o que aconteceria com a implementação de vans para transporte compartilhado. Os dados mostraram que, se a iniciativa tivesse baixa adesão, poderia até piorar o trânsito, mas se tiver adoção elevada, melhoraria o congestionamento em 5,75%.

“Pensamos que parte do congestionamento no centro se devia à falta de vagas, e planejávamos construir novas áreas de estacionamento”, disse Bill Frykman, diretor de inovação e mobilidade da Ford Motor Company. “Se você pode introduzir vans de transporte, tirando os carros individuais da rua, você reduz o congestionamento”.

O impacto mais significativo seria justamente nos estacionamentos, que poderiam liberar de 8 a 12 vagas para cada van de transporte nas ruas.

O experimento também revelou que áreas do centro da cidade, pouco abastecidas pelo transporte público, passariam a ter algum tipo de nova opção de transporte e mudariam os incentivos e impacto do uso de carros.

Outro achado tem a ver com acidentes. Analisando os 25 piores cruzamentos da cidade, também foi possível implementar mudanças na estrutura urbana, como mudanças na localização dos sinais e intervalos de semáforos. As trocas geraram economia de US$ 6 milhões para a sociedade e redução no número de acidentes.

“Realmente faz parte de uma visão maior”, disse Frykman. “O cenário da mobilidade vai mudar e queremos ter certeza que a Ford será capaz de atender a essas necessidades”. Ele acrescentou que o projeto está sendo expandido para outros lugares como Austin, no Texas, Detroit, Pittsburgh e Indianópolis (Estados Unidos).

A Toyota divulgou os planos para construir a Woven City, uma cidade aos pés do Monte Fuji, planejada para ter as melhores soluções de transporte e moradia. No longo prazo, a ideia é povoar a cidade, que é um protótipo reduzido, com funcionários da empresa e suas famílias.

No curto prazo, a Toyota vai construir outra cidade no mundo virtual, para poder prevenir antes problemas que poderiam surgir no futuro. O projeto deve começar em 2021. De acordo com Akio Toyoda, presidente da montadora, a iniciativa será “uma oportunidade para testar a tecnologia de inteligência artificial no mundo virtual e no mundo físico”.

A Hyundai, com a apresentação de um “carro voador” em parceria com a Uber, também vislumbra um futuro diferente para as cidades. A ideia envolve ainda a instalação de estações de decolagem e pouco, além de vans para conectar passageiros.

Dos eletrônicos aos carros

Com montadoras discutindo o futuro e as cidades, curiosamente foi na Sony, uma empresa de eletrônicos, que um veículo automotor ocupou o centro do palco. A preocupação da empresa japonesa, porém, não é fabricar carros em larga escala, mas mostrar que produz sensores que farão cada vez mais parte dos automóveis no futuro.

O Vision-S tem 33 sensores, além de sistemas de entretenimento e informação da empresa.

Atualmente, a Sony tem apenas 3% do mercado de sensores para carros, enquanto que é líder do segmento de sensores de imagem para smartphones, de acordo com dados da companhia de pesquisas Techno Systems Research.

“Não é exagero dizer que o celular tem sido a grande tendência da última década”, disse Kenichiro Yoshida, presidente-executivo da Sony, em entrevista coletiva na CES. “Acredito que a próxima grande tendência será a mobilidade,” concluiu o executivo.

A divisão de semicondutores é a segunda maior fonte de renda da empresa, depois do videogame PlayStation. Dentro dessa área, a venda de sensores, principalmente para smartphones, responde por 86% do faturamento. O objetivo é refletir esses números também em sensores automotivos.

Caoa Chery anuncia produção do “Arrizo 6” na fábrica de Jacareí (SP)

por fernandosiqueira

 

 

chery_arrizo_6

                 Automóvel sedã Chery Arrizo 6, a nova proposta da CAOA CHERY para o mercado automotivo brasileiro. FOTO: divulgação

A Caoa Chery anunciou que vai produzir o Arrizo 6 na planta de Jacareí (SP). O carro é o novo sedã da marca e uma das apostas da montadora para 2020, ao lado do Tiggo 8. A previsão é de que a pré-série comece a ser produzida até março do corrente ano.

O veículo foi anunciado pela empresa como uma das apostas para competir no mercado de sedãs. O Arrizo 6 marca uma nova configuração da unidade fabril no Estado de São Paulo, que vai focar em Utilitários-Esportivos e sedãs.

Não obstante a chegada do “modelo”, a mudança é uma substituição e não um reforço na produção em Jacareí (SP), que terá no catálogo três modelos: o Tiggo 2, Arrizo 5 e Arrizo 6. Conforme Autos & Motores publicou em agosto de 2019, a CAOA CHERY encerrou a produção do carro compacto “QQ”, terceiro modelo que era mantido naquela unidade.

Vale salientar,  que a “fábrica” da CAOA CHERY em Jacareí (SP) passou por mudanças em sua estrutura e maquinário. Segundo a montadora, as mudanças foram feitas para o início da pré-série do Arrizo 6, em março deste ano. A expectativa da fabricante é de que o Arrizo 6 chegue ao mercado brasileiro até o fim deste semestre.

Empregos

Os funcionários da empresa estiveram em férias coletivas e retornaram ao trabalho no dia 20 deste mês. Segundo com o “Sindicato”, apesar do anúncio da fabricação do Arrizo 6, não há expectativa de geração de novos empregos.

 Após o fim da produção do QQ, a CAOA CHERY chegou a convocar o  entidade para falar sobre excedente de mão de obra. A expectativa é de que, com a unidade voltando a produzir três veículos, a produção seja normalizada.

A montadora informou à imprensa que não há perspectiva de novas contratações. A unidade tem aproximadamente 600 trabalhadores.

Para  Guirá Borba de Godoy Guimarães, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, apesar de não ter previsão de geração de empregos, um novo ânimo para a unidade é constatado.

“Nosso esforço é sempre pela geração de empregos, mas estamos esperançosos na resposta do mercado ao novo modelo para garantir a produção”, comentou o dirigente.

Restituição depósito DPVAT

por fernandosiqueira

camera-dpvat-2020

 

A Seguradora Lider registrou, até às 18:00 do dia17 de janeiro, mais de 421.000 restituições processadas no sitehttp://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br/. A empresa disponibilizou desde 15 de janeiro, uma solução tecnológica simplificada para facilitar a restituição da diferença dos valores pagos do Seguro DPVAT 2020 pelos proprietários de veículos. O recurso está disponível por meio do site http://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br e a restituição da diferença dos valores pagos é feita diretamente na conta corrente ou conta poupança do proprietário do veículo.

A restituição será feita por meio de depósito, exclusivamente na conta do proprietário.

Ao enviar a solicitação, o proprietário recebe um número para o acompanhamento da restituição, no mesmo site. Após o cadastro, a restituição será processada pela Seguradora Líder em até dois dias úteis, dependendo, apenas, da compensação bancária para a sua finalização.

É importante destacar que o site http://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br recebe somente os pedidos de restituição da diferença de valores pagos referente ao Seguro DPVAT 2020.

Para o proprietário que pagou o Seguro DPVAT 2020 duas ou mais vezes, a solicitação da restituição destes valores deve ser feita pelo http://www.seguradoralider.com.br/Contato/Duvidas-Reclamacoes-e-Sugestoes.
Os proprietários de frotas de veículos devem enviar um e-mail para restituicao.dpvat@seguradoralider.com.br.


Pagamento 2020

O Seguro DPVAT deve ser pago, uma única vez ao ano, junto ao vencimento da cota única ou da primeira parcela do IPVA, acompanhando os calendários estaduais. As informações completas de como pagar o valor de 2020 estão disponíveis no site www.seguradoralider.com.br.

Os valores para pagamento do seguro DPVAT em 2020 são os abaixo relacionados.
• Automóveis e pick-ups particulares/oficial, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional:  R$ 5,23
• Táxis, carros de aluguel e aprendizagem:  R$ 5,23
• Ônibus, micro-ônibus e lotação com cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais):  R$ 10,57
• Micro-ônibus com cobrança de frete, mas com lotação não superior a 10 passageiros e Ônibus, micro-ônibus e lotações sem cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais):  R$ 8,11
• Ciclomotores: R$ 5,67
• Motocicletas, motonetas e simulares: R$ 12,30
• Caminhões, caminhonetas tipo “pick-up” de até 1.500 kg de carga, máquinas de terraplanagem e equipamentos móveis em geral (quando licenciados) e outros veículos: R$ 5,78
• Reboque e semirreboque: isento (seguro deve ser pago pelo veículo tracionador).

Honda CB 500X 2020 fica mais aventureira e tem preço sugerido de R$ 28.900,00

19 19Etc/GMT+3 janeiro 19Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

Com roda maior na dianteira, 19 polegadas, e suspensões mais longas, modelo ficou mais vocacionado para a terra. CB 500F também foi renovada e custa R$ 26.900,00

 

cb-honda-500x-2020

Honda CB500X modelo 2020 é renovada. FOTO: divulgação

 

Apresentadas no Salão Duas Rodas 2019, em São Paulo, as renovadas Honda CB 500X e CB 500 F 2020 tiveram seus valores de “pré-venda” anunciados no dia 17 deste mês. Com chegada nas concessionárias marcado para março próximo, as motocicletas têm os determinados. Vide tabela abaixo.

      CB 500X 2020: R$ 28.900,00

      CB 500F 2020: R$ 26.900,00

Com roda maior na dianteira (19 polegadas) e suspensões mais longas, a CB 500X ficou mais habilitada a encarar a terra. A única da família 500 que ficou de fora das renovações no Brasil foi a esportiva CBR 500R, que acabou saindo de linha em nosso mercado em 2019.

Veja principais novidades da linha 500

  • Potência e torque 4% maior em baixas e médias rotações
  • Embreagem deslizante e com acionamento assistido
  • Novo painel LCD com luz de alerta para troca de marcha
  • Novo amortecedor traseiro

CB 500X para a terra

A principal novidade dessa “versão” está na roda dianteira, que passa a ser de 19 polegadas, substituindo a atual de 17 polegadas. Isso significa que ela ficará com uma pegada mais off-road, medida ressaltada também por sua suspensão dianteira, que também ficou mais longa.

Outras novidades são: bolha maior na dianteira, painel de LCD e luzes de LED. Além disso, a motocicleta recebeu embreagem assistida e deslizante.

O motor de 2 cilindros continua o mesmo para a CB 500X e a CB 500F, porém recebeu melhorias. Segundo a HONDA, o bicilíndrico melhorou em 4% o desempenho em médios e baixos giros. Com 471 cc de cilindrada, ele continua rendendo 50,4 cavalos de potência a 8.500 rpm e 4,53 kgfm de torque a 6.500 rpm.

Cores

 

CB500F_ESTATICA4-768x512

A motocicleta Honda CB 500 F ficou um “charme”. FOTO: divulgação

 

A motocicleta Honda CB 500 F tem, no modelo 2020, as opções de cores vermelho, prata e laranja, enquanto a CB 500X chega ao mercado nas colorações vermelho, preto e prata.