Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


CANASVIEIRAS RENOVA FROTA DE FLORIANÓPOLIS COM INÉDITOS ÔNIBUS MARCOPOLO VIALE BRT DE 15 METROS

4 04Etc/GMT+3 dezembro 04Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Veículos possuem 3º eixo-direcional

A Marcopolo fez a entrega de seis ônibus do modelo Viale BRT para a Canasvieiras Transportes, uma das principais operadoras de Santa Catarina. Os veículos serão utilizados no transporte coletivo na região metropolitana e norte de Florianópolis.

Segundo Paulo Corso, diretor de operações comerciais e marketing da Marcopolo, a operadora tem um contínuo processo de renovação de frota e adquiriu os veículos para elevar ainda mais o padrão de qualidade do transporte na cidade e região.

“Essa é a primeira compra de unidades do ônibus Viale BRT (15 metros) realizada pela Canasvieiras. O objetivo é proporcionar importantes benefícios e vantagens para os cidadãos, além de melhorar a mobilidade urbana com ônibus modernos e confortáveis”, explica o executivo

Pelas suas dimensões, o Viale BRT desenvolvido para a operadora oferece menor custo operacional e mobilidade, principalmente em horários de pico. O veículo tem chassi Scania K 310 B 6X2 com 3º eixo-direcional, que facilita as manobras e curvas em vias estreitas, colaborando para tornar o trânsito mais fluente. Com capacidade para 49 passageiros sentados e 50 em pé, o modelo conta com sistema City Vent, com aparelhos que forçam a ventilação e a recirculação de ar no interior dos veículos, sem ar-condicionado.

“A Viação Canasvieiras é uma operadora que sempre busca novas soluções tecnológicas para privilegiar os passageiros. O ônibus de 15 metros de comprimento e motor traseiro oferece mais espaço e conforto para as pessoas. O Viale BRT pode substituir até mesmo um ônibus articulado em alguns horários”, revela Corso.

O Marcopolo Viale BRT oferece elevado padrão de conforto e segurança, associada à configuração das poltronas que proporciona maior área livre e facilita a circulação dos passageiros, tornando a viagem mais cômoda e confortável.

Crédito da imagem: Douglas de Souza Melo 

Motorsport 2017: Porsche reforça seu grupo de pilotos

por fernandosiqueira

Resultado de imagem para fotos da porsche motorsport

Stuttgart. A Porsche celebrou as relevantes conquistas obtidas por suas equipes e pilotos em 2016 na festa de gala Noite dos Campeões, realizada em Weissach, na Alemanha. Nessa ocasião, foi anunciada a nova formação de pilotos da marca para a temporada de 2017.

919 Hybrid: novos trios de pilotos para os carros de número um e dois
A Porsche Motorsport LMP voltará às pistas em 2017 para defender seus títulos mundiais, participando das nove etapas do Campeonato Mundial de Endurance da FIA (WEC). Os dois Porsches 919 Hybrid vão competir novamente ostentando os números um e dois. A alteração mais importante nos carros participantes da categoria LMP1 estará dentro do cockpit. Após a saída de Romain Dumas, Mark Lieb e Mark Webber do grupo de pilotos da LMP1, três recém-chegados se juntarão à equipe. Dois deles são provenientes do grupo de pilotos de fábrica da própria Porsche: o neozelandês Earl Bamber (26 anos) e o britânico Nick Tandy (32). Ambos já viveram uma rica experiência com o 919 Hybrid: em 2015, juntaram forças com o piloto da Fórmula 1 Nico Hülkenberg para participar da 24 Horas de Le Mans ao volante de um terceiro Porsche LMP1 e obtiveram uma convincente vitória.

A terceira aquisição da equipe, André Lotterer (35 anos), já subiu três vezes ao degrau mais alto do pódio em Le Mans e foi coroado como campeão do Campeonato Mundial de Endurance de 2012 como piloto de fábrica da Audi. Lotterer e Tandy irão compartilhar a tarefa de pilotar o Porsche 919 Hybrid número 1 com o atual Campe-ão Mundial de Endurance Neel Jani (32 anos). Junto com os neozelandeses Earl Bamber e Brendon Hartley (27 anos) no cockpit do carro número 2 estará Timo Bernhard (35), da Alemanha.

Graças ao contínuo desenvolvimento, o 919 do ano que vem trará mais um passo em sua evolução tecnológica, apresentando um jogo de cores completamente novo, um kit aerodinâmico otimizado e uma completa atualização de praticamente todos os seus componentes. O veículo será oficialmente apresentado em 23 de março, no prólogo do WEC, que pela primeira vez será realizado em Monza, na Itália.

Três novos pilotos de fábrica na categoria GT
Com a promoção de Earl Bamber e Nick Tandy para a categoria LMP e a volta de uma terceira equipe da fábrica para o Campeonato Mundial de Endurance da FIA, novos pilotos foram contratados. Com o alemão Dirk Werner (35 anos), um experiente piloto da Porsche volta ao cockpit de um 911. Werner competiu com carros da Porsche de 2004 a 2009, tempo em que garantiu o título de campeão da Porsche Carrera Cup Deutschland 2006, venceu na categoria GT da Grand Am Series em 2007 e 2009 e foi premiado na Porsche Cup em 2009 como o melhor piloto privado.

Entre 2010 e 2016, ele competiu pela BMW como piloto da equipe de fábrica em vá-rios campeonatos, incluindo o DTM e o IMSA Weathertech Sportscar Championship.

O belga Laurens Vanthoor (25 anos) venceu o Grande Prêmio de Fórmula 3 de Macau de 2010, conquistou o título de 2013 da FIA GT Series e embolsou várias vitórias em corridas de longa distância: a 24 Horas de Spa de 2014, a 24 Horas de Nürburgring 2015 e as provas 12 Horas de Sepang e 24 Horas de Dubai em 2016. Há duas semanas, o piloto da Audi venceu na prova da FIA GT World Cup em Macau. Sven Müller (24 anos) foi promovido da Porsche junior para piloto de fábrica. O alemão passou por três anos de treinamento na Porsche para tornar-se piloto de corri-das profissional e, em 2016, levou para casa os títulos de campeão da Porsche Carrera Cup Deutschland e da Supercopa Porsche Mobil 1 internacional.

Time de fábrica da Porsche quer conquistar os títulos de campeões da FIA WEC GT World Championship 2017.

Além de sua participação na LMP1, a Porsche também vai enviar às provas do campeonato FIA WEC 2017 uma equipe de fábrica para lutar pelos títulos de melhor piloto e fabricante mais bem sucedida no campeonato, que serão atribuídos pela primeira vez. “Este é um impulso significativo em nosso envolvimento com o automobilismo esportivo, que reforça que escolhemos a plataforma correta para disputar o WEC”, afirmou Michael Steiner, membro do Conselho Executivo da Porsche AG para Pesquisa e Desenvolvimento. A equipe Porsche Motorsport GT irá participar da classe GTE Pro com um par dos novos 911 RSR. Os pilotos confirmados até agora para esses carros são Michael Christensen (26 anos), Frédéric Makowiecki (36) e Richard Lietz (33).

A Porsche quer ganhar dois títulos nos Estados Unidos com dois 911 RSR

A Porsche entrará competirá pela quarta vez com uma equipe de fábrica no mais importante campeonato americano de carros esportivos, o IMSA Weathertech SportsCar Championship. Assim como na FIA WEC, a Porsche Motorsport GT colocará na pista dois novíssimos 911 RSR. Compartilhando o cockpit do carro número 911 estarão Patrick Pilet (35 anos) e Dirk Werner (35). Em eventos especialmente longos, como a 24 Horas de Daytona, 12 Horas de Sebring, Watkins Glen e Petit Le Mans, a dupla contará com o apoio de Richard Lietz. Os pilotos titulares do carro número 912 são Kévin Estre (18 anos) e Laurens Vanthoor, com Frédéric Makowiecki se juntarão a eles nas quatro provas clássicas de longa distância. A corrida de abertura da temporada será a 24 Horas de Daytona, no dia 28 de janeiro.

Porsche reestrutura seu programa de desenvolvimento para jovens pilotos

A Porsche está complementando seu bem sucedido Junior Programme com mais um módulo: Graças aos seus marcantes sucessos nas séries da marca, o italiano Matteo Cairoli (20 anos) e o francês Mathieu Jaminet (22) continuarão a receber fundos e apoio como “Young Professionals” (jovens profissionais), apoiando equipes clientes em suas campanhas internacionais nas categorias GT. Três jovens pilotos serão apoiados como Porsche Juniors em 2017: Dennis Olsen (20 anos), da Noruega, e o australiano Matt Campbell (21) disputarão a Porsche Mobil 1 Supercup. O estreante na GT Thomas Preining (18 anos), da Áustria, terá seu desafio na Porsche Carrera Cup Deutschland.

Robert Renauer é o vencedor da Porsche Cup

O vencedor da Porsche Cup deste ano, o troféu reservado ao piloto independente melhor sucedido da Porsche é de um corredor alemão. Robert Renauer (31) recebeu o ambicionado troféu das mãos do Dr. Wolfgang Porsche, Presidente do Conselho Supervisor da Porsche AG. Além disso, Renauer levou para a casa um Porsche 911 avaliado em 120 mil euros. Graças aos seus sucessos na ADAC GT Masters, na European Le Mans Series e na 24 Hour International Endurance Series, ele amealhou 7.355 pontos ao longo da temporada de 2016 ao volante de vários carros de competição da Porsche. Em segundo lugar, o alemão Christian Ried receberá um prêmio em dinheiro no total de 30 mil euros. Já o espanhol Daniel Diaz Varela, terceiro colocado, fez jus a 25 mil euros. O prêmio Porsche Cup é atribuído desde 1970 e se baseia numa ideia de Ferry Porsche.

Pilotos Porsche 2017

LMP1 – 919 Hybrid nº 1
Neel Jani (32) Suíça
André Lotterer (35) Alemanha
Nick Tandy (32) Grã-Bretanha

LMP1 – 919 Hybrid nº 2
Earl Bamber (26) Nova Zelândia
Timo Bernhard (35 anos) Alemanha
Brendon Hartley (27) Nova Zelândia

Pilotos de fábrica da categoria GT
Jörg Bergmeister (40) Alemanha
Michael Christensen (26) Dinamarca
Romain Dumas (38) França
Kévin Estre (28) França
Wolf Henzler (41) Alemanha
Richard Lietz (33) Áustria
Frédéric Makowiecki (36) França
Sven Müller (24) Alemanha
Patrick Pilet (35) França
Laurens Vanthoor (25) Bélgica
Dirk Werner (35) Alemanha

Jovens Profissionais
Matteo Cairoli (20) Itália
Mathieu Jaminet (22) França

Porsche Juniors
Matt Campbell (21) Austrália
Dennis Olsen (20) Noruega
Thomas Preining (18) Áustria

Universidade Federal do RN desrespeita a Lei do Silêncio

por fernandosiqueira

Será que a Reitoria da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) não conhece a LCP (Lei de Contravenção Penal), artigo de número 42  que tipifica a contravenção Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheio?

I – com gritaria ou algazarra;
II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

Mais um mito é acreditar que você tem o direito de fazer barulho até às 22,00 horas. Saiba que mesmo durante o dia, os ruídos não podem ultrapassar um limite que incomode o sossego da população: 70 decibéis, o equivalente ao ruído de trânsito intenso. Ou seja, fazer barulho durante o dia também é uma contravenção e, como toda, está sujeito à pena.

Essa é a pergunta que os moradores do bairro mais elitizado de Natal, ALTO DA CANDELÁRIA, fazem. E estão dispostos ajuizar ação contra a UFRN exigindo o enquadramento dos eventos à legislação que protege o CIDADÃO, concedendo-lhe o direito do repouso NOTURNO.

Agora mesmo, a “Praça Cívica” da UFRN está servindo de palco para uma verdadeira GUERRA contra aqueles que pagam impostos e … Um absurdo, uma agressão aos direitos humanos, uma falta de civilidade!!!

 

 

 

Trocar o óleo: e agora?. Por Paulo Costa

3 03Etc/GMT+3 dezembro 03Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Como escolher da forma correta o óleo do seu veículo? O que você precisa saber para evitar prejuízos financeiros com consumo de óleo, combustível e até mesmo a quebra do motor a curto ou longo prazo?

Para que não fique um só post muito longo, farei dois posts. No primeiro, compartilharei com vocês de forma simples, algumas informações técnicas do óleo lubrificante. No segundo e último, complementarei com dicas e orientações práticas e básicas para que você possa fazer de forma segura algo bastante corriqueiro e necessário no seu carro: a troca do óleo lubrificante do motor.

Pré-requisitos técnicos do lubrificante

Veja os pré-requisitos que o óleo lubrificante deve ter para que seja usado da forma correta.

1-    Viscosidade

Essa é bem fácil de você identificar pois ela está bem destacada na embalagem do óleo ( 20W50, 5W30, 15W40…). Esse dado informa se o óleo é “grosso” ou “fino”. E por que existem dois números? Para informar que esse óleo é multiviscoso, ou seja, ele tem duas “grossuras”. E para que ser multiviscoso? Para que tenha uma fluidez mais fácil com o motor frio, e tenha uma boa lubrificação quando o motor esquentar.

2-    Classificação API

A classificação API (Associação Internacional de Petróleo) pode se encontrar ao lado da informação de viscosidade, ou ainda, na parte de trás da embalagem. Ela é uma combinação de duas letras; SJ, SL, SM ou SN. O “S” indica que o óleo é para motores a gasolina, álcool, flex ou GNV (para motores Diesel a letra é “C”). A segunda letra, J, L, M, ou N,  significa o período tecnológico que o óleo atende, e por isso, é extremamente importante! Quem estiver colocando o óleo não pode errar. Se colocar no motor do carro óleo de classificação inferior, a lubrificação ficará comprometida e provocará a “borra de óleo”, por tanto, esteja atento!

3-    Mineral, Semissintético e Sintético

Essa é a origem do óleo lubrificante. Informa se o óleo é extraído do petróleo (mineral), desenvolvido em laboratório (sintético) ou se é uma combinação dos dois (semissintético).

Assim como o API, essa informação poderá ser visualizada na frente da embalagem em destaque ou atrás, na bula. Ele também é um requisito muitíssimo importante, pois tem ligação direta com a durabilidade do óleo, pois irá definir o regime de trabalho que ele suportará, por isso, uma vez que houver erro na aplicação, também irá contribuir para formação da “borra”.

Qual o melhor? O sintético suporta mais carga de trabalho, em seguida o semissintético e por último o mineral.

Carro considerado o 1º esportivo da história será leiloado

por fernandosiqueira

1914 Vauxhall 'Prince Henry' Sports Torpedo (Foto: Divulgação/Bonhams)

1914 Vauxhall ‘Prince Henry’ Sports Torpedo (FOTO Divulgação/Bonhams)

Prince Henry Sports Torpedo, de 1914, pode chegar a R$ 2.600.000,00. Motor do “esportivo” gera apenas 25 cavalos de potência

A casa de leilões Bonhams, de Londres, irá promover um dos leilões mais importantes dos últimos anos domingo, dia 4. Estão na “pauta” vários veículos antigos, entre os quais podemos destacar o que é considerado o primeiro carro esportivo da história, um Vauxhall produzido em 1914.

O carro, um modelo esportivo “Prince Henry Sports Torpedo”, da Vauxhall, partirá com um preço estimado entre 500.000 e 600.000 libras (R$ 2.200.000,00 a R$ 2.600.000,00), segundo estimativa da Bonhams.

O modelo foi projetado pelo engenheiro automotivo Laurence Pomeroy, mas o conceito de carro esportivo na época era muito diferente do que é hoje. O motor de 4 cilindros entrega até 25 cavalos de potência, aproximadamente um terço do que hoje é um modelo 1.0 “popular”.

1914 Vauxhall 'Prince Henry' Sports Torpedo (Foto: Divulgação/Bonhams)1914 Vauxhall ‘Prince Henry’ Sports Torpedo (Foto: Divulgação/Bonhams)

Outro carro importante que será leiloado é o “Rolls-Royce Phanton I”, fabricado em 1926 por encomenda de Clarence Gasque, empresário americano, que queria presentear sua esposa, Maude Gasque.

O preço inicial do automóvel será entre 500.000 e 700.000 libras (R$ 2.200.000,00 a R$ 3.100.000,00), avalia a Bonhams.

A casa de leilões lembra que, ao “encomendar” o carro, Gasque dispunha de um orçamento ilimitado e confiou na empresa Charles Clark and Sons para desenhar seus detalhes.

John Barnett, proprietário da fábrica, se inspirou em uma cadeira que tinha pertencido à rainha Maria Antonieta, que estava no Museu Victoria & Albert, de Londres.

O resultado foi um interior que se parece mais com uma sala real do palácio de Versalhes do que o interior de um veículo.

O preço no momento da entrega, há mais de um século, foi de 6.500 libras, das quais 4.500 tinham sido investidas em decorar seu interior. O carro, que foi chamado de “The Phantom Of Love”, figura entre os modelos preservados mais famosos da marca Rolls-Royce.

1926 Rolls-Royce Phantom I - 'The Phantom of Love' (Foto: Divulgação/Bonhams)1926 Rolls-Royce Phantom I – ‘The Phantom of Love’ (Foto: Divulgação/Bonhams)
1926 Rolls-Royce Phantom I - 'The Phantom of Love' (Foto: Divulgação/Bonhams)
1926 Rolls-Royce Phantom I – ‘The Phantom of Love’ (FOTO Divulgação/Bonhams)

Actros Mercedes-Benz é eleito o melhor caminhão extrapesado de 2016

2 02Etc/GMT+3 dezembro 02Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Actros 2651, cujas vendas tiveram início este ano, foi vencedor numa escolha entre 10 jornalistas especializados da mídia televisiva e eletrônica, conquistando o Prêmio Top Truck TV

  • Mercedes-Benz do Brasil também foi premiada na categoria performance empresarial do ano
  • Empresa foi a grande vencedora do Top Truck TV deste ano, conquistando 5 das 10 categorias da premiação

O Actros 2651 Mercedes-Benz, cujas vendas tiveram início este ano, foi eleito o melhor caminhão extrapesado do Brasil em votação de 10 jornalistas especializados. Com isso, ganhou destaque no Top Truck TV, uma das principais premiações da mídia televisiva e eletrônica do Brasil.

A premiação foi anunciada na última terça-feira, em São Paulo, ocasião em que a Mercedes-Benz do Brasil conquistou 5 das 10 categorias do Top Truck TV, sendo a grande vencedora de 2016. Além da vitória do Actros 2651, foi destaque também na categoria melhor performance empresarial; melhor executivo de montadora de veículos comerciais, prêmio concedido a Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus; melhor comercial de TV de produto para a nova linha Atego; além da homenagem à Empresa pelos 60 anos de atividades no País, comemorados este ano.

“Essas premiações muito nos honram e orgulham, como também mostram que estamos no caminho certo quando cumprimos nosso compromisso de ouvir o que as estradas falam, transformando as demandas dos clientes em soluções cada vez mais eficientes e rentáveis”, diz Leoncini. “O reconhecimento de renomados jornalistas da mídia especializada do setor automotivo amplia ainda mais o significado dessa brilhante conquista da nossa Empresa”.

O prêmio de melhor executivo de montadora de veículos comerciais realça a liderança de Roberto Leoncini à frente da equipe de Vendas e Serviços da Empresa, que este ano retomou a liderança de mercado em caminhões, além de ampliar a já destacada liderança no segmento de ônibus. “E mesmo com o mercado retraído, não deixamos de lançar novos produtos e serviços, com soluções de pré e de pós-venda que fazem com que nossos clientes encontrem na nossa marca tudo o que precisam, com a qualidade e a rentabilidade desejada”, afirma.

Actros se consolida a cada dia como mix-road

De acordo com o executivo, o top de linha Actros foi desenvolvido para enfrentar as características das estradas brasileiras e atender o atual perfil do transporte. “Além de sua reconhecida eficiência nas aplicações rodoviárias de longas distâncias, o Actros se consolida, cada vez mais, como um ‘mix-road’ para operações nos mais diversos tipos de estrada, tanto asfaltadas, quanto de terra ou outro tipo de pavimento, situações típicas das atividades do agronegócio brasileiro”, ressalta Leoncini. “Aliás, com o novo Actros, que começou a ser vendido este ano, aumentamos em mais de 80% as vendas desse veículo no Brasil. Ou seja, os clientes estão percebendo os ganhos e vantagens que estamos oferecendo a eles”.
Melhor comercial de TV
A linha Atego de caminhões médios e semipesados da Mercedes-Benz também foi premiada pelo Top Truck TV, vencendo a categoria de melhor comercial de TV de produto. Sucesso de vendas nas regiões Sul e Sudeste, os caminhões Atego vêm conquistando aprovação cada vez mais crescente nas demais regiões do País. A fim de consolidar esse avanço, a Empresa criou uma campanha para destacar a robustez, ampla capacidade de carga e elevado conforto da nova linha Atego, que chegou ao mercado neste ano agregando ainda mais valor aos clientes em termos de economia, conforto, força e desempenho.

Num momento muito especial em que comemora os seus 60 anos no País, a Mercedes-Benz do Brasil ganha homenagem do Top Truck TV. A Empresa é a maior fabricante de caminhões e ônibus da América Latina. Sua planta de São Bernardo do Campo é a maior do Grupo fora da Alemanha para veículos comerciais Mercedes-Benz. É também a única da Companhia a produzir caminhões, chassis de ônibus e agregados, como motores, câmbios e eixos, em um só local. Além disso, é também a maior exportadora de veículos comerciais do País, tendo atendido mais de 60 países de diversos continentes.

Ford terá motor 1.0 de 3 cc que funciona com apenas 2

por fernandosiqueira

Um dos cilindros pode ser desativado eletronicamente para economizar até 6% a mais de combustível

Sistema desliga o primeiro cilindro quando o carro está em ponto morto ou velocidade de cruzeiro

DIVULGAÇÃO
Sistema desliga o primeiro cilindro quando o carro está em ponto morto ou velocidade de cruzeiro.

Tem gente que ainda torce o nariz para os novos motores 1.0 três cilindros, acreditando que eles são mais fracos do que os de 4 cilindros. O que dizer então de um motor destes no qual um dos cilindros é desativado, passando a funcionar com apenas dois? É isso o que a Ford pretende lançar em 2018 a bordo da nova geração do Fiesta com o Ecoboost 1.0 embaixo do capô.

O atual motor 1.0 Ecoboost 3 cilindros equipado com turbo e injeção direta alcança 125 cv, exatamente a mesma potência do motor Ford Sigma 1.6 aspirado de 4 cilindros. Mas enquanto seu torque máximo de 17,3 kgfm é alcançado a apenas 1.400 RPM, o Sigma atinge seus 16 kgfm lá nos 4.250 RPM. De olho nessa folga, os engenheiros acharam um jeito de economizar ainda mais combustível.

Funciona assim: quando o veículo está em ponto morto ou em velocidade de cruzeiro (estável sem exigência máxima do motor, como em uma estrada com velocidade máxima de 110 km/h, por exemplo) um sistema eletrônico simplesmente desliga o primeiro cilindro e o motor passa a funcionar com apenas dois. Se o motorista pisa mais fundo no acelerador o cilindro é religado automaticamente.

Segundo a Ford este processo de ligar e desligar o primeiro cilindro ocorre em um período espantosamente rápido, algo como 20 vezes mais veloz do que o tempo que levamos para piscar os olhos. E, por isso, o motorista não percebe quando ele entra em funcionamento — ou deixa de funcionar. Durante os testes, na maioria das situações de rodagem o sistema ficou ativo apenas alguns segundos por vez. Mas isso, no fim das contas, levou a uma economia de combustível de até 6%.

O sistema funciona no máximo até 4.500 rpm e usa a pressão de óleo do motor para ativar uma válvula que interrompe a conexão entre o eixo de comando e as válvulas do cilindro. Um software determina o momento ideal de desativação do cilindro com base na velocidade, posição do acelerador e carga do motor.

Para evitar vibração quando apenas dois cilindros estão em funcionamento o motor ganhou também nova configuração do virabrequim com volante e polia desbalanceados, além de disco de embreagem com amortecimento. E as válvulas de admissão e exaustão se fecham quando o sistema está ativo, prendendo os gases para criar um efeito de mola que, segundo a fábrica, ajuda a balancear as forças entre os três cilindros, além de conservar a temperatura dentro do cilindro para manter a eficiência da queima quando ele é reativado.

Contran suspende exigência de cadeirinhas em carros escolares

por fernandosiqueira

Decisão foi publicada na edição desta quinta (1º) do ‘Diário Oficial da União’. Órgão justificou dificuldades técnicas e econômicas de adaptação.

Cadeirinhas não serão mais exigidas em veículos de transporte escolar (Foto: Reprodução / TV Globo)

Cadeirinhas não serão mais exigidas em veículos de transporte escolar

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) decidiu suspender a obrigatoriedade do uso de cadeirinhas para crianças de até 7 anos e meio em veículos de transporte escolar. A resolução foi publicada na edição do “Diário Oficial da União” de ontem, dia 1º de dezembro.

A decisão inicial do Contran, publicada em julho de 2015, previa que, a partir de fevereiro deste ano, os veículos de transporte escolar teriam de disponibilizar cadeirinhas para crianças de até 7 anos e meio.

A exigência não foi bem recebida pela comunidade e provocou protestos de motoristas de transportes escolares em diversos Estados, como Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e no Distrito Federal. Nas manifestações, os motoristas reclamavam que as cadeirinhas não são práticas.

No final de 2015, a fiscalização havia sido adiada para o dia 1º- de janeiro de 2017.

O órgão justificou que a decisão de suspender a exigência foi tomada em razão de dificuldades técnicas, econômicas e sociais para a adaptação dos veículos escolares em circulação, além da baixa oferta no mercado de cadeirinhas com cinto de segurança do tipo sub-abdominal.

Outro motivo apontado pelo Contran foi a necessidade de realização de estudos complementares para a avaliar a efetividade das cadeirinhas.

O uso das cadeirinhas foi considerado obrigatório em 2015. Desde 2010, a legislação obriga que crianças de até 1 ano sejam transportadas no bebê-conforto e as que têm entre 1 e 4 anos, em cadeirinhas com encosto e cinto próprio em carros de passeio.

As cadeirinhas devem ter o assento elevado, fechos de travamento e opção de ajuste do cinto de segurança.

 

Mitsubishi Cup terá endurance, rallycross e provas noturnas na temporada 2017

por fernandosiqueira

Resultado de imagem para fotos do mitsubishi cup 2017

No ano em que celebra seu 18º aniversário, a Mitsubishi Cup vai surpreender os competidores com novidades. O rali cross-country de velocidade mais tradicional do País chega à maioridade apresentando o calendário 2017 com provas dinâmicas e repletas de desafios inéditos.

Serão realizadas sete etapas em que, além do cross-country de velocidade, as duplas, formadas por pilotos e navegadores, vão encarar também rallycross, modalidade que mescla piso de asfalto e terra com carros largando lado a lado; provas de endurance cross-country, com maior quilometragem e tempo; endurance em terródromo também com largada lado a lado; “time attack” em kartódromo, com disputas de tempo, e ainda uma prova noturna.

“O nosso objetivo principal é celebrar o 18º aniversário da Mitsubishi Cup com inovações que vão proporcionar aos competidores novas experiências, tornando a temporada ainda mais atrativa para os participantes, para os espectadores, para a imprensa e os patrocinadores. Tenho certeza que o campeonato será muito disputado e, mais uma vez, realizaremos algo inédito no mundo”, ressalta Guilherme Spinelli, diretor da Ralliart Brasil, divisão de alta performance da Mitsubishi Motors.

Outro destaque é a realização de etapas fora do Estado de São Paulo, como em junho, quando será em Santa Catarina. “A Mitsubishi Cup é uma competição bastante tradicional. Queremos trazer às duplas novidades que esquentem ainda mais a disputa e que coloquem os equipamentos à prova em diferentes situações”, explica Fernando Julianelli, diretor de marketing da Mitsubishi Motors.

Os veículos, produzidos pela Mitsubishi Motors e preparados para competição pela Ralliart Brasil, divisão de alta performance, estão disponíveis para venda para as equipes em condições especiais. Para mais informações, os interessados deverão entrar em contato: mitsubishicup@hpeautos.com.br ou (19) 3019-1000.

Novo ASX RS
O ASX RS 2017, veículo homologado junto à CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) para a Mitsubishi Cup, para o Campeonato Brasileiro e para o Rally dos Sertões, na categoria Production, também foi revelado. “Apresentamos a carroceria nova, já do ASX 2017 que foi lançado no Salão do Automóvel 2016, e fizemos ajustes para deixar o veículo ainda mais potente e resistente para o rali”, explica Spinelli. O carro tem 194 cavalos de potência e 27kgf.m de torque.

L200 Triton Sport RS
A Ralliart anunciou ainda o lançamento da categoria L200 Triton Sport RS, que promete ser a mais rápida, disputada e empolgante da competição. O veículo tem 272 cavalos de potência, 41,5kgf.m de torque e a carroceria da All New L200 Triton Sport, que foi apresentada no Brasil este ano. O veículo está apto para correr, além da Mitsubishi Cup, o Rally dos Sertões nas categorias Protótipo ou Pró-Brasil.

L200 Triton ER
Já consagrada, a L200 Triton ER segue na Mitsubishi Cup. Em 2017, será dividida em duas categorias, com a inclusão da Master, destinada às duplas com mais experiência. O veículo está homologado para participar também do Campeonato Brasileiro e do Rally dos Sertões, na categoria Super Production. A L200 Triton ER tem 242 cavalos de potência e 39kgf.m de torque.

Pajero TR4 ER
A Mitsubishi anunciou também a continuidade da venda e fornecimento de peças e insumos para os competidores que optam pela categoria Pajero TR4 ER, considerada porta de entrada do rali brasileiro.

Sobre a Mitsubishi Cup
A Mitsubishi Cup já realizou mais de 130 etapas e 400 provas de rali cross-country de velocidade desde sua criação, em 2000. Os carros participantes são preparados pela Ralliart Brasil, divisão de alta performance da Mitsubishi Motors, única montadora na América Latina que tem uma linha de produção de carros de corrida. A Ralliart já preparou mais de 500 veículos e continuará, em 2017, vendendo os modelos ASX, L200 Triton Sport RS e L200 Triton ER, homologados para os principais campeonatos de rali do Brasil. A competição terá as seguintes cinco categorias: L200 Triton Sport RS, L200 Triton ER, L200 Triton ER Master, ASX RS e Pajero TR4 ER.

Calendário 2017*
01 de abril – Velo Città – Mogi Guaçu (SP) – cross-country e rallycross
13 de maio – São José do Rio Preto (SP) – endurance cross-country
10 de junho – Penha (SC) – “time attack” em kartódromo
05 de agosto – Cordeirópolis (SP) – terródromo e endurance
23 de setembro – Ribeirão Preto (SP) – prova noturna e cross-country
21 de outubro – a definir
18 de novembro – Velo Città – Mogi Guaçu (SP) – cross-country e rallycross
Calendário sujeito a alterações.

Euro NCAP: cinco estrelas para Audi A5 e Audi Q2

1 01Etc/GMT+3 dezembro 01Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Os novos modelos da Audi A5 e Q2 conquistaram notas máximas no teste Euro NCAP, confirmando posições entre os veículos mais seguros avaliados. Isso é válido tanto para segurança no transporte de crianças e adultos, bem como para proteção de pedestres.

Resultado de imagem para fotos audi a5

Sistemas emergenciais de freio foram introduzidos nos quesitos avaliados em 2016. O Audi Q2 vem equipado de série com esse mecanismo como parte do Audi pre sense front. O sistema examina se outros veículos ou pedestres estão no caminho do veículo. Se uma colisão é iminente, ele alerta o condutor e, se necessário, inicia automaticamente a frenagem emergencial.

O novo Audi A5 Coupé e o A5 Sportback também conquistaram a nota máxima de cinco estrelas. Os dois modelos oferecem altos níveis de segurança no transporte de adultos e crianças, assim como boa proteção para pedestres. O Audi pre sense city auxilia os dois modelos a evitar acidentes.

Na velocidade acima de 85 km/h, o sistema mapeia a via, identificando outros veículos e pedestres, por meio de uma câmera localizada no para-brisas, que tem o alcance de 100 metros. Ao detectar uma possível colisão, o motorista recebe uma série de alertas e, se necessário, o carro inicia a frenagem máxima. Na velocidade acima de 40 km/h, acidentes podem ser completamente evitados dentro dos limites do sistema. Em velocidades mais altas (acima de 85 km/h), alertas e intervenções por meio de frenagem reduzem os impactos que poderiam ser causados pela velocidade.

O Audi A5 oferece ainda uma extensa lista de sistemas de auxílio à condução, como o collision avoidance assist e o turn assist (sistema auxiliar para evitar acidentes e sistema auxiliar para manobras de cruzamento a trânsito contrário). Enquanto o primeiro auxilia o motorista a contornar um obstáculo, o outro monitora o tráfego no sentido contrário quando o carro faz uma conversão em velocidade baixa. Em uma situação de perigo, ele freia completamente o veículo, evitando uma conversão perigosa em caso da existência de carros no sentido contrário.

O Euro NCAP (sigla em inglês para New Car Assessment Program) tem avaliado desde 1997 a segurança de veículos por meio de testes de colisão. Com o objetivo de simular um acidente em condições reais, ele tem contribuído para melhorar continuamente os requisitos de segurança dos carros.