Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Coluna “DE CARRO POR AÍ”. Roberto Nasser

27 27Etc/GMT+3 maio 27Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

RAM 2500, de novo

Vai e volta, o picape RAM retorna. Vem do México com isenção tributária facilitada por acordo comercial, ocupa lugar de destaque. A julgar pelo volume e torque, do maior destaque.
A RAM deixou o prefixo Dodge e passou a marca própria. Mantém o poderoso arcabouço mecânico liderado por motor diesel Cummins, 6 cilindros, 6,7 litros, 330 cv de potência e torque de 104 m.kgf. Pela potência específica – a relação entre cilindrada e cavalagem -, nota-se não ser projeto para picape, mas para caminhão. É coerente: seu porte, a falta de refinamento mecânico notável pelo eixo rígido frontal, o motor, deslocam-no da concorrência com picapes para posição superior. Não é exatamente o carro para Agroboy, o motorista com a boa renda da primária atividade agrícola. Afinal Agroboy consome, e o picape por suas dimensões, incluindo a configuração da cabine dupla, é de difícil entrada na maioria das garagens de shoppings e, se o fizer, tomará quatro vagas.
FCA foca com precisão sua clientela, e nela inclui a atividade rural jogo duro, os praticantes e adeptos da doma animal. Outro item separador é a exigência de Carteira de Habilitação C.

Como
Nos EUA, seu maior mercado, destaca-se pela superior capacidade de reboque, muito apreciada para trailers e lanchas. Aqui tal demanda é irrisória, e a escolha foca a clientela da produção rural. Nova marca é identificada por grade refeita, impositiva, com o emblema RAM, e do deslocamento do emblema com cabrito montês para a tampa traseira. Na complementação, aplicou-se ao conforto da interconectividade, com central Uconnect em tela de pouco mais de 20 cm, e evolução dos sistemas Android Auto e Apple Car Play.
Mecânica emprega eixo dianteiro rígido – dependente, como dizem os puristas nas firulas da linguagem técnica -, sistema resistente ao trabalho e desconfortável ao uso. Motor diesel Cummins, 6,7 litros, atracado a transmissão
automática de 6 velocidades. E tração nas 4 rodas e marcha reduzida. Tratamento refinado a partir do interior revestido em couro, bancos dianteiros com regulagens elétricas. Na segurança, seis bolsas de ar, controle de estabilidade, de tração, monitoramento eletrônico da rolagem da carroceria, de balanço do reboque. Por R$ 265 mil.

DODGE RAM POWER WAGON 2017 01

RAM, ex Dodge, 2500. Não chega,causa.

Picape Mercedes Classe X by Brabus

Preparadora de automóveis Mercedes-Benz – vende-os transformados no Brasil ou os kits -, a alemã Brabus aplicou-se a modificar o recém apresentado picape Mercedes Classe X. Chamou-o PowerXtra. Aparentemente baseou-se em
suposta negativa da AMG, a associada da Mercedes na preparação de seus automóveis, e surfou na novidade. Talvez tenha sido o último projeto de seu fundador, Bodo Buschmann, ido mês passado, como lembra o argentino Autoblog. Quando lançado ao mercado sul americano, o Mercedes Classe X advirá de transformação industrial sobre o também picape Nissan Frontier, atualmente em montagem na Argentina.
O rótulo Brabus se aplica sobre a versão intermediária 250d. Motor diesel, L4, 2,3 litros, propelido de 190 cv a 211, e torque de 450 Nm a 510 Nm.
Com a limitação no desenvolvimento mecânico, a Brabus atacou a decoração. Adotou rodas de liga leve e 20”de altura, mudou grade, faróis e para choques dianteiro, e adotou os must atuais: quádrupla saída de escape e duas baterias em luzes de LEDs.
Representante brasileiro, paulistana Strasse trará os kits de desenvolvimento e decoração, mas vendas só após lançamento, previsto para o fim de 2019.

mercedes-classe-x-brabus

O Classe X Brabus

A caminho da economia

novapick-up-silverado

Novo Silverado terá motor de entrada: L4, turbo, 310 cv

Nos EUA, na grande briga pela rentável faixa de mercado dos picapes, General Motors aderiu aos esforços tecnológicos para baixar peso, consumo, emissões. Dobrou opção de motores disponíveis para seus novos picapes Chevrolet Silverado e GMC Sierra 1500. Passo importante, incluiu novo propulsor com quatro cilindros, capaz de desligar dois quando não há demanda no serviço.
Será o primeiro picape no mercado apto a tal proeza mecânica. O motor é de ciclo Otto, para gasálcool, L-4, 2,7 litros, turbo, 310 cv de potência e 157,9 m.kgf em torque. Intenta superar números legais do líder Ford F 150, e seu intenso uso de alumínio, e o redesenhado RAM 1500. Entusiasmo institucional, o vê como substituto do tradicional V6 a gasolina, 305 cv e 138,3 de torque. Bom sinal, indica compromisso com necessária mudança. Desafio, pois em tais Chevrolet e GMC para 900kg de carga, 80% dos clientes prefere V8.

Rodado duplo

Festa –Belcar, criada como revenda VW Caminhões na saída de Goiânia para São Paulo, festeja 35 anos. Boa história, ajudou a implantar marca nova, sobreviveu às crises, virou representante da MAN.
Elétricos – Corpus Saneamento e Obras, empresa de recolhimento de lixo adquiriu 200 unidades elétricas à chinesa BYD. Receberá 21 em setembro. Empresa quer expor-se como compromissada com preservação ambiental, redutora da poluição sonora e de emissões.
Vantagens –Em testes é mais silencioso e confortável no mercado, superando concorrentes movidos por diesel, e menor CTP – custo total de propriedade.
Aqui ? – Prazo para entrega até 2023 e BYD, com fábrica de ônibus no interior paulista, aparentemente espera incentivos incluídos no programa Rota 2030 para saber se vale a pena montar operação industrial no Brasil.
Dúvida –Fechado o ano fiscal de 2017 na operação América Latina, Nissan diz ter anotado crescimento: de seu picape Frontier vendeu 5% mais em relação a 2016. Parece número negativo, ante os 20% de expansão do mercado e o comparativo entre produtos velho e novo.

RODA-A-RODA
Surpresa –Inglesa Aston Martin, andando mal das pernas, passou controle acionário a grupo de investimento e 5% à Daimler – para garantir fornecimento de motores Mercedes AMG -, surpreendentemente deu lucros no primeiro
quadrimestre.
Muito – 43,7 milhões de libras antes dos impostos. Num cálculo de balanços, proporcionalmente o maior do mundo. Mudança é creditada à revivificação da marca com a criação de versões Vanquish Zagato Volante, Speedster e o DB4
GT Continuation. Aposta na mudança de produtos, como o recente Lagonda.
Números – Lucros subiram, produção caiu: apenas 963 carros no período, contra 1.203 em igual período em 2017, creditada ao processo de troca de modelos. Preço dos carros subiu médios 11%.
Futuro –Maurício Macri, presidente da Argentina foi a Córdoba, base de sua indústria automobilística, cobrar colaboração dos industriais no incentivado Plan Un Millón – visando fabricar 1 MILHÃO de veículos em 2023.
Cobrança –Quer 40% de conteúdo local, peças argentinas, nos veículos lá produzidos. Hoje anda em 20%. Aproveita previsto recorde de produção, uns 20% e de exportações, 40%. Mais nacionalizado é Toyota HiLux, mais de 40%.
Promessa – Utilizou linguagem sensibilizante: se a meta for atingida reverá a carga tributária sobre veículos. E prometeu melhorar o modal ferroviário para transportar autopeças e veículos prontos aos portos.
Vem aí – Desdobramento do projeto da Volkswagen em ter brevemente 5 SUVs no mercado, o Projeto Tarek, a ser vendido como Tharu, foi apresentado na China. É menor relativamente ao Tiguan 5 lugares. Argentina em 2020, no
espaço industrial do CrossFox. No Brasil, novidade será o T-Cross, próximo ano.
Maquiagem – Como antecipou a Coluna, novos Gol e Voyage marcam-se pelas mudanças frontais, seguindo o Gol Track, com capô mais elevado e linhas ligando os faróis redesenhados. Dentro, novo desenho para o painel frontal. Em segurança o ESS – sistema faz piscar as luzes de freio quando pedal é acionado virilmente. Motores 1,0 e 1,6 de três e quatro cilindros, transmissão 5 marchas.
Sinal – Há opções, pacotes, mas única versão. É a última mudança antes do novo modelo.
Registro – Toyota comemora meio milhão de unidade do Etios em sua usina de Sorocaba, onde já produz o Yaris. Inicialmente mal definido, provocou intervenção branca na empresa, congelamento de carreiras, mudança de
pessoal e, surpresa, correções no produto.
Coluna – Num almoço de aproximação – eu cortara relações com a empresa e seu péssimo serviço de relacionamento com a imprensa -, ao conhecer Steve St. Angelo, número 1 para a América Latina, exibiu-me a Coluna dizendo ter feito todas as mudanças nos itens apontados, exceto a saída de ar, não direcionada ao motorista. O Etios, Toyota mais vendido, provocou nova fase na empresa.
Segurança – Ford apresentou na Europa câmera de ré oferecendo visão de 180 graus, freando ao detectar obstáculos. É grande auxílio aos motoristas incapazes de estacionar de marcha-a-ré. Equipa o novo Focus – mas só virá ao Brasil caso seja importado da Europa.
Muda – BMW mudou a logomarca de sua controlada Mini. Segunda vez desde 2001 quanto reinventou o brilhante automóvel. Segundo diz, emblema espelha valores tradicionais alinhados a espírito de desenvolvimento.

novo-logo-do-mini

Novo logo Mini

Oportunidade –Volkswagen reabriu seleção a estágio de estudantes em seu Talento Volkswagen Design. Um ano num centro de excelência. Interessado? www.volkswagen.com.br/design Projeto e memorial descritivo no tema
#formfollowsfreedom atalentovwdesign@volkswagen.com.br
Solução – Respingos de tinta, graxa, cola de adesivos, coco de passarinho, tudo removível pelo Tira Grude Tapmatic. Á base de Aloe Vera retira-os sem danificar a pintura dos veículos. Custa uns R$ 15. Embalagem 40 ml.
Nova – Moto KTM 390 Duke abs já à venda. Projeto inspirado nas soluções das motos de competição: chassis, distribuição de peso; suspensão frontal. Motor monocilíndrico, 373,2 cm3, 44 cv. R$ 24 mil. Montada em Manaus, pela Dafra.
Storica–Mais charmosorallyedo mundo, re-editando a Mille Miglia, uma das corridas de maior expressão até a década de ’50, disputado em estradas italianas em quase 1.500 km, e admitindo apenas veículos das marcas e tipos
que anteriormente nela competiram, teve resultado surpreendente.
Hermano – Persistente e preparado argentino Juan Tonconogy, tendo sua mulher Barbara Ruffini como navegadora em Alfa Romeo 6C 1500S de 1933. Terceira vitória. À frente apenas o hiper perfeccionista Giuliano Cané, italiano vencedor de 10 edições. Argentinos lá competem anualmente. Brasileiros, apenas a dupla Feldman+Nasser, edição 1999, pela equipe Mercedes.

Tonconogy, Ruffini e Alfa

Tonconogy, Ruffini e Alfa, vencedores da Mille Miglia Storica.

Gente –Paulo Manzano, engenheiro, fotógrafo, regulagem fina. OOOO Deixou a área de comerciais da PSA e foi-se à Jaguar Land Rover. OOOO Gerente de Marketing e Produto. OOOO Gustavo Soloaga, argentino, economista, ascensão. OOOO Era Vice Presidente Senior Financeiro da PSA na América Latina e será novo nº 1 do grupo na
Argentina. OOOO Sucede Carlos Gomes, português, enviado a gerir empresa na China e Sudeste Asiático. OOOO Oduvaldo Viana, administrador, promoção: diretor de marketing da Bridgstone. OOOO Impulsionar vendas e posicionar marcas Bridgestone, Firestone e Bandag. OOOO José Luiz Gandini, empresário, 61, lazer. OOOO Presidente da Kia no Brasil, Uruguai, e da associação classista, novo Comodoro do Yatch Club de Ilha Bela. OOOO
Lapo Elkan, atração. OOOO Irmão do presidente da FCA, herdeiro da marca, praticante da porraloquice explícita, mas autor de vitoriosos projetos de lançamentos de produtos, vida atribulada e criativa, estará no Congresso da
Automotive News. OOOO Dirá como se tornar fornecedor das grandes marcas. OOOO Se não for em apertado terno vermelho, um de seus registros, irá monocromático com enormes lapelas … também de sua criação. OOOO Não passa despercebido. OOOO

O bem resolvido porta malas do Fiat Cronos
Fazer porta malas em automóvel três volumes derivado de hatch, exige artes. Razão simples. Parte mais cara do automóvel é a base, ou plataforma. E por questões de custo e de processos industriais deve-se utilizar plataforma nuclear permitindo, com pequenas alterações, gerar versões para aplicações diversas. É o caso, por exemplo, dos carros de dois volumes, usualmente terminados por uma porta traseira, atendendo a universal denominação de hatch, e os de três volumes, os sedãs.
Na prática, parece simples, e o é para veículos sem compromisso estético, quando vistos de perfil expõem visualmente parecem ter sofrido solda extensa acrescendo chapas moldadas em forma de porta malas.
Fazer três volumes sem lembrar hatch dois volumes é um tira teima.
O Fiat Cronos é particularmente feliz neste aspecto. Projetado no Brasil vale-se apenas da parte frontal do Argo, com quem divide boa parte da plataforma. Pequeno aumento na distância entre eixos, novo teto, traços particulares em
para lamas e capô, dão personalidade a seu traço. Outro aspecto de bom resultado é a disposição e a capacidade do porta malas, cabendo a 525 litros, muito bom e capaz de absorver bagagem familiar em viagens e passeios. Para
aumentá-lo, os bancos traseiros se rebatem em três partes para compor bagagens desacorçoadas e um passageiro.

fiat-cronos-traseira

Porta malas do Fiat Cronos. Bom e bonito

A idosa e o estacionamento

por fernandosiqueira

old woman in sunglasses sitting in the car .

Uma idosa foi ao supermercado, estacionou o carro e, ao fechá-lo, viu que trancou-o com a chave dentro!
“Essa não!”, disse a senhora. “E agora, o que vou fazer?” Pensou por alguns minutos e lembrou dos filmes da televisão. Pegou um grampo de cabelo e tentou abrir, mas tudo que ela conseguiu fazer foi quebrar a unha!
“Ai, meu Deus! E agora, o que vou fazer?”
O tempo começou a ficar nublado. Ia cair uma chuva daquelas! E aí a idosa começa a chorar.

Nisso, surge uma moça e pergunta: “o que foi? Por que a senhora está chorando”?
“Eu tranquei o carro com a chave dentro e vai começar a chover!”, diz a senhora, desolada.
A moça começa a rir e pergunta: “e a senhora fica brava?”. Responde a idosa: “por que você está rindo da desgraça alheia?”
“Não, a senhora não precisa se preocupar com a chave porque o teto solar está aberto!”, enfatiza a jovem.
“E por que você acha que estou chorando?, vai molhar os assentos do meu carro”, conclui a idosa.

 

 

Volvo Cars aumenta produção do XC40 para atender forte demanda

26 26Etc/GMT+3 maio 26Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

volvo_xc40_2019

                                         Novo SUV da marca soma  78.000 pedidos no mundo

Com 78.000 pedidos, a Volvo Cars vai expandir a produção na Europa e na China do XC40, o mais novo utilitário esportivo lançado pela fabricante sueca, que chegou ao mercado brasileiro em abril.

A produção será ampliada no primeiro semestre de 2019 na fábrica de Ghent, na Bélgica, e na de Luqiao, na China, destacando a popularidade do “Carro Europeu do Ano”, em 2018.

Além disso, a fabricante anunciou que aproveitará o sucesso de seu modelo de entrada para lançar novos veículos baseados em sua plataforma modular CMA, da qual o XC40 é derivado.

“O sucesso do XC40 superou nossas maiores expectativas”, disse Håkan Samuelsson, presidente e CEO da Volvo Cars. “O segmento de mercado em que ele atua é o que mais cresce no mundo e, com esses modelos construídos sobre a plataforma CMA, esperamos nos beneficiar ainda mais desse crescimento”.

Os próximos carros a sair da linha de montagem incluirão veículos totalmente elétricos e serão vendidos globalmente.

New Volvo XC40 - exterior

                                                                                                  Novo Volvo XC40

O XC40 foi lançado no final de 2017 na Europa e aclamado mundialmente como o primeiro Volvo a ganhar o título de “Carro Europeu do Ano”, em março deste ano. O novo SUV é o primeiro carro da nova arquitetura de veículos CMA da Volvo Cars. Co-desenvolvido com a Geely Holding, a plataforma fornece à fabricante sueca a economia de escala necessária para o segmento, tanto que produzirá carros para sua nova marca irmã, a Lynk & Co, na fábrica de Ghent.

 

 

Mesmo em queda, álcool só é mais vantajoso que a gasolina em 5 Estados

24 24Etc/GMT+3 maio 24Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

Preço médio do combustível renovável no Brasil caiu 8% desde março, mas não é o suficiente para valer a pena na maioria dos Estados.

álcool

Mesmo com a gasolina em alta, o álcool ainda NÃO é uma boa opção na maioria dos Estados brasileiros. Com base em recente levantamento médio de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo), conferimos que apenas em 5 Estados é mais vantajoso financeiramente abastecer com álcool. São eles: São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e Paraná.

Juntos, esses Estados concentram pouco mais de 50% da frota total de 97.000.000 de veículos no Brasil, segundo dados do Denatran.

Nos demais Estados e no Distrito Federal, ainda vale mais a pena abastecer o carro com gasolina, mesmo com a média de preço nas alturas.

O preço médio do álcool no País caiu 8% desde março e está ajudando a conter a inflação. No entanto, na comparação com maio de 2017, o valor atual ainda é 7,3% maior.

No mesmo período de 1 ano, o litro médio da gasolina nos postos subiu aproximadamente 18,3%.

Embora haja discussão, levou-se em consideração que o álcool tem, em média, 70% do poder calorífico da gasolina. Isso quer dizer que o motorista precisa de mais álcool do que gasolina para rodar a mesma distância.

A pesquisa ainda considerou o preço médio registrado pela ANP entre 13 e 19 de maio. É claro que o valor do combustível varia de posto para posto, então é melhor cada motorista fazer a conta antes de decidir.

Para isso, você pode  multiplicar o preço da gasolina por 0,7. O resultado é o preço máximo que o álcool vale a pena.

Por exemplo, vamos supor que o litro da gasolina custasse R$ 3,50, multiplique este valor por 0,7. O resultado é 2,45. Então, o álcool seria vantajoso até R$ 2,44 o litro. Se for R$ 2,45, dá na mesma. Se for mais do que isso, não compensaria.

Discussão sobre os 70%

Depois que o governo elevou o nível do álcool na composição da gasolina brasileira para 27%, houve uma discussão sobre o verdadeiro desempenho do álcool frente à gasolina.

Um estudo com a gasolina atual apontou média entre 70% e 75%, dependendo do veículo. Por isso, se o valor foi muito próximo, é indicado que o motorista faça testes com os dois combustíveis e registre o consumo médio nos trajetos mais frequentes.

Mesmo assim, o 70% segue como o índice de referência segundo a Anfavea, (Associação Nacional de fabricantes de Veículos Automotores).

O que nos resta fazer? Aprender a DIRIGIR com prudência, ou seja, evitar as grandes aceleradas, não “esticar” as marchas etc.

Com boas práticas, consumo pode ser reduzido em até 35%.

O gasto com combustíveis em um ano pode variar entre R$ 2.890,00 e R$ 7.390,00, segundo levantamento feito pela consultoria automotiva Jato Dynamics, com base nos dados do ranking de consumo anual de combustíveis do Inmetro.

Com bons HÁBITOS ao volante do seu automóvel e manutenção do mesmo, é possível reduzir em até 35% o consumo de combustível, segundo Milad Kalume Neto, gerente de desenvolvimento de negócios da Jato Dynamics. “É um valor aproximado, pois existem diversas variáveis inclusas, como o tamanho e a potência do motor do veículo”, afirma o executivo.

Com uma redução de 35% no consumo do CARRO menos econômico da lista do Inmetro, se economizaria por ano R$ 2.585,00. Vamos supor que esse valor tivesse sido investido nas ações das Lojas Renner, que tiveram o maior retorno sobre a inflação na última década (5.485,4%),  a economia de combustível, descontada a inflação, teria rendido R$ 141.831,00.

Objetivamente, o que fazer?

1 . Compre carro que consuma menos combustível

Para reduzir o consumo de combustível de forma mais significativa nada melhor do que comprar o carro com menor consumo possível. O ranking anual do Inmetro mostra quais são os carros que menos consomem combustível e os que mais consomem. Carros com motor blue motion, que são mais eficientes, carros movidos a diesel, elétricos e híbridos são as melhores opções para economizar combustível. O híbrido Toyota Prius, à guisa de exemplo, compensa o gasto adicional na compra com a economia de combustível em menos de dois anos.

2) Use o ar-condicionado com menos frequência

“O ar-condicionado é responsável por aproximadamente 20% de aumento no consumo de combustível”, afirma Kalume Neto. Usar insulfilm, estacionar o carro à sombra para depois não precisar ligar o ar-condicionado na maior velocidade e desliga-lo alguns minutos antes de alcançar o destino, são algumas DICAS para usar menos ar-condicionado, mesmo no verão.

3) Reduza o peso do seu carro

Seguindo a lei da física “força = massa x aceleração”, quanto maior o peso, maior a força e, portanto, maior o gasto de combustível. Por isso, mantenha seu carro limpo do barro, a fim de evitar acúmulo de peso e evite transportar peso desnecessário, como bagageiros removíveis e suportes de bicicletas. Segundo o EERE (Escritório de Eficiência Energética e Energias Renováveis dos Estados Unidos), um peso extra de 40 quilos pode reduzir o consumo em até 2%.

4) Desligue o motor do automóvel

Ainda de acordo com o EERE, deixar o veículo ligado quando parado pode representar um gasto de 1 a 2 litros de combustível por hora, dependendo do tamanho do motor e do uso do ar-condicionado. Por isso, os técnicos recomendam que, quando o carro ficar parado mais de 20 segundos, seja em um congestionamento, ou ao esperar alguém, ele seja desligado e ligado de novo..

5) Dirija devagar

“Quanto maior a velocidade, maior a resistência do ar. Quanto maior a resistência, maior o consumo”, afirma Kalume. Em velocidades menores, a diferença pode não ser tão grande, mas a DICA se aplica bem a velocidades mais altas. Um carro a 140 km/h, por exemplo, consome 25% mais combustível do que a 110 km/h, segundo a Energy Saving Trust, organização de promoção ao uso de energia sustentável do Reino Unido.

6) Deixe o carro o mais aerodinâmico possível

Quanto mais aerodinâmico seu carro for, menor a resistência de ar e maior a economia de combustível. Manter as janelas e o teto solar fechados e retirar o bagageiro quando não estiver em uso, são DICAS para não diminuir a aerodinâmica do veículo automotor. Em altas velocidades, inclusive, ligar o ar-condicionado pode gerar um menor consumo de combustível do que abrir as janelas. Se a velocidade for inferior a 60km/h, o melhor é abrir a janela, mas acima disso, com o ar-condicionado consome-se menos combustível.

7) Troque de marchas da maneira correta e dirija com suavidade

“A troca de marchas deve ser feita nos ‘tempos certos’, sem esticar exageradamente entre uma e outra troca”, orienta Amos Lee Harris Junior, diretor da Uniauto (Universidade Automotiva). As esticadas na troca de marcha são grandes vilãs do consumo de combustível, por isso os motoristas devem seguir as orientações do manual do veículo, a fim de saber a velocidade ideal das trocas de marchas.

Harris acrescenta, que o pé no acelerador é o melhor ‘promotor de redução ou aumento de consumo’. “A aceleração deve ser sempre feita com suavidade e com o pisar mais leve possível”, afirma.

Também não é recomendável usar o “ponto morto” (tirar o carro de marcha) em descidas. O ideal é descer com o carro engrenado e sem acelerar. Nessa condição de inércia, o sistema de injeção bloqueia o combustível ao motor, evitando qualquer consumo de combustível. Mas, no “ponto morto”, o motor continua funcionando em marcha lenta consumindo mais combustível. Também é importante levar em consideração, que em carro com câmbio automático, deve-se evitar o “kick-down” , a redução de uma marcha provocada ao apertar o pedal do acelerador até o final do seu curso.

8) Evite congestionamentos e trajetos com muitos semáforos (sinais de trânsito)

Trafegar em marchas baixas e fazer paradas frequentes, podem elevar o consumo de combustível. Por isso, manter a velocidade do veículo o mais uniforme possível, evitando situações de trânsito intenso ou trajetos com muitos semáforos (sinais), pode ajudar na economia. Se não for possível evitar o congestionamento, observar o trânsito, de forma a parar o mínimo possível, evitando frenagens repentinas. Otimizar as frenagens, as retomadas de velocidade e as acelerações, ajuda na diminuição do consumo”.

9) Calibre os pneus com o nível certo e mantenha o alinhamento da direçao em ordem

“A calibração incorreta dos pneus aumenta o atrito do carro ao solo, causando aumento do consumo. E o mesmo ocorre com um carro sem o alinhamento de direção em ordem”, explica Kalume. O esforço é muito maior, resultando em mais consumo de energia. Para saber qual é o nível de calibragem ideal do seu carro e quando deve ser realizada a revisão do alinhamento, observe o manual do veículo.

10) Prefira carros menores e de menor potência

Mais uma vez a explicação está na equação “força = massa x aceleração”. Quanto menor a massa, menor o consumo, portanto, quanto menor o carro, maior a economia. Tanto isso é verdade que, no ranking de consumo de combustível do Inmetro, alguns dos carros menos econômicos são das categorias grande, fora de estrada, van e minivan . E a maioria dos carros mais econômicos são os “compactos” e “subcompactos.

Carros mais potentes também têm maior gasto com combustível. Eles são mais equipados e de maior porte. Mesmo os carros pequenos esportivos com motores 3.4 e 4.1, também são mais pesados e consomem mais. Tenham em mente o seguinte: o consumo de carro de motor 2.0 para cima, facilmente, pode chegar a ser o dobro dos carros 1.0 e 1.4.

11) Faça a substituição correta do óleo e do filtro de ar

Com o filtro de ar sujo, diminui-se o fluxo de ar para o motor, prejudicando a mistura de ar e combustível ideal para o bom rendimento do motor. É importante e necessário seguir o manual do veículo para que as “substituições” sejam feitas  no tempo certo. ATENÇÃO: se você costuma trafegar por estradas com poeira, areia ou lama, vale substituir o filtro de ar antes mesmo do tempo indicado no manual do carro.

Não esqueça do seguinte: um óleo de má qualidade ou vencido, também eleva o consumo de combustível, pois o atrito do motor será maior, provocando aquecimento. Mantenha sempre em ordem as velas e cabos de ignição, o filtro de ar, o sistema de escape e os sistemas de ignição e de injeção de combustível. Motor desregulado provoca aumento de consumo de combustível e desgaste prematuro.

12) Use o combustível indicado no manual

Os combustíveis “premium” podem não influenciar em nada o desempenho do carro, a despeito do que alguns postos de combustíveis argumentam. Por isso, eles só devem ser usados quando houver essa indicação no manual do veículo, caso contrário, eles só irão aumentar os gastos. E o inverso também vale, se o carro requer combustíveis premium e é abastecido com os convencionais, o motor pode ser prejudicado e o barato sairá caro. 

13) Desligue os dispositivos elétricos quando não necessários

O uso de dispositivos elétricos como faróis auxiliares, limpadores do para-brisa, sistema de ventilação interna e outros, devem ser usados apenas pelo tempo necessário. A Jato Dynamics adverte: “o aumento de corrente elétrica eleva o consumo em até 25%”.

14) Use mais TÁXI ou UBER

Dependendo da distância que você percorre diariamente, utilizar TÁXI ou UBER e usar o veículo apenas ocasionalmente, pode ser mais vantajoso financeiramente. Levantamento feito por EXAME em parceria com a Academia do Dinheiro, chegou a seguinte conclusão: quem percorre até 10,5 quilômetros por trecho para ir ao trabalho e voltar, gasta menos se utilizar TÁXI ou UBER.

15) Escolha os postos de combustíveis

Postos com má aparência, de marcas desconhecidas e com valores absurdamente baixos, são sinônimos de “picaretagem”. Se um posto é bastante frequentado por frotistas e taxistas, em contrapartida, esse pode ser um indicativo de preços baixos e qualidade. Com a maior troca de informações, as empresas e os taxistas sabem quais postos têm a melhor relação custo-benefício.

Procure abastecer no posto de sua confiança, onde você frequentemente conversa com os frentistas e conhece o gerente. Assim procedendo, você evita combustíveis “batizados” ou bombas com “defasagem” de quantidade.

Evite abastecer o carro no primeiro posto de combustível encontrado dentro de uma longa distância, como em uma estrada. Com poucas opções na região, esses postos podem ter um valor mais elevado por serem a última saída para muitos motoristas.

Em resumo, siga, à risca, as DICAS que estamos lhe oferecendo. Agindo assim, você irá economizar dinheiro, evitar stress e, consequentemente, melhorar a sua qualidade de vida.

Produção de caminhões cresce 55,1% e impulsiona vendas de consórcio no País

23 23Etc/GMT+3 maio 23Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

Comercialização de novas cotas de consórcio aumentou 8,4%, segundo a ABAC

fábrica de caminhões mercedes-benz

Segundo dados divulgados pela ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), a produção de veículos pesados aumentou em 55,1%, no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2017. Foram produzidas 24.427 unidades, em 2018, frente a 15.748 caminhões fabricados no ano passado. O grande número de caminhões produzidos pode ter impulsionado, também, a comercialização de consórcio. De acordo com a ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio), as vendas de novas cotas de consórcio cresceram 8,4%, também no primeiro trimestre deste ano. Para veículos pesados, o aumento foi de 3,7%.

A Realiza, empresa com 25 anos de atuação no mercado de consórcios, teve suas expectativas superadas ao fechar o primeiro trimestre de 2018 com crescimento de 25,3% na venda de cotas de consórcios para veículos pesados. A expectativa era de que a comercialização dessa modalidade aumentasse em 15%.  A empresa acredita que a substituição da taxa de juros e a ampliação do número de caminhões fabricados tenham alavancado as vendas de cotas de consórcios para caminhões. “Uma vez que as taxas e subsídios oferecidos pelo BNDES são menos atrativos e mais restritos, o cenário se torna favorável para o consórcio como um todo”, afirma César Augusto, Gerente Geral Comercial da Realiza.

A aquisição de caminhões através do consórcio pode ser uma boa alternativa para fugir das altas taxas de juros, conforme explica César Augusto: “o consórcio é uma ferramenta de aquisição estabelecida no Brasil, e o brasileiro começa a se preocupar com uma compra racional, utilizando-se do produto para não pagar os juros oferecidos pelos bancos e fabricantes”. Em 2017, a empresa comercializou 1500 cotas de veículos pesados, com um crescimento de 27,59% nas contemplações dos grupos, no comparativo com 2016.

PPG e Oficina HCB restauram, por completo, Ford 1934 em dois anos

por fernandosiqueira

ford modelo 1934

Ford modelo 1934

A oficina HCB, utilizando o portfólio PPG desde 1998 para repintura automotiva, transformou um modelo Ford 1934, que estava bem desgastado pelo tempo, em um carro novo após dois anos de um minucioso trabalho de restauração.

A história começou quando o proprietário do veículo, aos 17 anos de idade, ganhou o carro de presente de seu pai. Mais de quarenta anos depois, com a pintura mostrando graves sinais de deterioração, a repintura total da carroceria era a única solução encontrada para manter intacta a memória da juventude, materializada no modelo clássico da Ford.

A primeira etapa do projeto consistia na escolha da cor a ser aplicada. Foi escolhida a tonalidade vinho personalizado, mais próximo ao original encontrado, sugestão do renomado designer Chip Foose. Na sequência, a equipe da HCB fez a restauração e recuperação das peças, de modo a preservar o máximo possível o design e características originais do veículo.

Segundo Alexandre Benevides, dono e gestor da HCB e profissional que esteve à frente das atividades, essa foi a fase mais delicada do plano porque as peças precisaram ser importadas dos Estados Unidos.OK

Na sequência, houve a aplicação do wash-primer, com o intuito de proteger as peças da corrosão, procedimento muito importante para peças de carros clássicos, e correção com massa poliéster, para deixar a superfície uniforme.

A fase seguinte contemplou nova aplicação de primer, mais uma vez para uniformizar a peça e também para dar ancoragem à pintura.

Após a secagem dos primers, foi a vez da cor escolhida dar vida a pintura desse clássico, completando o processo com a aplicação do verniz. Todo o processo de pintura acontece de acordo com a fórmula secreta da HCB que, utilizando os produtos de alta tecnologia da PPG, possui um processo de pintura próprio utilizado em todos os projetos e que garante uma pintura com efeito de brilho profundo e uma restauração impecável.

Todo detalhe importa

Cada fase da restauração durou em média oito meses. “É um trabalho artesanal e criterioso, tendo como base o diagnóstico inicial da pintura, visto que há um aspecto emocional crucial envolvido, que precisa ser tão bem cuidado quanto o carro em si”, explica Benevides.

Fabrício Vieira, diretor Comercial e de Marketing em Repintura Automotiva para a PPG na América do Sul, reforça que as soluções da companhia são desenvolvidas levando esse fator em conta. “Em uma restauração automotiva, é fundamental que a oficina atenda plenamente às expectativas do cliente, pois para muitos o carro é a extensão de suas vidas”, afirma Vieira.

“O trabalho da PPG em criar produtos e processos que assegurem a qualidade de qualquer tipo de reparo, e em inovar o que já consta em seu portfólio, é contínuo e nossa contribuição para elevar o nível de qualidade do mercado”, completa o executivo.

Lançados Onix e Prisma modelos 2019 com discretas alterações

por fernandosiqueira

Preços sugeridos: R$ 48.150,00 (ONIX) e R$ 58.890,00 (PRISMA). Versões ficaram mais equipadas em segurança e tecnologia.

chevrolet-onix-1.0-lt

ONIX modelo 2019 (foto: divulgação

O automóvel ONIX, modelo campeão de comercialização do nosso País, e o PRISMA, ambos produzidos pela General Motors, ganharam a linha 2019 incorporando poucas novidades. A mais expressiva foi antecipada pelo site da fabricante. Veja, abaixo, os preços (sem opcionais) de todas as versões.

Onix

  • LT 1.0:  R$ 48.150,00 (era R$ 47.890,00)
  • LT 1.4: R$ 54.390,00 (era R$ 53.090,00)
  • Advantage 1.4: R$ 54.890,00 (era R$ 54.350,00)
  • Effect 1.4: R$ 57.590,00 (era R$ 56.950,00)
  • LTZ 1.4: R$ 58.990,00 (era R$ 58.750,00)
  • Activ 1.4: R$ 62.490,00 (era R$ 61.850,00)

Prisma

Novo-Prisma-2019-01

Prisma, modelo 2019 (FOTO: divulgação)

  • LT 1.4: R$ 58.890,00 (era R$ 57.550,00)
  • Advantage 1.4: R$ 59.590,00 (era R$ 59.090,00)
  • LTZ 1.4: R$ 63.890,00 (era R$ 63.550,00)

A configuração mais básica de ONIX e PRISMA, denominada “JOY”, não sofreu alterações.

Novidades

Volkswagen: compactos Gol e Voyage recebem face lift em suas linhas 2019

22 22Etc/GMT+3 maio 22Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

gol-2019-5

Volkswagen Gol modelo 2019 (FOTO: divulgação

Modelos herdaram desenho da pick-up Saveiro. Preços vão de R$ 44.990,00 a R$ 56.640,00.

A Volkswagen do  Brasil apresentou ontem, dia 21, a linha 2019 dos modelos GOL e VOYOGE. A principal novidade é o visual renovado, inspirado na pick-up Saveiro.

Os automóveis tiveram a linha simplificada e serão disponibilizados em versão única, sem nome, a partir do próximo mês.

PREÇOS

  • Gol 1.0:  R$ 44.990,00
  • Gol 1.6: R$ 50.780,00
  • Voyage 1.0: R$ 52.640,00
  • Voyage 1.6: R$ 56.640,00

Vale salientar, que ar-condicionado, direção hidráulica, banco do motorista com ajuste de altura, suporte para celular, vidros e travas elétricos são itens de série nos modelos.

voyage-2019-9

Volkswagen Voyage 2019 (FOTO: Divulgação)

Opcionais

O pacote Urban Completo acrescenta: rodas de liga leve de 15 polegadas, alarme, chave “canivete”, retrovisores e maçanetas na cor do veículo, grade pintada em preto, retrovisores com ajuste elétrico, sensor de estacionamento traseiro, vidros elétricos traseiros, destravamento elétrico da tampa do porta-malas, farol de neblina, lanterna traseira escurecida e coluna de direção com ajuste de altura e distância.

O kit Interatividade Media Plus: entrega central multimídia, volante multifuncional, leitor de CD e SD Card, entradas USB auxiliar e conexão Bluetooth.

Concluindo, há o pacote “Interatividade Discover Media”, que traz uma central multimídia mais completa.

Novidades

As mudanças estão concentradas na dianteira. A grade frontal ficou maior, dando a impressão de que está mais alta. O para-choque e o farol também foram redesenhados.

Além do “face lift” no visual, tanto o GOL quanto o VOYAGE ficou mais potente. O motor 1.0 de três cilindros passou de 82 cavalos de potência para 84 cavalos de potência, mesma do Novo Polo. A outra opção é o motor 1.6 de 104 cavalos de potência.

Por enquanto, os dois modelos contam, apenas, com câmbio manual de 5 velocidades. No entanto, a Volkswagen confirmou que os modelos supra citados, em breve, serão ofertados com câmbio automático de 6 velocidades.

Hamburgo instala placas e deve ser 1ª grande cidade alemã a banir carros a diesel

21 21Etc/GMT+3 maio 21Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

placascontracarrosadiesel

Por enquanto, ficarão proibidos os carros que não atendem ao conjunto de regras de emissão de poluentes chamado ‘Euro 5’.

 A cidade de Hamburgo, na Alemanha, começou a instalar esta semana aproximadamente 100 placas de trânsito para avisar que veículos movidos a diesel estão banidos de trafegar em certas ruas do centro, segundo informações da agência Reuters.

A medida deve entrar em vigor até o final deste mês e ficarão proibidos os modelos que não atendem ao conjunto de regras de emissão de poluentes chamado “Euro 5”, que foi adotado em 2009 na Europa e em 2012 no Brasil.

No entanto, a cidade ainda aguarda decisão da Justiça alemã para vetar uma quantidade ainda maior de veículos subindo a exigência para o “Euro 6”.

O Euro 6 exige níveis de poluição ainda menores e está em vigor desde 2014 na Europa (no Brasil ainda não há definição sobre o endurecimento das exigências).

As vendas de carrros movidos a diesel caíram na Europa e, mais drasticamente, nos Estados Unidos. Cidades como Paris, Madri, Atenas e Cidade do México também têm planos de banir veículos a diesel até 2025.

As fabricantes também indicam que vão reduzir e até acabar com a oferta de versões a diesel.

Diferentemente do Brasil, onde apenas pick-ups grandes e veículos pesados podem rodar com diesel, os menores carros de passeio também podem andar com o combustível na Europa.

Sábia decisão. Os carros a diesel poluem o meio ambiente, comprometendo a saúde da população das cidades.

Salão do Automóvel de São Paulo terá ingressos de R$ 20,00 a R$ 3,5 mil

19 19Etc/GMT+3 maio 19Etc/GMT+3 2018 por fernandosiqueira

salão do automóvel são paulo

Salão do Automóvel de São Paulo

Mostra acontece entre os dias 8 e 18 de novembro do ano em curso, no São Paulo Expo. Entrada mais cara inclui estadia em ‘hotel de luxo’ e traslado para o pavilhão.

Os organizadores do Salão Internacional do Automóvel 2018 divulgaram, dia 18, os preços dos ingressos para a edição deste ano, que acontece entre os dias 8 e 18 de novembro, no São Paulo Expo, o antigo Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul da cidade de São Paulo.

Os preços mais baratos foram fixados em R$ 20,00 (meia entrada para o dia de abertura), e chegam a R$ 3.500,00  (valor do bilhete Premium Experience).

Veja, abaixo, todos os valores do primeiro lote, disponíveis no site do salão.

Abertura do salão (8 de novembro)

  • R$ 20,00 (meia)
  • R$ 42,00 (inteira)

Dias de semana (9, 12, 13 e 14 de novembro)

  • R$ 30,00 (meia)
  • R$ 60,00 (inteira)

Feriado, emenda de feriado e finais de semana (10, 11, 15, 16, 17 e 18 de novembro)

  • R$ 37,00 (meia)
  • R$ 74,00 (inteira)

Além dos ingressos convencionais, há outras modalidades, confira.

Nitro: ingresso para qualquer dia do salão (1 visita)

  • R$ 130,00

Passaporte:  ingresso válido para todos os dias

  • R$ 350,00

Vip: acesso para qualquer dia, com entrada exclusiva, valet, acesso ao Lounge Vip e pulseira para o Espaço dos Sonhos (1 acesso)

  • R$ 370,00

Box Super Fã:  kit com flexibilidade de data, brindes do salão, estacionamento e entrada exclusiva (1 acesso)

  • R$ 400,00

Premium Experience: entrada para duas pessoas, com estadia em hotel de luxo, traslado para o evento em carro de luxo com motorista, acesso ao Lounge Vip e Espaço dos Sonhos

  • R$ 3.500,00