Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Fabricantes dão incentivo de até R$ 36 mil na troca de carros a diesel na Europa

20 20Etc/GMT+3 agosto 20Etc/GMT+3 2017 por fernandosiqueira

Descontos têm como objetivo incentivar a troca da frota antiga de carros a diesel, que emitem mais poluentes na atmosfera.

 

Resultado de imagem para fotos de carros a diesel na europa

Europa tenta reduzir poluição com menos carros a diesel em circulação (Foto: REUTERS/Hannibal Hanschke)

VOLKSWAGEN AG, BMW, Daimler e Opel vão oferecer incentivos financeiros de até € 10 mil (R$ 36.700,00) para os clientes trocar automóveis a diesel antigos na Europa, a fim de reduzir emissões de gases poluentes.

Recentemente, empresas e representantes governamentais se reuniram para discutir formas de melhorar os altos níveis de NOx (emissões de óxido de nitrogênio) pelos veículos a diesel.

Após a reunião, as fabricantes se comprometeram a reduzir as emissões com atualizações de softwares para os carros novos e programas de incentivo de trocas para os antigos.

As empresas do grupo VOLKSWAGEN: Audi, Skoda, Porsche, Seat e outras subsidiárias, apresentaram suas opções do programa.

A Audi, por exemplo, oferecerá descontos de até 10.000 Euros. A Porsche anunciou deduções de até 5.000 Euros.

Na VOLKSWAGEN, o abatimento pode ir de 2.000 Euros, para carros compactos, até 10.000 Euros na SUV Touareg.

A VOLKSWAGEN ainda propôs um desconto adicional de 1.000 Euros a 2.380 Euros para os compradores que optem pelos modelos híbridos, elétricos ou movidos a gás natural.

Em pronunciamento, a VOLKSWAGEN afirma que “está assumindo sua parcela de responsabilidade pelo clima e por uma mobilidade mais saudável nas ruas alemãs”.

A Daimler (proprietária da marca Mercedes-Benz), declarou que oferecerá desconto de 2.000 Euros para compradores que trocarem seus veículos a diesel por novos com emissões mais baixas, por volta do fim do ano, em todo o continente.

Compradores do carro elétrico Smart vão ter um abatimento de 1.000 Euros, afirmou um porta-voz da Daimler.

A BMW tinha anunciado, em 2016, que ia oferecer um bônus de até 2.000 Euros na troca, para clientes que escolhessem modelos novos, com emissões mais baixas.

Continental: roda com freio integrado para elétricos

por fernandosiqueira

A Continental, que em NATAL é representada pela tradicional empresa de auto peças CYRO CAVALCANTI,  desenvolveu um novo conceito de roda com freio integrado para uso em carros elétricos. A emblemática fábrica de pneus alemã apresenta no Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt (Alemanha), em setembro próximo, o New Wheel Concept (novo conceito de roda) com o objetivo de evitar a perda de eficiência dos freios pela corrosão dos discos, reduzir o peso do conjunto e aumentar sua vida útil.

No novo conjunto a roda consiste em duas peças de alumínio: o aro e os raios, estes a base para montagem dos discos de freio. A ideia permite que os discos sejam quase tão grandes quanto o espaço interno das rodas, pois não existe a pinça de freio em sua parte periférica. O disco também obtém melhor fixação e a pinça montada por dentro é de fácil remoção para troca das pastilhas. O uso de alumínio previne a ferrugem dos discos, que tende a ocorrer mais em carros elétricos e híbridos, pois em frenagens leves suas pinças não atuam (o carro desacelera pela regeneração de energia). Favorece também a redução de peso e a dissipação de calor, pois esse metal é um excelente condutor térmico.

Novos ventos, novos tempos!!

Maven, da GM, pode competir com Lyft e Uber

por fernandosiqueira

Unidade de compartilhamento e aluguel de carros da General Motors (GM) pode competir com dois de seus maiores clientes.

Resultado de imagem para fotos do maven parking da gm

A “Maven”, unidade de aluguel e compartilhamento de carros da GM (General Motors Corporation), pode competir com dois de seus maiores clientes, o Uber e a Lyft, com um ambicioso plano de expansão que pode inseri-la em serviços de transportes e entregas.

A “Maven” começou a se afastar da Lyft, na qual a GM detém uma participação de 9%, como seu próprio negócio de locação, a Gig, disseram autoridades.

Através da Gig, a “Maven” pode fornecer veículos da GM diretamente aos motoristas de aplicativos que antes os alugavam através da Lyft Express Drive e do Uber Vehicle Solutions.

Inicialmente, a “Maven” focava no compartilhamento de carros e rapidamente adicionou serviços de locação de terceiros através de Uber e Lyft.

Agora, tem parceira com serviços de entrega sob demanda da GrubHub (refeições), Instacart (mantimentos) e Roadie (encomendas), além da HopSkipDrive.

Questionada se a GM, através da “Maven”, pretende criar seu próprio serviço de entregas e viagens, a chefe da Maven, Julia Steyn, disse: “Vocês estão no caminho certo. Estamos construindo isso passo a passo”.

Embora ainda relativamente pequena em comparação com o Uber, a frota de 10.000 veículos da “Maven” forneceu 17.500.000 viagens a clientes da Lyft e Uber.

Hyundai oferece primeira revisão grátis e taxas de financiamento especias para o SUV Creta neste fim de semana

por fernandosiqueira

A Hyundai Motor Brasil promove, neste fim de semana, a segunda edição da campanha de varejo “Hyundai Creta Weekend”. Com cobertura nacional, a ação teve início sexta-feira, dia 18 de agosto e se encerra terça-feira, dia 22.

Durante a campanha, os clientes que adquirirem qualquer versão do Hyundai Creta, inclusive a novíssima Pulse Plus, terão a primeira revisão programada gratuita, que deve ser feita quando o veículo atinge a marca de 10.000 quilômetros rodados ou completa um ano. A linha de SUVs compactos também será negociada com taxas diferenciadas de financiamento, a partir de 0,69% ao mês.

“Com o sucesso do primeiro ‘Hyundai Creta Weekend’ em junho, decidimos promover uma nova edição da campanha, proporcionando a mais clientes a oportunidade de conhecer e experimentar todos os atributos de nosso SUV, em especial a versão Pulse Plus lançada nesta semana, usufruindo ainda de condições comerciais especiais”, comenta Angel Martinez, diretor-executivo de Vendas, Marketing e Pós-Venda da Hyundai Motor Brasil.

Custando R$ 89.990,00, o Hyundai Creta Pulse Plus é equipado com motor 1.6 de 130 cavalos de potência e câmbio automático de 6 velocidades, trazendo também vários itens de conforto e tecnologia, a começar pela central multimídia blueNav® com tela sensível ao toque de 7 polegadas, GPS integrado, conectividade por Google Android Auto e Apple CarPlay, e câmera de ré. Assim como nos veículos da linha HB20, o sistema é compatível com Waze via Android Auto.

O modelo chega ainda com ar-condicionado automático digital, antena de teto do tipo barbatana, faróis com acendimento automático e vidros elétricos one-touch com comandos localizados nos apoios de braço das quatro portas e abertura e fechamento automático pela chave.

SECRETÁRIO DE MOBILIDADE E TRANSPORTES DE SÃO PAULO CONHECE DUAL BUS, ÔNIBUS ELÉTRICO DESENVOLVIDO PELA ELETRA

19 19Etc/GMT+3 agosto 19Etc/GMT+3 2017 por fernandosiqueira

Iêda Alves Oliveira, da Eletra, apresenta o ônibus elétrico para o secretário Sergio Avelleda. Crédito da imagem: Daniela Reis

Sérgio Avelleda, secretário de Mobilidade e Transportes da Prefeitura de São Paulo, visitou, ontem, dia 16 de agosto, a  Eletra, primeira empresa fabricante de ônibus elétricos do Brasil, e a garagem da Metra Transportes, concessionária do Corredor Metropolitano ABD. O objetivo foi conhecer as duas empresas, suas tecnologias e linha de produtos, como o Dual Bus, ônibus elétrico de conceito inédito desenvolvido pioneiramente no Brasil com sistema padronizado de tração, que pode ser alimentado por várias fontes de energia e circular em diferentes configurações: híbrido ou trólebus e híbrido ou elétrico puro em pequenos trechos.

Recebido pela diretora da Metra, Maria Beatriz Setti Braga, e por Iêda Alves Oliveira, da Eletra e diretora da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), Sérgio Avelleda também conheceu a frota da concessionária, uma das menos poluentes do País e que conta com veículos modernos e ecológicos, sendo cerca da metade movida por diferentes combustíveis alternativos.

Durante a visita o secretário reforçou a importância da redução de emissões do transporte público da capital.  “Nós vamos incluir na licitação do transporte público metas para a progressiva redução de emissão de gases que poluem o ar de São Paulo. Vamos exigir uma redução anual de emissões. A tecnologia será uma escolha do operador”, revelou.

“A Metra é conhecida por sua frota verde, formada predominantemente por Trólebus, que não emite nenhum poluente no meio ambiente, e veículos híbridos. Também é pioneira na adoção de tecnologias sustentáveis. O início de utilização do Dual Bus reforça a nossa posição de liderança e demonstra que, com posicionamento focado na preservação ambiental, é possível oferecer um transporte público com o mais elevado padrão de excelência”, destaca Maria Beatriz Setti Braga.

Tecnologia brasileira

O Dual Bus é tracionado apenas pelo motor elétrico e a energia para mover esse motor vem de um banco de baterias e de um motor gerador – esse conjunto também tem a função de recarregar as baterias do veículo. Esse modelo de veículo elétrico híbrido funciona com as duas fontes de energia (motor gerador e baterias) operando simultaneamente. Como o motor gerador só é usado para produção de energia (e não para tracionar o ônibus), ele é menor que um motor convencional a diesel. O resultado é a diminuição de emissão de poluentes de 95% em relação à de um ônibus a diesel comum.

O modelo híbrido traz ainda a vantagem de reduzir significativamente a emissão de poluentes e pode chegar a zero na operação com o motor-gerador desligado. O consumo de combustível na versão hibrida tem redução de 28%. Como elétrico puro ou trólebus, além de emissão zero, consome 33% menos energia, pela eficiência na freenagem regenerativa.

Com 23 metros de comprimentos e a capacidade de transportar 153 passageiros, o Dual Bus não demanda investimentos em infraestrutura de recarga para as baterias, pois quando está operando como híbrido ou elétrico, as baterias também são recarregadas nas frenagens por meio de um sistema conhecido como Kers, sigla em inglês para recuperação de energia cinética. Quando o freio é acionado, o motor elétrico vira um gerador e a energia que seria desperdiçada na frenagem é reaproveitada e armazenada no banco de baterias. O ônibus pode rodar até 20 quilômetros como elétrico puro, utilizando somente a energia das baterias.

Sobre a Eletra

Criada em 1988, a Eletra lançou em 1999, o primeiro ônibus elétrico híbrido com tecnologia brasileira. Hoje, a marca está presente em 400 ônibus com tração elétrica em operação na grande São Paulo, além de cidades como Rosário, na Argentina, e Wellington, na Nova Zelândia. Somente na cidade de São Paulo foram fornecidos 220 ônibus elétricos nos últimos quatro anos. A Eletra fabrica veículos com as seguintes tecnologias:  Trólebus (rede aérea); Híbrido (grupo motor gerador + baterias); Elétrico puro (baterias); DualBus – Híbrido e Trólebus, e Dual Bus – Híbrido e Elétrico Puro.

Inédito, Volvo “XC40” chega ao Brasil em 2018 com meta de quase dobrar vendas da Volvo

por fernandosiqueira

Imagem relacionada

O Volvo “XC40”, Utilitário Esportivo compacto, será revelado globalmente em breve, e chegará ao mercado brasileiro para concorrer no segmento de luxo com BMW X1 e Audi Q3.

A Volvo Cars confirmou, dia 17, que lançará no Brasil seu inédito SUV compacto XC40 no início do próximo ano (provavelmente em março).

O modelo, que ainda será apresentado globalmente nas próximas semanas, terá a meta de quase dobrar as vendas da marca no mercado brasileiro, de 3.700 unidades este ano para 6.000 em 2018.

Desse total, 2.500 unidades, quase 40%, devem ser do XC40, estima a fabricante.

O modelo ocupará o lugar do “XC 60”,  que era o SUV mais acessível da Volvo, mas subiu de preço na nova geração.

Produzido sobre uma nova plataforma, pensada para incluir sistemas de propulsão híbridos ou 100% elétricos, o primeiro carro da “família 40” vai concorrer diretamente com BMW X1 e Audi Q3.

O concept-car 40.1, apresentado em 2016, lembra uma versão encolhida do XC-90, com a frente que se transformou em marca registrada da Volvo, inclusive com os faróis em formato de martelo de Thor.

A Volvo afirma que o lançamento do XC40 será “em breve” e que ele terá diversas opções de customização, entre cores e tecidos, com foco em jovens urbanos e antenados.

Aston Vanquish Zagato: perua e duas versões abertas

por fernandosiqueira

Aston Martin Vanquish Zagato Speedster 04

O Vanquish Zagato da Aston Martin terá quatro versões de carroceria. Depois do cupê, a marca inglesa revela os modelos abertos Volante e Speedster. Esse último será o mais exclusivo deles: 28 unidades ante 99 de cada um dos outros. A principal diferença entre os dois é que o Speedster traz dois domos na seção traseira, atrás dos encostos de cabeça, como em tradicionais carros de corrida. Ao contrário de outras versões Speedster (como as dos Porsches 356 e 911), não foi adotado um para-brisa menor, talvez porque o original fosse muito inclinado.

A quarta opção da linha Zagato (que leva o nome do estúdio italiano parceiro da Aston na remodelação do Vanquish) terá outra clássica denominação: Shooting Brake, como são conhecidas as stations wagons derivadas de carros esportivos. Mostrada ainda encoberta na única foto, ela terá duas portas, dois lugares e um amplo teto envidraçado. Toda a linha usa motor V12 aspirado de 5,9 litros com potência de 592 cavalos, para 0-100 km/h em menos de 4 segundos.

FONTE: BestCars

Coluna “ALTA RODA”. Fernando Calmon

por fernandosiqueira

DEPOIS DO INVERNO

Continua difícil prever o que acontecerá nesse segundo semestre em termos de recuperação do mercado interno de veículos (automóveis e comerciais leves representam 95% do total). Depois da boa reação de junho, julho voltou a mostrar desaceleração no ritmo de vendas diárias. Ainda assim, é provável que no balanço final do ano o crescimento supere os 4% sobre os 12 meses de 2016, previstos pela Anfavea. São números descolados do aumento do PIB (soma de
tudo que se produz no País) estimados em apenas 0,5% em relação ao ano passado.

Há algumas razões para isso. A primeira é o recuo de preços puxado pela baixa inflação, que deverá atingir apenas 3,5%, abaixo da meta de 4,5%. No caso da indústria automobilística isso ocorre de modo sutil. Além de realinhamentos de preços nominais, equipamentos agregam-se aos produtos sem mudanças nos preços sugeridos ou com acréscimos inferiores ao custo. Em termos reais, o comprador ganha, mas não é captado pelos institutos de pesquisa.

Recuo da inadimplência, em parte consequência da liberação de contas inativas do FGTS recém-concluída, refletirá em liberação de créditos para financiar automóveis neste segundo semestre. A taxa básica de juros (Selic) deverá recuar, no final do ano, para o nível mais baixo de sua história sem artificialismo. Ajudará a baixar juros do crédito ao consumidor.
Até o aumento de vendas diretas (frotistas, locadoras e outros) tem aspecto positivo. Mais pessoas procuram automóveis para trabalhar por meio de aplicativos de mobilidade urbana. Pode ocorrer um efeito negativo nas grandes cidades pela diminuição de interessados em manter carro próprio, porém nas de menor porte esse fenômeno deve demorar a surgir.

Um exemplo de que o setor automobilístico começa a se reerguer foi o 27º Congresso da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores) realizado semana passada, em São Paulo. Além do presidente da República, nomes presidenciáveis para 2018 compareceram. Aos discursos de otimismo moderado com a recuperação econômica, apesar de incertezas da crise política, somaram-se anúncios de suportes à comercialização.
Um exemplo é a chegada ao Brasil da Kelley Blue Book, plataforma importante em cotações e informações on line sobre automóveis dos EUA, aqui em parceria com o site de compra e vendas iCarros. Por sua vez, o Itaú Unibanco anunciou ter desenvolvido uma ferramenta que “exige apenas três cliques para finalizar a simulação de compra e liberar o voucher de crédito”. Todo o processo pode demorar apenas 15 minutos. Segundo Rodnei Bernardino, diretor do banco,
os preenchimentos de fichas cadastrais exigiam respostas a até 70 perguntas. Haja vontade de comprar um automóvel…

O Santander, dono do portal Webmotors, decidiu simplificar a compra e venda entre proprietários de veículos usados. Ampliação desse mercado facilitará a recuperação das vendas de carros novos aos primeiros sinais de volta da confiança e, por consequência, dos empregos. A longa série de lançamentos de modelos mais modernos e econômicos pode ser a centelha decisiva para o motor voltar a pegar depois do inverno.

RODA VIVA

DATA: este colunista completará 50 anos de jornalismo sobre automóveis em 19 de agosto. Tudo começou em 1967 no programa “Grand Prix”, da TV Tupi, Rio de Janeiro, às 12,30 horas. No banco ao lado, o parceiro Álvaro Costa Filho. Meio século de aprendizado contínuo que permanecerá enquanto leitores, ouvintes e atores desse setor assim desejarem. Obrigado a todos.
VOLKSWAGEN: ativa por 60 anos em São Bernardo do Campo (SP), unidade industrial de onde saía a Kombi abrigará produção do novo Polo. Foi totalmente modernizada com 373 robôs. Em cerimônia na fábrica, alguns Polos (só em outubro nas lojas) tinham capas na frente e na traseira. Volkswagen queria esconder pequenas mudanças estilísticas em relação ao modelo alemão.
CAPTUR: com câmbio automático CVT, supre uma lacuna com motor de 1,6 litro. Respostas ao acelerador estão mais rápidas graças à redução adicional na polia de saída e possibilidade de seleção manual de 6 marchas virtuais. Ao pisar fundo no acelerador as rotações do motor se elevam bastante e velocidade aumenta de forma lenta. Mas vai bem em acelerações progressivas.
TRANSPORTE: comboio de caminhões em estrada tende a se transformar na primeira aplicação em grande escala de condução
semiautônoma. Previsão de Reynaldo Contrera, da Wabco América do Sul, fabricante de sistemas de controle veicular.
Ganhos econômicos e, em especial, de segurança rodoviária vão estimular sua adoção relativamente rápida, inclusive no Brasil.
RESSALVA: cinco anos de garantia e três primeiras revisões gratuitas no Kwid valeram como pacote promocional de pré-
venda por cerca de 50 dias (até 2 de agosto). Agora garantia é de três anos e apenas primeira revisão, grátis. Quem financiar pelo Banco Renault ganha os três primeiros serviços de manutenção gratuitos. A fábrica não marcou o fim dessa segunda promoção.
______________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

Visualizar foto na mensagem

Auto Esporte Protótipo antecipa visual do próximo BMW Z4

por fernandosiqueira

Resultado de imagem para auto Esporte Protótipo antecipa visual do próximo BMW Z4

O protótipo serábm apresentado ao vivo pela primeira vez no próximo domingo, no Concurso de Elegância de Pebble Beach, na costa oeste dos Estados Unidos

 

A BMW mostrou, dia 17, um “conceito” que antecipa o visual da próxima geração do Z4, que ganhará formato final e lançamento em 2018.

Segundo Adrian van Hooydonk, chefe de design do grupo BMW, o roadster tem alma de esportivo e foi criado para quem busca o prazer em dirigir.

“Fazer com que o carro volte ao seu estado essencial, proporciona ao motorista uma experiência com todos os ingredientes de prazer pela condução com extrema fidelidade”, afirmou.

O protótipo será apresentado ao vivo pela primeira vez amanhã, domingo, dia 20 de agosto, no Concurso de Elegância de Pebble Beach, na costa oeste dos Estados Unidos.

MARCOPOLO EXPORTA 32 ÔNIBUS VIAGGIO 900 PARA O CATAR

por fernandosiqueira

Crédito da imagem: Douglas de Souza Melo

A Marcopolo fará a entrega de 32 novos ônibus Viaggio 900, que serão utilizados para o serviço de fretamento dos funcionários da Qatar Petroleum, uma das mais importantes empresas de petróleo de Doha, Catar, no Oriente Médio. O fornecimento será feito para QETCO, operador de transporte de serviços de fretamento naquele país.

“Estamos muito felizes por fechar mais este negócio no Catar, resultado de muito trabalho de toda a nossa equipe de exportação. Nossa meta é dar continuidade ao bem-sucedido projeto Conquest de exportação, que permitiu à Marcopolo reconquistar clientes e mercados nessa importante região”, explica Ricardo Portolan, gerente-executivo de Negócios Internacionais da Marcopolo.

Equipados com 49 poltronas do tipo Executiva, os ônibus Marcopolo Viaggio 900 proporcionam mais conforto para os passageiros e contam com vidros colados, sistema de ar-condicionado de alta capacidade e itinerário eletrônico. Com 12.500 mm de comprimento, o modelo é montado em chassi Scania K410 e equipado com computador de bordo e sistema multiplex.

Com moderno desenho, o modelo foi desenvolvido para oferecer o mais elevado padrão disponível no mercado de ônibus intermunicipais. O Marcopolo Viaggio 900 possui tecnologia de alto padrão, oferece grande conforto aos usuários e possui o menor custo operacional e fácil manutenção, com componentes e peças disponíveis em toda a rede Marcopolo.

Internamente, o Viaggio 900 conta com iluminação interna indireta mais forte e uniforme, sem perda do conforto visual. O projeto proporciona um ambiente aconchegante e ao mesmo tempo funcional, de acordo com a aplicação e o serviço.  O veículo possui ainda luzes de leitura em LEDs, saídas individuais de ventilação e teclas dos porta-focus