Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Veja os carros mais vendidos de 2016 por categoria

13 13Etc/GMT+3 janeiro 13Etc/GMT+3 2017 por fernandosiqueira

Apenas 2 segmentos tiveram alta nas vendas: esportivos e pick-ups grandes. Mesmo estando na moda, SUVs caíram pela primeira vez em 10 anos

Carros mais vendidos de 2016 por categoria (Foto: Divulgação)

Apenas 2 segmentos do mercado automotivo brasileiro registraram alta nas vendas em 2016, comparando com os dados de 2015 da Fenabrave (Federação Nacional dos Revendedores de Veículos Automotores). O número de pick-ups grandes (29,6%) e de esportivos (1,6%) vendidos no ano passado superou o dos similares comercializados em 2015.

Até os SUVs, os novos preferidos do mercado, registraram uma queda de 1,3%. Apesar de uma retração pequena, é a primeira vez em 10 anos que o número de utilitários esportivos não cresce no Brasil na comparação com o ano anterior.

Por outro lado, há categorias em que o “tombo” foi considerável. A venda de stations wagons médias caiu 44,4%, e a de sedãs grandes, 42,6%, sempre na comparação de 2016 com 2015.

Entre os segmentos mais volumosos também houve queda. Foram vendidos 29,8% menos veículos de entrada e 22,2% menos sedãs compactos. Nem as pick-ups pequenas, com a chegada de Fiat Toro e Renault Oroch, se salvaram, fechando o ano com baixa desde 39,6%.

O setor de veículos encerrou 2016 com queda de 20% nas vendas. Foram menos de 2.000.000 de unidades de automóveis e comerciais leves, contra quase 2.500.000  em 2015.

Confira, abaixo, os carros mais vendidos por categoria, segundo classificação da Fenabrave.

Ford Ka (Foto: Divulgação)Ford Ka (Foto: Divulgação)

ENTRADA
1. Ford Ka – 76.615 unidades
2. Fiat Palio – 63.996
3. Volkswagen Gol – 57.390
4. Volkswagen Up! – 38.354
5. Toyota Etios – 37.974

Depois de perder a liderança de mercado em 2015, o Palio também deixou de ser o líder entre os carros de entrada. O novo “campeão” da categoria é o Ford Ka. Destaque para o Toyota Etios, que desbancou o Fiat Uno e entrou para o ranking dos 5 mais vendidos.

Em 2016, 348.630 veículos comercializados foram do segmento de entrada. O número é 29,8% inferior ao do ano anterior.


Chevrole Onix 2017 (Foto: Divulgação)Chevrole Onix 2017 (Foto: Divulgação)

HATCH PEQUENO
1. Chevrolet Onix – 153.372 unidades
2. Hyundai HB20 – 121.616
3. Renault Sandero – 63.228
4. Volkswagen Fox /CrossFox – 43.727
5. Nissan March – 18.376

Campeão de vendas pelo 2º- ano consecutivo, o Onix também levou a melhor entre os hatchs pequenos. Apenas duas alterações. Uma delas é a inversão de posições entre Sandero e FOX. A outra é a entrada do Nissan March no ranking.

O segmento perdeu 9,8% em vendas de 2015 para 2016, caindo de 493.203 unidades para 444.871.


Fiat Punto 2017 (Foto: Divulgação)Fiat Punto 2017 (Foto: Divulgação)

HATCH MÉDIO
1. Fiat Punto – 7.709 unidades
2. Ford Focus – 6.766
3. Volkswagen Golf – 5.966
4. Chevrolet Cruze Sport6 – 3.587
5. Peugeot 308 – 2.272

Apesar de ser classificado como médio, o Fiat Punto tem porte de hatch pequeno. Considerando esta informação, o modelo lidera o segmento com pequena vantagem. Fora isso, a categoria não vive grandes novidades. A nova geração do Cruze Sport 4 começa a chegar às concessionárias Chevrolet. Por isso, as vendas devem subir apenas ao longo deste ano.

A queda do segmento de hatchs médios é uma das maiores do mercado, (39,9%). O segmento encolheu, de 54.000 unidades para pouco menos de 33.000.


Chevrolet Prisma 2017 (Foto: Divulgação)Chevrolet Prisma 2017 (Foto: Divulgação)

SEÃS PEQUENOS
1. GM Prisma- 66.337 unidades
2. Hyundai HB20S- 46.023
3. Fiat Siena- 33.478
4. Toyota Etios Sedã – 29.791
5. Volkswagen Voyage- 26.074

Assim como acontece entre os hatchs, a “dobradinha” é formada por GM e Hyundai. As versões sedã de Onix e HB20 dominam o segmento. A novidade é a entrada do Toyota Etios Sedã, que ganhou a quarta posição do Voyage. O Ford Ka+ deixa a lista.

No geral, a categoria perdeu 22,2% nas vendas em relação a 2015, e em volume, foi superada pela de SUVs.


Chevrolet Cobalt 2017 (Foto: Divulgação)Chevrolet Cobalt 2017 (Foto: Divulgação)

SEDÃS COMPACTOS
1. Chevrolet Cobalt – 22.466 unidades
2. Honda City – 15.422
3. Ford New Fiesta – 1.637
4. Lifan 530 – 817
5. Jac J3 Turin – 444

O segmento está cada vez menor, e carece de novidades. A última delas, foi a renovação do Cobalt, no final de 2015, que garantiu fôlego para o modelo tomar a liderança que era do Honda City. A categoria tem ainda dois chineses, Lifan 530 e Jac J3 Turin, ainda que os dois, somados, não chegam nem aos números de venda do terceiro colocado, Ford New Fiesta.

As vendas na categoria caíram 32,6% sobre o ano anterior.


Toyota Corolla Altis (Foto: Marcelo Brandt / G1)Toyota Corolla Altis (Foto: Marcelo Brandt / G1)

SEDÃS MÉDIOS
1.Toyota Corolla – 64.738 unidades
2. Honda Civic – 20.857
3. Chevrolet Cruze – 12.064
4. Volkswagen Jetta- 8.654
5. Nissan Sentra- 6.288

Para entender o tamanho da liderança do Corolla, basta dizer que ele vende quase a mesma quantidade que os oito modelos abaixo dele no ranking de vendas. E isso que o sedã fica devendo em itens de segurança e ainda viu a chegada de novas gerações de Civic e Cruze e re-estilização do Nissan Sentra.

O segmento praticamente acompanhou a queda do mercado, com retração de 21,5% nos emplacamentos na comparação com 2015.


BMW Série 3 2016 (Foto: Divulgação)BMW Série 3 2016 (Foto: Divulgação)

SEDÃS GRANDES
1. BMW Série 3 – 3.367 unidades
2. Mercedes-Benz Classe C – 1.523
3. Audi A4 – 907
4. Mercedes-Benz CLA – 638
5. Jaguar XE- 469

Há uma curiosidade. Ford Fusion e Mercedes Classe C aparecem tanto nesta categoria, quanto na de sedãs médios. Considerando que o porte do modelo condiz mais com esta, os dois sedãs ficariam a frente do Série 3. O Fusion teve 3.829 unidades vendidas em 2016, e o Classe C, 4.485. Isso faria dele o líder da categoria. Porém, para a Fenabrave, o campeão é o BMW Série 3, com 3.367 veículos vendidos.

O segmento apresentou a segunda maior queda do mercado, com 42,6% menos vendas do que em 2015.


Honda HR-V (Foto: André Paixão/G1)Honda HR-V (Foto: André Paixão/G1)

SUV
1. Honda HR-V – 55.758 unidades
2. Jeep Renegade – 51.375
3. Ford EcoSport – 28.105
4. Renault Duster – 25.373
5. Toyota SW4 – 12.168

Sem grandes novidades por aqui. Honda HR-V e Jeep Renegade mantiveram a supremacia de 2015. Nas demais posições, a surpresa é a Toyota SW4 ocupando a quinta colocação. Para 2017, o Jeep Compass deve entrar na briga, visto que, em dezembro de 2016, vendeu quase tanto quanto o Renegade.

Apesar de ser o segmento da moda, as vendas entre os SUVs caíram 1,3%. Ainda assim, a categoria passo a ser a terceira mais importante do mercado nacional, superando a de sedãs pequenos.


Fiat Weekend Extreme (Foto: Divulgação)Fiat Weekend Extreme (Foto: Divulgação)

SW MÉDIO
1. Fiat Weekend – 7.302 unidades
2. Vokswagen SpaceFox – 1.956
3. Volkswagen Space Cross – 545

Não houve mudanças em um segmento que tem apenas 3 modelos. A líder é a Fiat Weekend, com 7.302 carros vendidos. Bem abaixo aparece a segunda colocada, SpaceFox, seguida por sua versão “aventureira”, SpaceCross.

O segmento corre risco de desparecer em alguns anos no Brasil. Na comparação com as vendas de 2015, houve queda de 44,4%, a maior entre todas as categorias.


Volkswagen Golf Variant (Foto: Divulgação)Volkswagen Golf Variant (Foto: Divulgação)

SW GRANDE
1. Volkswagen Golf Variant – 981 unidades
2. Volvo V60 – 127
3. Audi A4 Avant – 86
4. Audi A6 Allroad – 18

A station wagon do Golf continua “sobrando” entre as stations maiores. Ela vendeu quase 8 vezes mais do que a segunda colocada, Volvo V60, que por sinal, tomou o posto da Audi A4 Avant. O modelo alemão ganhou uma nova geração, e deve ter resultados melhores em 2017.

Curiosamente, o segmento de station wagons grandes foi um dos que menos caiu no ano, com retração de 6,8%. Porém, a categoria é também uma das menores de nosso mercado. Somados, os 4 modelos venderam pouco mais de 1,2 mil unidades.


Honda Fit 2017 (Foto: Divulgação)Honda Fit 2017 (Foto: Divulgação)

MONOCAB
1. Honda Fit – 28.439 unidades
2. Fiat Doblò- 6.355
3. Fiat Idea – 3.054
4. Kia Picanto – 1.878
5. Suzuki S-Cross – 991

O Honda Fit continua carregando a categoria nas “costas”, vendendo o dobro de todos os concorrentes juntos. Da lista, o Fiat Idea saiu de linha, e deve desaparecer da lista ao longo de 2017. Por outro lado, o S-Cross aparece em quinto lugar.

Ao todo, a categoria emplacou 38,5% a menos do que em 2015.


Chevrolet Spin (Foto: Divulgação/Fábio Gonzalez)Chevrolet Spin (Foto: Divulgação/Fábio Gonzalez)

GRANDCAB
1. GM Spin – 22.982 unidades
2. Citroën C4 Picasso – 218
3. Kia Carnival – 101
4. Jac J6 – 58

O domínio do Spin na categoria é ainda maior do que o do Fit na Monocab. A minivan da GM vende 60 vezes mais do que todas as rivais somadas. A Citroën C4 Picasso voltou a aparecer entre os mais vendidos. Quem saiu da lista foi a Chrysler Town & Country, que deve ser substituída em 2017 pela Pacifica.

A queda nas vendas da categoria foi de 16,1% sobre 2015.


Chevrolet Camaro (Foto: Divulgação)Chevrolet Camaro (Foto: Divulgação)

SPORTS
1. Chevrolet Camaro – 478 unidades
2. Audi TT – 401
3. Porsche 911 – 115
4. Porsche Boxster – 112
5. BMW Z4 e Mercedes SLC – 67 cada

Como nova geração, o Chevrolet Camaro fechou mais um ano confortável na liderança entre os esportivos. A lista ainda tem dois carros da Porsche, o 911 e o Boxster, ambos renovados recentemente. Por fim, dois concorrentes diretos dividem a quinta colocação: BMW Z4 e Mercedes SLC.

O segmento de esportivos foi um dos poucos que registraram alta nas vendas. O volume em 2016 foi 16,3% superior do de 2015.


Fiat Strada 2017 (Foto: Divulgação)Fiat Strada 2017 (Foto: Divulgação)

PICK-UPS PEQUENAS
1. Fiat Strada – 59.443 unidades
2. Volkswagen Saveiro – 33.950
3. Chevrolet Montana – 14.768

As vendas da Strada sofreram uma queda consideravelmente. Ainda assim, a pick-up fechou mais um ano como líder do segmento. Sem novidades nas demais posições: Saveiro em segundo e Montana em terceiro.

O segmento foi o que mais caiu em 2016, com retração de 39,6% nas vendas, na comparação com 2015.


A caminhonete Fiat Toro é apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)A pick-up Fiat Toro é apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)

PICK-UPS GRANDES
1. Fiat Toro – 41.283 unidades
2. Toyota Hilux – 34.031
3. Chevrolet S10 – 26.558
4. Ford Ranger – 15.812
5. Renault Oroch – 14.245

As 5 pick-ups mais vendidas do Brasil sofreram alterações nos últimos meses. Além disso, a líder, Fiat Toro e a 5ª colocada, Renault Oroch, são estreantes. Fora isso, a Hilux vendeu mais do que a S10.

Com tantas novidades, a categoria das pick-ups grandes teve o maior crescimento do mercado nacional, com acréscimo de 29,6% no volume.


Renault Master (Foto: Divulgação)Renault Master (Foto: Divulgação)

FURGÕES
1. Renault Master – 6.383 unidades
2. Hyundai HR – 4.310
3. Fiat Ducato – 2.902
4. Iveco Daily – 1.826
5. Kia K2500 – 1.372

A Master mantém a liderança desde 2014, ano em que a Kombi saiu de linha. A Fiat Ducato, atual terceira colocada, deve cair no ranking, visto que a Fiat confirmou o fim da produção em Sete Lagoas (MG).

As vendas da categoria, no entanto, amargaram queda de 29,3% sobre o ano anterior.


Fiat Fiorino 2014 (Foto: Divulgação)Fiat Fiorino 2014 (Foto: Divulgação)

FURGÕES PEQUENOS
1. Fiat Fiorino – 9.760 unidades
2. Renault Kangoo – 1.842
3. Fiat Doblò Cargo – 1.155
4. Peugeot Partner – 350

A única mudança em relação a 2015 é a volta da Peugeot Partner, que tomou o lugar do Uno Furgão. As vendas foram 36,2% menores do que no ano anterior.

FONTE: Auto Esporte (G1)

Jeep “Compass” lidera segmento de SUVs em 2017

por fernandosiqueira

Resultado de imagem para fotos do compass

Com preço de entrada fixado em R$ 99.990,00, o Jeep “Compass” se mostra um dos lançamentos com largada mais bem sucedida dos últimos anos. Nas concessionárias desde novembro de 2016, o utilitário-esportivo liderou seu segmento, o de médios, nos dois últimos meses do ano passado. Este ano, ele foi além: vende mais que todos os outros carros com esse tipo de carroceria, inclusive os compactos (cujas tabelas, em geral, partem da casa dos R$ 70.000,00.

Autos & Motores previu esse sucesso, no dia que o veículo da Jeep foi lançado em Recife (PE). Estivemos presentes ao evento.

O modelo produzido em Goiana (PE) registrou, de 1º a 11 de janeiro de 2017, 1.141 emplacamentos, conquistando parcela de 14,4% de todo o segmento de SUVs. Foram 155 unidades a mais que o segundo colocado, o Honda HR-V (986 exemplares vendidos em 11 dias).

O Renegade, outro Jeep fabricado em Goiana, foi o terceiro mais emplacado da categoria no período, com 958 emplacamentos, seguido por Ford EcoSport (732) e Nissan Kicks (642).

Na comparação apenas com os SUVs médios, a vantagem do “Compass” é ampla. O segundo mais vendido, Hyundai ix35, teve 248 emplacamentos nos primeiros 11 dias do mês. O GLA, da Mercedes-Benz, segundo colocado, ficou com 101 exemplares vendidos.

NOVIDADE

No sábado (14), a Hyundai inicia as vendas do CRETA, SUV compacto que vem para desafiar HR-V e Renegade.

A marca promoverá ação com exemplares para avaliação em 200 concessionárias do País.

GALERIA: CARROS QUE HUMILHARAM A CONCORRÊNCIA EM 2016


  • Em 2016, alguns carros fizeram tanto sucesso em seus segmentos que deixaram pouquíssimo espaço para a concorrência. O utilitário da Toyota é um exemplo. Seus 12.168 emplacamentos superam a soma de todos os outros SUVs grandes juntos. Além disso, garantiram ao modelo argentino o quinto lugar no ranking que considera todos os SUVs. Mesmo partindo de mais de R$ 150.125, ele só ficou atrás de alguns compactos, que partem de cerca de R$ 70 mil.

    Crédito: Daniel Teixeira/Estadão

  • FONTE: Jornal do Carro

Designer cria projeção do Audi Q8, futuro rival do BMW X6

12 12Etc/GMT+3 janeiro 12Etc/GMT+3 2017 por fernandosiqueira

A principal atração da Audi no Salão Internacional do Automóvel de Detroit (Estados Unidos) é o concept-car “Q8”, veículo que antecipa o futuro Utilitário-Esportivo da marca para concorrer com BMW X6 e Mercedes-Benz GLE Coupé. Aproveitando algumas informações e imagens, o designer X-Tomi criou uma projeção da versão de produção do modelo.

Apesar de mais conservadora, a projeção mantém o perfil agressivo do conceito, utilizando alguns detalhes dos modelos atuais da Audi. Vale lembrar que o conceito apresentado é equipado com propulsão híbrida, que combina o bloco 3.0 V6 com compressor mecânico do Q7 com um motor elétrico. O conjunto gera 443 cavalos de potência e  71 kgfm de torque, suficientes para levar o “Q8” aos 100 km/h em 5,4 segundos. O câmbio é automático de 8 velocidades.

Segundo a Audi, o modelo será capaz de percorrer até 42,5 quilômetros com um litro de gasolina no modo híbrido ou viajar 60 quilômetros utilizando apenas a eletricidade.

Projeção: X-Tomi

Renault “Clio” sai de linha após 20 anos

por fernandosiqueira

Fiat não comercializa mais Idea, Bravo, Linea, Freeemont e Palio Fire. Além deles, Ford Fiesta Sedã deixa de ser oferecido temporariamente

Renault Clio 2002 (Foto: Divulgação)

Renault CLIO modelo 2002.

O Renault “CLIO” saiu de linha no Brasil depois de 20 anos de produção. O compacto não aparece mais no site da marca francesa. Em dezembro, foram apenas 43 unidades emplacadas. Antes disso, em outubro, o modelo teve a produção encerrada na fábrica de Córdoba, na Argentina. As unidades vendidas desde então, estavam no estoque da empresa.

O “CLIO” será substituído pelo subcompacto Kwid, um mini SUV. O novato, no entanto, só começa a ser vendido no 2º semestre deste ano.

Até lá, o carro de entrada da fabricante no Brasil será o Sandero, que tem preço a partir de R$ 42.400,00. O “CLIO” era oferecido comercializado por R$ 34.985,00.

Interior do Renault Clio 2003 - compacto já tinha airbags na época (Foto: Divulgação)Interior do Renault Clio 2003 (Foto: Divulgação)
A chegada do Renault “CLIO” ao Brasil foi em 1996, na primeira geração, ainda como carro importado. Três anos depois, em 1999, ele ganhou nova geração, e passou a ser produzido em São José dos Pinhais (PR).

Na época, era mais moderno do que seus rivais, e oferecia itens como airbags em todas as versões, muito antes de a legislação exigir o equipamento.

Em 2007, sem tanto fôlego, teve a produção enviada para a Argentina, de onde saíram quase 550.000 unidades desde então.

De lá até esta parte, o carrinho foi “empobrecido”, em processo contrário ao que sofreu o “CLIO” europeu, que cresceu e ganhou novas gerações.

À medida que a concorrência se modernizou (e o “CLIO” não), a Renault deixou o hatch cada vez mais despojado de equipamentos, fazendo dele um forte competidor em preço de compra. No final de sua trajetória, era vendido em versão única, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos e motor 1.0 de 77 cavalos de potencia.

Renault Clio europeu  (Foto: Divulgação)Renault Clio europeu (Foto: Divulgação)
Outros modelos
A Ford suspendeu temporariamente as vendas do Fiesta Sedan. Diferente do que acontece com o hatch, feito em São Bernardo do Campo (SP), o sedã é produzido no México e chega por importação.

A marca não explicou a decisão, e também não informou a previsão de normalização da venda do modelo. Em nota, a Ford disse: “Temporariamente não estamos oferecendo esta versão no nosso site de configurador. Em breve reiniciaremos o fornecimento regular do New Fiesta Sedan no nosso portfólio de produtos.”

As vendas tímidas do modelo podem explicar a decisão. Em dezembro foram apenas 40 unidades emplacadas – resultando em um ano com 1.637 Fiesta Sedan vendidos. O valor é inferior ao que o “irmão” Fiesta hatch vendeu apenas em dezembro – 1.712 carros.

Ford New Fiesta Sedan 2014 (Foto: Divulgação)Ford New Fiesta Sedan (Foto: Divulgação)

Já a Fiat tirou de sua gama 5 modelos. Além do Palio Fire, oferecido apenas para vendas diretas, Idea, Bravo, Linea e Freemont não serão mais disponibilizados ao público.

Veja o histórico de cada carro:

Fiat Palio Fire (Foto: Divulgação)Fiat Palio Fire (Foto: Divulgação)

Palio Fire: o modelo era o mais barato da Fiat e um dos mais em conta do país. O compacto era, na verdade, a reedição da geração de 2004, que conviveu com as gerações futuras. Era vendido apenas com motor 1.0 de 75 cv.

Fiat Freemont (Foto: Divulgação)Fiat Freemont (Foto: Divulgação)

Freemont: o crossover chegava ao Brasil importado do México, e teve vendas fracas em 2016. Tanto que nem aparece na lista dos 40 SUVs mais comercializados no ano. O último colocado, com 674 unidades, é o Dodge Journey, curiosamente o “irmão” do Freemont – os dois modelos são praticamente idênticos, com diferenças no motor e equipamentos.

Idea Weekend Extreme (Foto: Divulgação)Idea Weekend Extreme (Foto: Divulgação)

Idea: a minivan foi lançada no Brasil em 2005, e passou por uma reestilização cinco anos depois. No entanto, com o crescimento do segmento de SUVs, perdeu terreno como veículo familiar. Em 2016, foram apenas 3.054 unidades vendidas, contra 27.836 em 2009, seu melhor ano.

Fiat Bravo (Foto: Divulgação)Fiat Bravo (Foto: Divulgação)

Bravo: Junto com o Linea, teve a produção encerrada no meio do ano passado, em Betim (MG). De lá pra cá, a marca vinha vendendo unidades estocadas do hatch médio, lançado em 2011. No último mês de 2016, foram só 92 hatches emplacados, somando menos de 2 mil unidades em 2016 inteiro.

Fiat Linea 2015 (Foto: Divulgação)Fiat Linea 2015 (Foto: Divulgação)

Linea: o sedã médio chegou em 2008 ao Brasil prometendo concorrência acirrada com os japoneses Toyota Corolla e Honda Civic. Mas nunca conseguiu alcançar o ambicioso objetivo. Com estoques baixos, teve apenas 14 veículos vendidos ao longo de dezembro de 2016.

O encerramento da produção de Linea, Bravo e Idea tem como uma das causas e abertura de espaço na fábrica mineira para a fabricação do X6H, hatch que ocupará parte do espaço deixado pelo Bravo.

Citroën não venderá mais a linha “DS” no Brasil

por fernandosiqueira

DS 3 era vendido na rede Citroën por R$ 92.900,00

A Citroën comunicou aos seus concessionários que não irá mais comercializar a linha DS no Brasil. Segundo a marca, o motivo é o elevado valor dos modelos DS, a independência mundial da marca DS, a ausência de compra pela Rede de Concessionários e ausência de Market Share.

Em comunicado oficial, a marca informa que irá interromper, descontinuar e cancelar a importação dos modelo DS por prazo indeterminado. Os revendedores que tiverem interesse em fazer pedidos da linha premium terão até o dia 6 de fevereiro para efetuar os pedidos.

DS 4 tinha preço sugerido de R$ 102.900,00

A Citroën ainda informou aos seus concessionários que, caso haja algum modelo DS em estoque na Rede de Concessionários, a marca está à disposição para recompra ou eventual ação comercial.

A marca também orientou aos seus revendedores que apesar da interrupção, a rede é obrigada a continuar a prestando os serviços de garantia e pós-vendas de referidos produtos.

Atualmente, a marca comercializava os modelos DS 3, DS 4 e DS 5.

Veja 50 modelos esperados para este ano

por fernandosiqueira

Mais uma vez, Utilitários-Esportivos serão destaque no mercado nacional. Também há importantes novidades nos segmentos de compactos e sedãs

Após as quedas consecutivas nas vendas desde 2014, as fábricas de automóveis instaladas no Brasil  estão mais um pouco mais otimistas este ano.

Ainda cautelosas, elas esperam que 2017 represente a retomada do crescimento das vendas.

Ainda assim, o volume de lançamentos deve ser menor do que em 2016.

A tendência, no entanto, não mudou de 2015 pra cá, quando começaram a “brotar” SUVs em todas as faixas de preço. Este ano, são pelo menos 20 novidades, com destaque para mudanças profundas no Chevrolet Tracker e no EcoSport, além da chegada de importantes competidores, como o Creta, o Renault Captur e Honda WR-V.

Mas não só de SUVs viverá o Brasil. A Fiat promete duas novidades – hatch e sedã, substitutos de Punto, Bravo e Linea.A Volkswagen vai apostar na reestilização do Up!, enquanto a Renault lança o Kwid, substituto do CLIO.

Também há esportivos, como o R8 Spyder, o Mercedes-AMG GT R e o tão esperado Ford Mustang.

São mais de 50 novidades para este ano, senão vejamos

AUDI

A3 Sedan – reestilização leve

Audi A3 Sedan será reestilizado (Foto: Divulgação)Audi A3 Sedan será reestilizado já em janeiro (Foto: Divulgação)

Já estão sendo produzidas em São José dos Pinhais (PR) as primeiras unidades do A3 Sedan com visual atualizado. Ele deve estrar ainda em janeiro, e é preciso atenção para notar as diferenças. Os faróis ganharam um recorte mais definido na parte inferior, enquanto a grade agora é hexagonal. Para-choques são novos e as lanternas passam a ter nova disposição das luzes. As motorizações – 1.4 e 2.0, sempre turbo, não mudam. Leia mais

A5 Sportback e Cabriolet – nova geração

Audi A5 Sportback (Foto: Divulgação)Audi A5 Sportback (Foto: Divulgação)

Praticamente todos os modelos importados da Audi que passaram por atualização no exterior devem chegar ao Brasil. O A5 é um deles, logo no primeiro semestre. E em duas carrocerias – sedã e cabriolet. Segundo a Audi, os modelos estão até 17% mais econômicos. As versões escolhidas devem ser as 2.0 turbo, com 190 cavalos ou 252 cv. Leia mais

Q5 – nova geração

Audi Q5, apresentado no Salão de Paris (Foto: Divulgação)Audi Q5, apresentado no Salão de Paris (Foto: Divulgação)

A nova geração do Q5 foi o principal lançamento da Audi no Salão de Paris. O SUV desembarca por aqui trazendo traços de seus dois “irmãos”, Q3 e Q7. A grade tem as bordas mais largas do que nos veículos de passeio da Audi, enquanto as lanternas lembram as do Q7. O novo Q5 deve chegar com motor 2.0 turbo de 252 cv e tração nas quatro rodas. Leia mais

R8 Spyder – nova geração

Audi R8 Spyder (Foto: Divulgação)Audi R8 Spyder (Foto: Divulgação)

A opção conversível do superesportivo chega ao Brasil com motor V10 de 540 cv – curiosamente é menos potente do que o cupê, com seus 610 cv da versão Plus. Ainda assim, tem números de desempenho pra lá de satisfatórios. Acelera de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos e alcança 318 km/h de velocidade máxima. Seu preço deve ficar acima de R$ 1 milhão.

RS 5 – nova geração
O último lançamento da Audi em 2017 deve ser o RS 5. O modelo sequer foi apresentado no exterior, e pouco se sabe sobre especificações. A versão mais esportiva terá carroceria cupê, e já roda em testes na Europa. Sites locais dizem que ele terá um novo motor V6 de 3 litros, com potência na casa dos 480 cv.

S4 – nova geração

Audi S4 (Foto: Divulgação)Audi S4 (Foto: Divulgação)

Apesar do visual “comportado”, a Audi lançará no Brasil uma versão com mais “tempero” de seu sedã. O S4 tem sob o capô um V6 de 3 litros sobrealimentado. São 354 cv e mais de 50 kgfm de torque. O resultado é uma aceleração de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos, com máxima limitada em 250 km/h. Na comparação com o A4 “convencional”, há 4 saídas de escape e detalhes cromados, como nas capas de retrovisores e no difusor traseiro.

S5 – nova geração

Audi S5  (Foto: Divulgação)Audi S5 (Foto: Divulgação)

Versão mais nervosa da linha até então (a RS 5 de nova geração ainda não foi lançada), o S5 traz o elegante visual da nova geração – sem esquecer da pegada esportiva. O sedã é empurrado por um V6 turbo, que desenvolve 354 cv – mesmo conjunto do S4. A tração é integral, e o câmbio, automático de 8 marchas. Segundo números de fábrica, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 4,7 segundos. Leia mais

 

TT RS – nova geração

Audi TT RS 2016 (Foto: Divulgação)Audi TT RS 2016 (Foto: Divulgação)

A família do TT ficará completa em 2017 com a chegada das versões RS. Tanto cupê como conversível trazem o mesmo motor 2.5 de cinco cilindros do RS 3, mas reprogramado para ficar ainda mais potente. São 400 cv e 49 kgfm de torque, contra 367 cv do RS 3. De acordo com os números da Audi, o TT RS Coupé é capaz de ir de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos, tempo melhor do que o de um Porsche 911 Carrera 4S. O preço certamente será superior aos R$ 350 mil.


BMW

Série 5 – nova geração

Novo BMW Série 5 (Foto: Divulgação)Novo BMW Série 5 (Foto: Divulgação)

O sedã alemão teve um salto tecnológico em várias áreas. O Série 5 está até 100 kg mais leve, ganhou comandos da central multimídia por gestos, faróis adaptativos de LED e até sistema semi-autônomo, que praticamente dirige o carro sozinho até 210 km/h. O desenho também evoluiu, e agora está mais parecido com o irmão maior, Série 7. Chega para concorrer com outro rival tecnológico, o Mercedes-Benz Classe E. Leia mais


CHERY

Tiggo 2 – modelo inédito

Tiggo 2 é exposto pela Chery no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)Tiggo 2 é exposto pela Chery no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)

O Tiggo 2 é o próximo Chery nacional. A unidade de Jacareí (SP) deve começar a produção do SUV compacto ainda no primeiro semestre. Ele será posicionado abaixo de Honda WR-V, Ford EcoSport e Renault Duster, na entrada do segmento, e será equipado com motor 1.5 e câmbio manual de 5 marchas. O Tiggo 2 é um passo adiante em design na comparação com o Tiggo vendido atualmente no país. Leia mais

Arrizo 5 – modelo inédito

Chery Arrizo 5 (Foto: Flavio Moraes / G1)Chery Arrizo 5 (Foto: Flavio Moraes / G1)

O Arrizo 5 é outra aposta da Chery. Menos badalado do que o Tiggo 2, ele também deve ser montado no Brasil, só que mais para o final do ano. Antes disso, chega importado da China, recheado de equipamentos. Há sistema start-stop, teto solar, controle de estabilidade, luzes de LED e tela multimídia de 7 polegadas. Leia mais


CHEVROLET

Equinox – modelo inédito

Chevrolet Equinox (Foto: Divulgação)Chevrolet Equinox (Foto: Divulgação)

A GM confirmou que lançará um novo modelo no Brasil em 2017, inclusive com novo nome. O candidato mais cotado é o SUV Equinox, que chegaria para substituir a já cansada Captiva, em linha sem grandes mudanças desde 2008. A produção do novo modelo deve ser na mesma fábrica da Captiva, em Ramos Arizpe, no México. Inclusive, existe a especulação de que a Captiva nem seja mais produzida. Leia mais

Tracker – reestilização profunda

Chevrolet Tracker 2017 (Foto: Divulgação)Chevrolet Tracker 2017 (Foto: Divulgação)

O Tracker já foi apresentado ao público brasileiro, teve os preços confirmados, mas só chegará às lojas no início de 2017. É o primeiro lançamento da Chevrolet no ano. Além dele e o Equinox, as outras novidades devem ser séries especiais de modelos já existentes, além da chegada de uma nova transmissão automática – ainda sem confirmação para modelos. Leia mais


CHRYSLER

Pacifica – modelo inédito

Chrysler Pacifica (Foto: Divulgação)Chrysler Pacifica (Foto: Divulgação)

Apesar de ainda aparecer no site da Chrysler do Brasil, a Town & Country saiu de linha. E a substituta, Pacifica, ainda deve demorar para chegar. A expectativa é de que a nova van chegue ao país no segundo semestre – isso se o câmbio for favorável. Ela traz motor V6 de 3.6 litros e 291 cv. O câmbio é automático de 8 marchas e há uma versão híbrida.


CITROËN

C4 Picasso – reestilização leve

Citroën C4 Picasso reestilizado no Salão de SP 2016 (Foto: Peter Fussy/G1)Citroën C4 Picasso reestilizado no Salão de SP 2016 (Foto: Peter Fussy/G1)

Pouco mais de um ano depois de ter sido lançada no Brasil, a minivan C4 Picasso ganha a primeira reestilização. O modelo já teve os preços revelados no Salão do Automóvel, mas começa a ser entregue apenas no começo de 2017. São duas versões: Seduction, de R$ 118,9 mil e Intensive, de R$ 125,9 mil. Ambas contam com motor 1.6 turbo de 165 cv. Leia mais

Grand C4 Picasso – reestilização leve

Citroën Grand C4 Picasso (Foto: Divulgação)Citroën Grand C4 Picasso (Foto: Divulgação)

A mesma situação do C4 Picasso vale para a opção maior, de sete passageiros, chamada de Grand C4 Picasso. O modelo esteve no Salão do Automóvel, com as leves alterações. Mudam para-choques e lanternas. Também é oferecido nas versões Seduction, de R$ 128,9 mil e Intensive, de R$ 135,9 mil, sempre com o 1.6 turbo de 165 cv. Leia mais


FIAT

Mobi dualogic – nova versão

Fiat Mobi Drive 1.0 3 cilindros (Foto: Divulgação)Fiat Mobi Drive 1.0 3 cilindros (Foto: Divulgação)

Além do motor 1.0 de três cilindros da família Firefly, o menor Fiat à venda no Brasil também receberá a caixa automatizada Dualogic. Esta será mais uma frente na qual o subcompacto irá concorrer com o Volkswagen Up, que desde 2014 tem uma versão I-Motion, de mesma concepção. Se o câmbio se comportar no Mobi da mesma forma que no Uno, será uma opção interessante para o segmento de entrada. Leia mais

X6H – modelo inédito

'Mula' do Fiat X6H rodando em São Paulo (Foto: André Paixão/G1)‘Mula’ do Fiat X6H rodando em São Paulo (Foto: André Paixão/G1)

Sem dar maiores pistas, a Fiat anunciou dois novos carros para 2017. Um deles é a nova geração do Punto, cujo projeto tem o código X6H. Ainda não está definido se este será o nome final.

Certo mesmo é que a produção será na fábrica de Betim (MG), que se prepara há meses para a novidade. Inclusive já há unidades rodando em teste, como esta da foto, que traz componentes visuais de outros carros, chamado de “mula”. Leia mais

X6S – modelo inédito
O outro membro da família do “novo Punto” é um sedã. Mas ele não sairá de Betim. O modelo, que irá substituir Grand Siena e Linea, será feito em Córdoba, na Argentina, onde a Fiat injetou US$ 500 milhões. Como faz parte da mesma linha de produto, o sedã tem codinome X6S, a última letra caracteriza o tipo de carroceria. Leia mais


FORD

EcoSport – reestilização profunda

Ford EcoSport antes e depois da reestilização (Foto: Divulgação)Ford EcoSport antes e depois da reestilização (Foto: Divulgação)

A Ford americana “furou” a filial brasileira e mostrou no Salão de Los Angeles a primeira reestilização desta geração do EcoSport. Com visual à la Edge, o SUV compacto só começa a ser vendido por lá em 2018. Bem antes disso, já no ano que vem, ele será lançado no Brasil. Promete melhorias no acabamento interno e novas opções de motor – um 1.5 de três cilindros da família Dragon. Leia mais

Ka Trail – nova versão

Ford Ka Trail, versão 'aventureira' do hatch (Foto: André Paixão/G1)Ford Ka Trail, versão ‘aventureira’ do hatch (Foto: André Paixão/G1)

Confirmado no Salão do Automóvel, o Ka com visual aventureiro chega como uma nova versão. Poderá receber motores 1.0 e 1.5, e tem como maiores alterações rodas, maçanetas, retrovisores e rack de teto na cor cinza e grafismos especiais na carroceria. A Ford ainda não confirmou como era nova opção será posicionada na linha.

Mustang – modelo inédito

Ford Mustang Shelby no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)Ford Mustang Shelby no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)

Após várias aparições a passeio no Salão de São Paulo, o Mustang finalmente foi confirmado pela Ford. As vendas do esportivo começam no final de 2017, mas sequer há versões confirmadas ou uma estimativa de faixa de preços. Seguindo a lógica do concorrente, o Chevrolet Camaro, o Mustang favorito para desembarcar no Brasil é o GT com motor V8 de 5 litros e 435 cv. Leia mais


HONDA

WR-V – modelo inédito

Honda WR-V (Foto: Flavio Moraes/G1)Honda WR-V (Foto: Flavio Moraes/G1)

A Honda não quer se contentar apenas com as boas vendas do HR-V, e vai aumentar a linha de SUVs em 2017. Apesar do nome parecido, o WR-V traz grandes semelhanças mesmo é com o Fit. Mesmo que a Honda fale que o modelo não é um “Fitão”, basta olhar para a lateral dos dois carros e comparar.

A marca japonesa não deu maiores informações, e disse apenas que o WR-V chega no primeiro semestre. Considerando preços de Fit e HR-V, o novo Honda deve ter preços entre R$ 70 mil e R$ 85 mil. Leia mais

HR-V Touring – nova versão

Honda HR-V Touring (Foto: Divulgação)Honda HR-V Touring (Foto: Divulgação)

O líder do segmento de SUVs no Brasil ganhará uma nova versão topo de linha em março. Chamada de Touring, ela corrige o problema da falta de alguns itens presentes na concorrência, como os sensores de luz e ré, retrovisor interno antiofuscante, faróis de LED e airbags de cortina. Tendo em vista que a versão EXL custa R$ 101,4 mil, a Touring pode beirar os R$ 110 mil, se tornando pouco competitivo diante dos novos rivais.

CR-V – nova geração

Novo Honda CR-V (Foto: Divulgação)Novo Honda CR-V (Foto: Divulgação)

Maior SUV da Honda no Brasil, o CR-V deve chegar renovado no final do ano. A marca ainda não confirma, mas considerando que as vendas nos Estados Unidos já começaram, a tendência é que o modelo desembarque por aqui meses depois. Pela primeira vez, o CR-V será oferecido com motor turbo – a Honda escolheu um 1.5 de 192 cv. Só não se sabe se este propulsor estará disponível no Brasil, ou se a empresa irá manter o 2.0 aspirado de 155 cv. Leia mais


HYUNDAI

Creta – modelo inédito

Hyundai Creta brasileiro tem visual exclusivo, com grade e para-choque redesenhados (Foto: André Paixão/G1)Hyundai Creta brasileiro tem visual exclusivo, com grade e para-choque redesenhados (Foto: André Paixão/G1)

O Creta, maior aposta da Hyundai no Brasil desde o HB20 também deve representar a maior ameaça ao reinado da dupla Honda HR-V e Jeep Renegade na categoria dos SUVs compactos. As vendas começam em janeiro, e a oferta de versões, com preços entre R$ 73 mil e R$ 100 mil, deve ser um ponto positivo. Leia mais

i30 – nova geração

Novo Hyundai i30 (Foto: Luciana de Oliveira/G1)Novo Hyundai i30 (Foto: Luciana de Oliveira/G1)

A nova geração do hatch médio deve chegar à Europa nos próximos meses. E pode aparecer no Brasil ainda em 2017. De acordo com Márcio Alfonso, diretor de engenharia da Caoa, que vende os modelos importados da Hyundai por aqui, o i30 será homologado para o mercado brasileiro. Resta saber se a marca irá apostar em motores turbo, como vai fazer no Tucson. Leia mais


JAC

T3 – modelo inédito

Jac S2 é o futuro T3, que deve ser fabricado no Brasil (Foto: Divulgação)Jac S2 é o futuro T3, que deve ser fabricado no Brasil (Foto: Divulgação)

A principal aposta da Jac para 2017 é um SUV compacto. A faixa de preços, no entanto, será a mesma de hatches com visual aventureiro, como Renault Sandero Stepway e Chevrolet Onix Activ. Ele terá o mesmo motor 1.5 de 127 cv do T5, e opções de câmbio manual de 5 marchas ou CVT. Deve ser um dos Jac montados no Brasil, em Camaçari (BA).


KIA

Rio – modelo inédito

Kia Rio (Foto: Divulgação)Kia Rio (Foto: Divulgação)

Depois de algumas promessas, o Rio finalmente deve chegar ao Brasil. A produção no México, que não paga imposto de importação, facilitará a vida do compacto, primo do Hyundai HB20. Ele deve ser lançado no segundo semestre, já com o novo visual e motor 1.6 de 126 cv.

KX3 – modelo inédito

Novo Kia KX3, SUV compacto da marca coreana (Foto: Divulgação)Novo Kia KX3, SUV compacto da marca coreana (Foto: Divulgação)

A chegada do KX3 atrasou, e o SUV compacto, deve desembarcar no Brasil apenas em 2017 – e ainda assim, mais para o final do ano. Ele tem 4,26 m de comprimento, 2,59 m de entre-eixos e, na versão conceitual, foi apresentado com motor 1.6 turbo. O nome final ainda não está definido.


LAND ROVER

Discovery – nova geração

Land Rover Discovery (Foto: Flavio Moraes/G1)Land Rover Discovery (Foto: Flavio Moraes/G1)

A nova geração do Discovery mudou completamente. Já no nome, não há mais um número que identifica a geração (esta é a quinta). O visual é totalmente novo, e abandona os clássicos faróis quadrados, característicos desde o primeiro modelo. E em termos de tecnologia, há uma série de novidades, como o controle dos bancos por meio de um aplicativo de smartphone. Leia mais


LIFAN

X60 – reestilização leve

Lifan X60 reestilizado, apresentado no Salão de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes / G1)Lifan X60 reestilizado, apresentado no Salão de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes / G1)

Chinês mais vendido do Brasil, o X60 passa por mais um facelift, e além do visual atualizado, ganha a opção de câmbio automático do tipo CVT. A Lifan ainda não definiu mês de lançamento e preço, mas ele deve custar cerca de R$ 75 mil. O motor 1.8 de 128 cv não sofre alterações.


MERCEDES-BENZ

E Coupé – nova geração

Mercedes-Benz Classe E Coupé (Foto: Divulgação)Mercedes-Benz Classe E Coupé (Foto: Divulgação)

O Classe E Coupé só será apresentado no Salão de Detroit, no início de janeiro. Mas já teve a venda confirmada no Brasil, ainda no primeiro semestre do próximo ano. O E Coupé carrega muito dos outros cupês da marca, como o C e o S, com uma elegante queda no teto e as lanternas na horizontal. O destaque fica por conta do vidro lateral, com duas divisões.

E43 AMG – nova versão

Mercedes-AMG E 43 (Foto: Divulgação)Mercedes-AMG E 43 (Foto: Divulgação)

A chegada do Classe E AMG “ de entrada” está prevista para março, ao preço de R$ 499,9 mil. Pelo meio milhão de reais, o cliente pode levar para casa um sedã de 401 cv, originários de um V6 biturbo de 3 litros. Ele não traz o pacote visual do E 63, mas tem seu charme, com uma grade repleta de pontos cravejados e belas rodas de 20 polegadas.

E63 AMG – nova versão

Mercedes-AMG E 63 (Foto: Divulgação)Mercedes-AMG E 63 (Foto: Divulgação)

Uma opção mais “apimentada” do Classe E também foi confirmada pela Mercedes. O E 63 AMG se diferencia do modelo “menos bravo” por ter motor V8 de 4 litros – o mesmo do AMG GT – de 571 cv e 76,5 kgfm de torque. Com esse conjunto, o sedã esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos – mais um que supera o Porsche 911 Carrera 4S. Ainda não há preço definido.

GT R – nova versão

Mercedes-AMG GT R (Foto: Divulgação)Mercedes-AMG GT R (Foto: Divulgação)

O “Green Hell”, ou Inferno Verde, será lançado no Brasil. O AMG GT R, que homenageia o circuito alemão de Nurburgring, chega ao país em 2017, certamente em uma série bem limitada, com preço acima de R$ 1 milhão. O GT R traz uma série de melhorias na comparação com o GT S. O V8 4.0 teve a potência aumentada para 593 cv, enquanto há novos aparatos tecnológicos, como aletas dinâmicas e eixo traseiro capaz de esterçar as rodas em até 1,5 grau. Leia mais


MINI

Countryman – nova geração

Mini Countryman (Foto: Divulgação)Mini Countryman (Foto: Divulgação)

A Mini antecipou em alguns meses a chegada do novo Countryman ao Brasil. O modelo que chegaria apenas no final do ano, deve começar a ser vendido na metade do ano. Por outro lado, a produção em Santa Catarina não está confirmada, já que a matriz ainda estuda a viabilidade da atualização da linha de Araquari. Outra boa notícia é que o Countryman híbrido plug-in, que pode ser carregado na tomada, também será oferecido por aqui. Leia mais


NISSAN
Kicks – produção nacional e novas versões

Nissan Kicks é 134 kg mais leve do que o HR-V (Foto: Divulgação)Nissan Kicks deve ganhar novas versões em 2017 (Foto: Divulgação)

O ano fiscal de 2016 da Nissan só termina no final de março. E uma das metas até lá é o início da produção nacional do Kicks – importado do México desde agosto. A fabricação em Resende (RJ) deve resolver uma questão essencial para a vida do SUV no país.

Com versões mais baratas, ele poderá competir em melhores condições com seus maiores rivais, Honda HR-V, Jeep Renegade e Hyundai Creta. Além da SL e da SV Limited, devem ser lançadas mais uma ou duas configurações. Também é estudada a adoção de uma opção de câmbio manual para o modelo.

Frontier – nova geração

Nova geração da Nissan Frontier é lançada no Brasil (Foto: André Paixão/G1)Nova geração da Nissan Frontier é lançada no Brasil (Foto: André Paixão/G1)

A nova geração da picape desembarca com um certo atraso no Brasil. Ela esteve no Salão do Automóvel de Buenos Aires de 2015, e já é vendida na Argentina. Por aqui, terá um novo motor 2.3 de 190 cv e uma boa atualização visual e de equipamentos. É a última das picapes em linha no Brasil a receber uma atualização. A Frontier é a base da Renault Alaskan, que chega em 2018, e da picape da Mercedes-Benz, ainda em forma de conceito. Leia mais


PEUGEOT

3008 – nova geração

Peugeot 3008 (Foto: REUTERS/Benoit Tessier)Peugeot 3008 (Foto: REUTERS/Benoit Tessier)

O novo 3008 deixou de ser um crossover e adotou o “jeitão” de SUV na Europa. Por aqui, deu as caras no Salão do Automóvel e teve a importação confirmada para o primeiro semestre do ano que vem. Além do visual completamente renovado, traz uma cabine caprichada e com visual futurista. Deve manter o bom motor 1.6 turbo. Leia mais


PORSCHE

Panamera 4 E-Hybrid – nova versão

Porsche Panamera E-Hybrid (Foto: Divulgação)Porsche Panamera E-Hybrid (Foto: Divulgação)

A versão híbrida do novo Panamera está confirmada para chegar ao Brasil em 2017 – ainda não há um mês específico. Na configuração “verde”, o sedã-cupê tem potência combinada de 462 cv, sendo que 330 cv vêm do V8 biturbo e 136 cv do motor elétrico. Lembrando que a potência combinada nem sempre é a soma simples dos dois tipos de propulsão.


RAM

1500 – modelo inédito

Caminhonete RAM 1500 é apresentada no estande da Chrysler no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)Caminhonete RAM 1500 é apresentada no estande da Chrysler no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)

Irmã menor da 2500, a picape deve pintar no Brasil importada do México. As vendas devem começar no segundo semestre, e a marca americana trabalha para que o modelo custe cerca de R$ 200 mil – faixa pouco acima de competidoras consideradas médias, como Toyota Hilux e Ford Ranger. A motorização escolhida deve ser a V6 3.0 diesel de 243 cv. Leia mais


RENAULT

Captur – modelo inédito

Renault Captur (Foto: Alan Morici/G1)Renault Captur (Foto: Alan Morici/G1)

Primeiro produto inédito da Renault em 2017, o Captur será lançado pouco antes do Carnaval. Inicialmente, chega com motor 2.0 de 148 cv e câmbio automático de 4 marchas. O conjunto é o mesmo presente em Duster e Oroch, e equipará as versões topo de linha. Mais para frente, chegam opções mais baratas, com motor 1.6 de 120 cv e transmissão CVT. Leia mais

Duster e Oroch 1.6 SCe – novo motor

Renault Duster Oroch Dynamique Automática (Foto: Divulgação)Renault Duster Oroch Dynamique (Foto: Divulgação)

O novo motor 1.6 SCe, já presente em Logan e Sandero, também vai equipar a dupla Duster e Oroch, que começam a ser vendidos logo no começo do ano. Nos modelos maiores, a potência é um pouco mais alta – são 120 cv e 16,2 kgfm, contra 118 cv e 16 kgfm dos compactos. Além dos números de performance superiores, o consumo de combustível com esta nova unidade promete ser bem mais baixo. Leia mais

Koleos – modelo inédito

Renault Koleos (Foto: Divulgação)Renault Koleos (Foto: Divulgação)

O plano de rechear a linha de SUVs terá como modelo mais caro – e completo – o Koleos. Apesar do nome de pronúncia complicada, a chegada do utilitário é certa para maio. Ele chega importado da Coreia do Sul, trazendo motor 2.5 aspirado de 175 cv. O veículo, mostrado no Salão de São Paulo, traz acabamento caprichado e porte para brigar com Hyundai Santa Fe e Kia Sorento. Leia mais

Kwid – modelo inédito

Renault Kwid (Foto: Alan Morici/G1)Renault Kwid (Foto: Alan Morici/G1)

Mostrado como um showcar no Salão do Automóvel, o Kwid será lançado apenas no segundo semestre. A Renault divulga poucas informações do modelo, mas o G1 apurou em julho que o subcompacto será vendido como um “micro SUV”, e terá motor 1.0 de três cilindros de 75 cv – uma versão simplificada do motor SCe de Logan e Sandero. Leia mais


TOYOTA

Corolla – reestilização profunda

Toyota revela reestilização do Corolla na Europa (Foto: Divulgação)Toyota revela reestilização do Corolla na Europa (Foto: Divulgação)

Mesmo com rivais mais modernos, o Corolla mantém a firma liderança entre os sedãs médios. Ainda assim, a Toyota vai promover mudanças em seu modelo mais vendido. Na dianteira, os faróis ficarão mais afilados, e a grade com perfil mais esguio.

Na cabine, as saídas de ventilação laterais ganham formato arredondado. Bom mesmo seria se o sedã passasse a ter controles de tração e estabilidade – itens que ele não conta nem na versão mais completa. Leia mais

RAV4 – remodelação leve

Toyota RAV4 2017 (Foto: Divulgação)Toyota RAV4 2017 (Foto: Divulgação)

Apresentado de forma tímida no Salão do Automóvel, o RAV4 chega logo no começo de 2017 com mudanças igualmente discretas. São novos os para-choques, faróis e lanternas e grade. Fora isso, praticamente tudo igual. Inclusive o conjunto mecânico, composto de motor 2.0 aspirado com transmissão CVT.


VOLKSWAGEN

Amarok V6 – novo motor

A caminhonete Amarok é vista no estande da Volkswagen  no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)A caminhonete Amarok é vista no estande da Volkswagen no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)

Apesar de já estar à venda no Brasil, a Amarok atualizada não recebeu a mudança mais esperada – o motor V6 diesel de 3 litros e 224 cv. Ele só desembarca no Brasil no 2º semestre de 2017, com uma nova versão topo de linha. Com este propulsor, o modelo da Volkswagen se tornará a picape média mais potente do país.

Tiguan – nova geração

Volkswagen Tiguan no Salão de Frankfurt 2015 (Foto: Ralph Orlowski/Reuters)Volkswagen Tiguan no Salão de Frankfurt 2015 (Foto: Ralph Orlowski/Reuters)

Na Europa, a Volks até transferiu a produção do antigo Tiguan para atender mercados secundários enquanto o novo carro vai sendo abastecido na Europa. A nova geração deve pintar mais para o final do ano – produzida no México, com entre-eixos alongado na comparação com o modelo europeu. Com isso, o SUV não pagaria imposto de importação e ganharia competitividade no mercado local. Esta versão inclusive será apresentada no Salão de Detroit, em janeiro, e vai se chamar Allspace

Up – reestilização leve

Volkswagen Up! passa pela primeira reestilização (Foto: Divulgação)Volkswagen Up! passa pela primeira reestilização (Foto: Divulgação)

Ausência no Salão do Automóvel, o Up reestilizado deve dar as caras no Brasil no primeiro semestre, apesar de a fabricante não confirmar. As mudanças não são grandes – incluem novos para-choques, grade superior maior e lanternas com nova disposição das luzes. Por dentro, se seguir o modelo europeu, o Up pode ganhar uma central multimídia mais sofisticada, novo quadro de instrumentos e até ar-condicionado digital. Os modernos motores 1.0 aspirado e turbo não sofrem mudanças.


VOLVO

S90 – novo modelo

Volvo S90 (Foto: Jewel Samad/AFP Photo)Volvo S90 (Foto: Jewel Samad/AFP Photo)

O sedã topo de linha da Volvo desembarca no Brasil no 2º semestre, trazendo o mesmo nível de tecnologia do SUV grandalhão XC90. Ele é capaz de dirigir sem auxílio do motorista em velocidades de até 130 km/h, além de detectar animais de grande porte, seja dia ou noite. A motorização escolhida pela Volvo deve ser a T6, com um 2.0 de 320 cv. Leia mais

XC90 T8 – nova versão

Volvo XC90 T8 (Foto: Divulgação)Volvo XC90 T8 (Foto: Divulgação)

A linha do XC90 deve ficar completa ainda no primeiro semestre de 2017. Depois da versão a diesel, a Volvo trará ao Brasil um lote limitado da série Excellence. Em vez de sete pessoas, ela leva quatro ocupantes com muito luxo, com direito a geladeira e taças de cristal. Já a versão T8 deve ser fixa. Ela é híbrida, e tem potência combinada de 400 cv e possibilidade de recarga na tomada.

FONTE: Auto Esporte

Ontário faz parceria com Honda para modernizar fábrica

por fernandosiqueira

Governos de Ontário e Canadá firmam parceria com a Honda para fortalecer as operações de montagem de Alliston

Os governos de Ontário e do Canadá firmaram parceria com a Honda para ajudar a empresa a modernizar suas operações de montagem no país, garantindo que a planta de Alliston permaneça competitiva e contribua para a próxima geração de veículos produzidos na província.

Com subsídios condicionais de US$ 41,8 milhões oferecidos tanto pelo governo canadense quanto pelo governo de Ontário, a iniciativa garante investimentos de US$ 408 milhões por parte da montadora, totalizando US$ 492 milhões. “A Honda é a pedra angular do nosso setor – representando cerca de 17% da produção de veículos de Ontário. Com esta iniciativa, a empresa e os governos provinciais e federais estão juntando forças para garantir que a equipe qualificada da Honda Alliston continue a ser líder na construção dos veículos do futuro”, afirma Brad Duguid, Ministro do Desenvolvimento Econômico e Crescimento de Ontário.

Os investimentos serão utilizados na construção de uma oficina de pintura de ponta, que reduzirá as emissões de gases do efeito estufa do processo de pintura em 44%, e em novas tecnologias para o aprimoramento da montagem de veículos, incluindo técnicas avançadas de ligação de materiais e investimentos em pesquisa e desenvolvimento para apoiar a produção de futuros modelos de veículos, incluindo atualizações de software e prototipagem de novos componentes.

Essas ações garantirão a manutenção de 4.000 empregos diretos na planta de Alliston e milhares de vagas indiretas na cadeia automotiva de Ontário, além de contribuir para que a Honda mantenha sua competividade a longo prazo no mercado canadense.

A primeira-ministra de Ontário, Kathleen Wynne, juntamente com o Ministro Duguid, se reuniram recentemente com executivos da Honda, incluindo o CEO da empresa no Canadá, Jerry Chenkin, na sede da empresa em Tóquio, como parte de uma missão de negócios no Japão e na Coreia do Sul. A missão fortaleceu os laços empresariais globais de Ontário e destacou os pontos fortes da província em inovação automotiva e fabricação avançada. Hoje, Ontário é a única região do mundo com cinco montadoras automotivas globais – Honda, Chrysler, Ford, General Motors e Toyota, bem como a fabricante de caminhões Hino.

O apoio à indústria automotiva faz parte do plano de Ontário para criar empregos, desenvolver a economia e garantir qualidade de vida a seus cidadãos.

 

 

Vem aí um novo lançamento da Fiat

por fernandosiqueira

Saiba quando chega hatch que usa plataforma esticada do Palio

Herivelton Junior/UOL

Depois de meses aparecendo somente em mulas com frente de Grand Siena e traseira do atual Palio, o “Fiat X6H”, sigla interna que denomina o projeto, ainda sem nome, finalmente surgiu em sua carroceria definitiva.

É o que mostra flagra enviado pelo leitor Herivelton Junior, aos colegas do Uol Carros, que mostra três unidades estacionadas, juntas, numa rua de Campos do Jordão, Estado de São Paulo).

Conforme antecipado por UOL Carros em julho de 2016, o “X6H” será uma espécie de Palio “esticado” (o novo, não o velho Palio Fire): vai usar a mesma plataforma, mas com entre-eixos maior e a missão de substituir o Punto.

Novidade

Apontada por por fontes ligadas à marca, a chegada às ruas do nosso País ocorrerá no segundo trimestre deste ano, com produção em Betim (MG).

Oficialmente a marca não estabelece prazo de apresentação, mas admite que terá dois importantes lançamentos este ano. Se um é o “X6H”, o outro… é o “X6S”, derivação sedã que virá da Argentina, só no último trimestre, a fim de ocupar o lugar de Siena e Grand Siena. A nova Strada (X6P), terceiro produto derivado da base, ficará para o próximo ano.

Motorização e equipamentos

A segunda grande novidade é a motorização, sempre bicombustível. Terá a opção 1.3 FireFly, recém-estreada no Uno, além do velho conhecido 1.8 eTorq, em sua mais recente configuração, de 139 cavalos de potência, com álcool e sem tanquinho de partida a frio.

Câmbio automático de 6 marchas (a mesma de Renegade e Toro), direção elétrica, assistente de partida em rampas, controle de estabilidade e sistema start-stop (desligamento automático no motor em paradas breves) comporão as versões intermediárias e de topo.

O que ainda não está decidido é se o “X6H” vai matar também o próprio Palio, o que faria sentido em tempos de gama enxuta: a base da Fiat está congestionada com Mobi e Uno.

Por trás da camuflagem

A imagem cedida pelo leitor mostra outros pequenos detalhes, embora seja só de traseira e a camuflagem ainda esteja pesada: em caminho oposto a Palio e Punto, as lanternas serão horizontalizadas e bipartidas, invadindo a tampa do porta-malas com as luzes de freio bastante afiladas em forma de gancho.

Segundo o jornalista Marlos Ney Vidal, segredeiro especialista em Fiat, a solução será uma forma de seguir a identidade visual da nova família “Tipo”, algo que também será aplicado à dianteira, de acordo com a publicação.

Anote: o “X6H” não será o Tipo, até por ter dimensões substancialmente menores (próximas às medidas de um Renault Sandero). Isso significa que o plano de trazer a família de médios continua, especialmente o sedã, que chegaria para concorrer num dos segmentos mais fortes do mercado.

Voltando ao “X6H”: spoiler traseiro, também camuflado, denota tentativa de formar visual com apelo esportivo, embora as rodas de liga leve aro 14, oferecidas como acessório no Uno, pareçam pequenas e finas demais para isso (resta torcer para que a peça seja meramente provisória).

Antena, posicionada quase na quina do teto, é a mesma dos atuais Palio e Punto, enquanto os retrovisores externos possuem desenho inédito.

FONTE: Uol Carros

Panamera “Shooting Brake” estreia em março

por fernandosiqueira

Panamera Shooting Brake

Antecipada pela Porsche em 2012 com o conceito Sport Turismo, a carroceria Shooting Brake da nova geração do Panamera tem data marcada para ser apresentada ao público. Conforme relatado pela própria marca, a novidade será mostrada em março, durante a abertura do Salão de Genebra.

Como especulado, o conjunto mecânico e a gama de versões serão idênticos aos do Panamera convencional. A ideia é concorrer com o Mercedes CLS Shooting Brake e oferecer mais espaço e conforto, sem abrir mão da esportividade.

Panamera Shooting Brake

Na versão Turbo S, com motor de quase 600 cavalos de potência, a imprensa europeia fala na realização de comparativos com a Ferrari GTC4 Lusso T.

FONTE: Carplace

Governo cria novo sistema de transferência de carros: Renave

por fernandosiqueira

RENAVE vai garantir que seja feita a comunicação quando um veículo for passado para uma loja de automóveis

Resultado de imagem para fotos de lojas de carros

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) aprovou a nova resolução, de número 655, que cria o RENAVE (Registro Nacional de Veículos em Estoque). A medida, que entra em vigor em julho, servirá para evitar que negociações de veículos que estão em lojas não sejam declaradas à Receita Federal.

O RENAVE será um sistema informatizado que vai registrar entradas e saídas de veículos novos e usados que estão no estoque de concessionárias ou lojas independentes. Além do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e da Receita Federal, os Detrans (Departamentos de Trânsito) e a Secretaria de Fazenda dos Estados da União também estarão ligados ao sistema.

Na compra de um carro usado ou aquisição de um zero-km, a loja terá a obrigação de emitir uma nota fiscal eletrônica e cadastrar o veículo no RENAVE. Para isso, precisará ter o documento ou a nota fiscal do carro (no caso dos zero-km). Após esse procedimento, o carro, motocicleta ou caminhão passa a fazer parte do estoque da revenda.

Em caso de venda, o processo é semelhante. A loja emite a nota e registra a saída do veículo do estoque – além de entregar o CRV (Certificado de Registro do Veículo), o antigo DUT, ao novo comprador, que deverá fazer a conclusão do processo de transferência do carro para seu nome.