Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Coluna “ALTA RODA”. Fernando Calmon

17 17Etc/GMT+3 abril 17Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

Pontuação em discussão

A proposta de aumento de 20 para 40 pontos em multas que levem à suspensão temporária da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), enviada pelo Governo Federal ao Congresso, precisa ser mais bem discutida. Até quando se compara com outros países, é necessário estudar a sistemática que cada um adota. Não existe uma regra geral ou mais aplicada. No Brasil, há algumas peculiaridades, entre elas uma fiscalização eletrônica rigorosa, muitas vezes em forma de armadilha, pois faz alguns anos que caiu a obrigatoriedade de sinalizar sua existência, ao contrário de vários países.

Entre as distorções está o próprio processo de atribuição de pontos, que mistura faltas administrativas e infrações de trânsito. Um exemplo é o rodízio veicular da cidade de São Paulo, onde não há indicações das ruas e dos finais de placas afetados. Outro problema é o aumento recente do período mínimo de suspensão da CNH de um para seis meses. Essa mudança foi feita sem alterar os 20 pontos para suspender a CNH e isso precisaria ser repensado.

Fica sem sentido uma suspensão de seis meses por transgressões menores. O sistema anterior estava bem balanceado, quanto mais que as multas estão sujeitas, desde 2016, a sofrer correção de valores pela inflação, em clara oposição ao processo geral de desindexação da economia.

O valor maior até já diminuiu o número de infrações e arrecadação das prefeituras. Estas não podem utilizar esse dinheiro fora do previsto pelo Código de Trânsito Brasileiro – educação e ações de segurança como sinalização –, mas se tornou letra-morta. Que, ao menos, se obrigue então a tapar buracos e melhorar as condições das vias.

O critério utilizado na Itália parece o mais justo. Lá a pontuação apresenta o viés educativo de aumentar a margem para suspensão da carteira em razão do número de anos em que o motorista não recebe nenhuma multa. Nesse caso, seria aceitável aumentar o limite para até 30 pontos, por exemplo, se o motorista ficasse três ou quatro anos sem cometer infrações. Aqui, cada pontuação prescreve depois de 12 meses, independentemente da gravidade: andar na contramão ou estacionar em local proibido.

As chamadas lombadas eletrônicas, apesar de muitas vezes impingirem limites completamente abaixo da realidade, pelo menos estão à vista de todos, em totens. As aberrações aparecem quando um determinado radar multa 20 ou 30 vezes mais que a média dos demais, como acontece com alguma frequência e sem estudos que embasem tal rigor.

Países com maior número de carros por habitante que o Brasil apresentam trânsito mais seguro. Basta ver o número de mortos e feridos na Europa ou Estados Unidos em relação à frota registrada. A conscientização começa nas escolas, passa por um processo de habilitação bastante rigoroso e fiscalização justa, sem pegadinhas.

Apesar disso, há alguma distorção, mesmo no exterior. Motoristas profissionais na França, por exemplo, podem dirigir sem cinto de segurança. Basta entrar em um táxi em Paris ou outra cidade. Se perguntados, eles confirmam, alegam o cinto incomodar, mas lembram com algum cinismo que motoristas de aplicativos são obrigados a usar.

 

        ALTA RODA

TOYOTA acaba de confirmar que produzirá a nova geração do Corolla também na versão híbrida (pela primeira vez no mundo com motor FLEX, em Indaiatuba (SP). Lançamento previsto para setembro próximo e comercialização simultânea da versão convencional que estreia, igualmente novos, motor de 2 litros (maior potência e torque) e câmbio CVT de melhor resposta.

NOVO Onix sedã (produção, setembro; entregas, outubro) terá mesmo um novo motor turbo de 1 litro e 3 cilindros. Porte é quase o mesmo do Cobalt. Um mês depois virá o hatch que, por ser menor, oferecerá versão com motor de aspiração natural. Nome Onix, nascido no Brasil, agora se torna global. Antes, só EcoSport tinha saído daqui para o mundo.

MOTOR 1,6 L aspirado, apesar de entregar 51 cv a menos que a versão turbo THP, deixa o Citroën C4 Cactus perfeitamente aceitável em termos de desempenho. O “segredo” é o ajuste fino do câmbio automático Aisin de 6 marchas e a possibilidade de acionar o modo “S” para respostas imediatas ao acelerador. Ajudam também 46 kg a menos e 4 cavalos a mais que o C3 Exclusive.

CARROS autônomos continuam em desenvolvimento, mas o presidente mundial da Ford, Jim Hackett, admitiu: “A tecnologia vai demorar mais para amadurecer do que o esperado”. Isso dentro de um programa de investimento de US$ 5 bilhões. Ele ainda tem planos de, em 2021, rodar uma frota de teste, mas dentro de limitações. “Tudo é muito complexo”, ressalvou.

SEGUNDO estudo da Bright Consulting, o estímulo de 1 ponto percentual no IPI para fabricantes que superarem a meta obrigatória de consumo de combustível em 5,7%, significa cerca de R$ 400 em um modelo com preço público de R$ 50.000. Para 10,8% de economia, ganham 2 pontos percentuais de IPI, em torno de R$ 800,00. Nada fácil: tecnologias envolvidas são caras.
____________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

ANUNCIO-PLATEN-PRESS-jornais-2-1

 

AUTO SHANGHAI 2019. Salão Internacional do Automóvel de Xangai

16 16Etc/GMT+3 abril 16Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

Maior evento de automóveis do mundo expõe modelo da Xiaomi, novo Prisma e Utilitário-Esportivo da Tesla.

Apresentações para a imprensa especializada começaram ontem, dia 15. Entre os automóveis aguardados estão o Renault Kwid elétrico e o Mercedes-Benz GLB.

Salão de Xangai: estande da Mercedes-Benz com carros ainda cobertos — Foto: Aly Song/Reuters

Salão Internacional do Automóvel de Xanghai: stand da Mercedes-Benz. Foto: Aly Song/Reuters

 A China sedia o maior Salão do Automóvel  do mundo, o AUTO SHANGHAI 2019 (Salão de Xanghai). O evento, começou ontem, dia 15, para a imprensa especializada, e abrirá suas portas ao público dia 18.

Como é do domínio público, a China é o maior mercado automotivo do mundo. Ano passado, foram comercializados naquele país 28.000.000 de carros zero quilômetro. Enquanto isso, o Brasil vendeu, no mesmo período, 2.500.000 unidades.

Salão de Xangai 2019 — Foto: Aly Song/Reuters

Salão  Internacional do Automóvel de Xanghai 2019. Foto: Aly Song/Reuters

Entre os dias 18 e 25 deste mês, estarão expostos em uma área de 360.000 m² (quase 4 vezes o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo), mais de 1.400 veículos automotores, divididos em 13 pavilhões. Na edição anterior, 1.000.000 de pessoas visitaram a mostra.

Confira, abaixo, algumas das principais estrelas do evento, incluindo modelos importantes para o nosso País.

Prisma (GM)

Nova geração do Prisma chama Onix na China — Foto: Chevrolet/Divulgação

Nova geração do Prisma (denominado Onix na China) Foto: General Motors/Divulgação

 O Onix Sedã (Prisma) deve ser o carro mais importante para o Brasil a ser visto no Salão de Xanghai. A nova geração do Prisma é chamada de Onix na China.

Por enquanto, a General Motors afirma que “o modelo irá conviver com o Prisma atual” (será?). Vale salientar, que o novo modelo é maior e mais requintado, e terá motorização turbo. O visual do modelo a ser produzido no Brasil será parecido com o carro chinês.

Tracker

Chevrolet Tracker rodando em testes no interior de São Paulo — Foto: Matheus Valério de Mendonça/VC no G1

A nova SUV Tracker  em testes no interior de São Paulo. Foto: Matheus Valério de Mendonça/VC no G1

Comenta-se que a nova geração do Tracker deverá ser o grande lançamento da General Motors no Salão do Automóvel de Xanghai (China). Ele é mais um modelo da nova família de veículos globais da montadora americana. Sua plataforma foi desenvolvida em parceria com a fabricante chinesa, a Saic.

O novo Tracker começou a ser testado nas estradas do Brasil.

Volkswagen Tarek

O Tarek é um dos VINTE novos automóveis que a Volkswagen lançará no Brasil até o próximo ano. O modelo chega com uma grande responsabilidade: concorrer com o Jeep Compass, o SUV mais comercializado em nosso País o ano passado.

O Tarek será produzido na Argentina e ainda não tem data para chegar ao mercado brasileiro (pode atrasar). Na China, ele é vendido normalmente pela fabricante alemã.

Renault Kwid elétrico

Renault revela elétrico baseado no Kwid

Renault apresenta no Salão do Automóvel de Xanghai seu carro elétrico baseado no Kwid

Apresentada na véspera do Salão do Automóvel de Paris (França) como concept-car, a versão elétrica do subcompacto está estreando na mostra chinesa e vai se chamar “City K-ZE” . O modelo terá autonomia de 300 quilômetros.

O China será o primeiro país a receber o modelo, mas a Renault afirmou que ele será um carro global. Inclusive pode desembarcar no Brasil, como afirmaram executivos da montadora francesa no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo do ano passado.

O modelo da Xiaomi

Xiaomi T77 — Foto: Divulgação

Xiaomi T77, um belo SUV.Foto: divulgação

O nome oficial é Bestune T77, mas o Utilitário-Esportivo médio ficou conhecido como  “o carro da Xiaomi”, ainda que seu desenvolvimento tenha sido feito pela FAW.

 Mas o “Xiaomi T77” será uma das atrações do Salão do Automóvel de Xangai 2019. Nem tanto pelo seu design (um tanto genérico) ou conjunto mecânico (1.2 turbo de 143 cavalos de potência), e sim pela oferta de tecnologias e preço muito competitivo. Sua versão mais cara vai custar o equivalente a R$ 78.000,00. O grande “charme” é um holograma no topo do painel, que funciona com inteligência artificial.

Tesla Model Y

Tesla Model Y — Foto: Divulgação/Tesla

Tesla Model Y.Foto: divulgação/Tesla

O  Model Y, mais recente novidade da Tesla, deve fazer sua estreia  na China. O mercado é tão importante para a empresa de Elon Musk, que a montadora está construindo uma unidade fabril nas redondezas de Xangai.

O Model Y é o segundo SUV da marca. Ele ficará abaixo do Model X, e custará, nos Estados Unidos, a partir de US$ 39.000.

A configuração mais cara é equipada com dois motores, e tração integral, e terá autonomia de 450 km, aceleração de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos e velocidade máxima acima de 241 km/h.

Volkswagen ID Roomzz

Volkswagen ID Roomzz é apresentado em Xangai — Foto: Divulgação

Volkswagen ID Roomzz é apresentado em Xangai. Foto: divulgação

 O “ID Roomzz” é mais um membro da família de concept-cars elétricos da Volkswagen. Agora, a montadora vai mostrar um Utilitário-Esportivo grande que, em sua versão final, irá concorrer com os modelos da Testa. Vai ser uma briga de gigantes, sem dúvida

Mercedes-Benz GLB

Mercedes-Benz GLB Concept — Foto: Divulgação/Mercedes-Benz

Mercedes-Benz GLB Concept. Foto: divulgação/Mercedes-Benz

Não é difícil entender o posicionamento do Mercedes-Benz GLB. Ele estará acima do GLA e abaixo do GLC. O novo SUV da marca alemã deve ser a melhor cartada para concorrer em um disputado segmento. Isso porque o GLA é pequeno demais para disputar mercado com Audi Q3 e BMW X1.

 O “Auto Shanghai 2019” deverá lograr sucesso nos seus dias de funcionamento, pois foi esperado com muita expectativa por toda a sociedade automotiva global.

FONTE: G1

Nissan Versa fica mais sofisticado para concorrer com VW Virtus e GM Prisma

15 15Etc/GMT+3 abril 15Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

Nissan Versa ganhou visual mais inspirado — Foto: Divulgação/Nissan

Nissan Versa recebeu melhorias em seu disign externo. Foto: divulgação/Nissan

A Nissan lançou no mercado nacional  a nova geração do sedã “Versa”. Graças ao face lift, o  sedã ficou ainda mais requintado. Mesmo sem confirmação oficial, o carro produzido no Brasil deverá seguir o dos Estados Unidos e deverá desembarcar em nosso País no próximo ano.

Os concorrentes do novo “Versa” são: Fiat Cronos, Honda City, Toyota Yaris, Volkswagen Virtus, e Hyundai HB20S., além da nova geração do Prisma, que chega ao mercado nacional ainda este ano.

O novo Nissan ganhou traços mais interessantes e harmoniosos, que o aproximam dos modelos mais sofisticados da marca.

Nova geração do sedã se aproximou dos "irmãos" maiores Sentra e Altima — Foto: Divulgação/Nissan

Nova geração do “Versa” se aproximou dos “irmãos” maiores Sentra e Altima. Foto: divulgação/Nissan

A dianteira tem faróis afilados e espichados em direção às laterais e destaca a grade com desenho o tradicional desenho em “V” da Nissan. A traseira tem muitas semelhanças com o sedã grande Altima, especialmente na aparência das lanternas. As laterais são marcadas por vincos ascendentes.

O interior, por seu turno, parece ter sido transplantado do Kicks: volante, central multimídia, saídas de ar, comandos do ar-condicionado e o quadro de instrumentos, com uma parte digital, são idênticos aos do SUV. Mudam, por questões de proporções, a porção central (em couro) e a superior do painel.

 Nos Estados Unidos, o “Versa” poderá ser equipado com detecção de pedestres, frenagem de emergência, frenagem automática traseira, alerta de tráfego cruzado, alerta para mudanças involuntárias de faixa, monitoramento de pontos cegos, piloto automático adaptativo e faróis altos automáticos.
A central multimídia, apesar do formato conhecido, passa a ter conectividade com Android Auto e Apple CarPlay.

Produzido sobre a plataforma do Kicks, o sedã terá motor 1.6 de 122 cavalos de potência e opções de câmbio manual de 5 velocidades  ou automático CVT.

Em nota, a Nissan afirma que “no momento, a Nissan não tem nenhum anúncio sobre novos produtos na América Latina”, apontando para seu foco no novo Leaf.

Toyota promove eletrificação global de carros fornecendo cerca de 24 mil patentes livres de royalties

14 14Etc/GMT+3 abril 14Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

motor toyota

  • Inclui patentes concedidas ao longo de mais de 20 anos de desenvolvimento da tecnologia de veículos elétricos híbridos
  • Iniciativa também dará suporte técnico para ajudar fabricantes a atingir metas de desempenho com sistemas de eletrificação
  • Oportunidade visa promover ainda mais o crescimento de veículos eletrificados no mundo

Considerando a quantidade de tempo, dinheiro e recursos necessários para desenvolver a mobilidade sustentável, ajudar a combater as crescentes emissões e continuar utilizando a tecnologia atualmente disponível, a Toyota Motor Corporation anunciou, na última semana, no Japão, duas medidas relacionadas às suas patentes e ao seu conhecimento técnico para promover ainda mais o uso disseminado de veículos eletrificados.

Primeiro, a Toyota anunciou que concederá licenças isentas de royalties sobre quase 24 mil patentes (incluindo algumas aplicações pendentes) de tecnologias relacionadas à eletrificação de veículos. Em segundo lugar, a Toyota fornecerá suporte técnico mediante taxas para outros fabricantes desenvolvendo e vendendo veículos eletrificados quando estes usarem motores, baterias, PCUs, ECUs de controle e outras tecnologias de sistemas de eletrificação de veículos da Toyota como parte de seus sistemas de transmissão.

Por fim, ao conceder patentes livres de royalties e fornecer suporte técnico em seus sistemas de eletrificação de veículos, a Toyota pretende ajudar a promover o uso disseminado de veículos eletrificados e, ao fazê-lo, auxiliar governos, montadoras e a sociedade em geral a atingir metas relacionadas a mudanças climáticas.

“Com base no grande volume de contato que recebemos sobre nossos sistemas de eletrificação de veículos de empresas que reconhecem a necessidade de popularizar tecnologias de veículos híbridos e outras tecnologias de veículos eletrificados, acreditamos que agora é a hora da cooperação”, disse Shigeki Terashi, membro do Conselho e Vice-Presidente Executivo da Toyota Motor Corporation. “Caso o número de veículos eletrificados acelere significativamente nos próximos 10 anos, eles se tornarão padrão, e esperamos participar apoiando esse processo.”

As patentes livres de royalties são tecnologias avançadas encontradas em veículos eletrificados, especialmente aquelas usadas em veículos híbridos elétricos (HEV) que ajudaram a Toyota a obter um desempenho melhor, um tamanho reduzido e uma redução de custos. Mais especificamente, as patentes incluídas são de peças e sistemas, como motores elétricos, unidades de controle de potência (PCUs) e controles de sistema. São tecnologias essenciais que podem ser aplicadas ao desenvolvimento de vários tipos de veículos eletrificados, incluindo HEVs, veículos híbridos elétricos plug-in (PHEV) e veículos elétricos movidos a células de combustível (FCEV).

Patentes liberadas pela Toyota

A Toyota oferecerá cerca de 23.740 patentes obtidas ao longo de mais de 20 anos de desenvolvimento de tecnologia de veículos eletrificados. O período de concessão já está vigente e durará até o fim de 2030. Os contratos para as concessões podem ser emitidos por meio de contato com a Toyota, discutindo termos e condições específicas de licenciamento.

A Toyota já oferece 5.680 patentes relacionadas aos seus veículos elétricos movidos a células de combustível (FCEV) desde janeiro de 2015. Agora, a Toyota está incluindo cerca de 2.590 patentes referentes a motores elétricos, 2.020 patentes referentes a PCUs, 7.550 patentes referentes a controles do sistema, 1.320 patentes de transeixo de motores, 2.200 patentes de carregador e 2.380 patentes de célula de combustível (elevando a 8.060 o número total de patentes relacionadas a essa tecnologia.)

Quanto ao suporte técnico mediante taxas que será oferecido pela Toyota, os detalhes específicos incluem o fornecimento de visões gerais dos sistemas de eletrificação de veículos, guias de controle e explicações detalhadas dos guias de ajuste de veículos que utilizarão seus sistemas. A orientação que a Toyota fornecerá inclui, por exemplo, ajudar outras montadoras a atingir um alto nível de desempenho do produto em termos de eficiência de combustível e produção, adequados aos veículos que estão desenvolvendo. Os serviços serão baseados em contrato. Mais detalhes serão fornecidos às partes interessadas.

Meio ambiente e emissões de CO2

Ao oferecer patentes livres de royalties e suporte técnico para veículos eletrificados, a Toyota enxerga uma oportunidade para incentivar o desenvolvimento e a introdução de veículos eletrificados no mercado em todo o mundo, algo que considera, há tempos, uma questão de máxima prioridade administrativa sob a sua forte crença de que os veículos ecológicos contribuirão para a luta contra as mudanças climáticas, caso sejam amplamente utilizados, por meio da redução das emissões de CO2.

Em 2015, a Toyota identificou metas para reduzir suas próprias emissões e estabeleceu seu Desafio Ambiental 2050, um conjunto de metas de longo prazo para a sustentabilidade, com o objetivo de reduzir as emissões de CO2 de seus veículos e instalações. Em 2017, anunciou um plano de vendas para a disseminação de veículos eletrificados até o fim de 2030.

O contato com a Toyota para obtenção de patentes deve ser feito por meio do site  https://global.toyota/en/mobility/case/patents2030.html

Para acessar este press release, bem como todo o material de imprensa da Toyota do Brasil, como fotos e vídeos, visite www.toyotaimprensa.com.br.
_____________________________________________________________________________________

A Toyota do Brasil Ltda. conta com quatro unidades produtivas nas cidades paulistas de Indaiatuba, Sorocaba, Porto Feliz e São Bernardo do Campo, cidade que também abriga um Centro de Pesquisa Aplicada e um Centro de Design. A empresa conta ainda com três centros de distribuição de veículos em Guaíba (RS), Vitória (ES) e Suape (PE), um centro de distribuição de peças em Votorantim (SP), um escritório de representação em Brasília (DF), e mais de 6.000 colaboradores. Fundada em 1937, a Toyota Motor Corporation (TMC) é uma das fabricantes de veículos para passageiros e comerciais mais representativas do mundo. Com produção em 28 países e regiões e vendas em mais de 160 países, a empresa é detentora das marcas Toyota, Lexus, Daihatsu e Hino. A Toyota possui ações nas Bolsas de Valores de Tóquio, Nagoya, Osaka, Fukuoka e Sapporo (Japão), Nova Iorque (EUA) e Londres (Reino Unido) e emprega atualmente mais de 344.000 colaboradores em todo o mundo. Mais informações podem ser obtidas nos sites http://www.toyota-global.com/ e www.toyota.com.br ou www.facebook.com.br/toyotadobrasil.

MINI celebra dez anos no Brasil com ação especial de comercialização

por fernandosiqueira

mini-cooper-cabrio-2019

  • Marca oferece em abril taxa 0% em 24x com 60% de entrada para toda a linha

A MINI celebra uma década de sua estreia oficial no Brasil com condições especiais de vendas. A marca está oferecendo
no mês de abril taxa de 0% em 24x, com 60% de entrada, para toda a sua linha de veículos.
“Estamos muito orgulhosos da trajetória da MINI nestes 10 anos no Brasil. Com muito esforço, dedicação e qualidade de nossa equipe, parceiros e
concessionários, conseguimos fortalecer a nossa posição no mercado e conquistar o público entusiasta de esportividade, design diferenciado e novas tecnologias. Dessa forma, consolidamos as operações da marca no País e esperamos crescer ainda mais nos próximos anos”, afirma Rodrigo Novello, Diretor de Vendas e Marketing da MINI Brasil.

Histórico

A fabricante britânica iniciou suas atividades no país em 2009, com concessionárias em São Paulo e Curitiba e comercializando o MINI Hatch nas
versões Cooper e Cooper S. Atualmente, a marca possui uma rede de 22 concessionários espalhadas por todo o país e um portfólio de cinco modelos
— Hatch 3 portas, Hatch 5 portas, Cabrio (conversível), Clubman e Countryman, disponibilizados em 15 versões distintas.

Linha do Tempo: 10 anos de MINI no Brasil

 Abril/2009:  MINI estreia oficialmente no Brasil e inicia as vendas do MINI Hatch 3 portas, nas motorizações Cooper e Cooper S;

 Junho/2009:  MINI lança o Cabrio, versão conversível de quatro lugares, no Brasil;
 Março/2010:  MINI promove o MINI Challenge, competição de grande sucesso na Europa e reafirma o caráter esportivo da marca no Brasil e
participou do calendário oficial da Stock Car por3 anos.
 Outubro/2010: MINI apresenta o Countryman no Salão do Automóvel de São Paulo;
 Dezembro/2010:  MINI Brasil amplia rede de concessionárias para 13 pontos de vendas e alcança crescimento de 67%em relação a 2009;

 Junho/2011: MINI inicia vendas do MINI One no mercado brasileiro;

 Outubro/2011: MINI lança, no Rio de Janeiro, o Coupé, o quinto integrante da família e o primeiro modelo de dois lugares da marca;
 Dezembro/2011: Rede de concessionárias MINI alcança19 revendas. Marca registra 2.792 veículos emplacados e um crescimento de 62%
em comparação à 2010;
 Março/2012:  MINI apresenta à imprensa brasileira o sexto integrante da família: o Roadster;

 Agosto/2012: MINI conquista o título do Rally dos Sertões em sua primeira participação na competição. O protótipo MINIALL 4 Racing, da
equipe X-raid Team e pilotado pelos franceses Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret, venceu a edição comemorativa de 20 anos daquela
que é considerada a competição off-road mais desafiadora da América Latina;

 Agosto/2012: MINI Goodwood, a versão mais luxuosa já feita de um Cooper S 3 Portas, desembarca no Brasil. Lançado no Salão de Xangai, na China, versão reúne o requinte e o conforto de um típico modelo da Rolls Royce;

 Maio/2013: Karina Oliani, atleta brasileira patrocinada pela MINI Brasil, alcança o cume do Monte Everest e finca a bandeira da marca no topo da montanha mais alta do mundo (8.848 metros);

 Junho/2013: MINI lança oficialmente, no Brasil, o Paceman, o sétimo integrante da família;

 Agosto/2013: MINI conquista bicampeonato do Rally dos Sertões e pelo navegador Jean-Paul Cottret sagraram-se vencedores da
competição a bordo de um protótipo MINI ALL4 Racing;

 Agosto/2013: MINI lança família de modelos John Cooper Works no País – Hatch, Cabrio, Coupé e Roadster;
 Junho/2014: Novo MINI, inspirado na primeira geração do modelo (2001) é lançado no Brasil, recheado de novas tecnologias, mas
preservando a sensação de “GO-Kart feeling”, típica dos produtos da marca;
 Março/2015: MINI inicia vendas locais da versão 5portas do Hatch, cujo destaque é a oferta adicional de espaço interno;
 Setembro/2015: Novo MINI John Cooper Works estreia no mercado brasileiro;

 Outubro/2015: BMW Group Brasil inicia produção do MINI Countryman na fábrica de Araquari, em Santa Catarina;

 Dezembro/2015: MINI inicia vendas do Clubman no País, junto com o
anúncio de um plano de renovação da identidade MINI;

 Agosto/2016: Nova geração do MINI Cabrio desembarca no Brasil;

 Maio/2017: MINI lança novo Countryman no mercado brasileiro;

 Novembro/2017: Novo MINI John Cooper Works Countryman estreia no País;
 Junho/2018: Novos MINI Hatch 3 e 5 portas iniciam vendas no Brasil;

  Abril/2019: Título MINI celebra dez anos no Brasil com ação especial de vendas.

Tesla começa a vender versão mais barata do Model 3 no mercado Chinês

13 13Etc/GMT+3 abril 13Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

Marca entrou recentemente no maior mercado de carros no mundo e pretende inaugurar fábrica ainda este ano

tesla-3

Auto Esporte

Tesla exibe Model 3 no Salão de Pequim de 2018 — Foto: Jason Lee/Reuters

Tesla exibe Model 3 no Salão de Pequim. Foto: Jason Lee/Reuters

 A TESLA afirmou ontem que começou a receber pedidos na China por uma versão mais barata do Model 3, o carro elétrico mais barato da marca.

A configuração básica deu a fama ao modelo, considerado um elétrico “popular” por ter sido promovido pelo preço de US$ 35 mil (o equivalente a R$ 136.000,00), mas ela só iniciou a comercialização do modelo nos Estados Unidos este ano. O Model 3 foi lançado naquele país m 2017, em versões mais caras.

Na China, ela custará 377 mil iuanes (US$ 56 mil ou R$ 218 mil), segundo a agência Reuters, e será importada. Mesmo sendo “básica”, ela conta com a direção assistida Autopilot, disse a montadora.

A Tesla vem ajustando os preços de seus carros fabricados nos Estados Unidos na China para permanecerem acessíveis no país, um movimento que também visa combater a concorrência de uma série de startups de nacionais, como a Nio, a Byton e a XPeng Motors.

A montadora entrou recentemente no mercado chinês, o maior do mundo, e até agora importa todos os carros vendidos lá. Mas está construindo uma fábrica em Xangai para o Model 3 e um modelo inédito, o Model Y, o que deve baratear seus produtos. A previsão é inaugurá-la no fim do ano.

FONTE: G1

Audi participa do Salão do Automóvel de Xangai

por fernandosiqueira

Audi AI:ME – detail

Audi AI:ME – detail

      Audi Q2L e-tron fará estreia mundial durante a exposição

·       Audi e-tron também faz sua estreia local

·       Marca apresenta o visionário carro conceito Audi AI:ME

 A Audi participará do Salão do Automóvel de Xangai 2019, na China, com estreias mundiais e uma série de inovações. Dentre as novidades, a marca apresentará o visionário carro conceito Audi AI:ME, além de dois modelos elétricos que farão sua estreia na metrópole chinesa: o Audi e-tron e o Q2L e-tron, que foi projetado especialmente para a China e é construído na fábrica de Foshan. O SUV compacto será entregue aos primeiros clientes no verão de 2019 e faz sua estreia mundial em Xangai.

 “Com os modelos elétricos Audi Q2L e-tron e Audi e-tron, estamos lançando uma nova era na China com nosso parceiro FAW. O SUV compacto será produzido localmente já este ano e, a partir de 2020, o Audi e-tron também será produzido na China, nosso maior e mais importante mercado mundial”, afirma Bram Schot, CEO da Audi.

 A carroceria do Audi Q2L e-tron é 33 milímetros mais longa que o do modelo básico. O carro é movido por um motor elétrico no eixo dianteiro que movimenta 100 quilowatts e 290 NM. Com uma capacidade de bateria de 38 quilowatts/hora, possui autonomia de até 265 quilômetros, de acordo com o procedimento de homologação local.

 A segunda geração do Audi Q3, que terá lançamento de vendas na China durante o Salão, também está sendo fabricada naquele país. O SUV não só parece mais autoconfiante, mas também é versátil e espaçoso. Assim como os modelos de topo de gama da Audi, ele apresenta um conceito de operação e exibição digital, soluções de infotainment abrangentes e sistemas de assistência inovadores. Os clientes chineses podem escolher entre três motores de quatro cilindros que variam entre 150 a 220 cv.

 Outro destaque da presença da Audi em Xangai é a estreia mundial de um carro conceito visionário para a mobilidade urbana de amanhã: o Audi AI:ME, que mostra as ideias dos designers e programadores da Audi para um automóvel compacto do futuro. O veículo oferece interior espaçoso e futurista, com capacidade para condução autônoma de nível 4. Isso permite aos ocupantes a liberdade para fazer o que gostam com seu tempo a bordo. O Audi AI:ME oferece uma ampla gama de recursos de alta tecnologia para comunicação, entretenimento ou simplesmente relaxamento.

 A coletiva de imprensa da Audi será em 16 de abril, a partir das 11h no horário local, com transmissão ao vivo em www.audimedia.tv.

 

 

HYUNDAI CAOA REASSUME A PRIMEIRA COLOCAÇÃO DE QUALIDADE EM VENDAS NO J.D. POWER

por fernandosiqueira

HYUNDAI-CAOA-RECEBE-PRÊMIO

A Hyundai CAOA retornou ao topo do ranking de qualidade em Vendas, divulgado pela consultoria J.D. Power, em estudo que mede a Satisfação dos Clientes nas Concessionárias durante o processo de compra de veículos novos, analisando fatores como: negociação, processo de entrega, vendedor, instalações e test drive..

A pesquisa Sales Satisfaction Index StudySM foi realizada entre dezembro de 2017 e novembro de 2018 e a Hyundai CAOA atingiu 871 pontos, saltando da segunda colocação alcançada no ano passado para a primeira neste ano.

O Sales Satisfaction Index StudySM, divulgado pela J.D. Power, é baseado nas avaliações de 4.630 proprietários de veículos novos no Brasil entre 1 a 12 meses após a compra.

O estudo realiza uma análise da experiência de compra e entrega de veículos novos e verifica a Satisfação do Cliente. A Hyundai CAOA esteve presente entre os três primeiros colocados em todas as edições, desde que foi iniciada a divulgação do ranking: 1º lugar em 2014 – dividindo o posto com a Toyota, 3º lugar em 2015, 2º lugar em 2016, 1º em 2017, 2º em 2018 e retornando à 1ª colocação em 2019.

Segundo o Diretor Executivo Comercial da CAOA, Anselmo Borgheti, “esta presença constante da Hyundai CAOA nas primeiras colocações demonstra a consistência dos processos desenvolvidos para todas as etapas de comercialização do veículo, assim como o engajamento de toda equipe comercial na implementação e melhoria continua dos quesitos inseridos no processo de Vendas”.

O presidente da CAOA, Mauro Correia, ressalta que a capacitação e treinamento da equipe são complementados com uma estrutura totalmente voltada para o conforto e conveniência de nossos clientes. “Realizamos, exaustivamente, análises e um acompanhamento completo sobre a Satisfação dos nossos Clientes, buscando, sempre, superar as expectativas destes Consumidores desde o primeiro momento em que visitam nossas lojas, até o momento da entrega do veículo. Da mesma forma, temos um impecável cuidado com nossas instalações e uma altíssima qualificação e treinamento constante de nossas equipes, com isso garantimos não só o alto nível de qualidade, mas a continuidade destes processos e adequação à toda nossa Rede”.

 CAOA CHERY

A pesquisa J. D. Power, divulgada neste ano de 2019, marcou também a estreia da marca CAOA Chery entre as empresas pesquisadas. Durante o período do estudo, a pesquisa contemplou apenas uma pequena amostra de veículos Tiggo 2 e não incluiu os últimos lançamentos da marca, como Arrizo 5, Tiggo 5X e Tiggo7, e as novas e modernas lojas inauguradas pela parceria CAOA Chery. Com isso, a expectativa de crescimento no ranking da consultoria da pesquisa que será divulgada no próximo ano torna-se ainda mais positiva, mesmo assim, esta primeira participação no estudo atual deixou claro pontos muito positivos na performance de nossos consultores.

Outro motivo pelo qual a CAOA Chery já aponta um grande potencial de crescimento é que entre as pessoas que deixaram de comprar, os índices da marca foram os melhores na atual edição da pesquisa, indicando que os pesquisados poderão considerar a CAOA Chery em uma futura compra.

 

 

Cinco estrelas: novo Range Rover Evoque recebe avaliação máxima de segurança europeia

por fernandosiqueira

novo-range-rover-evoque

A nova arquitetura do veículo e recursos de assistência ao motorista ajudam a tornar o luxoso SUV compacto um dos mais seguros na estrada atualmente

  • O novo Range Rover Evoque alia seu refinamento e capacidade à segurança cinco estrelas dos testes Euro NCAP
  • O SUV compacto de luxo pontuou 94% para a proteção dos ocupantes adultos e 87% para crianças, no programa de testes mais difícil já feito até hoje
  • A nova Arquitetura Transversal Premium da Land Rover garante que o Evoque atenda aos rigorosos padrões de segurança
  • A pontuação do Evoque se soma aos mais recentes SUVs de cinco estrelas da Land Rover,  Range Rover Velar e Novo Discovery

O novo Range Rover Evoque recebeu a nota máxima de cinco estrelas na classificação de segurança Euro NCAP, confirmando seu status como um dos SUVs compactos de luxo mais refinados, capazes e seguros no mercado.

O Range Rover Evoque não só alcançou pontuação de 94% para a segurança dos ocupantes adultos – a maior pontuação de qualquer produto Jaguar Land Rover até hoje – como recebeu 87% para a segurança das crianças. Isso significa que o Evoque é o mais recente Land Rover a receber uma classificação de segurança de cinco estrelas da Euro NCAP, seguindo o recente Range Rover Velar e o Land Rover Discovery.

Construído na nova Arquitetura Transversal Premium da Land Rover para garantir a máxima segurança dos ocupantes, o novo Range Rover Evoque vem com os recursos avançados de assistência ao motorista, incluindo frenagem de emergência; assistente de faixa; auxiliar de estacionamento e câmera traseira, para ajudar a evitar acidentes de trânsito.

Essa combinação de recursos garantiu que o novo Evoque recebesse a nota máxima de cinco estrelas nos pontos mais difíceis do programa de testes Euro NCAP até hoje.

Os proprietários podem adquirir esses recursos com a adição de dois pacotes opcionais. O Park Pack adiciona Park Assist 360 – Auxiliar de Estacionamento, Monitor de Tráfego Traseiro e Monitor de Saída Livre, enquanto o Drive Pack oferece Controle de Cruzeiro Adaptativo, Assistente de Ponto Cego e Frenagem de Emergência de alta velocidade, para conveniência e segurança onde quer que a estrada te leve. Além disso, com um sistema abrangente de airbags – incluindo airbag para pedestres – os proprietários podem ter certeza de que o SUV protegerá inclusive quem está fora do veículo.

Finbar McFall, Diretor Global de Marketing e Produto da Jaguar Land Rover, disse: “O Range Rover Evoque está em todos os lugares, então nós adicionamos as últimas tecnologias voltadas para prevenção de acidentes e uma nova arquitetura de veículos para proteger os ocupantes em caso de incidente. O resultado é outra obra prima de cinco estrelas da Land Rover”.

O conjunto de tecnologias avançadas do novo Range Rover Evoque inclui o espelho retrovisor ClearSight. Transformando-se em uma tela de vídeo HD com o apertar de um botão, ele oferece um campo de visão de 50 graus mais amplo e uma visibilidade mais clara, exibindo imagens da câmera traseira do carro. É ideal quando o transporte de passageiros na segunda fila ou itens volumosos no porta-malas obscurecem a vista.

A tecnologia ClearSight Ground View também está disponível, tornando o capô invisível ao projetar imagens da câmera na tela sensível ao toque, para mostrar ao motorista uma visão de 180 graus sob a frente do veículo. Isso é útil para lidar com espaços de estacionamento difíceis, navegar em meio ao centro da cidade ou enfrentar terrenos acidentados.

O novo Range Rover Evoque chega ao Brasil no segundo semestre de 2019.

 

Novo Prisma da GM: o que nós temos conhecimento

por fernandosiqueira

O desenvolvimento do novo Prisma (e da nova família de carros compactos da GM está sendo feito por uma equipe de 1.800 pessoas de 14 países, e liderada por Gregório Del Rio, brasileiro. A plataforma foi concebida em parceria com a divisão chinesa da fabricante.  Naquele país, o modelo foi apresentado por inteiro.

  • Chega no fim do ano, mas ainda não tem nome

Poderá se chamar PRISMA ou ONIX SEDÃ. Os executivos da GM presentes na apresentação não confirmaram qual será o nome do novo sedã. Uma coisa é incontestável, o Onix se tornou um nome global da montadora americana. Mas isso não quer dizer que outras opções não possam ser utilizadas.

Segundo a GM, duas coisa estão definidas: a data de chegada do modelo, final deste ano, e que o sedã é o primeiro modelo da nova família a começar a ser vendido no Brasil. O local de produção não foi informado.

 Importante registrar, que a GM apresenta o novo TRACKER (outro membro dessa família) na próxima terça-feira, no Salão do Automóvel de Xangai. O modelo está rodando em testes em nosso País.
Antes e depois do Choevrolet Prisma — Foto: Divulgação

PRISMA: antes e depois. Foto: divulgação

Próximo do Cobalt

A GM ainda não divulgou as medidas do novo PRISMA.  No entanto, declarou que ele não irá substituir nenhum produto atual. “Quero reforçar que esse modelo soma, e não substitui o Cobalt”,  enfatizou Rodrigo Fioco, diretor de marketing da General Motors do Brasil.

Isso nos leva a concluir que o novo modelo terá porte maior do que Prisma atual, mas ligeiramente menor do que o Cobalt, que tem 4,48 metros de comprimento e 2,62 m de entre-eixos.

Segundo Fabíola Rogano, vice-presidente de engenharia da GM, o porta-malas deve seguir a mesma lógica, de ter mais do que os 500 litros do Prisma, porém menos do que os 563 litros  do Cobalt

Concorrentes

Além de maior, o novo PRISMA também vai ficar mais requintado, a fim de concorrer com outros sedãs recém-lançados, como Volkswagen VIRTUS, Toyota YARIS e Fiat CRONOS.  Para tanto, o novo sedã da GM deve disponibilizar equipamentos compatíveis com uma faixa de preços mais alta. A unidade camuflada que a fabricante mostrou trazia acesso por chave presencial e faróis com assinatura de LED. As rodas eram de 16 polegadas.

O mercado brasileiro espera que a General Motors do Brasil lhe entregue um pacote reforçado em itens de segurança.  Hoje, nenhum carro compacto daquela montadora oferece controles de tração e estabilidade ou airbags adicionais aos dois obrigatórios por lei. Além disso, o acabamento deve ser superior ao do Prisma atual.

Motor turbo

Outra novidade é a adoção de motor turbo. A GM ainda não confirmou qual será a motorização exata, nem se haverá também opções de propulsores aspirados. Acredita-se  que o escolhido seja um 1.0 de 3 cilindros.

Novo Chevrolet Prisma — Foto: Divulgação/Chevrolet

Novo Prisma.  Foto: divulgação/GM

Como as fotos mostram, o novo  PRISMA ainda não teve seu desenho revelado por inteiro. Indagados se ele seguiria o modelo chinês, os executivos da GM do Brasil desconversaram. “A estrutura será a mesma. Mas acabamento, motores e outros detalhes são específicos de cada mercado”.

 Pelo que pode ser visto, a carroceria será idêntica ao modelo chinês. Isso vale para as formas dos para-choques, com todos os apliques, o indicador de seta na lateral, retrovisores, faróis e grade. As lanternas ainda eram provisórias, o que pode indicar alguma diferença nas lentes. As rodas de 16 polegadas tinham o mesmo desenho do modelo chinês, mas eram prateadas, em vez de pretas.

Não foi possível ter acesso ao interior.