Anfavea: o “momento da virada” da indústria chegou, mas depende das reformas

6 06Etc/GMT+3 setembro 06Etc/GMT+3 2016 por fernandosiqueira

Fábrica Jeep - Goiana

A indústria automotiva brasileira segue caminhando em passos lentos. No mês de agosto, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (6) pela ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores), foram produzidos 177,7 mil veículos, número 6,4% menor do que o de julho (189,9 mil). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a redução é mais acentuada: -18,4%.

Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, essa queda foi um reflexo direto da interrupção temporária da produção de algumas montadoras. Segundo o executivo, se não houvesse essa paralisação, a produção passaria das 200 mil unidades.

Fábrica Honda HR-V - produção

Por outro lado, fato positivo foi o aumento do número de licenciamentos em agosto, com 207,3 mil unidades, número que representa crescimento de 1,4% na comparação com o mês anterior, mas queda 11,3% comparado ao mesmo mês de 2015. No acumulado do ano, não há refresco: queda de 23,1% em relação a 2015 com o total de 1,348 milhão. Para se ter uma ideia do tombo, o melhor resultado foi obtido nos oito primeiros meses de 2012, ocasião em que houve 2,501 milhões de emplacamentos.

Megale destacou o crescimento e acrescentou que o resultado poderia ter sido melhor. A observação fica por conta dos Jogos Olímpicos, que trouxe uma grande visibilidade para o país e ânimo para os brasileiros, mas que acabou derrubando os emplacamentos em pouco mais de 14% no Rio de Janeiro durante a realização do evento.

Em relação ao emprego, houve uma redução de 0,7% nos postos de trabalho, com o total de 126.900 reduzido para 1126.000 trabalhadores na indústria. Atualmente, existem 20.300 profissionais no regime especial do PPE (Programa de Proteção ao Emprego). No entanto, o executivo indica que a previsão industrial é de que não haverá necessidade de reajustar para menos a produção de veículos.

Fábrica Jaguar Land Rover

Na primeira coletiva após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef concluído, o presidente da Anfavea falou sobre o tema e que considera que este é o momento da virada para a indústria automotiva. Entende que a recuperação total do setor somente ocorrerá quando o país como um todo volte a crescer, com a retomada do crescimento da economia, PIB e a confiança do consumidor. Para o executivo, é imprescindível que as reformas propostas pelo novo governo aconteçam (em especial reformas econômicas, equação dos gastos públicos com limites estabelecidos, questões trabalhistas e regulamento do serviços de terceirização).

Nas questões trabalhistas, a Anfavea espera que mudanças e ajustes sejam feitos para que a indústria nacional tenha mais competitividade frente aos mercados internacionais. Em relação à questão previdenciária, Megale também destacou ser um fator crucial para que o país tenha um horizonte melhor definido, e assim, tenha capacidade de atrair mais investimentos para retomar o crescimento.

Fotos: divulgação

FONTE: Carsale


Campanha de chamamento preventiva veículo Toyota, modelo Prius (Sistema Híbrido)

12 12Etc/GMT+3 julho 12Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

A Toyota do Brasil veicula, desde o dia 10 do mês corrente, comunicado sobre abertura da Campanha de Chamamento Preventivo do automóvel PRIUS, fabricado entre os meses de julho de 2014 e setembro de 2015.

 

automóvel-toyota-prius

 

   Defeito apresentado: os veículos envolvidos na campanha de chamamento foram projetados para entrar em modo de segurança caso ocorra alguma falha no sistema ‘híbrido”. A Toyota identificou que, em raras situações, o veículo pode não acionar esse modo de segurança, conforme planejado.
   Riscos e implicações:  caso esse fato aconteça, o veículo poderá perder potência e velocidade, com parada total do veículo. Os sistemas de direção e frenagem permanecem operantes, porém, caso o veículo perca potência em condições de alta velocidade, poderá aumentar o risco de acidente, com danos materiais ao veículo e lesões físicas graves ou até mesmo fatais a seus ocupantes.
    Medidas corretivas: a partir de 13 de julho de 2020, a Toyota realizará a reprogramação no módulo de controle do sistema híbrido do veículo.

O tempo de reparo é de aproximadamente 1 (uma) hora.

     Locais de atendimento e agendamento: o proprietário deverá entrar em contato com a Rede de Concessionárias Autorizadas Toyota, para agendamento prévio. A relação de concessionárias autorizadas para atendimento está disponível no site http: //www.toyota.com.br

A Toyota esclarece que a presente campanha será realizada de forma gratuita ao consumidor.

Para informações adicionais, consulte:

S.A.C. Toyota: 0800 703 0206 – www.toyota.com.br/servicos/recall/

TOYOTA DO BRASIL

 

 

Ford Bronco tem imagens de nova geração reveladas antes do seu lançamento

por fernandosiqueira

 

 

Ford Bronco teve imagens reveladas neste sábado (11) — Foto: Divulgação

Ford Bronco teve imagens reveladas ontem, dia 11. FOTO: divulgação

O Ford Bronco teve imagens da dianteira e da traseira reveladas, em pequenas partes, dia 11, faltando dois dias para o seu lançamento oficial.

A montadora havia anunciado que a nova linha Bronco não será apenas uma família de utilitários esportivos, mas sim uma nova “marca” dentro do portfólio da montadora dos Estados Unidos.

 Prevista para fazer a estreia amanhã, a marca Bronco terá, a princípio, 3 modelos: um tradicional com duas portas, outro com 4 portas, ambos mais aventureiros, e o Bronco Sport, uma opção mais voltada ao segmento SUV atual, todos com tração 4×4.

Apesar de uma definição do Bronco, os modelos seguem chamados de Ford Bronco ou Ford Bronco Sport, por exemplo, mas no lugar do logotipo da Ford haverá o próprio logo da nova marca.

Ainda não há muitos detalhes técnicos de como serão os modelos, mas primeira imagem das silhuetas dos veículos também foram divulgadas.

Depois de lançar o novo Mustang Mach-E e renovar a pick-up F-150, a Ford segue reforçando seus ícones do passado com o novo Bronco,  o modelo que fez sucesso entre os anos 1966 e 1996.

Ford Bronco fez época entre 1966 e 1996 — Foto: Divulgação

Ford Bronco fez época entre 1966 e 1996. FOTO: divulgação

Honda convoca donos de Civic Touring, Accord e HR-V Touring para reparo da bomba de combustíve

por fernandosiqueira

 

Campanha envolve 2.730 veículos, com início de atendimento em 20 de julho do corrente ano

 

civic-touring

Civic Touring. FOTO: divulgação

A Honda Automóveis do Brasil, pautada pelo seu princípio de respeito aos clientes, convoca os proprietários dos automóveis relacionados a seguir a comparecerem a uma das concessionárias autorizadas da marca para realizar o reparo da bomba de combustível.

Algumas unidades podem apresentar falhas no módulo da bomba de combustível, interrompendo o fluxo de combustível até o motor. Essa interrupção poderá desligar o motor com o veículo em movimento e causar danos materiais, lesões graves e até fatais aos ocupantes do veículo e/ou a terceiros.

Importante: Esse comunicado se aplica aos veículos Civic Touring modelo 2019 a 2020, Accord modelo 2018 e HR-V Touring modelo 2020.

A consulta à necessidade do reparo deve ser feita no link www.honda.com,br/recall. O agendamento pode ser efetuado pelo mesmo endereço eletrônico ou pela Central de Atendimento: 0800-701-3432 (segunda a sexta-feira, das 08,00 horas às 20,00 horas e sábado, das 09,00 horas às 14,00 horas, horário de Brasília).

Aston Martin vai produzir o DB5 ”Goldfinger’ do James Bond em edição limitada

por fernandosiqueira

 

A Aston Martin reedita carro produzido em 1964 usado no filme 007 Contra Goldfinger, em série especial limitada apenas 25 unidades e preço de R$ 18.200.000,00

 

aston martin
Aston Martin DB5 Goldfinger. FOTO: Aston Martin/divulgação

Além de sir Sean Connery, no papel de James Bond, 007 Contra Goldfinger, filme de 1964 contou com a atuação irrepreensível de outro inglês emblemático: o automóvel Aston Martin DB5. Modelo do agente secreto se transformou em objeto de desejo de fãs de automóveis e colecionadores em todo o mundo.

Mais de 50 anos após o lançamento da produção para o cinema, a fabricante britânica acaba de concluir a montagem da primeira de 25 unidades da série limitada. As réplicas do modelo tem preço sugerido de £ 2,7 milhões (aproximadamente R$ 18.200.000,00).

A ideia de criar a série de réplicas, que são fiéis ao modelo original de 1964, havia sido anunciada há dois anos. A empreitada conta com a participação da Eon Productions. Ela é a produtora dos filmes da franquia, e também a batuta de Chris Corbould. Ele é especialista em efeitos especiais e ficou conhecido por seu trabalho em grandes blockbusters. É o responsável pelas cenas de ação de 11 filmes de James Bond desde o início dos anos 1980.

 



                                                            Interior do Aston Martin modelo 1964 é espartano. FOTO: divulgação Aston Martin
 

Montagem artesanal

Todos os carros da série “DB5 Goldfinger” serão produzidos de forma artesanal, utilizando as mesmas técnicas da época em que o cupê foi lançado. Segundo informações da Aston Martin, a montagem de cada unidade corresponde a 4.500 horas de trabalho. As réplicas estão sendo feitas pela divisão de veículos históricos da montadora. Ela fica localizada em Newport Pagnell, a 76 km de Londres.

Os DB5 Goldfinger têm chassi feito de aço e carroceria de alumínio. O motor é um 6 cilindros em linha de 4 litros, alimentado por 3 carburadores e gera 290 cavalos de potência. O câmbio manual tem 5 marchas, a tração é traseira e há diferencial com deslizamento limitado e acionamento mecânico.

 


A participação da Eon e de Corbould no projeto está ligada aos “equipamentos” instalados no carro. Há sistema que libera uma cortina de fumaça na traseira, spray (simulado) de óleo na pista, placas giratórias (triplas) na frente e atrás, canos de metralhadoras (falsos) sob os faróis, escudo traseiro retrátil contra balas e painel removível do teto do lado passageiro.

Na cabine, o carro traz um monitor com mapa e rastreador por radar (falso), telefone no porta-luvas, nichos para guardar armas e painel de acionamento dos dispositivos de ataque e defesa, entre outros.

 


História: DB5 original

O DB5 Goldfinger original teve menos de 900 unidades produzidas entre 1963 e 1965. Não há informações sobre quantos desses carros ainda estão em circulação no mundo. Isso explica, em parte, seu alto valor de mercado.

Em agosto do ano passado, um DB5 Goldfinger modelo 1965, que foi produzido para promover o filme Thunderball (007 Contra a Chantagem Atômica, no Brasil), foi leiloado por US$ 6.400.000 (aproximadamente R$ 34.500.000,00 em valores atuais), nos Estados Unidos.

Para Roberto Suga, colecionador e ex-presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos, esse tipo de iniciativa não interfere no valor dos carros originais. “Essas recriações são uma oportunidade para quem deseja comprar um carro antigo raro ou que não tenha unidades à venda no mercado.” Suga, contudo, diz que prefere os modelos originais. “Isso, é claro, considerando que dinheiro não seja um problema.”

 


Reedição não é novidade

A Aston Martin não é a primeira marca a reeditar um carro clássico. Em 2016, a também britânica Jaguar produziu 9 unidades do XKSS, de 1957. O preço sugerido era de 1.100.000 EUROS (pouco mais de R$ 6.700.000,00, hoje).

A Mercedes-Benz também fez duas reedições do MotorWagen, modelo construído por Karl Benz em 1886 e considerado o primeiro carro do mundo. As réplicas, produzidas em 1980 e 2002, eram destinadas a colecionadores e museus.

 

Aston Matin DB5 Goldfinger, modelo 1964. FOTO: divulgação

Fortuna de Elon Musk supera a de Warren Buffett, diz Bloomberg

por fernandosiqueira

 

Moto elétrica, pilotada por Max Biaggi, deverá ser a mais rápida do mundo

por fernandosiqueira

 

Biaggi, ex-concorrente de Valentino Rossi, vai pilotar protótipo elétrico no “Salar de Uyuni”, na Bolívia, em julho de 2021. O objetivo é ultrapassar os 330 km/h com o modelo de 367 cavalos de potência

 

 

Voxan-Wattman

 

Max Biaggi vai domar essa fera, a motocicleta elétrica Voxan Wattman. FOTO: divulgação

Max Biaggi vai pilotar no “Salar de Uyuni”, na Bolívia, a Voxan Wattman, motocicleta elétrica, na tentativa de  quebrar o recorde de velocidade desse tipo de veículo que, atualmente, é de 329,085 km/h, alcançado por Ryuji Tsuruta.

O objetivo inicial era realizar a tentativa este ano, mas o projeto sofreu alguns atrasos em consequência do coronavírus.

No próximo ano, o ex-concorrente de Valentino Rossi nas pistas de MotoGP, vai pilotar o “protótipo” desenvolvido pela Voxan Motors para tentar romper a velocidade acima aludida. A empresa, especializada em veículos elétricos e que está presente na Fórmula “E”, integra o grupo Venturi.

O modelo é baseado na motocicleta Voxan Wattman (foto acima), apresentada em 2013, que passou por diversas modificações para se tornar um verdadeiro protótipo. Além das carenagens que fazem a motocicleta “parecer um míssil”, sua potência foi aumentada para mais de 367 cavalos. A versão de rua alcança 203 cavalos cavalos de potência.

 

 

Financiamentos de veículos automotores caem 20% no 1º semestre de 2020

11 11Etc/GMT+3 julho 11Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

Segundo a B3, o último mês do semestre teve crescimento de 44% em relação a maio, mas foi o pior junho desde 2016

 

 

concessionária-de-carros

Os financiamentos de veículos novos, seminovos e usados caíram 20% no mercado nacional este ano, quando comparados com o mesmo período de 2019. Os dados foram divulgados recentemente pela Bolsa de Valores do Brasil.

No primeiro semestre deste ano, foram financiados 2.290.000 veículos leves, pesados e motocicletas, contra 2.870.000 do mesmo período de 2019.

Considerando apenas junho/2020, que teve 385.774 carros financiados, foi o pior resultado do mês desde 2016, a queda em relação ao mesmo período de 2019, com 452.499, foi de 14,7%. Na comparação com maio, com 268.057 unidades, houve crescimento de 43,9%, indicando uma recuperação.

Pesados tiveram melhores resultados

Os veículos pesados tiveram os melhores resultados entre as categorias divulgadas pela B3, com crescimento entre todas as comparações. Em relação a junho do ano passado, eles cresceram 6,1% e, em relação a maio, 37,6%.

Os números refletem os bons resultados do segmento também na produção de veículos divulgada pela ANFAVEA (Associação Nacional da Fabricantes de Veículos Automotores), recentemente.

Motocicletas e automóveis tiveram bons efeitos especialmente comparando maio e junho, puxados por negociações em veículos novos. Os primeiros viram os financiamentos subir 48,2% e, os demais, 43,8%.

Modalidades e prazo médio

Segundo a B3, o número de automóveis seminovos (até 3 anos) e usados de 9 a 11 anos, aumentou em relação a 2019.

O prazo médio dos financiamentos passou de 42,7 meses em junho de 2019 para 44 meses no mesmo mês deste ano. O prazo para carros novos, usados “jovens” e “maduros” cresceu, enquanto os seminovos e os “velhinhos” (com mais de 12 anos de uso) tiveram queda.

Land Rover “anuncia” NOVO DEFENDER NO BRASIL

por fernandosiqueira

 

O modelo chega ao País na versão “110 P300” com motor a gasolina com 150 unidades disponíveis para reserva. A pré-venda começou ontem, dia 10 de julho e pode ser realizada on-line, via WhatsApp ou por telefone, entrando em contato com uma das 40 concessionárias da rede da marca no Brasil. Em Natal, na PG PRIME Jaguar Land Rover, instalada ao longo da BR 101. A nova DEFENDER retorna ao Brasil ainda mais versátil, com opção de 7 lugares em todas as versões. Preços, na versão S, partem de R$ 400.750,00 (sem opcionais)

 

defender_2020_1

O Defender nasceu para incorporar o #EspíritoLandRover de ir acima e além. FOTO: divulgação

A Land Rover anuncia a abertura da pré-venda do ícone “reestilizado” para o século 21, o Novo Defender. O SUV com a maior capacidade off road do mundo chega ao Brasil em sua quinta geração, com lote inicial de 150 unidades na configuração “110”, com opção de 5 ou 7 lugares, propulsionada pelo motor P300 de 4 cilindros a gasolina, com 300 cavalos de potência, com preços partindo de R$ 400.750,00 (sem opcionais).

A partir de hoje, os clientes interessados no Novo Defender poderão entrar em contato com a concessionária de sua preferência para realizar a reserva de sua unidade. Os critérios para a efetivação da reserva serão definidos por cada revenda da marca.

O Novo Defender chega ao País na configuração de 4 portas “110”, com motor P300 a gasolina de 300 cavalos de potência e 40,8 kgmf, em 3 versões: “S”, a partir de R$ 400.750,00; “SE”, a partir de R$ 426.750,00; e a topo de linha, HSE”, por R$ 461.150,00 (preços sem opcionais).

Em todas as versões, a Land Rover oferecerá 4 pacotes de acessórios para o modelo, aumentando ainda mais o engajamento e as funcionalidades do novo Defender. As combinações são as mais variadas, do Urban Pack, com funcionalidades para uso urbano do dia a dia, ao Explorer Pack, levando o ícone ao extremo, adicionando todos os elementos necessários para enfrentar qualquer terreno e situação com o Defender, sem perder o conforto.

“Ver a nova geração do Defender chegar ao mercado brasileiro é um marco histórico para nós e para todos os fãs do modelo. Estamos ansiosos para que todos possam ver e ter a experiência de sentir e explorar a capacidade off road que o modelo oferece”, diz Frédéric Drouin, Presidente da Jaguar Land Rover América Latina e Caribe.

 

Land-Rover-Defender-2020-Traseira

 

Apresentado em 1948 como Land Rover Série 1, o Defender nasceu para incorporar o #EspíritoLandRover de ir acima e além, com capacidade para enfrentar qualquer superfície com conforto e segurança. Na nova geração do modelo, as principais características foram repensadas e aprimoradas, como o design exterior e o interior, totalmente redesenhados, mais modernos e com mais significado, e a elas se somou tecnologia a bordo de ponta, como capô transparente, o novo sistema de conectividade PIVI PRO, painel de instrumentos digital de 12.3 polegadas e o novo Terrain Response II (configurável).

O motor Ingenium 2.0l está combinado a uma transmissão ZF automática de 8 velocidades que entrega força ao sistema 4×4, com diferencial central com travamento ativo, configuração perfeita para enfrentar todo tipo de terreno. O conjunto foi produzido para proporcionar extrema força em situações de reboque ou fora de estrada.

O Novo Defender passou por mais de 62.000 testes, realizados pela equipe de engenharia, e o chassi e sua estrutura sobreviveram a todos os procedimentos do Evento de Testes Extremos da Land Rover (impactos constantes e repetitivos, indo além dos padrões convencionais para um SUV ou carro de passeio).

A nova geração do SUV está sendo produzida na fábrica da Jaguar Land Rover em Nitra, na Eslováquia, onde o Discovery também é fabricado.

O melhor 4×4

Mais forte do que nunca, a nova arquitetura D7x da Land Rover, projetada para situações extremas, foi feita de uma construção monobloco leve e forte de alumínio, e corresponde à carroceria mais resistente que a Land Rover produziu até hoje. Ela é 10 vezes mais rígida do que o Defender anterior, fornecendo bases perfeitas para suspensão totalmente independente.

Durante o desenvolvimento dos testes, “protótipos” cobriram mais de 1.200.000 quilômetros através dos locais mais remotos e severos do mundo.

Ele também detecta condições off road, otimizando a altura de suspensão automaticamente de acordo com o momento. O sistema de ar pode elevar a carroceria a até 145 mm, quando necessário. O Novo Defender 110 é equipado com sistema de suspensão a ar de série, novidade no modelo. Ele traz consigo o sistema Adaptive Dynamics, capaz de monitorar os movimentos do veículo 500 vezes por segundo, e fazer o modelo reagir quase instantaneamente às condições de piso e dirigibilidade, para proporcionar maior controle e conforto ao motorista.

O Terrain Response 2 configurável é outra novidade do Novo Defender e exclusividade da Land Rover. O sistema inteligente permite que motoristas experientes de off-road ajustem as configurações individuais para se adequar perfeitamente às condições, enquanto motoristas inexperientes podem deixar que o sistema detecte a configuração mais adequada para o terreno, usando a função automática.

 

novo-defender-interior

 

A nova arquitetura da carroceria oferece 291 mm de distância do solo – 20 mm mais alto do que em qualquer SUV da Land Rover – e geometria off road de classe mundial dá ao modelo 110 ângulos de aproximação, partida e saída de 38, 28 e 40 graus (altura off-road), respectivamente. Sua capacidade de transposição em trechos alagados é de até 900 mm, sustentada pelo novo Wade Programme do sistema Terrain Response 2, que garante ao motorista total confiança para atravessar águas profundas.

A combinação de carga útil máxima de 900 quilos, teto estático de até 300 quilos, capacidade de reboque de 3.500 quilos, confirmam a resistência do Novo Defender.

Capô “transparente” para total visibilidade

A avançada tecnologia ClearSight Ground View ­– o capô transparente – ajuda o motorista a aproveitar a capacidade do Defender modelo 2020, revelando na tela central as áreas normalmente escondidas pelo capô logo à frente das rodas dianteiras. Também é possível ter uma visão traseira livre de obstáculos no interior do carro com o retrovisor interno ClearSight Rear View.


Tecnologia do século 21

Como resultado, o Novo Defender redefine a amplitude de capacidade, aumentando o limiar de robustez off-road e conforto na estrada. O modelo se adequa às ruas movimentadas da cidade com o mesmo potencial que escala montanhas, atravessa desertos e suporta altas temperaturas.

O Novo Defender também leva a tecnologia Software-Over-The-Air (SOTA) a um novo patamar, com 14 módulos individuais capazes de receber atualizações remotas. Ao fazer download dos dados enquanto clientes estão dormindo em casa, via Wi-Fi, sem a necessidade de visitar um concessionário Land Rover.

A Land Rover também introduz no Defender modelo 2020 o sistema de infotenimento PIVI PRO, que pode ser acessado através de uma nova geração de touchscreen mais intuitiva e amigável. O sistema exige menos passos para executar tarefas frequentes, enquanto seu design atual garante respostas praticamente instantâneas. O sistema de navegação usa algoritmos de autoaprendizagem capazes de otimizar a rota, com mapas sempre atualizados graças à tecnologia SOTA.

Em termos de tecnologia em assistência ao motorista inclui o Controle de Cruzeiro Adaptativo e o Monitor de Colisão Traseiro (de série na versão HSE), que alertam aproximações ao motorista ao piscar automaticamente luzes de perigo, bem como o Blind Spot Assist, o Rear Traffic Monitor e o Clear Exit Monitor (a partir da versão SE).Em combinação com o painel de instrumentos interativo de 12,3 polegadas, o sistema avançado fornece mapeamento 3D de alta definição dentro da instrumentação, deixando a tela sensível ao toque central livre para controlar outros aplicativos.

“Nós exploramos a impressionante capacidade e as características minimalistas e funcionais do interior do Defender, a fim de reinventar o ícone para o século 21. O Novo Defender nos dá licença para fazer as coisas de forma diferente, ir além dos limites e realizar o impensável, sem nunca perder o caráter e autenticidade do original. Desde o início nós trabalhamos obsessivamente com a funcionalidade através da conectividade. O resultado não é apenas o Land Rover mais capaz criado, mas um veículo confortável e moderno, que as pessoas vão amar dirigir”, comenta Nick Rogers, Diretor Executivo de Engenharia de Produto da Jaguar Land Rover Reino Unido.

Em breve, o mercado nacional vai conhecer a Fiat Strada equipada com câmbio automático

por fernandosiqueira

 

Modelo, que há muitos anos lidera as vendas de “pick-ups” compactas no mercado nacional, muito em breve poderá ser adquirida equipada com transmissão automática tipo CVT, o que há de mais moderno

 

fiat-strada-2021-nova

A Nova Fiat STRADA está fazendo sucesso no mercado brasileiro. FOTO: divulgação

Desde seu lançamento no Brasil, recentemente, a pick-up Fiat STRADA é alvo de elogios. Não poderia ser diferente, o modelo é atraente, avançado e harmonioso. Seu design é encantador. “Mas falta um detalhe, o câmbio automático”, afirmou um cliente em potencial a esta editoria, semana passada. Muitos outros fazem o mesmo comentário por todo o País. Sabendo disso, Herlander Zola, diretor da montadora, de pronto, confirmou que a chegada dessa versão acontecerá muito em breve.

“Não conseguimos trazer a versão automática a tempo para o lançamento. Estamos trabalhando para tê-la muito em breve”, afirmou o executivo.

Zola não entrou em detalhes no que tange ao tipo de CÂMBIO, declarou tão somente que seria um inédito. Comenta-se que será o “CVT”, que também deve equipar, na sequência, outros modelos, como Argo e Cronos, com os quais a STRADA compartilha o propulsor  1.3 de 109 cavalos de potência.

Para ter acesso ao moderno “equipamento” o consumidor vai ter que dispor de aproximadamente R$ 80.000,00, faixa hoje ocupada pela versão topo de linha, Volcano, com câmbio manual de 5 velocidades.

Vendas

O lançamento da nova STRADA ocorreu há 15 dias e, para surpresa do mercado, foram vendidas 6.000 unidades. “Isso é 4 vezes mais do que a comercialização da Strada anterior em um mês normal”, afirmou o presidente da Fiat.

Vale salientar, que no ano passado foram vendidas mensalmente uma média de 6.300 unidades do modelo em todo o território brasileiro.

Em consequência dessa fantástica aceitação, a Fiat aumentou a produção da pick-up em sua fábrica de Betim (Minas Gereais).

Segundo Zola, ainda não há filas de espera, mas a marca afirma que, em algumas localidades, não é mais possível encontrar unidades do modelo para pronta entrega.

Cabine dupla é a preferida

fiat-strada-2021-traseira

Fiat Strada modelo 2021. Linhas são harmoniosas em todos os ângulos. FOTO: divulgação

Dos primeiros pedidos, aproximadamente a metade foi VAREJO. Esse número é bem superior à média de vendas para pessoas físicas da antiga STRADA, que foi de pouco mais de 5% das unidades comercializadas em 2019. As outras 94,8% foi para empresas.

Além disso, a Fiat também percebeu um aumento na procura pela versão mais cara, Volcano (40%). A expectativa da Fiat era de 25% do total.

“A STRADA era caracterizada apenas como ferramenta de trabalho. Onde tínhamos fragilidade era exatamente entre as pessoas que usam a pick-up mais para lazer do que para trabalho”, explicou Zola.

Além disso, 60% das pick-ups vendidas é cabine dupla, uma das maiores novidades da STRADA modelo 2021. Detalhe: a Fiat trocou as 3 portas e o espaço acanhado para 4 pessoas por 4 portas e espaço para 5 passageiros.

Grata surpresa

Não obstante o sucesso da nova STRADA, a Fiat afirmou, mais uma vez, que irá manter em linha uma versão do modelo antigo, apesar da proximidade do preço e da distância em termos de tecnologia entre os dois produtos.

Apenas R$ 2.000,00 separam a nova STRADA versão Endurance da antiga Hard Working. Mesmo assim, a Fiat acredita que 10% dos clientes ainda será fiel ao modelo “antigo”.

Vale registrar, que algumas pessoas acreditam que a STRADA antiga deverá perder ESPAÇO junto às LOCADORAS.

“As grandes locadoras têm uma grande relevância, estamos num período de negociações [para vender a nova Strada]. A nova deve ocupar uma posição de terceirização de frotas”, enfatizou Herlander Zola.

Mesmo assim, o dirigente declarou que os clientes atuais ainda estão sendo abastecidos com a Hard Working, e que a produção do modelo segue normalmente.

10 10Etc/GMT+3 julho 10Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

No primeiro semestre deste ano, segmento registrou 4.505.981 unidades transacionadas, contra 6.828.225 em 2019.

 

carros-usados

Segundo dados da FENABRAVE (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), as vendas de veículos usados, considerando todos os segmentos somados, automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, apresentaram alta de 69,18%, no mês de junho, totalizando 744.643 unidades, contra 440.147 em maio. Se comparado com junho de 2019 (1.068.013 unidades), a queda foi de 30,28%.

No fechamento do primeiro semestre deste ano, ante igual intervalo de 2019, as vendas retraíram 34,01%, somando 4.505.981, ante as 6.828.225 unidades comercializadas no mesmo período de 2019.

“Este mercado sofreu durante o primeiro semestre, assim como o mercado de novos, pela retração nos negócios e pela dificuldade dos registros nas transações pelo fechamento dos DETRANS (Departamentos Estaduais de Trânsito), que afetou, diretamente, o segmento de seminovos e usados. Outro fator relevante foi o período no qual as concessionárias permaneceram fechadas, durante a quarentena mais restritiva”, comenta Alarico Assumpção Júnior, presidente da FENABRAVE.

Automóveis e comerciais leves

Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, as vendas de carros seminovos e usados, em junho, somaram 546.538 unidades, 71,79% acima dos 318.150 veículos comercializados em maio. Em relação a junho de 2019 (805.014 unidades), houve retração de 32,11%.

Do total de automóveis e comerciais leves transacionados em junho, os modelos, com até 3 anos de fabricação (seminovos), representaram 13,34% do volume comercializado, e 11,8% do acumulado do ano.

No primeiro semestre deste ano, foram vendidas 3.346.928 unidades (queda de 34,67% sobre o primeiro semestre de 2019), quando 5.123.380 unidades foram transacionadas.

Acompanhe, na tabela a seguir, os dados de transações de veículos SEMINOVOSUSADOS, para cada segmento automotivo.