Brasil e Argentina sinalizam renovação de “Acordo Automotivo”

10 10Etc/GMT+3 maio 10Etc/GMT+3 2015 por fernandosiqueira

O Brasil e a Argentina tem convergência no interesse de renovar o Acordo Automotivo, que termina no fim de junho, informou Armando Monteiro, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior,  após encontro com Axel Kicillof,  ministro da Economia do país vizinho e com Hector Timerman, chanceler argentino. Também estava presente no encontro do dia 8, em Brasília, Mauro Vieira, ministro de Relações Exteriores brasileiro.

“Tivemos uma posição absolutamente convergente sobre a importância desse comércio bilateral no setor automotivo, com a necessidade de promovermos uma maior integração produtiva em benefício dos dois países. Há sim uma convergência em relação à conveniência da prorrogação do nosso acordo automotivo, que é, na nossa avaliação, um acordo extremante equilibrado”, declarou Monteiro Neto, acrescentando que o prazo do novo entendimento ainda não está fechado, mas pode ser superior a um ano.

Cota do novo acordo
Segundo o ministro,”ao que tudo indica, o novo acordo poderá ser fechado nos mesmos termos do atual entendimento”. O acordo vigente estabelece que, para cada US$ 1,5 milhão em carros e peças vendidos para a Argentina, sem imposto, o Brasil tem de comprar US$ 1 milhão do país vizinho, também sem o tributo. É o chamado regime flex. O que passar disso terá alíquota de 35%. Mas as cotas anteriores, que expiraram em 2013, eram mais favoráveis à indústria brasileira. Elas permitiam a venda de US$ 1,95 milhão em carros e peças ao mercado argentino para cada US$ 1 milhão importado.

Axel Kicillof, ministro da Economia da Argentina,  afirmou que a reunião foi muito cordial e produtiva. “Há extrema convergência sobre a melhro estratégia da relação bilateral e do Mercosul. Todos os passos que temos que dar para melhorar a integração produtiva. Temos intensidade muito forte na relação bilateral tanto industrial, econômica, financeira, cultural e politica. Isso dá lugar à uma nova reunião no futuro”, declarou.

Proposta à União Europeia
Armando Monteiro Neto também afirmou que os ministros dos dois países concordaram em trabalhar para ter uma proposta do Mercosul à União Europeia, sobre um acordo comercial, no próximo mês. “Iremos em junho colocar uma posição muito clara em relação à União Europeia sobre as trocas de ofertas. Já temos uma posição harmonizada intrabloco. Teremos essa iniciativa para instar a União Europeia a também fazer sua oferta”, declarou o ministro brasileiro.

Os comentários estão desativados.