Pesquisa apresenta nova tecnologia para gerar energia elétrica a partir da rotação dos pneus

12 12Etc/GMT+3 agosto 12Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

O grupo japonês Sumitomo Rubber Industries, detentor das marcas de pneus Dunlop e Falken, anunciou este mês, que através de uma pesquisa conjunta realizada com a Universidade de Kansai no Japão sob a supervisão do professor Hiroshi Tani, foi desenvolvida uma nova tecnologia para gerar energia elétrica a partir da rotação de um pneu.  A geração dessa energia é possível a partir da instalação de um dispositivo (coletor de energia) dentro do pneu que é capaz de converter eletricidade estática em energia limpa.

 

pneu-dispositivo-gera-energia

 

Esse novo dispositivo (FOTO ACIMA), tira proveito de um tipo específico de eletricidade estática, chamada carga friccional, para gerar energia elétrica com eficiência cada vez que há a deformação natural do pneu após ele deixar sua “pegada” no solo. A Sumitomo acredita que essa tecnologia possui um grande potencial para aplicações práticas como fonte de energia para várias ferramentas digitais automotivas.

Após lançar o “SMART TYRE CONCEPT”, um novo conceito de desenvolvimento de tecnologia de pneus que visa responder às grandes mudanças que ocorrem na indústria automotiva e realizar eventos de cunho sustentável como os projetos “Desempenho de Segurança Cada Vez Maior” e “Desempenho Ambiental Cada Vez Maior”, a Sumitomo Rubber Industries está trabalhando para introduzir novos serviços de soluções automotivas que aproveitam a grande variedade de dados obtidos com ferramentas digitais.

A empresa está confiante de que os resultados desta última pesquisa levarão a aplicações práticas para esta nova tecnologia como fonte de energia para sensores usados nos pneus, como os existentes Sistemas de Monitoramento da Pressão, e outros dispositivos automotivos, contribuindo para a criação de futuros serviços que fazem uso de ferramentas digitais sem qualquer necessidade de baterias.

Em outubro do ano passado, esse tema de pesquisa havia sido selecionado pela Agência de Ciência e Tecnologia do Japão em um programa de apoio à projetos realizados conjuntamente entre empresas e institutos acadêmicos, que visam realizar estudos de viabilidade e aplicação para o desenvolvimento de novas tecnologias.

 

 

Os comentários estão desativados.