Brasil e Paraguai assinam acordo automotivo para livre comércio

13 13Etc/GMT+3 fevereiro 13Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

Processo foi acertado durante a última cúpula do Mercosul, no final de 2019. Anfavea vê acordo como positivo, mas aponta que mercado paraguaio é diminuto.

 

Brasil e Paraguai assinaram, dia 11 deste mês, em Assunção, um acordo automotivo para liberar o comércio de veículos e autopeças entre os dois países. O tratado entre eles foi oficializado quando da mais recente “Cúpula do Mercosul”.

Um acordo semelhante foi celebrado em junho de 2019 com a Argentina e existe um anterior a esse com o Uruguai.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o Brasil concede livre comércio imediato a produtos automotivos paraguaios.

No caso do Paraguai, o País permite livre comércio imediato para os produtos automotivos brasileiros taxados com tarifas entre 0% e 2%. Ainda no acordo, o Paraguai deve aplicar margens de preferência tarifária crescentes para os demais produtos automotivos, até a liberalização total do setor no final de 2022.

Exportações para a Argentina em declínio

O processo com o Paraguai foi acertado em meio à forte “queda” nas exportações de carros brasileiros para Argentina, principal mercado do setor para o Brasil. O governo brasileiro informou que o acordo terá vigência por prazo indeterminado ou até a adequação do setor automotivo ao regime geral do Mercosul.

Um dos pontos também acertados no acordo foi a questão de carros seminovos e usados que são importados pelo Paraguai. O País se comprometeu a revisar sua política nacional de importação de veículos, que deve seguir as diretrizes do bloco, além de considerar normas ambientais, de saúde pública e de segurança.

Anfavea vê limitações do Paraguai

No final do ano passado, quando o acordo foi anunciado, a Anfavea, associação das montadoras, diagnosticou o “acerto” com o Paraguai como positivo, mas ressaltou que o mercado daquele País não é grande.

“Nós defendemos mais acordos, com mais países, porque isso aumenta a competitividade de exportação da indústria, e também de importação. O mercado paraguaio é pequeno, mas é benéfico para conseguirmos mais negócios”, disse Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores), em dezembro de 2019.

Segundo a entidade, as exportações de veículos para o Paraguai somam 13.000 unidades por ano, o que representa apenas  3% do total de veículos enviados para fora do Brasil pela indústria automotiva, considerando o acumulado entre janeiro e novembro de 2019.

Os comentários estão desativados.