Reino Unido deixará de comercializar carros a “combustão” a partir de 2030

22 22Etc/GMT+3 novembro 22Etc/GMT+3 2020 por fernandosiqueira

 

Revolução industrial verde é antecipada pelo primeiro-ministro do Reino Unido e visa zerar emissões de carbono. Investimento é de US$ 16 bilhões

 

 

carros-elétricos-reino-unido

Automóveis e utilitários com motor a combustão não poderão mais ser vendidos no Reino Unido a partir de 1 de janeiro de 2030. O anúncio, esperado desde abril deste ano, foi feito pelo gabinete de primeiro-ministro Boris Johnson. O movimento batizado de “Revolução Industrial Verde” objetiva zerar as emissões de carbono do País até 2050 a fim de conter o aquecimento global.

É a segunda vez que o premier britânico antecipa os prazos. O plano original era interromper as vendas desses veículos em 2040. Em fevereiro deste ano, Johnson mudou a meta para 2035 e agora para 2030. A ideia é, ainda, criar e sustentar até 250.000 empregos em energia, transportes e tecnologia também até 2050.

Investimento é alto no Reino Unido

O plano para diminuir emissões de carbono inclui esforços como incentivo ao uso de energia eólica, células de hidrogênio e energia nuclear. O plantio de milhares de hectares de árvores também faz parte das ações para transformar o país em líder mundial na captura e armazenamento de CO2. Toda a proposta, que pretende criar uma nova infraestrutura de carregamento no Reino Unido, exigirá investimentos da ordem de 16 bilhões de dólares (aproximadamente R$ 86 bilhões).

O premiê britânico está sob pressão crescente para reprimir os veículos que consomem gasolina e diesel (exceto híbridos) a fim de cumprir a meta do Reino Unido – que deve sediar a Conferência das Nações Unidas sobre mudança climática (COP26) em 2021. “Embora este ano tenha tomado um caminho muito diferente daquele que esperávamos, o Reino Unido está olhando para o futuro e aproveitando a oportunidade para trazer mais verde de volta”, disse Johnson em um comunicado divulgado à imprensa.

Outros países

Com a ideia de que “a recuperação do nosso planeta e das nossas economias pode e deve andar de mãos dadas”, Johnson pretende colocar o Reino Unido na vanguarda do processo de transição total para a obrigatoriedade do uso de veículos elétricos. A França tem como meta proibir a venda de modelos movidos a combustíveis fósseis em 2040. Na Califórnia (Estados Unidos), a ideia é instaurar a lei até 2035. A Noruega, no entanto, pretende excluir os veículos a combustão dos catálogos de vendas em 2025.

A “revolução industrial verde” proposta para o Reino Unido inclui uma ampla gama de iniciativas que estimulam o crescimento econômico. Entre elas, o governo planeja investir em transporte público e tornar aviões e navios menos poluentes.

Contudo, quem tem carro a combustão pode ficar tranquilo. Afinal, não há previsão de retirá-los de circulação. E os modelos híbridos continuarão sendo comercializados até 2035, garantem as autoridades britânicas.

FONTE: Jornal do Carro (SP)

 

Os comentários estão desativados.