Coluna “ALTA RODA”. Fernando Calmon

17 17Etc/GMT+3 julho 17Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

Vencedores e Vencidos

 

renegade-suv-compacto

Renegade, SUV compacto, líder de vendas do mercado nacional. FOTO: divulgação

 O mercado automotivo brasileiro cresceu 12% neste primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2018. No entanto, a categoria de SUVs e assemelhados continua a aumentar sua participação nas vendas, atingindo o recorde de 21% com tendência a aumentar. Esse é um fenômeno mundial que começou nos Estados Unidos (lá representam quase 55% do total de veículos) e se espalhou para a Europa com aproximadamente 30% de tudo que lá se comercializa.
Embora hatches subcompactos e compactos ainda representem 40% do total no Brasil, o subsegmento de SUVs compactos não para de crescer. E foi justamente nele que ocorreu a única mudança de liderança do ranking da coluna. O Jeep “Renegade”, pela primeira vez, desde seu lançamento em março de 2015, assumiu a ponta em um semestre e reúne boa chance de fechar o ano nessa posição. No entanto, foi a vitória menos folgada, apenas quatro pontos percentuais à frente do Nissan Kicks.
Por outro lado, o que alcançou a liderança esmagadora foi o “Mercedes-Benz Classe S”, com 89%. Mas, esse é um segmento minúsculo, de vendas simbólicas (cinco dos oito modelos não acharam nenhum comprador). Os dominadores continuam a ter resultados acima de 50% de participação: Kwid, BMW Séries 5/6, Mustang, Compass, Fit/WR-V e a mais longeva líder, a picape Strada. Ela voltou a superar os 50% e deixou as três adversárias diretas bem para trás.
Nosso ranking tem base técnica com classificação por silhuetas. A referência principal é distância entre eixos, além de outros parâmetros. O enquadramento às vezes implica dúvidas e a escolha, em pouquíssimos casos, torna-se subjetiva.
A base da “pesquisa” é o RENAVAM (Registro Nacional de Veículos Automotores). Citados apenas os modelos mais representativos (mínimo de três) e em função da importância do segmento. Compilação de Paulo Garbossa, da consultoria ADK.
Hatch subcompacto: Kwid, 55%; Mobi, 35%; up!, 8%. Kwid se consolida.
Hatch compacto: Onix, 28%; HB20, 13%; Ka, 12%; Gol, 9,2%; Argo, 8,7%; Polo, 8%; Sandero, 5,4%; Fox, 5%; Yaris, 4,3%; Uno, 2,3%; Etios, 2,1%. Líder ainda mais à frente.
Sedã compacto: Prisma, 21%; Ka, 11,7%; Virtus, 11,2%; HB20, 8%; Voyage, 7,8%; Yaris, 7,5%; Logan, 6,5%; Cronos, 5,6%; Versa, 5,1%; Grand Siena, 4,7%, City, 4%; Cobalt, 3,4%; Etios, 3,1%. Prisma com folga.
Sedã médio-compacto: Corolla, 42%; Civic, 22%; Cruze 14%; Jetta, 9%. Inabalável liderança.
Sedã médio-grande: Mercedes Classe C, 32%; BMW Séries 3/4, 25%; Fusion, 12%. Líder se manteve.
Sedã grande: BMW Séries 5/6, 51%; Mercedes Classe E/CLS, 29%; Panamera, 11%. BMW avançou.
Sedã de topo: Mercedes Classe S, 89%; BMW Série 7, 7%; Rolls-Royce Wraith, 4%. Resultado esmagador.
Cupê esportivo: Mustang, 54%; Camaro, 21%; BMW M2, 12%. Mustang muito firme.
Cupê esporte: 718 Boxster/Cayman, 47%; 911, 25%; BMW Z4, 9%. Porsche absoluta.
SUV compacto: Renegade, 18%; Kicks, 14%; Creta, 13%; HR-V, 12,7%; EcoSport, 8%; Captur, 7,4%; Duster, 7%; Tracker, 4,7%; T-Cross, 4,3%. Renegade virou o jogo.
SUV médio-compacto: Compass, 60%; ix35/Tucson, 10%; Sportage, 4%. Líder aumenta vantagem.
SUV médio-grande: SW4, 32%; Tiguan, 27%; Equinox, 12%. SW4 com menos folga.
SUV grande: Trailblazer, 32%; Range Rover Velar, 10,7%; Volvo XC90, 10,5%. Trailblazer ainda firme.
Monovolume: Fit/WR-V, 57%; Spin, 37%; C3 Aircross, 5%. Líder sem discussão.
Picape pequena: Strada, 54%; Saveiro, 28%; Montana, 9%. Strada imbatível.
Picape média: Toro, 32%; Hilux, 22%; S10, 16%. Liderança serena.

ALTA RODA

VOLKSWAGEN e FORD parecem cada vez mais próximas de algo além de simples acordos de cooperação. Acabam de anunciar outros dois. Trabalharão juntas em veículos de condução autônoma por meio da empresa Argo AI. A Volkswagen fornecerá sua arquitetura de automóveis elétricos para modelos da Ford na Europa. Por enquanto, não se fala em fusão.
Até quando?

POUCO mais de três anos após seu lançamento, Fiat apresenta ano-modelo 2020 da Toro para consolidar liderança na faixa de uma tonelada. Agora um discreto quebra-mato está em todas as 10 versões da picape e tela multimídia passou de 5 para 7 polegadas. No último trimestre, kit batizado de Ultra com tampa rígida para a caçamba, produzida na fábrica, aumentará versatilidade. Preços: R$ 92.990,00 a 159.990,00.

TORO também tem nova versão de entrada com motor flex de 1,8 L e câmbio manual de cinco marchas. Ideia é atrair compradores pelo preço menor ou utilização comercial. No uso em cidade será difícil conseguir novos clientes só por essa oferta. Bom o engate das marchas, porém se trata de um veículo muito pesado para o torque disponível. Com carga ficará lento.

BORGWARNER prevê produção crescente de turbocompressores, tanto no exterior como no Brasil. No intervalo de 10 anos (2017-2027), a participação em motores a combustão deve passar de 43% para 59% no mercado mundial. Aqui essa proporção será menor, mas bem acima de hoje. Pelo menos quatro fabricantes ampliarão a oferta de turbos em novos produtos.
____________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.facebook.com/fernando.calmon2

ANUNCIO-PLATEN-PRESS-jornais-2-1

Automóveis Fiat Argo e Cronos conquistam 3 estrelas em teste de colisão do “Latin NCap”

por fernandosiqueira

Nota atribuída pelo “Latin NCap” é para segurança de adultos e considerou a falta de controle de estabilidade nos modelos da Fiat.

teste-latin-ncap-fiatargo-e-cronos

Fiat Cronos sendo testado no Latin NCAP. FOTO: divulgação

Os automóveis Fiat Argo e Cronos receberam 3 estrelas, em um total de 5 possíveis, em teste de colisão realizado pelo Latin NCap, entidade independente que avalia a segurança dos veículos automotores. O resultado foi divulgado ontem, dia 16 do mês em curso.

A nota é válida para a segurança de adultos nos automóveis. Para crianças, Argo e Cronos foram avaliados com 4 estrelas.

Fiat Argo e Cronos

Os modelos da Fiat foram avaliados pela primeira vez desde o seu lançamento: o Argo foi lançado no ano de 2017 e o Cronos no início de 2018. Ambos são fabricados, respectivamente, no Brasil e na Argentina.

O Latin NCap apontou a falta de controle eletrônico de estabilidade e a ausência do Lembrete do Uso do Cinto de Segurança (SBR) padrão para o passageiro como motivos para as 3 estrelas para adultos.

Desde 2016, o Latin NCap considera esses itens de segurança, entre outros, como indispensáveis para um automóvel conquistar 5 estrelas, mesmo que o recurso não seja oferecido de série (em todas as versões do modelo). Equipados com 2 airbags, Argo e Cronos também apresentaram proteção considerada “fraca” no peito do adulto, no teste do impacto lateral.

Segundo a entidade, a estrutura foi considerada “instável”. O Latin NCap apontou que os modelos têm bom desenvolvimento na sua concepção, fato que deveria permitir melhorias.

A proteção oferecida para crianças foi considerada boa e quase atingiu a classificação máxima no teste dinâmico. Segundo a entidade, isso demonstra os benefícios de um bom desempenho dos sistemas de retenção infantil junto com as ancoragens do tipo Isofix.

No entanto, mesmo com Argo e Cronos permitindo a desconexão do airbag se houver uma cadeirinha voltada para trás no assento do passageiro, a sinalização dele e das ancoragens Isofix não atendem aos requisitos do Latin NCap.

 Não obstante deixar de conseguir nota máxima, a marca afirma que os resultados “confirmam a ótima biomecânica e a alta resistência estrutural dessas carrocerias, que foram totalmente projetadas e desenvolvidas na América Latina”.

Marcopolo reforça foco na inovação colaborativa em novo espaço com Ouro e Prata no TECNOPUC

por fernandosiqueira

Ambiente tem como objetivo criar soluções para as necessidades dos clientes

 

marcopolo-centro-treinament

 Marcopolo, Centro de Treinamento. FOTO: divulgação

 

Caxias do Sul (RS)  16 de julho de 2019.  A Marcopolo, Ouro e Prata, Rodosoft e Innoscience inauguraram um espaço de Inovação dentro do TECNOPUC em Porto Alegre (RS). O objetivo das empresas é co-criar, ou seja, unir cliente, fornecedor, colaboradores e parceiros para juntos desenvolver conceitos e novas maneiras de pensar soluções para as dores latentes do setor de transporte de passageiros.

“Temos percebido a necessidade de oferecer cada vez mais soluções de serviços aos passageiros, pensando na experiência e jornada do usuário e por isso, estamos focados em construir isso juntos. A Ouro e Prata é parceira de longa data na geração de inovações, portanto acreditamos ser uma ótima oportunidade de colaboração juntamente com os outros parceiros, além de participar do ecossistema do Tecnopuc.” comenta Petras Amaral Santos, Head de Inovação da Marcopolo.

O Tecnopuc foi escolhido por ser um ambiente colaborativo, com um DNA e ecossistema de inovação, visto que lá é possível interagir com startups, o corpo acadêmico local e usufruir de todos os benefícios desse lugar para criar soluções e oportunidades de negócios para o segmento de transporte rodoviário a partir de novas tecnologias.

O parque tecnológico da PUCRS respira inovação por meio de uma ação simultânea entre academia, instituições privadas e governo e abriga atualmente mais de 130 empresas como, por exemplo: Apple Developer Academy, Santander Getnet, Globo.com,  Hawlett Packard, INPI,  Johnson&Johnson, Microsoft Innovation Center, Petrobras, PGQP, Oracle, Sicredi, Telebras, Thyssenkrupp, TOTVS, Uol Edtech, entre outras.

Marcopolo

Com sede em Caxias do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, a Marcopolo é uma das maiores fabricantes de carrocerias de ônibus do mundo. Possui 11 fábricas no Brasil e em vários continentes, e seus ônibus estão presentes em mais de 100 países.

A marca se consolidou pela tradição de qualidade e inovação de seus produtos, concebidos para atender as necessidades dos clientes e as demandas dos mercados onde atua. Atualmente, a Marcopolo é referência no desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo em todo o mundo.

Ouro e Prata

O Grupo Ouro e Prata é referência em inovação no transporte de passageiros, em especial através da Viação Ouro e Prata. Está entre as 50 empresas mais inovadoras da região sul, integra o ranking da 15ª edição Campeãs da Inovação realizado pelo Grupo Amanhã em parceria com o IXL Center, sendo considerada líder no setor de transporte e logística e apontada como a empresa mais inovadora de sua categoria.

Em 2018 recebeu o Prêmio Inovação pela Revista ANTP/ABRATI e também foi considerada uma das 100+ Inovadoras no uso de TI em três edições, pela Revista IT Mídia em parceria com a consultoria PWC.

A empresa hoje atende mais de 200 destinos nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Pará. Com sede em Porto Alegre/RS, transportou mais de 3,5 milhões de passageiros em 2018 , em todo o Brasil. É considerada uma das maiores empresas do ramo de transportes rodoviários de passageiros do Estado do Rio Grande do Sul, empregando aproximadamente 1.100 funcionários.

Rodosoft

Desenvolver sistemas e fornecer soluções informatizadas para o segmento de Transporte Rodoviário de Passageiros é o negócio da Rodosoft Tecnologia, que desde 1989 é referência em gerenciamento de sistemas para estações rodoviárias e empresas de transporte de passageiros.

Atendendo mais de 200 estações rodoviárias no Estado do Rio Grande do Sul, foi responsável pela emissão de mais de 50 milhões de bilhetes de passagem no ano de 2018. Também foi das  primeiras empresas a homologar a emissão do Bilhete de Passagem Eletrônico (BP-e) no Brasil.

 

A Mercedes-Benz e os seus 125 anos no automobilismo

16 16Etc/GMT+3 julho 16Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

[MEMÓRIA] Momentos de destaque no automobilismo da marca incluem a participação na primeira competição de automóveis do mundo. Marca se torna protagonista nas pistas acumulando vitórias. Lewis Hamilton continua construindo a história da Mercedes-Benz na Fórmula 1

mercedes-benz-automobilismo

Carros de Fórmula 1 produzidos ao longo dos anos. FOTO: divulgação

O ano era 1894 quando, na França, acontecia a primeira corrida de automóveis da história, entre as cidades de Paris e Rouen. Dois veículos estão em primeiro lugar, ambos possuem motores produzidos sob a licença da Daimler. Desde a primeira competição, até as participações mais recentes no automobilismo, as atividades da Mercedes-Benz no Motorsport contam uma história de sucesso. Como na mais recente corrida em Silverstone (Inglaterra) na qual Lewis Hamilton alcançou a 80° vitória, depois de ter se tornado, em 2018, um dos três pilotos que venceram cinco campeonatos ou mais, após Juan Manuel Fangio e Michael Schumacher. Assim, continua a narrativa da marca no automobilismo que, em 2019, completa 125 anos unindo os perfis dos pilotos e suas vitórias.

 

A etapa de 1901 foi marcada pela primeira vitória da Mercedes-Benz, na “Semana de Nice”. O veículo utilizado por Emil Jellinek, um Mercedes 35 PS, é tido como um ícone de progresso na história, considerado o primeiro automóvel de corrida moderno, marcando o desenvolvimento automobilístico e sendo referência para toda a indústria. Sete anos depois, outro grande marco: a vitória do Grande Prêmio da França, quando o Mercedes 140 PS chega à frente de dois veículos de corrida da Benz.

Sucessivas vitórias foram obtidas na França, tanto pela então Daimler-Motoren-Gesellschaft quanto pela Benz&Cia, até a sua fusão em 1926, que originou a Daimler AG, unindo as atividades de sucessos das duas marcas.

Em paralelo às vitórias nas pistas, a Mercedes-Benz também inspirava com numerosos recordes. A lenda do “Flechas de Prata” começa com os veículos de corrida Mercedes-Benz W 25 Grand Prix, que dominaram as competições europeias a partir de 1934. Com suas carrocerias prateadas, sua engenharia e vitórias históricas, se torna um ícone da marca.

Anos mais tarde, frente aos grandes desafios criados pelo desenvolvimento de novos veículos de passageiros, a marca de Stuttgart (Alemanha) se retira do automobilismo ao final da temporada de 1955. Vinte cinco anos mais tarde, retorna aos circuitos no “grupo C”, inicialmente como fornecedora de motores para a equipe de corridas Sauber e, posteriormente, como equipe competidora oficial, iniciando mais uma era de ouro.

Na temporada de 1994, a Mercedes-Benz novamente entra na classe principal do automobilismo: a Fórmula 1, acumulando numerosos sucessos. No ano de 2014, marca o início de mais uma era gloriosa para os “Flechas de Prata”. Como equipe, continua conquistando vitórias consecutivas: de 2014 a 2018.  A agora denominada Mercedes-AMG PETRONAS é a campeã mundial de construtores da Fórmula 1, e segue a história de 125 anos de automobilismo com o símbolo da estrela.

Para vídeo em alta resolução, acesse o nosso conteúdo de imprensa pelo link: https://we.tl/t-wyDRVbSvZH

Falsa fábrica de automóveis de luxo é desbaratada no Estado de Santa Catarina

por fernandosiqueira

Proprietários, pai e filho, serão indiciados. Eram produzidas no local automóveis esporte falsificados das marcas Lamborghini e Ferrari. Fábrica foi descoberta após denúncia das montadoras italianas

 

lamborghini-ferrari-falsas

Ferrari e Lamborghini falsas, produzidas em Santa Catarina. FOTO: divulgação

Uma fábrica de automóveis ESPORTE falsificados, das marcas Ferrari e Lamborghini, foi desbaratada pela polícia em Itajaí (Santa Catarina), informou a Polícia Civil daquele Estado. Ontem, dia 15 de julho do corrente ano, foram apreendidas 8 réplicas que estavam sendo montadas. Os proprietários do estabelecimento, pai e filho, serão indiciados.

No local, a polícia encontrou chassis, moldes, ferramentas e fibras usadas na fabricação dos carros.  Os “esportivos” eram montados por encomenda e tinham venda divulgada pelas redes sociais. Eles custavam aproximadamente  8% do valor dos modelos originais.

Ontem, dia 15, pai, filho e um funcionário que estava no local, foram ouvidos e liberados, segundo Ângelo Fragelli, delegado responsável pelo caso. A identidade deles não foi revelada pela polícia. O crime contra a propriedade industrial é considerado de menor potencial ofensivo.

Há informações de que a fábrica ilegal tinha mais trabalhadores. “Se eles têm conhecimento dos fatos, da irregularidade do que eles estavam produzindo, de fato todos eles podem responder por crime contra a propriedade industrial”, explicou o delegado.

As próprias marcas entraram em contato com a Polícia Civil e fizeram a denúncia. Os carros eram vendidos para todas as regiões do Brasil. Incrível!

 FONTE: G1

 

Governo Federal anuncia acordo com o Ministério Público para instalar 1.000 radares de velocidade

por fernandosiqueira

Acerto deverá gerar economia de R$ 600.000,00. Aparelhos vão fiscalizar 2.200 pontos.

radares-estradas

Radar em estrada. FOTO: divulgação

O Governo Federal tornou público ontem, dia 15 de julho, em Brasília, DF, que fechou com o MPF (Ministério Público Federal) acordo que prevê a instalação de 1.000 radares de controle de velocidade em estradas.

Não foram dados detalhes sobre o teor do acordo, mas sabe-se que o acerto firmado com o Ministério Público Federal o número de faixas a serem fiscalizadas nessas estradas. Deve gerar uma economia correspondente a aproximadamente R$ 600.000,00 ao Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

A instalação dos novos aparelhos, suspensa em abril do corrente ano pelo Governo Federal, ocorreria nas rodovias administradas pelo Dnit e cobriria 8.000 pontos nos próximos 5 anos, ao custo de R$ 1 bilhão.

Embora Governo Federal e Ministério Público tenham entrado em acordo em torno da instalação dos radares, a Justiça Federal ainda tem que homologar os termos do acordo.

Em abril deste exercício, a juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara Federal em Brasília (DF), determinou que o Governo Federal não retirasse radares eletrônicos e renovasse contratos prestes a vencer com concessionárias que fornecem esses aparelhos de controle de velocidade.

Na ocasião, a magistrada impôs multa diária de R$ 50.000,00 em caso de descumprimento da decisão por parte do Executivo federal. A decisão da juíza do Distrito Federal atendeu a pedido feito em ação popular pelo senador Fabiano Contarato..

O parlamentar do partido “Rede” recorreu à Justiça depois que o Dnit suspendeu, no dia 1º de abril deste ano, a instalação de radares em rodovias federais não-concedidas à iniciativa privada por ordem do presidente Bolsonaro.

Dias antes, Bolsonaro havia anunciado em uma rede social que tinha determinado o cancelamento de imediato da instalação de radares eletrônicos em estradas federais. O presidente justificou a decisão com o argumento de que “a grande maioria dos radares de velocidade tem o único intuito de retomo financeiro ao Estado”. E infelizmente é a mais pura verdade.

O valor do contrato suspenso em abril pelo Dnit era de R$ 1 bilhão. Com base no acordo fechado com o Ministério Público, que está à espera de homologação da Justiça Federal, o Governo Federal acredita que pode economizar dois terços do valor original do contrato.

Segundo a assessoria da Justiça Federal de Brasília, a juíza da 5ª Vara ainda não homologou o acordo entre o governo e o MPF porque discordou de uma das cláusulas e pediu mais informações às partes envolvidas. Ainda não há previsão de quando a magistrada irá se posicionar definitivamente sobre o acerto para instalação dos radares.

Critérios técnicos

O Governo Federal declarou que os radares serão instalados com base em critérios técnicos. Segundo ele, não vai mais haver radar escondido. “Estamos analisando a questão do ponto de vista técnico”, enfatizou.

Ainda segundo o Governo Federal, o número de 1.000 radares é o mínimo necessário para manter a segurança nas estradas.

“Onde é que estão esses equipamentos? Nas transições de área rural para área urbana, onde a gente precisa alertar o motorista que ali ele precisa reduzir a velocidade, nas proximidades de alguns equipamentos públicos, como escolas e em pontos onde são recorrentes acidentes por excesso de velocidade”, observou o Governo.

Neobus desenvolve modelo específico para serviço suplementar de Belo Orizonte (MG)

por fernandosiqueira

ônibus-neobus 

FOTO: Giovanni Boff

A NEOBUS desenvolveu um novo modelo de micro-ônibus Thunder+ especificamente para o Programa Suplementar do transporte urbano de Belo Horizonte, MG, no qual a marca possui participação expressiva no sistema. Os veículos, em diferentes configurações e motorizações, atendem aos padrões da BHTrans.

Os micros Thunder+ do Programa Suplementar BH podem ser montados em chassis Agrale, Mercedes-Benz e Volkswagen. O veículo tem 9.000 mm de comprimento, 20 poltronas estofadas com encosto alto no salão de passageiros e espaço para cadeirante. Com duas portas do lado direito e elevador para pessoas com mobilidade reduzida na porta dianteira, contam ainda com sistema de insufladores climatizantes para melhor ventilação interna do carro, iluminação interna e externa em LED, e itinerários eletrônicos, além de sistema de monitoramento interno por câmeras, com preparação para quatro câmeras de vídeo.

Segundo Douglas Cristiano Pessoa, supervisor nacional de vendas da NEOBUS, a marca vem trabalhando para oferecer soluções eficientes e competitivas, de acordo com a necessidade de cada mercado. “Nosso objetivo é oferecer a melhor relação custo-benefício, com elevado padrão de qualidade, e fortalecer a nossa rede de pós-venda e de serviços para melhor atender nossos clientes”, destaca o executivo.

Chega ao mercado a linha Toyota Hilux e SW4 modelo 2020

por fernandosiqueira

[NOVIDADES] Com novos itens de segurança e mais equipamentos nas versões de entrada. Agora, todas as Hilux cabine dupla contam com airbags laterais e de cortina. São 7 bolsas infláveis, além de controle de tração e estabilidade. Toda a linha SW4 também passa a contar com 7 airbags. Pick-up e SUV médios ganham travas de roda e estepe contra furtos. Versões GR-S, SRX e SRV dos modelos passam a contar com central multimídia de 8 polegadas com novas funções e aprimoramento do GPS

Toyota-Hilux-2020-Exterior

Pick-up Toyota Hilux modelo 2020 trás algumas novidades interessantes. FOTO: divulgação

A Toyota lança a nova linha 2020 dos modelos Hilux (fot0 acima) e SUV SW4, líderes de vendas absolutos em suas categorias no Brasil. A principal novidade está nos itens de segurança, com uma lista de equipamentos adicional, tornando os dois produtos entre os mais seguros de suas respectivas categorias.

A partir de agora, todas as versões cabine dupla da Hilux e toda a linha SW4 passam a contar com airbags laterais e de cortina, que se juntam aos dois frontais e de joelho para o motorista, totalizando sete bolsas infláveis. Além disso, as versões SR e Standard da Hilux recebem também controle de estabilidade (VSC), controle de tração (TRC) e assistente de partida em rampa (HAC), enquanto a versão SR a diesel também passa a contar com assistente de descida (DAC), equipamentos presentes somente nas versões topo de linha do modelo até então.

Outros dois novos itens de segurança de série também foram adicionados: as versões GR-S, SRX, SRV e SR, movidas a diesel ou flexfuel, ganharam travas de rodas, enquanto as versões GR-S, SRX e SRV ainda ganharam trava do estepe, garantindo maior segurança contra furtos e roubos.

Os novos itens de segurança colocam a Hilux e a SW4 entre os modelos mais seguros de suas respectivas categorias. Além disso, a Hilux passa a ser a única pick-up média a contar com 7 airbags desde as versões de entrada. As melhorias visam cumprir integralmente com os novos e mais exigentes requisitos dos protocolos de segurança da região.

A linha 2020 da Hilux conta com 12 versões disponíveis, que serão oferecidas para o consumidor com o preço final entre R$ 119.940,00 e 214.690,00. A SW4 possui 6 versões que variam entre R$ 161.590,00 e 279.990,00.

Novidades na central multimídia

Outro destaque é a nova central multimídia no painel da pick-up e do SUV médio, que nas versões GR-S, SRX e SRV terão agora uma tela de 8 polegadas com as funções de Pinch Out, Pinch Close, e Flick. Com capacidade de reconhecer dois toques simultâneos. O equipamento, agora, permite, por exemplo, que os ocupantes possam aplicar a função de zoom em imagens e informações do navegador, além de manusear barras de rolagem em listas de músicas e arquivos.

O sistema de GPS integrado também recebeu aprimoramentos, com rotas mais precisas, pontos de referência em 3D para facilitar a visualização, além da ferramenta de configuração do destino mais simples, facilitando a navegação. A função de navegador está disponível em todas as versões cabine dupla da Hilux e todas as SW4, com exceção da Hilux SR e SW4 SR com câmbio manual.

Além das novidades e aprimoramentos, o equipamento também possui sistema de entretenimento de vídeo integrado ao painel com TV Digital, rádio, MP3 Player, câmera de ré com visualização na tela, conexão Bluetooth® com microfone localizado no console do teto e conexão USB e AUX, que são compatíveis com os sistemas Android e IOS desmartphones.

Em termos de conectividade, os modelos contam com o Miracast, conexão via Wi-Fi que espelha o conteúdo exibido pelo celular, incluindo aplicativos como Waze, Google Maps, YouTube e outros. Além disso, contam também com o MirrorLink – espelhamento do celular com conexão via cabo para alguns aplicativos pré-determinados (por motivos de segurança, as imagens dos aplicativos de navegação não serão exibidas quando o veículo estiver em movimento).

Design externo

Hilux

A novidade para a linha 2020 é a introdução da cor branco pérola para a versão topo de linha SRX.

Desde o ano passado, a Hilux passou a contar com novo desenho frontal nas versões SRX, SRV e SR. O modelo incorpora desenho de grade hexagonal, traçada por três sólidas barras horizontais contornadas por um acabamento cromado. As alterações implicaram na remodelação do para-choque dianteiro, onde foram incorporados faróis de neblina, equipamento presente desde a versão SR.

Resultante das alterações, o design ficou mais enxuto e aerodinâmico. São 5.315 mm de comprimento, 15 mm menor em relação ao modelo anterior. Na altura, permanecem os 1.815 mm e os mesmos 1.855 mm de largura, assim como a distância entre eixos, de 3.085 mm.

SW4

toyota-SW4-modelo-2020

 

A atual geração da SW4 passou a ter identidade própria de um SUV, de acordo com sua história e reputação. Ao descolar sua imagem derivada de uma picape (Hilux), o utilitário esportivo uniu inovação a um toque delicado de refinamento, que fundiu elegância e sofisticação ao DNA Toyota de Qualidade, Durabilidade e Confiabilidade.

Na dianteira, a grade cromada adota uma base contínua ao longo dos faróis com luzes de halogênio, com sistema “Follow me Home”, proporcionando ao veículo uma aparência moderna. O para-choque adota uma forma tridimensional bem definida com molduras cromadas, conferindo profundidade aos faróis de neblina.

As superfícies esculpidas dos para-choques dianteiro e traseiro são destacadas por um eixo que se conecta a toda lateral do SUV. As soleiras, os espelhos retrovisores com rebatimento elétrico, assim como a luz interna e de ignição visam facilitar o acesso ao veículo.

Motor e transmissão

Os modelos da linha 2020 da Hilux seguem equipados com motores diesel e flex. Veículos de motorização diesel vêm equipados com propulsor Toyota D-4D 2.8L 16V Turbo de 177cv de potência a 3.400 rpm, todas de tração integral.

As transmissões para os modelos diesel são automática de seis velocidades sequencial para as versões GR-S, SRX, SRV e SR e manual de seis velocidades para as versões Standard Power Pack, Standard Narrow, Cabine Simples e Cabine Chassi.

As versões flexfuel trazem o motor Dual VVT-i Flex 2.7L 16V DOHC, especialmente projetado para o mercado brasileiro. O grande diferencial é a tecnologia de duplo comando de válvulas variável (Dual VVT-i), que atua no gerenciamento dos sistemas de admissão e escape da câmara de combustão, otimizando a queima do combustível de maneira inteligente. As versões flex da picape média apresentam 163 cv de potência a 5.000 rpm, quando abastecidos com etanol, e 159 cv, também a 5.000 giros, com gasolina.

São três versões dotadas de transmissão automática de seis velocidades sequencial: SRV 4×4 Cabine Dupla, SRV 4×2 e SR 4×2. Há ainda opção de SR 4×2 de transmissão manual de cinco velocidades.

Preços

Os preços da linha Hilux e SW4 2020 são:

Modelo

Versão

Preço público sugerido

Hilux

DSL

GR-S Cabine Dupla 4×4

A/T

R$ 214.690,00

SRX Cabine Dupla 4×4

R$ 205.590,00

SRV Cabine Dupla 4×4

R$ 187.890,00

SR Cabine dupla 4×4

R$ 169.940,00

Cabine Simples STD Power Pack 4×4

 M/T

R$ 149.705,00

Cabine Simples STD NARROW 4×4

R$ 147.205,00

Cabine simples STD 4×4

R$ 130.360,00

Chassi cabine simples 4×4

R$ 126.200,00

FFV

SRV Cabine Dupla 4X4

 A/T

R$ 146.590,00

SRV Cabine simples 4X2

R$ 135.190,00

SR Cabine Simples 4X2

R$ 125.440,00

SR Cabine Simples 4X2

M/T

R$ 119.940,00

SW4

 DSL

SRX Diamond 7L

A/T

R$ 279.990,00

SRX 7L

R$ 268.890,00

SRX 5L

R$ 262.590,00

 FFV

SRV 7L

A/T

R$ 191.240,00

SR 5L

R$ 175.340,00

SR 5L

M/T

R$ 161.590,00
_____________________________________________________________________________________

 

Vem aí os Fiat Argo e Cronos com câmbio automático CVT

15 15Etc/GMT+3 julho 15Etc/GMT+3 2019 por fernandosiqueira

A FCA, divisão Fiat, vai tirar de linha o “câmbio automatizado” de 5 velocidades GSR (uma evolução da caixa Dualogic) na renovação de sua gama de produtos. De acordo com o meu colega Marlos Ney Vidal, que pilota o site Autos Segredos, a montadora de Betim (MG), vai adotar a moderna transmissão automática CVT, que tanto prestígio vem conquistando ao longo do tempo.

fiat-cronos

Fiat Cronos, em breve com câmbio automático CVT. FOTO: divulgação

O novo câmbio deve estrear na linha 2020 da dupla Argo e Cronos, combinada ao motor Firefly 1.3. O lançamento poderá acontecer no Argo Trekking, a versão aventureira do hatch.

A apuração revelou que a opção pelo câmbio CVT se deu por conta do peso menor e a melhor adequação ao torque do motor Firelfy 1.3. A transmissão estará disponível na versão Drive de Argo e Cronos – atualmente disponível com câmbios manual ou automatizado de cinco velocidades. A nova caixa deverá aumentar os preços dos compactos em cerca de R$ 2 mil em relação à tabela atual com a transmissão GSR.

fiat-argo

Fiat Argo Hatch, vai evoluir para o câmbio automático CVT. FOTO: divulgação

General Motors dos Estados Unidos encerra produção do Equinox diesel

por fernandosiqueira

equinox-frente

O Utilitário-Esportivo EQUINOX com motor diesel deixou as linhas de montagem da General Motors Corporation nos Estados Unidos. A baixa procura pelo mercado foi a responsável pela decisão.

Agora, a montadora americana confirmou que a versão DIESEL  não ganhou a preferência do consumidor do País do automóvel. Aqui no Brasil, à semelhança do que ocorre nos Estados Unidos, o EQUINOX é um dos  SUVs mais desejados pelo mercado, mas a gasolina.

Comenta-se que os americanos não aprovaram o motor diesel 1.6 litros de 139 cavalos de potência e 32,9 kgfm. Realmente, é pequeno para as proporções daquele carro.

No Brasil, o modelo é vendido com motor 2.0 Ecotec Turbo de 262 cavalos de potência e 37 kgfm, GASOLINA. Por isso faz tanto sucesso. Por isso é tão desejado. O carro é bonito, bem acabado, esbanja conforto e desempenho.

equinox-traseira

Interessante evidenciar, o mercado americano nunca gostou de motor diesel. No caso do EQUINOX,  aposta nas versões gasolina motor 1.5 TURBO de 179 cavalos de potência e 2.0 de 262 cavalos de potência. Agora sim a GM oferece uma proposta que se harmonisa com o gosto do americano, que sempre deu preferência ao carro POTENTE, de grande desempenho.