Tite estreou como técnico da Seleção Brasileira em campo na partida contra o Equador, válida pelas Eliminatórias Copa do Mundo Rússia 2018. No mesmo dia iniciava a trajetória de Gabriel Jesus na Principal. De lá para cá, só sorrisos para os dois.

O aproveitamento é de cem por cento. Mas aqui, com a licença do professor, o assunto será Gabriel Jesus. Caçula do time, o atacante parece não ter sentido em nada o peso da camisa. Aliás, tem se mostrado um 9 de respeito.

São quatro jogos e quatro gols até aqui. Uma média animadora e de altíssimo nível. Mais ainda, a forma como ele balançou as redes impressiona.

O primeiro gol foi num toque de puro oportunismo, com a pontinha dos pés, para completar um cruzamento rasteiro. Depois, no mesmo jogo contra o Equador, um domínio, o giro e chute de chapa tirando do goleiro.

A terceira vez que ele marcou foi contra a Bolívia. Em velocidade, após ser lançado por Neymar em lance que começou nos seus pés, ele tocou de canhota por cima do goleiro.

Para fechar a conta até o momento, que certamente ainda irá crescer, Gabriel Jesus mostrou outra de suas facetas. Atento à saída de bola adversária, aproveitou a bobeira do goleiro venezuela, roubou a enconbriu com enorme tranquilidade.

– O mais importante é a Seleção Brasileira continuar vencendo. Se puder marcar gols, ótimo, atacante vive disso, mas se não der, podem ter certeza que empenho na marcação e movimentação não vão faltar – disse Gabriel Jesus após a partida.

Deixe um comentário