Fidelidade

Pesquisa do Ibope/Repucom colocam os pernambucanos como os mais fiéis do Nordeste. Isso quando o assunto é clube de futebol, pelo menos. Segundo a consulta, o torcedor do Náutico é o mais fiel. Cerca de 73% dos fãs do Timbu dizem torcer apenas pelo Alvirrubro dos Aflitos. Em segundo lugar no ranking dos “não mistos” vem o Sport. Nada menos que 70% dos rubro-negros afirmam que são só “Leão”. Em meio aos clubes de Pernambuco, segundo a pesquisa, surge o Vitória da Bahia com 66%. No entanto, o quarto lugar volta a ser da terra do frevo. Os tricolores do Santa Cruz aparecem com 65% na classificação.

Fidelidade 1

O Rio Grande do Norte, nesse caso de fidelidade, aparece como o ½ fiel. A pesquisa aponta que 50% de abecedistas e americanos têm outro amor na sua vida. Ou seja, metade dos Alvinegros e Alvirrubros potiguares admitiram que dividem seus corações com outros clubes. O Flamengo está entre os preferidos dos potiguares, ora como segundo clube, ora como primeiro. Inclusive, em pesquisas anteriores, o time carioca aparece à frente dos nossos clubes como o mais querido entre os “comedores de camarão”.

Fidelidade 2

Para muitos, o torcedor “misto” representa uma categoria de “sub-torcedor”. Em várias discussões, a grande maioria através de redes sociais, estes são execrados. O seu amor pelo clube é questionado e, para alguns, eles prejudicam, inclusive, a economia do clube local, uma vez que passa a dividir a sua renda na hora do consumo de materiais esportivos, ou até mesmo no momento de escolher entre ficar em casa para assistir um jogo na TV, ou ir ao estádio apoiar seu clube, com gritos e com seu dinheiro na compra de ingressos/sócio-torcedor.

Fidelidade 3

Por outro lado, há quem defenda a liberdade individual de cada um escolher o que quer fazer com seu coração. Repartir o amor seria, na opinião destes, um ato democrático. O meu colega de coluna e de redação da Tribuna do Norte, Rubens Lemos Filho defende essa tese. “O futebol é um local democrático. Não cabe a imposição por certas escolhas”, disse em sua participação no Programa Tribuna Esporte (Jovem Pan News – 93.5 FM – segunda a sábado 11h às 12h). Concordo com “Rubinho”. Afinal, além de ser um direito seu, quem é capaz de mandar nas coisas do coração? Se o torcedor do Náutico tem olhos apenas para o clube pernambucano, ótimo, mas essa é uma escolha e não uma imposição. Não cabe a ninguém determinar alguma exclusividade, mas sim, cabe ao clube, a capacidade de conquistar.

Fidelidade 3

A conquista da exclusividade, ou ao menos, da preferência entre os dois ou mais amores que o torcedor tenha depende, quase que exclusivamente, do próprio clube e, com o advento das redes sociais, esse é um caminho aberto para todos. Se antes a culpa era da “grande mídia” com suas exclusividades quase que absolutas por jogos do Flamengo, atualmente a notícia está pulverizada e o clube local pode chegar, quase que instantaneamente, a todos os seus torcedores, via Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Whatsapp. Saber utilizar tais ferramentas é o caminho para a aproximação e claro, para o estímulo ao consumo dos seus produtos. Se há uma “guerra” pelo torcedor, agora o clube local tem mais armas para se defender. Só não pode se entrincheirar. Tem que ir para o campo aberto e combater. Investir em profissionais e empresas de ponta nessa área.

Fidelidade 4

Aliás, nesse momento de pandemia, onde não existem jogos ao vivo na TV dos principais “concorrentes”, é a hora do clube local brilhar. ABC e América têm feito bons trabalhos com retransmissões de jogos, entrevistas com ídolos e até lives solidárias fazem parte desse “show” que os potiguares podem oferecer aos potiguares. Podemos ir mais longe, devemos ir adiante. Não quero com isso, eliminar nenhum “misto”, a ideia é conquistar novos corações e transformar os clubes locais nos preferidos. O torcedor (a) pode até ter outro amor, mas o primeiro passaria a ser o da terra.

Fidelidade 4

As pesquisas que têm surgido no mercado ainda levantam outra situação que a realidade do dia-a-dia escancara. O crescimento da torcida de clubes estrangeiros em solo nacional. Basta uma pequena volta pela cidade para encontrarmos jovens e crianças vestidos com camisas do Barcelona, Real Madrid, Juventus, Manchester City, PSG, etc. Os ídolos passam a ser Messi, Cristiano Ronaldo, Mbappé e outros. Atualmente, só Neymar entra nessa batalha. Não tem ninguém, do País, além do nosso camisa 10, “brigando” entre ídolos de nível mundial. Outros são fortes, mas são apenas coadjuvantes, como Firmino, Alisson, Marcelo e Gabriel Jesus.

Voleibol

O BandSports transmite um especial para os fãs do vôlei, com três momentos inesquecíveis para os brasileiros. A partir das 18h30 de sábado, tem o ouro de Ricardo e Emanoel no vôlei de praia nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004). Depois, o canal reapresenta dois ouros olímpicos do Brasil no vôlei feminino contra os Estados Unidos, em Pequim e Londres, respectivamente. O especial vai ao ar neste sábado, 23 de maio, a partir das 18h30. Amanhã também tem o ouro olímpico de Cesar Cielo nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008) e outras conquistas de brasileiros a partir das 15h.

Comentários do Site

Deixe um comentário