Os erros de planejamento já reconhecidos pelo presidente Beto Santos, que optou por não manter uma base mínima e reformular praticamente todo o grupo do América para disputa da série C, colocaram o América numa espécie de sinuca de bico dentro do Brasileirão. Pelos números dispostos, o alvirrubro se quiser sonhar com uma vaga na segunda fase, terá de vencer todos os seus jogos em Natal e ainda abocanhar uma quantia considerável fora.

Se tomarmos como base a competição do ano passado, quando o quarto colocado no grupo A, que reúne os clubes do Nordeste, passou para segunda fase com 31 pontos ganhos (o Confiança), a tarefa do time potiguar será mais árdua. Além de conquistar os 15 pontos que ainda serão disputados como mandante, o time, agora comandado pelo treinador Francisco Diá, terá de buscar mais nove pontos fora de casa.

Transformando isso em números percentuais é que poderemos notar o tamanho da tarefa americana que, em Natal, terá de apresentar um aproveitamento de 100% e nos jogos fora esse percentual teria de chegar ao patamar de 43%. Isso para atingir o mesmo patamar que levou o Confiança a ficar com a última vaga do grupo A em 2015.

A tarefa poderá ficar mais amena caso, com o equilíbrio demostrado no grupo, seja registrado um grande perde e ganha entre as equipes e ninguém consiga disparar na frente da tabela. Neste caso, poderemos nos remeter a temporada de 2014, onde o segundo colocado do grupo envolvendo os clubes nordestinos foi o CRB, com 27 pontos ganhos, exatamente a mesma pontuação do Salgueiro, que foi o terceiro colocado devido aos critérios de desempate. O último classificado acabou sendo o Paysandu, com 26.

Neste cenário, olhando sempre para o lado mais simples da situação, o América teria de manter os mesmos 100% de aproveitamento em Natal, que somados aos pontos já conquistados levaria a equipe a somar 22 pontos, bastando apenas mais quatro para trazer dos embates como visitante. Nesta situação, o percentual que no primeiro cenário era de 43%, cairia para apenas 19%, tornando-se um patamar perfeitamente possível para um clube das dimensões e da tradição do América em competições nacionais.

O Alvirrubro ainda vai atuar como mandante nos jogos contra Remo, River, Salgueiro, Cuiabá e Confiança. Já terá a condição de visitante contra o Cuiabá, Confiança, ABC, Fortaleza, ASA, Botafogo-PB e o Remo. Ou seja, na fase de volta os potiguares vão atuar fora contra todos os adversários diretos na luta pelo G-4 e, conquistando a vaga na segunda fase, certamente irá transformar essa passagem de Diá pelo comando técnico do clube num grande feito, pois ganhar 67% dos pontos que terá de disputar não é uma tarefa fácil para ninguém.

Deixe um comentário