O ABC fechou acordo durante a semana de conciliação da Justiça do Trabalho para quitar uma dívida de R$ 10 milhões com ex-atletas e funcionários. Vai pagar tudo em quatro anos.

O clube indicou como garantia o faturamento com o Time Mania. Se conseguirem vender um imóvel antes disso, antecipam o pagamento por 70% do valor à vista da dívida.

Os valores de alguns processos: Neto Coruja: R$ 163 mil – Júnior Belliato: R$ 79 mil – Fernando Gomes: R$ 119 mil – Tatá: R$ 137 mil.

No site da entidade, o presidente do TRT-RN, desembargador Bento Herculano Duarte Neto, destacou a importância da valorização das formas alternativas de resolução de conflitos.

“A conciliação continua sendo uma prioridade no nosso Tribunal, pois aqui é o caminho para que tenhamos a harmonia social e a paz social”, disse o presidente.

Bento Herculano enalteceu o pioneirismo da Justiça do Trabalho brasileira na prática da conciliação. “Não é à toa que tivemos os Conselhos de Conciliação e nós sempre tivemos as famosas Juntas de Conciliação e Julgamento”, observou.

Para ele, “a conciliação é um caminho tão saudável que o próprio Código de Processo Civil, a Justiça comum, desde os juizados especiais cíveis, e os juizados especiais de maneira geral, inspirados na Justiça do Trabalho, estão enfatizando a conciliação”.

O coordenador do CEJUSC MAR, juiz Michael Knabben, revelou que, nas Semanas de Conciliação o índice de acordos pode chegar a 60%.

Comentários do Site

  1. DENILSON BARROS
    Responder

    Mais essa … ainda se glorifica, por ter um ESTÁDIO DE FUTEBOL, devendo aos seus ex-jogadores e trabalhadores.

  2. Indignado
    Responder

    Independentemente da maneira como essa RUMA de processo trabalhista está sendo conduzida a uma solução (???), a pergunta que não quer calar jamais:
    COMO É QUE A ADMNISTRAÇÃO DE UM CLUBE DE FUTEBOL DEIXA A SITUAÇÃO CHEGAR A ESSE PONTO?
    Ora, se o ônus de cada administração fosse ressarcido através do bolso dos presidentes, será que esse rombo estaria dessa forma?
    È inadmissível que ninguém saiba redigir um contrato de forma que não permita brechas ou não tenha jogo de cintura para encaminhar uma negociação amigável dentro desse clube!
    Cara, só pode ser proposital.
    Que fique claro que, o valor montante será reajustado a cada final de temporada, ou seja, a bola de neve continua rolando. Essa negociação não será algo sacramentado da noite pro dia.
    O ABC ainda vai padecer e muito, sob as asas negras dessa ruma de dívida.

  3. Oriano
    Responder

    Na realidade, essa iniciativa aí é só prá dar uma satisfação e evitar o pior – o leilão do frasqueirão – pois, se com receita em caixa o ABC em 2017 chegou a atrasar quase vinte parcelas do acordão anterior junto á justiça do trabalho, como é que vai pagar agora sem receita?
    São 2,5 mi/ano amigo! Achou uma botija?
    O quarto zagueiro Thiago Sala ajuizou dia desses MAIS UMA ação contra o clube na justiça. Essa é nova ou já está no bolo?
    O advogado Felipe Augusto divulgou que, NENHUM dos seus clientes – cuja soma dos processos chega aos 8 milhões – havia sido procurado pelo clube. As ações foram “apalavradas” e não “acordadas”!
    Com a palavra…

Deixe um comentário