O retrospecto do ABC dentro do estádio Frasqueirão é uma arma a ser levada em consideração. Diante disso, Ranielle Ribeiro precisa colocar seu time em campo de uma forma imposititiva sobre o rival. Essa pressão não pode ser desorganizada, sob o risco de tomar um contra-ataque avassalador. No caso do América, Moacir Júnior precisa fazer com que o elenco seja inteligente e valorize a posse de bola, evitando entregá-la o tempo inteiro para o rival. Assim, diminui a pressão e o tempo passa a jogar em seu favor, transformando o apoio inicial, que vem das arquibancadas, em críticas, desconcentrando o time da casa e abrindo brechas para seu sucesso.

Deixe um comentário