Anthony Medeiros fala sobre “cortina de fumaça”

Renatinho e Moacir foram aos microfones nos últimos dias mostrar que o trabalho do técnico está muito além de escalar 1 ao 11. Após resultados fora do planejado, foram os comandantes de ABC e América que esbravejaram contra regulamento, decisões da federação e o que mais tiver a frente. Jogaram uma cortina de fumaça. E “conseguiram”.

Moacir, em entrevista ao Tribuna Esporte, criticou o regulamento do campeonato após ficar em segundo depois da derrota do América devido ao confronto direto como critério de desempate. Talvez tenha esquecido o treinador que o regulamento, apesar de merecer críticas, teve anuência dos clubes que disputam o certame – inclusive o ABC. Não deveria ser sobre “se o regulamento fosse diferente o ABC seria líder” e sim “se o ABC não perdesse o clássico, seria líder”. Mas conseguiu tirar o foco.

Já o mais recente episódio de insatisfação do homem do boné foi trazido ontem. Após um jogo sem grandes atrativos, motivado pelo gramado impraticável do Nazarenão, Renato culpou o desgaste após o América não sair do 0 contra o Força e Luz. Mais que isso, disparou que não entendia porque somente o jogo do ABC tinha sido adiado.

A tinta no papel diz, em resolução, que o pedido partiu do mandante Santa Cruz por questões “logísticas e administrativas”. FNF aceitou. O Forca e Luz, mandante do duelo contra o Alvirrubro, também pediu alteração, mas somente de horário. Alegou “deficiência de iluminação no Nazarenão” e saiu da noite para a tarde. Federação também acatou.

Renato resolveria a parada ao reclamar antes do jogo (ele afirmou que vinha questionando a diretoria por isso). Pareceram palavras que surgiram após a decepção de não vencer após o clássico (texto Antony Medeiros – Tribuna do Norte/Jovem Pan News Natal)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.