Passada a Copa do Mundo de futebol feminino da França é chegada a hora das mulheres se afirmarem no esporte. Mas isso não apenas no futebol, mas no esporte de um modo geral. Os números de pesquisas apontam essa tendência, que precisa ser melhor canalizada para que os esforços e lições de Marta e Cia não fiquem pelo caminho, apenas como palavras ao vento. Ano após ano, instituições especializadas apontam o crescimento da presença das mulheres na área esportiva, seja na prática, na cobertura jornalística, como consumidoras, ou simplesmente espectadoras (leitoras).

Segundo o site Kantar Ibope (dados 2017/18), a audiência feminina nas transmissões de futebol do canal ESPN cresceu 80%. O aumento pode ser observado principalmente entre as mulheres na faixa de 35 a 49 anos. Em 2014 a Nike fez um evento apresentando parte de uma marca voltada apenas para o público feminino. Pouco menos de um ano depois a empresa decidiu que a marca seria voltada apenas para as mulheres e o objetivo era aumentar faturamento em US$ 2 bilhões com esse segmento do mercado.

No jornalismo esportivo, antes povoado apenas por homens, é cada vez maior a presença feminina, em todos os campos da notícia e nas mais variadas plataformas. Elas contribuem com uma nova visão sobre as ações no esporte, mas ainda enfrentam preconceitos de todas as formas. A capacidade para exercer determinadas profissões não tem relação com o “XX” ou XY”, ou qualquer outra orientação e sim com a competência.

Na realidade, inteligente é aquele que parte na frente e descobre nichos de mercado. O feminino é um desses. Além das empresas de material esportivo e a mídia, já exemplificadas aqui, destaco uma de cosméticos. Inteligente, observou a necessidade de produtos resistentes ao suor, etc. A empresa Ponchos, especialista na área lucrou alto em 2018 e elaborou um plano de expansão, principalmente para os estados do Norte e Nordeste, de olho nas mulheres que praticam o esporte. Segundo números do ano passado, a expectativa de crescimento era de 40%, com um faturamento próximo dos R$ 5 milhões.

Deixe um comentário