Regional

A Copa do Nordeste é um dos principais torneios do País e um grande indutor do crescimento financeiro e técnico dos clubes da região. Alguns clubes, como o Sport já chegaram a desprezar o torneio e atualmente fazem questão de estar presentes. Na coluna da última quarta-feira falei sobre o abismo financeiro existente entre alguns dos 16 participantes. No entanto, esse não pode ser o motivo para que um clube menor se dê por vencido. Na realidade, esse fator deveria ser um motivador para que as agremiações se estruturassem minimamente. Estruturados, os pequenos poderiam fazer mais com menos e, quem sabe, surpreender.

Regional 1

O Sampaio Corrêa, campeão de 2018 é um dos exemplos recentes de que existe a possibilidade de montagem de um elenco barato, enxuto, mas competitivo. Após uma campanha surpreendente, que inclusive deixou pelo caminho o ABC, a Bolívia foi lá e conquistou o título inédito. Um dos segredos, inclusive, é aproveitar o início de temporada dos grandes, geralmente em marcha lenta, para acelerar e conseguir vantagens.

Regional 2

O América estreia na competição dentro de casa contra o Botafogo/PB. O time deverá ter o desfalque do atacante Wallace Pernambucano, contundido. Felipe Pará estará em campo junto com Dione e Tiago Orobó. O Alvirrubro tem um bom time e joga em casa, na Arena das Dunas. Resta saber o quanto a equipe foi atingida com a derrota para o rival, no Campeonato Estadual por 4 a 3.

Regional 3

O ABC joga fora de casa. O clube chegou em Sergipe na madrugada desta quinta-feira. O Alvinegro enfrenta o Confiança, no estádio Batistão às 20h. Motivado pela vitória no clássico, o time comandado por Francisco Diá precisará vencer o desafio contra o desgaste físico. Além do jogo duro contra o América, o time teve que pegar o avião para Aracaju. O zagueiro Vitor Salvador deve ser a baixa e mais alguns devem ser substituídos para evitar contusões musculares.

Karatê

Neste sábado (25), acontecerá o treino especial que vai preparar os atletas de karatê para disputar a competição nacional e mundial. O treino preparatório será no Palácio dos Esportes, em Petrópolis, das 14h30 às 17h.

Basquete

Amanhã (26), o Palácio dos Esportes recebe as finais do torneio de basquete, temporada 2019/2020. O evento será das 9h às 15h. “Dentro das nossas metas ao assumirmos a federação de basquete, duas já cumprimos, movimentar a base nas categorias sub 13, sub 15 e sub 17, tendo sido um dos articuladores da criação do Torneio Nordeste de seleções, onde participaram mais de 300 atletas do estado nessas categorias jogando nesse torneio nesses dois últimos anos. A outra foi fazer com que o feminino fosse representado na federação com a criação da Diretoria Técnica Feminina ocupada por uma atleta. Agora é a terceira meta, valorização do basquete do interior do estado”, comentou Carlos Galvão, presidente da Federação.

Praia

A potiguar Alana Silva é a única mulher representante potiguar no vôlei de praia, na etapa do Campeonato Brasileiro que está sendo disputada em João Pessoa. Ela faz dupla com a paulista Lu. A paixão pelo vôlei começou com a mãe, que também já foi jogadora de vôlei de quadra e aos oito meses de gestação disputava uma final do torneio intermunicipal realizada na cidade de Coronel/RN. Alana começou a jogar vôlei de quadra aos oito anos, em um projeto social realizado no interior do Rio Grande do Norte. Em 2007, conheceu o vôlei de praia e teve sua primeira participação em um torneio estadual “Jerns” (Jogos Escolares do Rio Grande do Norte) ao qual foi pentacampeã interregional, campeã e atleta ouro (2010).

Praia 1

Desde que Alana se apaixonou pelo esporte, os resultados e as oportunidades foram aumentando e a atleta decidiu mudar-se para a capital Natal em 2012, aos 18 anos de idade. Lá surgiram as primeiras oportunidades de representar o estado na seleção de base Sub-21, onde teve suas aparições em torneios nacionais. Teve como técnicos: Ridagno, Marcos André, Paulo Heen e Francimackson Adriano, fez sua graduação em Educação Física/Licenciatura, tem como hobby sair com amigos, marcar “bate bola”, ir para o sítio com a família, “mimar” os sobrinhos e ouvir música.

Investimento

Observando a volta do atacante Pedro, que saiu do Fluminense há tão pouco tempo que nem deu para esquecer, foi para a Europa e já está de volta ao Brasil, agora no Flamengo, me deixa abismado. Como compreender um negócio cujo investimento é milionário, que tira um atleta de um País para outro e, logo em seguida, o mesmo é emprestado a um clube, retornando ao seu País original. Como será que ficam os milhões gastos na contratação anterior é um mistério.

Negociação

O meia potiguar Rodriguinho está com os dias contados no Cruzeiro. Recuperado, ele sabe que ainda tem mercado na Série A do Campeonato Brasileiro. Jogar a Série B, com o clube mineiro seria desvalorizar o seu passe. Além disso, com o salário de R$ 150 mil, o meia estaria fora da nova realidade da “Raposa” para a temporada.

Deixe um comentário