Esta quarta-feira (9) homenageia o Dia do Atletismo, uma das práticas esportivas mais antigas do mundo, formada por um conjunto de modalidades competitivas que emociona praticantes e admiradores desde sempre. Como todo o esporte, para ganhar popularidade, precisa se aproximar cada vez mais da população. No caso do Atletismo, a Corrida de Rua tem feito esse papel e levado milhares de pessoas às ruas em provas pelo mundo inteiro. Em Natal, as corridas ganham praticantes e o calendário de provas ocupa praticamente o ano inteiro.

Uma das principais personagens do Atletismo no Rio Grande do Norte, Magnólia Figueiredo, hoje preside a Federação da modalidade no Rio Grande do Norte e, além de comandar o esporte como um todo é incentivadora da popularização através da realização de várias competições. Ela se emociona com o dia. “Correndo, saltando, lançando ou arremessando é a modalidade que nos ensina a vencer os obstáculos da vida. A sua ‘objetividade’ ratifica os princípios e valores do esporte. A minha formação, enquanto pessoa, é também produto da vivência nesta modalidade esportiva”, afirma.

A FNA é responsável, inclusive, por regulamentar as corridas de rua no estado. Alguns desses apaixonados pelo esporte, que investe na área é o professor Walter Molina. Responsável por praticamente introduzir a corrida de rua na vida do natalenses, Molina afirma que o esporte é responsável pela emoção nas competições e pelo bem-estar das pessoas que o praticam, seja na alta performance, seja apenas para manter a boa forma física. “Hoje já o esporte se transformou em uma importante fonte de boas relações sociais. O praticante melhora sua saúde, a autoestima e ainda ganha um belo grupo de amigos. É perfeito”, comenta o proprietário da Natal Runners.

Outro que investe na área é Fabiano Pezzi, professor e diretor da Go Runners. Para ele, o Atletismo é o esporte base para todos os outros. “Conhecido por “esporte-base”, por utilizar os movimentos primários tais como andar, saltar, correr e arremessar, o Atletismo é base do nosso cotidiano na Go Runners. Extraímos a corrida como meio da preparação física de adultos que optam por treinar ao ar livre para obter seus diversos objetivos, emagrecimento, ganho de disposição, condicionamento físico e outros. A corrida é sim uma baita preparação física para qualquer pessoa, mas não apenas isso. Os ganhos cognitivos que a modalidade proporciona extrapolam a engrenagem músculo-coração-pulmão, me refiro aos ganhos com autoestima, facilidade com o aprendizado, aumento da produtividade e outros. É muito além de Correr”, explica.

Abaixo algumas dicas para quem quer começar:

Respiração

“A respiração deve ser confortável, pelo nariz ou pela boca. O correto é respirar de maneira compassada, inspirando pelo nariz e expirando pela boca, e você pode praticar alguns exercícios de respiração antes do treino, ajudando a manter o ritmo correto durante o processo.”

Descanso

“O descanso é fundamental para recuperar as forças e prevenir lesões. O corpo precisa se acostumar e processar os estímulos do dia anterior, por exemplo. Então, recomendo dois dias de descanso no começo.”

Musculação e exercícios de força

“O risco de lesões é existente para qualquer praticante, mas, com músculos fortalecidos, as chances são menores. É muito importante trabalhar as pernas, o quadril e as coxas. Faça musculação ou treinos para o fortalecimento.”

Alimentação

“O ideal é comer uma hora antes da atividade física, de forma equilibrada. Procure um nutricionista para uma sugestão de cardápio ou opte por frutas e alimentos mais leves.”

Aquecimento

“Faça um aquecimento leve antes de começar, entre cinco ou dez minutos no máximo. Caminhadas rápidas ou subir escadas são boas opções, por exemplo.”

Movimentos do corpo

“Ficar atento aos movimentos do corpo evita dores e lesões. Por exemplo, a cabeça deve estar reta, olhando sempre para frente e mantendo o pescoço e a mandíbula relaxados. Os ombros devem ficar mantidos para trás e para baixo durante a corrida e os braços em um ângulo de 90º. Os joelhos, por sua vez, devem ficar levemente dobrados, absorvendo o impacto da corrida na superfície.”

Fonte: Rafael Oliveira – formado em Educação Física pela UEL (Universidade Estadual de Londrina – 2005), especialista em Saúde Pública com Ênfase em Saúde da Família pela UNOPAR (Universidade Norte do Paraná), supervisor técnico da Unidade Limão da rede SELFIT Academias e atleta amador de Futebol Americano pelo Brasil Devilz.

Deixe um comentário