Sem pilha

A derrota do América para o ASSU, por 1 a 0, domingo no Edgarzão, tomou uma proporção gigante entre os torcedores do clube. Uma enxurrada de críticas e questionamentos surgiram de todos os lados. Compreensível. É difícil aceitar que um clube com uma estrutura imensamente superior, um time com um nível técnico, em tese, melhor que o adversário, perca um jogo tão importante. Some-se a isso o fato de 15 dias de treinamentos e preparação específicos para esse confronto contra o “Camaleão do Vale”. No entanto, essa “pilha” que vem das arquibancadas, não pode invadir o vestiário. Essa é a principal missão do técnico Moacir Júnior até a quarta-feira, quando o clube vai a Mossoró enfrentar o Potiguar.

Sem pilha 1

Na verdade, o técnico americano terá que cumprir com esse papel pela terceira vez desde que assumiu o comando do time. A primeira foi logo na chegada, quando o grupo estava abatido por resultados ruins e pela saída do técnico Luizinho Lopes. Moacir conseguiu o feito e o time classificou-se para a segunda fase da Copa do Brasil e assumiu a liderança do Campeonato Estadual. Naquele momento, levou a final para a Arena das Dunas e tinha a vantagem do empate contra o ABC. Aí veio a derrota e o título para o rival. Entra em campo, novamente, o trabalho de recuperação da auto-estima do grupo. Eis que as coisas melhoram, vem a goleada sobre o rival e a oportunidade de chegar em mais uma decisão com vantagem. Não deu e o time caiu para o ASSU. Ou seja, Moacir terá que repetir a dose.

Sem pilha 2

Mas não pensem que a “pilha” está só do lado americano. Quem assistiu ao jogo no Frasqueirão, entre Santa Cruz e Potiguar/M garante que o Alvirrubro de Mossoró estava à beira de um ataque de nervos. Os jogadores erravam muito e chegaram a irritar os torcedores que vieram a Natal acompanhar o time. O Tricolor perdeu chances e poderia ter vencido o jogo, o que tiraria a vantagem do “Time Macho” para a decisão. A situação estava tão complexa que o técnico Emanoel Sacramento chegou a discutir com a torcida, apesar de, depois, ter saído aplaudido de campo.

Força e Luz

Dizem, nos bastidores, que o presidente do Força e Luz, Ranílson Cristiano, teria sido procurado para vender o “Time Elétrico” por cerca de R$ 300 mil. A proposta foi feita por um grupo de empresários ainda no início da temporada 2019 e não foi aceita. Para infelicidade do dirigente e da torcida, o Força não resistiu e acabou rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Potiguar. Antes do jogo contra o ABC, domingo na Arena das Dunas, o técnico do time, Airton Fonseca, que já tinha quatro desfalques, precisou mudar em outras quatro posições para acertar o time. Assim, fica difícil e o time foi presa fácil para os reservas do ABC, que venceram por 4 a 0.

Pais de família

Domingo (7), após o apito final do árbitro, na Arena das Dunas, observei bem a saída dos atletas do Força e Luz. A maioria cabisbaixos. Esse é um lado do futebol que pouca gente enxerga. Esses atletas, pais de família, muitos sustentando até mais de uma família, sabem o peso de uma derrota como essa. Alguns não conseguirão clube para o segundo semestre e terão que buscar outras atividades para ter uma renda. É triste, mas esse é o outro lado, nada glamouroso, do futebol. Como eles, outros tantos, em estaduais por aí à fora, viverão a mesma situação de indefinição e medo pelos próximos meses. Boa sorte a todos.

Corrida

Cerca de 35 corredores da equipe Go Runners irá participar da prova de João Pessoa, Jampa Run. O interesse crescente dos natalenses por hábitos saudáveis por meio do esporte vem impulsionando também quem atua na área, tanto que a marca terá uma nova unidade também na capital paraibana. A Jampa Run será realizada no próximo dia 28 e também está atraindo outras equipes de corrida da capital potiguar para correr no estado vizinho.

RN 1500

A 21ª edição do Rally RN 1500 terminou neste domingo (7/4). Com um grid formado pelos principais nomes do esporte nacional foram quatro dias de evento com um traçado que mesclou trechos velozes a travados e perigosos, tudo que a turma do 4×4 mais gosta. Gregório Caselani, nas motos, Riamburgo Ximenes/Flávio França, nos UTVs, Giovanni de Costa Ramos Filho, nos quadriciclos, e Mauro Shenekemberg/Filipe Biachini, na carros ficaram com os títulos deste ano.

Arbitragem

O árbitro Caio Max Augusto Vieira foi o escolhido para apitar a decisão da Copa Rio Grande do Norte entre Potiguar e América, marcada para amanhã (10), às 20h30, no Estádio Nogueirão, em Mossoró. A escolha aconteceu após audiência pública realizada na tarde desta segunda (8), pelo presidente da Comissão de Arbitragem Profissional de Futebol do RN, cel. Ricardo Albuquerque, na sede da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF).

Deixe um comentário