Empréstimo

A frase: “Devo não nego, pago quando puder”, não pode ser utilizada pelo ABC para cumprir com os compromissos que tem em relação às dívidas acumuladas pelo clube, ao longo de várias temporadas e que agora obrigam o Alvinegro a recorrer a um empréstimo milionário. O grande problema é que os débitos estão quase todos no campo trabalhista, que tem prioridade de pagamento, via processos judiciais e pode levar à penhora de bens do clube, com destaque para terrenos no entorno do estádio Maria Lamas Farache e até a própria praça desportiva, caso não haja uma solução.

Ouvi críticas e apoios à solução encontrada pela diretoria e aprovada em reunião do Conselho Deliberativo. O empréstimo, a ser realizado em instituições financeiras, de algo em torno de R$ 6 milhões foi o caminho encontrado. Como garantia, cerca de 0,6% do terreno do clube, na área mega valorizada (já foi mais, mas em época de crise, nada tem mais tanto valor assim) de Ponta Negra. Os juros serão de 1.6% ao mês e a mensalidade girará em torno de R$ 80 mil/mês, por 60 meses.

Não há o que se discutir. Um providência precisava ser tomada, sob o risco de o prejuízo ser bem maior, caso chegasse ao extremo da penhora. No entanto, não posso deixar de observar e questionar o porquê da demora para tomar essa decisão, resultando no acúmulo de um passivo tão gigantesco que irá drenar do clube, durante cinco anos, mensalmente, um valor que poderia ser destinado a vários propósitos muito mais nobres do que o pagamento de dívidas, resultantes de erros em contratos, do não cumprimento de acordos, entre outras coisas.

Serão R$ 80 mil por mês. O valor seria suficiente para em dois meses o clube renovar completamente a área destinada às categorias de base, que fica justamente no terreno que será dado como garantia do empréstimo. Se você tomar como base um ano, com doze meses lógico, você ainda teria 10 meses de R$ 50 mil. Seria o suficiente para trazer um grande jogador que ajudasse o clube a deixar a Série C do Campeonato Brasileiro, colaborasse com a missão de devolver os torcedores de volta às arquibancadas do ameaçado, em caso de penhora, estádio Maria Lamas Farache.

No entanto, não tem mais jeito. Agora é pagar a dívida, ou pagar para ver. Nesse caso, melhor a primeira opção.

Serão cinco anos com esse peso a mais e, acredito, se esmerando nos atuais contratos para evitar novos processos trabalhistas, do contrário, entra-se num círculo vicioso que não terá mais fim. Aliás, o fim é bem conhecido, a perda do patrimônio.

Espero que o clube, que preparou um plano para os próximos 10 anos, tenha incluído, entre os problemas a resolver, o pagamento desses R$ 5,6 milhões, do contrário, todo o processo precisará ser revisto e os investimentos previstos terão que ser repensados.

Temos exemplos, aqui mesmo no Rio Grande do Norte, do que pode acontecer com um clube que não dá a atenção devida aos seus contratos com atletas. Primeiro some o patrimônio, depois acabam-se os títulos e, aos poucos, desaparecem os torcedores. No fim, se nada for feito, o próprio clube vai desaparecer.

Oportunidade

em tempos difíceis como o que vivemos, encontrar um bom lugar para que o seu filho possa se tornar um cidadão é quase uma benção. Pois anota essa dica aí. A ONG Atitude Cooperação continua até sexta-feira, 1º de março, com matrículas abertas para alunos novatos. São mais de 1.500 vagas destinadas a crianças e jovens da Zona Oeste de Natal (bairros de Felipe Camarão, Bom Pastor e redondezas) em projetos que envolvem música, arte cênica, esporte e capacitação. O horário de atendimento é das 9h às 11h e das 14h às 16h. No esporte, o projeto Celeiro, conta com 360 vagas para futebol, futsal, judô, vôlei e xadrez. Das 1.575 vagas disponíveis, 1.488 são direcionadas, prioritariamente, para alunos em idade escolar, de 06 a 17 anos; alunos matriculados e frequentando a escola regularmente em especial das parceiras da ONG como a Escola Francisca Ferreira, Escola Jean Mermoz e Escola Professor Zuza; moradores dos bairros da Zona Oeste de Natal e, alunos de família de baixa renda. Os cursos são gratuitos, sendo assim, não há cobrança de taxa de matrícula e nem de mensalidades. Para mais detalhes sobre horários, locais, faixa etária e documentação, acesse o edital em www.atitudecooperacao.org.br/. A divulgação do resultado do preenchimento das vagas está marcada para dia 08 do próximo mês, com início das atividades previsto para dia 11 de março, nos turnos matutino e vespertino, podendo sofrer alterações, de acordo com os dias das oficinas nas quais os alunos estão inscritos.

Deixe um comentário