A Fórmula 1 segue rumo à Europa com o Grande Prêmio da Rússia, em Sochi, que entrou para o calendário da competição em 2014. A superfície da pista é lisa e a expectativa é de que o clima esteja ameno. Assim, pela segunda vez nesta temporada, os três pneus mais macios da gama foram selecionados. Mas esta é a primeira vez que o pneu ultramacio é levado para a Rússia. No passado, a corrida sempre foi vencida com estratégia de apenas uma parada.

 

image001

·         Os níveis de degradação estão entre os mais baixos da temporada. A demanda sobre os pneus é limitada.

·         O clima geralmente é ameno, o que significa que a degradação térmica também é limitada.

·         As curvas 2 e 13 são as zonas de frenagem mais pesadas, com risco de achatamento do pneu.

·         No setor final, tração e frenagem são muitos importantes. Um anda e para semelhante a Abu Dhabi.

·         A pista não é extensivamente usada fora do fim de semana do Grande Prêmio, então ela estará muito verde no início.

·         A curva mais exigente é a 3, à esquerda, semelhante a Curva 8 de Istambul.

·         O pneu dianteiro direito é o mais exigido.

Mario Isola, líder de competições de veículos da Pirelli: “A corrida acontece após uma sessão de dois dias de testes no Bahrain. Será interessante ver como as lições aprendidas lá se traduzirão em performance na pista e gerenciamento de pneus na Rússia. Tendo isso em vista, além do fato de Sochi ser um circuito de baixa severidade e os pneus serem mais duráveis este ano, devemos ter uma corrida com apenas uma parada. Entretanto, essa é a primeira vez que vamos para lá com o pneu ultramacio. Vamos ver como será o efeito desse pneu nessa nova geração de carros na Rússia. A diferença de performance entre os compostos mais macios é relativamente pequena, então todas as três escolhas têm potencial para serem pneus de corrida em Sochi.

O que há de novo

·         O pneu ultramacio, bem adaptado para asfalto de baixa severidade, vai à Rússia pela primeira vez.

·         Da Austrália até a Espanha, as equipes têm alocação idênticas de pneus: sete jogos do composto mais macio disponível, quatro jogos do intermediário e dois do mais duro. A partir de Mônaco, se aplicam as regras normais: as equipes selecionam 10 dos 13 jogos disponíveis, com a escolha sendo anunciada 10 dias antes da corrida.

Pressões mínimas para a largada em Melbourne

 

21,5 psi (pneus dianteiros) e 21 psi (pneus traseiros)

 

Limites de cambagem

 

 

 

 

 -3,25º (pneus dianteiros) e -2,00º (pneus traseiros)

 

Fonte: Pirelli

Deixe um comentário