Ciência do esporte

Embora existam controvérsias, jogar em casa, segundo grande parte das pesquisas, é uma vantagem considerável. Os pesquisadores do futebol, a maioria estrangeiros, nomeiam, em inglês, os estudos nessa área e o chamam de “Home Advantage – HA”. Segundo os cientistas, o “Fator Casa” está associado aos seguintes fatos: a) familiaridade com o local do jogo; b) fator viagem; c) influência da multidão de torcedores. Os fundamentos para essas conclusões estão baseados em diversos autores como: (COURNEYA; CARRON, 1992; POLLARD, 2006a; WOLFSON; WAKELIN; LEWIS, 2005). Esses cientistas do esporte demonstraram, através da avaliação dos resultados que, as equipes que jogam em casa tendem a vencer mais de 50% das partidas.

Ciência do esporte 1

Essas pesquisas apontam para duas situações que, na prática, podem ou não ser confirmadas neste final de semana. O ABC tem, no Frasqueirão, uma de suas armas para tentar sair de uma crise que toma conta do clube quase que desde o início da temporada. Jogando em casa, hoje às 18h, contra o Treze/PB, o Alvinegro espera contar com a volta do seu torcedor às arquibancadas para ter uma força a mais em campo. Já o América terá que enfrentar o oposto disso, quando encara amanhã (domingo 7) a Jacuipense, em Riachão do Jacuípe, com todas as desvantagens pressupostas nos estudos científicos citados.

Ciência do esporte 2

Os estudos tradicionais explicam, detalhadamente os porquês da vantagem de jogar em casa – “Home Advantage”. “Acerca da familiaridade com o local do jogo, Moore e Brylinsky (1995) argumentam que as equipes se beneficiam ao jogar em casa por estarem mais acostumadas às características do campo de jogo. Exemplos no futebol envolvem a altura do gramado, as dimensões do campo e, em países extensos, como o Brasil, aspectos climáticos e alimentares (comidas típicas da região), que podem interferir de forma negativa na performance do time de fora. Além do mais, não raras vezes as equipes visitantes adotam táticas defensivas, o que, de acordo com Bray, Jones e Owen (2002) tende a beneficiar psicologicamente – alterações positivas na percepção de controle e autoconfiança – as equipes que jogam em casa. O fator viagem versa sobre o cansaço decorrente do deslocamento das equipes visitantes, sobretudo quando percorrem extensas distâncias até o local do jogo (CARRON; LOUGHHEAD; BRAY, 2005; SMITH, 2005)”, escrevem o Mestre Edson Soares Medeiros Filho e o PHD João Paulo Amaral Hadad em pesquisa publicada na Revista Brasil Ciência – Esporte.

Ciência do esporte 3

Na mesma pesquisa, realizada por Edson Filho e João Paulo Hadad, eles falam que alguns autores reforçam a importância da torcida no estádio. Eles escrevem que: “O fator influência da multidão de torcedores está relacionado ao contingente de pessoas que vão aos estádios e ginásios apoiar seus times (NEVILL; HOLDER, 1999). Em linhas gerais, a presença de um grande número de torcedores exerce efeito motivacional nos atletas, intimida os oponentes e influencia a arbitragem a favorecer, mesmo que não intencionalmente, o time mandante do jogo (SMITH, 2005).

Ciência do esporte 4

Os mesmos pesquisadores utilizaram a literatura para contestá-la em um ponto: a influência da torcida. Eles analisaram os resultados da na série A do Campeonato Brasileiro de Futebol do ano de 2005 e os públicos dos jogos e viram que, muitas vezes não basta a torcida na arquibancada para garantir o bom resultado. E concluíram que a média de torcedores nos estádios não explicou o aproveitamento das equipes em seus jogos dentro de casa, mas sim o fato de jogar em seus domínios. E concluíram escrevendo no trabalho que foi publicado em 2008: “se o time for ruim – do ponto de vista técnico e tático; e mal preparado, no aspecto fisiológico e psicológico – não é um campo repleto de torcedores a favor que determinará um resultado positivo. Ademais, é provável que mais torcedores compareçam aos estádios em função do sucesso do seu time na temporada, e não que o sucesso das equipes seja fruto da presença maciça da torcida”.

Ciência do esporte 5

No entanto, como no futebol nada pode ser considerado 100% certo, existem as controvérsias as quais o América pode, por exemplo se apoiar, para derrubar teorias científicas amanhã pela Série D do Campeonato Brasileiro. Assim como o ABC pode utilizar a ciência como motivadora para uma vitória hoje na Série C. É ver, para crer.

Deixe um comentário