A rodada final, que decretou o título de campeão em favor do ABC, na Taça Cidade do Natal, primeiro turno do Campeonato Estadual apenas formalizou o resultado que decorreu de alguns jogos que aconteceram em rodadas anteriores.

Explico:

O título abecedista veio com o saldo de gols. Alvinegros e Alvirrubros terminaram empatados em número de pontos ganhos (18). No entanto, a equipe abecedista tinha um saldo superior em dois gols e a vitória por 1 a 0 sobre o ASSU, debaixo de um verdadeiro dilúvio apenas assegurou essa vantagem, uma vez que o time americano também ganhara seu jogo por 2 a 1, diante do Globo, na Arena das Dunas.

Ora, então, onde surgiu essa vantagem, uma vez que o próprio América já havia vencido o rival ABC por 3 a 0?

Voltemos no passado e encontramos duas causas simples: Primeiro tivemos a goleada histórica do ABC sobre o Baraúnas (agora lanterna depois de levar 3 x 1 do Força e Luz… isso mesmo 3 a 1) por 7 a 0, em Mossoró.

Em outro jogo, diante do mesmo Barú, o América perdeu a oportunidade e venceu apenas por 1 a 0. Leandro Campos achou estranho isso, mas deve ter achado ainda mais estranho que seu próprio time, sob seu comando, tenha perdido por 3 a 0 para o Santa Cruz.

Ou seja, esses três jogos acabaram por dar a vantagem ao ABC na rodada final. O Alvinegro foi competente e conseguiu aproveitar a chance para ficar com o título e com a vantagem de já estar na decisão.

Imaginem agora a pressão para cima do Alvirrubro.

Deixe um comentário