A previsão de equilíbrio no grupo A da série C do Brasileirão está se confirmando, após o término da sexta rodada, o ASA-AL com a vitória sobre o Cuiabá e o empate entre Salgueiro x Fortaleza, passou a liderar a competição. O mais importante são as proximidades entre os clubes. Para se ter uma ideia, a distância entre os alagoanos e o América, na sétima colocação e que não vence a exatas quatro rodadas, é de apenas cinco pontos.

Ou seja, estar na frente e no G-4 neste momento garante um pouquinho de tranquilidade apenas para os cubes da parte de cima da tabela, nada que um pequeno cochilo não possa atrapalhar os planos e fazer incendiar um caldeirão na concentração de cada um deles.

Aos representantes potiguares fica a certeza de que o caminho a ser traçado continua difícil devido ao equilíbrio entre os clubes desse grupo, o Fortaleza que começou com alguns corpos de vantagem em relação aos demais, já começa a ter o favoritismo questionado, apesar do excelente elenco montado para disputa.

Se existe um alento em relação a proximidade do grupo de elite, ABC e América também devem ligar o sinal e ficarem alertas quanto a proximidade da zona de rebaixamento. A distância do Confiança-SE, que abre a zona do desespero, e o Alvinegro é de quatro pontos e três em relação ao América.

Nessa relação de perigo, quem está prestes a acender o sinal vermelho é justamente o América, que bobeou em casa, onde conquistou apenas um ponto dos últimos seis disputados na Arena das Dunas e forçosamente terá de buscar uma recuperação fora de Natal, exatamente contra o Cuiabá, o primeiro clube fora da zona de rebaixamento, e o Confiança.

Nestas duas partidas o Alvirrubro terá a missão de primeiro evitar perder, para não se complicar mais ainda na classificação e voltar a atuar em Natal, onde pega o Remo fechando a fase de ida na série C, na condição de desesperado, podendo se tornar uma vítima perfeita para o representante de Belém do Pará, que tem conquistado a maior parte dos seus pontos como visitante, quando atua justamente em cima do erro dos adversários.

Convenhamos que quem iniciar a fase de volta na zona de rebaixamento para chegar a zona de classificação para segunda fase terá de conquistar uma reação digna do Fluminense de Cuca em 2009, que derrubou todas as estatísticas para se livrar de um rebaixamento quase certo em nove rodadas. Mas vale lembrar que não é todo ano que acontece milagres dessa natureza.

 

Deixe um comentário