Solidariedade, uma palavra simples de dizer, mas que é difícil de se promover em sua plenitude. Porém um grupo denominado Amigos da Esperança, através do esporte está trabalhando com afinco e mostrando que se pode passar do discurso para prática de boas ações, com apenas um pouquinho de empenho. Com 110 membros e se reunindo sempre no segundo domingo de cada mês, para promover uma pelada quando são arrecadados donativos e dinheiros com a iniciativa de ajudar a quem necessita, esse grupo de moradores do conjunto residencial mais antigo de Natal está fazendo a diferença para pessoas consideradas carentes, dentro e fora dos limites da Cidade da Esperança.

Como uma boa parte das ações planejadas entre amigos, essa nasceu numa conversa de bar, onde as costumeiras discussões sobre o futebol incluíram também a proposta de se formar um grupo para ajudar as pessoas necessitadas. Formado no último mês de dezembro, esse amigos coordenados por moradores antigos do bairro da Cidade da Esperança como Marcos Formiga e Régio Penha, já fizeram a diferença na vida de sete pessoas em 2019. Todas pessoas, que de alguma forma são ligadas ao esporte e não passam por uma condição das melhores.

O último contemplado com a ajuda dos Amigos da Esperança foi o ex-jogador de futebol amador, Chico Explosão, cuja residência adquirida pelos pais no conjunto em 1966, até hoje não havia passado por nenhum tipo de reforma. E a ação do tempo cobrou seu peso no imóvel que agora está recebendo materiais novos.

A solidariedade neste caso se misturou com o agradecimento pelo trabalho voluntário desenvolvido por Chico com crianças do conjunto e de fora dele também, promovendo uma escolinha de futebol com os meninos e ajudando a afastar os mesmos do fácil caminho da criminalidade. Então a intervenção planejada que era promover a troca de 1.200 telhas da residência do amigo, que é o morador mais antigo da Rua Igarassú e se transformou numa testemunha viva da história do conjunto da Cidade da Esperança, ganhou vários tipos de adesões e findou se transformando numa reforma quase completa do imóvel.

“A questão de Chico Explosão foi que nas últimas chuvas fortes que deram em Natal o interior da casa se transformou numa biqueira só. Isso chegou ao nosso conhecimentos e decidimos nos reunir para fazer a reforma no telhado da residência dele. Mas pelo conhecimento que tem e pela ajuda com o trabalho na escolinha de futebol, várias outras pessoas que souberam da ação, resolveram colaborar também. Amigos e ex-atletas que passaram e conhecem o trabalho dele. Essa ação que deveria durar no máximo uma semana, agora deve acabar em um mês, porque além do telhado estamos realizando outras melhorias. Uma turma se juntos e doou 90 metros de piso, outros compraram a fiação e assim a reforma foi crescendo”, afirmou Régio Penha.

Marcos Formiga destacou que cada um ajuda da forma como pode, sendo assim todo trabalho que vem sendo desempenhado no imóvel possuí o caráter voluntário. A explicação para tanto é apenas uma, a consideração que a comunidade da Esperança possui por esse batalhador, que esquece de cuidar da própria vida, apenas para dar atenção e se dedicar buscando fazer os jovens do local a terem uma vida digna e longe da criminalidade.

“Chico foi um peladeiro na essência, mas atuou pelo Ferroviário, Força e Luz, Alecrim e atuando por equipes do antigo Matutão, percorreu quase o RN inteiro. Há algum tempo ele tem uma escolinha de futebol e sem muita colaboração externa é um cara que consegue tirar as crianças da rua. Nesse tempo todo que ele atua, ninguém nunca ouviu falar nada que desabonasse a conduta de Chico em relação a essas criança. Tudo é realizado dentro do mais puro respeito e com a intenção única de ajudar. Por esse motivo ele é tão querido no bairro e esse trabalho na casa dele deu tão certo”, destacou Marcos Formiga.

Com o estádio Pascoal de Lima interditado para reforma e sem opções de espaços alternativos para levar as crianças, hoje os treinos comandados pelo ex-atleta estão sendo realizados numa área verde quase em frente a sua residência, onde as portas estão sempre abertas para qualquer um dos meninos que necessite de apoio.

“Esse trabalho precisa ser melhor reconhecido, tanto que estamos fazendo uma proposta ao presidente do Centro Desportivo da Cidade da Esperança para reservar dois dias na semana para que Chico possa trabalhar com suas crianças, quando o estádio estiver funcionando novamente. O esforço que ele realiza é muito grande e necessita desse apoio no trabalho voluntário que realiza”, ressaltou Formiga.

Apesar de humilde e realizado de forma quase artesanal, pela falta de material de apoio e profissionais de outras áreas para trabalhar os garotos, pela escolinha de Chico passaram atletas que hoje estão consagrados no cenário nacional, o de maior destaque foi Rodriguinho, campeão brasileiro pelo Corinthians e que hoje defende as cores do Cruzeiro, na divisão de elite do futebol brasileiro. “Rodriguinho teve uma passagem relâmpago comigo, disputou apenas uma Copa Cidade do Natal. Mas passou também pela minha escolinha e isso me honra muito”, ressalta Chico Explosão, que possui e guarda as fotos de todos que passaram pelas suas mãos e, hoje, conseguiram fazer sucesso na carreira.

Dois desses “meninos”, Rodrigo Fernandes, com 34 anos, e Rubiêr Trindade, 36, que chegaram a ingressar na carreira de futebol profissional mais depois optaram por seguir outros rumos, em sinal de agradecimento, também participam diretamente da reforma na casa do “antigo treinador”.

“Nós chegamos a planejar reunir alguns alunos que passaram pela escolinha de Chico Explosão para realizar esse serviço de reforma no início do ano. Não tivemos a oportunidade de agilizar as coisas, mas quando soube que estavam realizando esse serviço, corremos para cá para participar dessa ação e estamos contactando os nossos amigos para ajudar de alguma forma também. Estamos muito felizes, Chico merece esse auxílio”, afirmou Rodrigo Fernandes.

Texto: Vicente Estevam – Tribuna do Norte

Deixe um comentário