O Flamengo foi multado em R$ 7,5 mil por atrasar a entrega do relatório dos atletas na partida contra o Botafogo. No mesmo processo, o clube foi absolvido da denúncia de arremesso de copos no campo de jogo e o Botafogo absolvido de possível desordem na arquibancada onde estava localizada sua torcida e do arremesso de um copo e um tênis no campo.  O julgamento foi realizado na manhã desta segunda, dia 1 de agosto, em sessão da Primeira Comissão Disciplinar.

Botafogo e Flamengo foram denunciados no STJD do Futebol por infrações ocorridas no clássico carioca pela Série A do Campeonato Brasileiro. Arremessos de objetos, briga entre torcedores e atraso na entrega da relação de atletas foram analisados pelos Auditores da Primeira Comissão Disciplinar.

A defesa do Botafogo apresentou prova documental que comprova a identificação e punição dos torcedores responsáveis pelo arremesso de um copo e de um tênis no campo.

Para o Subprocurador Luciano Hostins, o Boletim de Ocorrência apresentado com a identificação de dois torcedores entra na excludente para eximir o Botafogo da denúncia no artigo 213, inciso III pelo lançamento de objetos, mas pediu a procedência da denúncia nos demais artigos.

“A súmula demonstra uma confusão generalizada e arremesso de vários copos no gramado na comemoração do gol do Flamengo. Com relação à relação de atletas, entende a Procuradoria que obviamente ocorreu o descumprimento ao não apresentar com 60 minutos antes da partida”, disse Luciano Hostins.

Em defesa do Botafogo, o advogado Aníbal Rouxinol Segundo, destacou que o clube tomou todas as medidas de prevenção. Sobre um possível confronto entre torcedores do Botafogo nas arquibancadas, Aníbal não identificou desordem. “Não consigo vislumbrar desordem nas imagens. O que eu vi foi uma simples movimentação . Imagem rápida que não pode servir como base para denúncia por desordem ao Botafogo”.

Do lado do Flamengo, Michel Assef Filho explicou que o atraso de 10 minutos na entrega da relação de atletas para a partida ocorreu devido a dificuldade do time chegar ao estádio na Ilha do Governador por conta das obras e trânsito. Por entender que o atraso não prejudicou o trabalho dos meios de comunicação, a defesa pediu a aplicação da pena de advertência. Quanto ao arremesso de copos, Michel ressaltou que o episódio ocorreu na comemoração do gol do Flamengo e que não merece punição. “Copos, emoção, gol. Qual o prejuízo que isso pode trazer para a partida?”.

Relator do processo, o Auditor Carlos Eduardo Cardoso votou para absolver o Botafogo por entender que as imagens não são suficientes para configurar a desordem prevista no código. Ao Flamengo, o relator votou para multar o clube em R$ 7,5 mil pelo atraso e em R$ 5 mil pelo arremesso de copos na comemoração do gol.

O Auditor Gustavo Koch Pinheiro acompanhou o relator na absolvição do Botafogo e na multa de R$ 7,5 mil ao Flamengo pelo atraso do Flamengo na entrega da relação de jogadores e divergiu para absolver o Flamengo pelo arremesso de copos.

Os Auditores Douglas Blaichman e Michele Ramalho absolveram o Botafogo no artigo 213; absolveram o Flamengo pelo arremesso de copo e advertiram o Flamengo pelo atraso na entrega da relação de atletas.

Já o Presidente Lucas Rocha aplicou multa de R$ 3 mil ao Botafogo pela desordem de torcedores na arquibancada; acompanhou o relator na multa de R$ 7,5 mil e R$ 5 mil ao Flamengo pelo atraso e arremesso de copo, respectivamente.

Deixe um comentário