O Volante Olívio, do CRB, foi julgado e punido nesta segunda, dia 10 de outubro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. Por doping positivo o jogador foi suspenso por um ano. A decisão foi proferida por maioria dos votos da Primeira Comissão Disciplinar e cabe recurso.

Entenda o caso:

A coleta foi realizada no dia 11 de maio, no Estádio Rei Pelé. No relatório técnico emitido pelo laboratório de Los Angeles, foi encontrada na urina do jogador a substância ‘IRMS’ (Testosterona), proibida no Regulamento de Controle de Doping da Confederação Brasileira de Futebol e da Agência Mundial Antidoping (WADA).

Comunicado sobre o resultado analítico adverso, o Presidente do STJD, Ronaldo Botelho Piacente, suspendeu preventivamente por 30 dias o atleta com base no artigo 102 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A suspensão foi aplicada no dia 28 de julho.

Em defesa escrita, apresentada através do clube, Olívio não esclareceu como a substância proibida teria ingressado em seu organismo.

Com acesso aos documentos, a Procuradoria denunciou o atleta do CRB por infração às regras antidoping. A pena prevista no artigo 93 do Código Brasileiro Antidopagem é de suspensão por até quatro anos.

Em julgamento, os Auditores ouviram o advogado do CRB Osvaldo Sestário que apresentou prova documental. O clube ainda enviou como informante o médico Francisco Disnaldo Oliveira Leite, que exerce a função de conselheiro do CRB. Presente, Olívio acompanhou atentamente o julgamento.

Para explicar sobre o doping, o Presidente da Comissão de Doping da CBF, Fernando Solera falou sobre as formas de contaminação e sobre a substância encontrada no organismo de Olívio. Cristiane Caldas representou a ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Doping no Brasil).

Após as sustentações, o relator do processo Auditor Gustavo Koch Pinheiro proferiu seu voto para aplicar suspensão de um ano a Olívio. Os Auditores Douglas Blaichman e Michelle Ramalho acompanharam o relator.

Deixe um comentário