O fim de semana foi esclarecedor para o futebol potiguar sobre vários aspectos e em relação a parte dos clubes do Rio Grande do Norte que disputam o Campeonato Brasileiro em duas divisões diferentes. Os jogos disputados, sábado e domingo acendem aquela luz de alerta importante. É meio que aquele grito que serve para não perder a boiada, assim como nos ensina o velho ditado.

Partindo do sábado (18), o América teve uma espécie de “choque de realidade” na partida contra o Bahia de Feira de Santana, na Arena das Dunas, pela Série D. Não que o clube tenha jogado mal. Faltou capricho nas conclusões, principalmente no primeiro tempo. No 0 a 0, ficou evidente que o foco precisa ser mantido o tempo inteiro. Que mesmo sendo superior, é dentro de campo que as coisas se resolvem. Os três pontos não caem na conta apenas com o favoritismo. Por pouco, muito pouco, no último lance, o “choque de realidade” não vira algo pior. O Jogador do Tricolor saiu na cara do gol e mandou para a bola para fora.

No domingo (19) a aula de esclarecimentos prosseguiu. Em Teresina/PI, o Santa Cruz descobriu porque o River/PI é o favorito do grupo. O time comandado por Fernando Tonet tomou de 5 a 2 e agora tem que dar o troco em Natal para mostrar força diante dos piauienses nesta disputa de Série D.

Por fim, no estádio Frasqueirão, ficou esclarecido, definitivamente, que o problema do ABC não era Ranielle Ribeiro. Não pela derrota por 2 a 1 para o Botafogo/PB, que tem um time formado há quase três anos, mas principalmente porque, o time de Natal mostrou os mesmos erros de sempre e as soluções apresentadas por Sérgio Soares, ao longo da partida, foram bastante controversas. Claro que Soares não poderia ser culpado pelo resultado, assim como não mereceria crédito caso tivesse vencido. O tempo foi curto, mas é difícil não estranhar que, durante o jogo, ele tenha tirado os dois homens de “beirada” do time (Luan e Anderson) para a entrada de Jefinho e Boris Sagredo. Jefinho voltando para armar as jogadas ficou perdido em campo e Sagredo, bem, esse não precisa comentar.

Comentários do Site

  1. Nelson
    Responder

    Desculpe amigo, mas vc acha que Bóris Sagredo entrou mal no jogo? Não vou mais assistir futebol, definitivamente eu não entendo do riscado!

  2. Junior
    Responder

    Me diz uma coisa, por favor, quando um atleta brasileiro vai jogar em outro país se fala em período de adaptação, quando um estrangeiro vem pra cá, logo queremos que ele arrebente. Estou falando isso porque vejo capacidade técnica em Bóris Sagredo, que na minha humilde opinião entrou bem contra o Botafogo/PB, mais uma vez só ouvi críticas ao rapaz, que veio de outro país e que tem que se adaptar ao nosso futebol. Só pra lembrar a todos: Decisão do 1º turno do estadual, virada do ABC, passe de Bóris, decisão contra o Moto Clube. Empate com passe de Bóris e o jogo foi para a penalidades. Empate do ABC na final do estadual, passe de Bóris, que quando entrou melhorou demais o time. Fico aqui me perguntando, é má vontade com o rapaz? Ele realmente é muto fraco? Ou foi porque ele foi trazido por Salton? Fico na dúvida!

Deixe um comentário