RN é primeiro Estado a obter selo de segurança de turismo da WTTC

1 de julho de 2020 por antonioroberto

selo Emprotur

A Empresa Potiguar de Promoção Turística – Emprotur foi em busca do reconhecimento do WTTC – Conselho Mundial de Viagens e Turismo para a requisição do selo de viagem segura criado pela entidade (Travel Safety Stamp). E conseguiu seu objetivo.

O Rio Grande do Norte passou a ser o primeiro estado brasileiro a receber o selo que tem o respaldo da Organização Mundial do Turismo e de mais de 200 CEOs das principais empresas de turismo do mundo, tais como Hilton, Radisson Hospitality, Marriott International, Expedia, InterContinental Hotels Group, Grupo Accor, Grupo Trip.com, Hyatt, Booking.com, entre outros.

O presidente da Emprotur, Bruno Reis, ressaltou que o objetivo da ação é posicionar o Rio Grande do Norte como a melhor e mais segura opção de viagem. “É importante que o trade tenha confiança e credibilidade na venda do nosso destino para os turistas terem a melhor experiência de viagem por aqui”. 

Para a secretária de Turismo do RN, Aninha Costa, a referência do selo internacional traduz o trabalho que vem sendo realizado de forma profissional e participativa. “Para obtenção deste importante reconhecimento, contamos com a participação ativa do Sistema Fecomércio, por meio do Senac, do Sebrae, da Secretaria Estadual de Saúde do RN e de todas as entidades do trade turístico potiguar, além do conselho dos cinco polos turísticos do estado“.

Importante destacar que, para o selo ser validado, os protocolos precisam atender a requisitos que equilibrem segurança e viabilidade. Nesse sentido, são aceitos somente aqueles que propõem as devidas regras sanitárias, de saúde, desinfecção, distanciamento e segurança em equilíbrio com a viabilidade dos negócios de todos os tamanhos, de forma que possam ser realisticamente executadas. 

SELO DO RN

Essa iniciativa se soma à criação do selo local, chamado Turismo + Protegido, que tem como objetivo capacitar os profissionais do setor e promover os serviços turísticos do Rio Grande do Norte. Será lançada uma plataforma para que os viajantes tenham acesso às empresas do estado que fizerem adesão voluntária ao selo.

Abav Expo deste ano está adiada para 2021, mas terá versão online em outubro

1 de julho de 2020 por antonioroberto

A Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav Nacional) comunica o reagendamento da 48ª edição da Abav Expo para 2021, em decorrência da pandemia do Covid-19. A decisão anunciada pela presidente da entidade, Magda Nassar, foi tomada em respeito à saúde de todos os participantes e profissionais envolvidos na organização de uma feira de tal porte. Em contrapartida, a entidade lançou o evento virtual Abav Collab, que chega ao mercado para fomentar a realização de negócios do setor turístico ainda em 2020.

O evento será formatado com a colaboração de entidades como Abracorp, Braztoa e Clia, entre outras. Iniciando no Dia Mundial do Turismo, 27 de setembro, trará dinâmicas virtuais com abordagens inovadoras, focadas em capacitação, networking e realização de negócios. Além disso, contará com a versão virtual da Black Friday de Viagens, com vendas diretas ao público final através de agências de viagens associadas à Abav e recursos que permitirão o diálogo entre os profissionais do turismo de todo o mundo, viabilizando a projeção das marcas em ampla escala.

Pesquisa do Observatório do Turismo do RN revela que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após a pandemia

30 de junho de 2020 por antonioroberto
Pipa: o destino da retomada

Pipa: o destino da retomada

A pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da Covid-19”, do Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte (Observatur/RN), revelou que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após a pandemia. A investigação evidenciou que 28,9% dos turistas potiguares irão preferir destinos domésticos; 24,4%, destinos dentro do RN, e 21,4% destinos no Nordeste. Entre os destinos turísticos a serem procurados no RN pelos potiguares, Pipa foi citada por 30,2% dos futuros viajantes; São Miguel do Gostoso por 20,1%; e Serra de São Bento e região por 14,9%.

Na conquista dos visitantes, segundo a pesquisa do Observatório coordenado pela UERN Natal, os diferenciais mais relevantes serão os atrativos turísticos (22,4%), preços praticados (21,6%) e cuidados com a higienização sanitária dos ambientes turísticos (20,1%). O levantamento traz um perfil bem detalhado do que os turistas potiguares vão buscar após a pandemia, norteando poder público e empreendimentos turísticos para a retomada do turismo no RN.

“Buscamos municiar o setor com informações valiosas para a reabertura, depois do cumprimento dos decretos estaduais de isolamento social, que provocaram o fechamento de hotéis, pousadas, equipamentos de lazer, bares, restaurantes e similares no RN, assim como afetaram os trabalhadores autônomos do turismo, como os guias, bugueiros, entre outros prestadores de serviços”, explica o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da Uern Natal e coordenador do Observatório.

Foram aplicados 1.253 questionários digitais, entre os dias 26 de maio a 03 de junho.

Brazil Travel Market anuncia série de webinários em agosto

30 de junho de 2020 por antonioroberto

BTM 88

Uma parceria entre o BTM – Brazil Travel Market (evento que se realizará em maio de 20121, em Fortaleza), Sebrae e Grupo VC irá reunir nomes do mercado turístico nacional e internacional em uma série especial de webinários, em agosto. O debate abordará “Cenários do Turismo” em duas etapas. A primeira, de 10 a 14, e a segunda nos dias 17 e 18. Serão transmitidos no canal do YouTube do BTM a partir das 19h.

Entre os nomes confirmados estão as operadoras Carolina Feitosa (diretora da Masterop) e Rebeca Ferreira (gerente regional de vendas Norte-Nordeste da Trend); Jefferson Santos (Governo da Tailândia) e Fernanda Longobardo (Governo da Itália); Celso Guelfi (CEO GTA) e Luis Gustavo (CEO April Seguros); Gol Linhas Aéreas Inteligentes e Rede Vila Galé; e os secretários de Turismo Arialdo Pinho (CE) e Gilmar Piolla (Foz do Iguaçu-PR).

Os mediadores dos debates serão Fábio Cardoso, diretor do site turismoemfoco.com.br, da Paraíba; este jornalista (Antonio Roberto Rocha), que escreve sobre Turismo nesta TRIBUNA DO NORTE, entre outros veículos; e Maurício Viana, da MV Hospitality, representante da BTM nos Estados Unidos.

Agentes de viagens do RN têm capacitação para vender destinos potiguares

29 de junho de 2020 por antonioroberto
Pipa deverá ser um destino bastante procurado no pós-pandemia

Pipa deverá ser um destino bastante procurado no pós-pandemia

Nos últimos dias 18 e 25 de junho, os municípios de Mossoró e Natal realizaram capacitação para os agentes de viagem do RN. A ação é uma parceria da Associação Brasileira de Agências de Viagens do RN (Abav/RN) com a Secretaria de Turismo do RN (Setur/RN) e a Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur).

Nas próximas semanas, municípios turísticos litorâneos como São Miguel do Gostoso, Maxaranguape, Tibau do Sul e Baía Formosa farão suas capacitações para fortalecer os argumentos de vendas dos agentes de viagem do RN.

Também serão mostradas opções de destinos serranos próximos a Natal, como Serra de São Bento, Passa e Fica e Monte das Gameleiras, além de destinos localizados no interior do RN, como as serras de Martins e Portalegre. No final das capacitações com os municípios haverá rodada de negócios em parceria com o Sebrae/RN.

Na próxima semana, paralelamente à capacitação dos municípios com os agentes de viagem do RN, continua a programação de treinamentos sobre os protocolos de segurança do RN. Serão capacitados agentes de viagem da Bahia, Mato Grosso, Paraná, Maranhão, Santa Catarina, Sergipe e Distrito Federal.

Festuris Gramado anuncia evento híbrido em agosto, com Uruguai, Estados Unidos e Portugal

23 de junho de 2020 por antonioroberto
Eduardo Zorzanello e Marta Rossi lançam em agosto o Festuris Connection

Eduardo Zorzanello e Marta Rossi lançam em agosto o Festuris Connection

Provocar conexões internacionais e discutir os caminhos para a reconstrução do turismo brasileiro no pós-pandemia. É com este objetivo que nasce o Festuris Connection, novo produto de uma das principais marcas do turismo da América Latina. O evento híbrido vai conectar o Brasil com Portugal, Uruguai e Estados Unidos em busca de soluções e boas práticas para a reinvenção dos destinos. As conexões ocorrerão de 4 a 6 de agosto, transmitidas diretamente de Gramado, na Serra Gaúcha.

Lideranças do setor público e da iniciativa privada do Brasil e exterior estarão compondo os painéis do evento. Serão três dias de muito conteúdo e uma agenda inovadora de discussões. As inscrições serão limitadas para acompanhar o evento de forma online. No local serão apenas 20 convidados, respeitando protocolos sanitários. A venda de ingressos abrirá nos próximos dias e parte da renda será doada para uma instituição que atende crianças em situação de vulnerabilidade social.

Além de evidenciar seu cunho social e incentivar a qualificação de toda a cadeia turística, o Festuris Connection pretende fortalecer as relações institucionais e comerciais no turismo entre o Brasil e países convidados, além de promover novos modelos e propostas inovadoras para a retomada. A pandemia mostra a cada dia que a união e a criatividade serão fundamentais para construir o futuro.

“Todas as empresas estão se adaptando a este novo momento, onde mais do que nunca o conteúdo e a troca de experiências nos ajudarão a dimensionar um futuro que ainda é incerto. Para traçar caminhos é preciso provocar conexões com quem está um passo à frente de nós, como é o caso dos países que vamos nos conectar nesta primeira jornada”, destaca a CEO do Festuris, Marta Rossi.

Portugal está sendo considerado referência em todo o mundo pelos protocolos e iniciativas adotadas no combate ao Covid-19. A exemplo também do Uruguai, que é um destino internacional de férias para os brasileiros e tem uma relação histórico-cultural forte com o Brasil. A convivência harmoniosa entre os países se expande também na saúde a partir de agora. Por fim os Estados Unidos, referência em entretenimento e eventos para o restante do globo.

“Existe uma responsabilidade de mostrar ao mundo quais são os melhores modelos de protocolos adotados para a retomada segura do setor de viagens, tanto de lazer como de negócios. A saúde passou a ser o principal fator indutor para a tomada de decisão de um destino. Como indutores do setor turístico que sempre fomos, temos uma responsabilidade pessoal e empresarial em ajudar neste momento difícil”, complementa o CEO do Festuris, Eduardo Zorzanello.

Fórum Online de Hotéis teve 4,5 mil inscritos

22 de junho de 2020 por antonioroberto

forum online

O maior fórum online de hotéis do Brasil chegou ao fim depois de uma programação completa que proporcionou aos mais de 4,5 mil inscritos participar de uma experiência única nos três dias (16 a 18 de junho) de painéis ao vivo e muita interação no chat do Youtube e no canal de networking do Telegram. O Fórum Online de Hotéis Independentes (FOHI 2020) contou com 25 convidados em seis painéis e duas palestras. Foram 11 horas de transmissão ao vivo.

A segunda edição cresceu 642% em relação ao ano anterior na quantidade de inscritos, com participação de 24 estados brasileiros e do Distrito Federal, sendo 41% do Nordeste, 39% do Sudeste, 13% do Sul, 6% do Centro-Oeste e 1% do Norte. Com um público engajado e qualificado, o perfil dos inscritos se concentrou em profissionais com poder de decisão (52%) e influenciador (44%). Do total de cadastros, 28% eram sócios ou proprietários e 24% gerentes.

O FOHI 2020 se deixa um legado de muito aprendizado sobre a importância da reinvenção dos hotéis independentes para a retomada de sucesso. “É um evento inovador, 100% online não apenas na transmissão, mas em todo o seu planejamento e organização com os realizadores e palestrantes em estados diferentes. Tivemos ainda mais de 40 apoiadores pelo Brasil”, avalia Maycon Gabry, da Markweb.

A segunda edição teve como tema a Retomada de Sucesso e discutiu questões como tendências de consumo pós-crise; marketing e precificação; distribuição; novos protocolos de funcionamento; experiência do hóspede e oportunidades e novos modelos de negócios para hotéis, pousadas e resorts.

Entre os palestrantes, estiveram referências nacionais como Gabriela Otto (CEO da GO Consultoria, presidente da HSMAI Brasil e uma das principais palestrantes sobre Turismo de Luxo do país), Waléria Fenato (especialista em Revenue Management), Diogo Canteras (sócio-diretor da HotelInvest) e Carla Procópio (especialista em Inteligência Emocional e Analista Comportamental).

Procura por voos domésticos no Brasil cai 90,97% em maio

22 de junho de 2020 por antonioroberto

aviação

A demanda por voos domésticos registrou queda de 90,97% em maio, em relação ao mesmo período do ano passado. A oferta de assentos nos aviões, por sua vez, teve queda de 89,58% na mesma comparação. Esses dois indicadores representam o segundo pior resultado mensal desde 2000, quando teve início a série histórica da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Os desempenhos mais fracos foram registrados em abril, auge do impacto da pandemia do novo coronavírus no setor. Os dados foram compilados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). Incluem as operações de suas associadas (Gol, Latam, Voepass/Map) e trazem números agregados das demais empresas nacionais.

A taxa de ocupação as aeronaves recuou 10,92 pontos percentuais, para 70,80%. Ao todo, foram transportados 538,9 mil passageiros, com retração de 92,44%. De janeiro a maio, o transporte aéreo de passageiros acumula redução de 38,79% diante de igual período de 2019, com diminuição de oferta 37,11% na mesma comparação. O aproveitamento dos aviões ficou em 80,09%, com recuo de 2,19 pontos percentuais. No total, as companhias aéreas embarcaram 22,8 milhões de pessoas nos cinco primeiros meses do ano, o que significa queda de 40,76%.

Confira um rápido panorama sobre os impactos da pandemia na aviação comercial global

18 de junho de 2020 por antonioroberto

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou suas perspectivas financeiras para o setor de transporte aéreo global, mostrando que as companhias aéreas devem apresentar prejuízo de US$ 84,3 bilhões em 2020 e margem de lucro líquido de -20,1%. As receitas devem ter queda de 50%, atingindo US$ 419 bilhões, em relação a US$ 838 bilhões em 2019. Em 2021, as perdas devem ser menores, chegando a US$ 15,8 bilhões, enquanto as receitas devem aumentar e atingir US$ 598 bilhões.

A demanda de passageiros desapareceu quando as fronteiras internacionais foram fechadas e os países adotaram o lockdown para impedir a propagação do vírus. A Iata garante que esta é a principal causa das perdas do setor. No ponto mais baixo, em abril, as viagens aéreas globais ficaram cerca de 95% abaixo dos níveis de 2019. Agora, há indicações de que o tráfego está melhorando lentamente. Contudo, os níveis de tráfego (medidos em passageiros-quilômetros pagos transportados) de 2020 devem cair 54,7% em relação a 2019, segundo a associação mundial. O número de passageiros cairá pela metade, atingindo 2,25 bilhões, quase igual aos níveis de 2006. 

Ainda de acordo com a IATA, as receitas do transporte de passageiros devem cair para US$ 241 bilhões (bem abaixo dos US$ 612 bilhões em 2019). Essa redução é maior do que a queda na demanda, reflexo da redução esperada de 18% nos rendimentos do transporte de passageiros, enquanto as companhias aéreas tentam incentivar as pessoas a voar novamente com estímulos por meio de promoções. As taxas de ocupação, prevê a IATA, devem apresentar uma média de 62,7% em 2020, cerca de 20 pontos percentuais abaixo da alta recorde de 82,5% atingida em 2019.

Os custos não estão caindo tão rápido quanto a demanda. As despesas totais de US$ 517 bilhões estão 34,9% abaixo dos níveis de 2019, mas as receitas terão queda de 50%. A baixa utilização de aeronaves e assentos resultante das restrições também contribuem para o aumento dos custos.

Os preços de combustível representam algum alívio, segundo a IATA, Em 2019, o combustível de aviação foi em média US$ 77/barril, enquanto a média prevista para 2020 é de US$ 36,8. Estima-se que o combustível representará 15% dos custos gerais (em relação a 23,7% em 2019).  

Novos rumos da hotelaria pós-pandemia são debatidos em Fórum Online

18 de junho de 2020 por antonioroberto

FOHI

Depois do primeiro dia com mais de 4,8 mil visualizações, mais de 1,4 mil interações por comentários no chat ao vivo e mais de 900 inscritos no chat de networking no Telegram, o Fórum Online de Hotéis Independentes (FOHI 2020) discutiu ontem – quarta-feira (17) – questões como distribuição e a importância do aumento das reservas diretas, além dos novos protocolos de funcionamento para os meios de hospedagem. O evento prossegue hoje.

O primeiro painel sobre distribuição contou com a participação de Jeferson Munhoz (sócio diretor da Escola Para Resultados e diretor de Marketing da HotelCare), Waléria Fenato (diretora e consultora Revenue Management na Mark Up Consultoria), Diego Corrêa (CMO Hsystem) e Otaviano Maroja (diretor comercial dos hotéis Solar Porto e Vivá Porto de Galinhas).

Os convidados abordaram a importância dos múltiplos canais e parcerias. “É importante não fechar a porta para ninguém, pois é isso que vai diluir os riscos, trabalhando clientes de operadora, de agência, OTAs e reserva direta”, afirma Otaviano Maroja. Além disso, para aumentar o ticket médio, ele acredita que a estratégia será oferecer opções ao hóspede com serviços que agreguem à estadia como meia pensão ou um jantar romântico.

Neste momento, também deve-se pensar em estratégias de fidelização. “Estima-se que 50% da demanda dos hotéis seja de clientes habituais. Então, a ideia é fidelizá-los para que na próxima viagem comprem pelos canais diretos. Vale oferecer benefícios, dar um up-grade de um apartamento, internet gratuita, voucher de desconto no restaurante e, se for um resort, presentear com uma massagem, por exemplo”, orientou Jeferson Munhoz.

Entra em cena, com isso, a hiper personalização de ofertas. “Preço é importante e desconto é válido, mas é preciso analisar as características dos canais. Lembrar também que as OTAs devem ser encaradas como a porta de entrada de clientes e não de fidelização. Trazer ofertas diferenciadas no seu próprio site e estar preparado para conversar com os hóspedes. Clientes antigos vão ligar para você e clientes novos vão ligar para você. Treine a sua equipe para que estejam preparados para responder as dúvidas”, ressaltou Waléria Fenato.

A comunicação tanto com hóspedes, fornecedores e equipe interna deve ser leve e transparente. As novas rotinas de limpeza do quarto, da mesa do restaurante, do check-in e áreas comuns devem estar expostas no site, na rede social, nos comunicados no apartamento e nas áreas sociais. Assim, ter um whatsapp para atendimento e um telefone que acolha dúvidas e esclarecimentos pode ser um diferencial para manter o vínculo com a base de clientes e aumentar as reservas diretas.

O segundo painel foi “Reabertura: Novos Protocolos de Funcionamento e Como Reduzir Custos Operacionais sem Perder Qualidade nos Serviços do Hotel”, com a participação de Maria José Dantas (diretora da governança.com e presidente nacional da ABG), Carla Trindade (especialista em Gestão Operacional de Governança e Lavanderia Hoteleira), Gunnar Georgi (consultor de Desenvolvimento Profissional, Treinamentos, Gestão de Pessoas, Processos e Padrões e Eventos) e Fábio Folena (UnileverPro).

O assunto foi o tema de maior interação no chat e de questionamentos. Maçaneta de porta, controle remoto, interruptores e cardápios são algumas das superfícies de toque frequente cuja desinfecção se faz obrigatória. “Hoje devemos trabalhar a simplificação das UHs (Unidades Habitacionais), pois quanto menor for a quantidade de itens mais rápido será o processo de desinfecção”, sugere Maria José.

Assim, retirar de circulação ou isolar áreas com móveis que dificultem a limpeza pode ser uma boa saída. Não esquecer dos cuidados com o meio ambiente ao privilegiar produtos químicos que sejam biodegradáveis e também respeitem as regras de segurança sanitária. “No caso do descarte de material possivelmente contaminado alguns hotéis já adotam a solução de colocar o lixo em um conteiner separado e manter em quarentena para só depois disponibilizar para a coleta urbana”, lembra Maria José.

A roupa de cama e o protetor de cama devem ser trocados a cada check-out, sendo o ideal o hotel ter ao menos três enxovais para cada apartamento. “Esse é um período muito sensível que ninguém quer perder hóspedes e eles estão muito mais atentos e também precisam perceber que estamos levando tudo com muita seriedade”, disse Carla Trindade. Para ela, o hotel deve avaliar os pontos de maior trânsito de hóspedes, pois a limpeza das áreas comuns é tão importante quanto do apartamento e os espaços devem ser monitorados o tempo inteiro com um fluxo de higienização contínuo.