Hotelaria volta a crescer. Pelo menos, nas diárias médias

23 de janeiro de 2020 por antonioroberto

Comentários 0

Hotelaria em alta?

Hotelaria em alta?

O Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil divulga periodicamente ao mercado a evolução de ocupação e diária média das principais regiões do país. Nesta edição de janeiro de 2020, são apresentados os dados acumulados de 2019 e as análises abaixo mencionadas foram feitas em parceria com a HotelInvest – empresa de consultoria especializada em investimentos hoteleiros.

O crescimento de diária média no setor hoteleiro nacional chegou a 7,2% no acumulado de 2019. É a primeira vez, após quatro anos, que as tarifas voltaram a crescer acima da inflação e passaram a liderar o processo de recuperação de desempenho do setor. A taxa de ocupação cresceu 3,3% no mesmo período.
“É um claro sinal de solidez no processo de recuperação do desempenho hoteleiro no Brasil. Depois de três anos consecutivos de aumento de ocupação, chegou o momento de a diária começar a crescer com mais intensidade”, afirma Orlando de Souza, presidente executivo do FOHB.

Em um ambiente econômico mais positivo e com baixa evolução de oferta, em 2019 a hotelaria no Brasil teve o melhor desempenho dos últimos anos. “Os resultados devem ser comemorados, mas estamos apenas no início de um novo ciclo de valorização dos ativos hoteleiros. O lucro operacional dos hotéis ainda se encontra próximo a metade dos valores de 2013, período pré-crise. A boa notícia é que o horizonte futuro será muito mais favorável”, comenta Pedro Cypriano, managing partner da HotelInvest.

Dados do Panorama da Hotelaria Brasileira, publicação elaborada pela HotelInvest com o apoio institucional do FOHB, indicam que no ano passado as novas aberturas previstas no setor totalizaram aproximadamente 4 mil apartamentos. O aumento percentual de oferta no país foi de apenas 1%. Os anos de superoferta e queda de ocupação do setor ficaram para trás.

Com base nos dados regionais, o grande destaque é o Sudeste. Por concentrar a maior riqueza do país, a retomada de crescimento econômico nacional beneficiou principalmente os estados da região, que tiveram incremento de tarifa e ocupação de 8,7% e 4,9%, respectivamente. Já o Nordeste apresentou a menor evolução, diária e ocupação cresceram apenas 4% e 0,3%, respectivamente. Fatores como a crise da Avianca Brasil, o derramamento de petróleo no litoral e incidentes de segurança pública, como o do começo do ano em Fortaleza, justificam o desempenho modesto dos hotéis na região.

No balanço geral, os dados são positivos e mostram a força econômica da hotelaria no país. Apesar de um PIB com crescimento próximo a 1%, a receita por apartamento disponível dos hotéis aumentou 10,7%. E para os próximos anos a tendência é de intensificação de crescimento. Conheça em detalhes as tendências para os principais mercados hoteleiros do país na próxima edição do Panorama da Hotelaria Brasileira, com divulgação prevista em fevereiro.

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.