Confira um rápido panorama sobre os impactos da pandemia na aviação comercial global

18 de junho de 2020 por antonioroberto

Comentários 0

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou suas perspectivas financeiras para o setor de transporte aéreo global, mostrando que as companhias aéreas devem apresentar prejuízo de US$ 84,3 bilhões em 2020 e margem de lucro líquido de -20,1%. As receitas devem ter queda de 50%, atingindo US$ 419 bilhões, em relação a US$ 838 bilhões em 2019. Em 2021, as perdas devem ser menores, chegando a US$ 15,8 bilhões, enquanto as receitas devem aumentar e atingir US$ 598 bilhões.

A demanda de passageiros desapareceu quando as fronteiras internacionais foram fechadas e os países adotaram o lockdown para impedir a propagação do vírus. A Iata garante que esta é a principal causa das perdas do setor. No ponto mais baixo, em abril, as viagens aéreas globais ficaram cerca de 95% abaixo dos níveis de 2019. Agora, há indicações de que o tráfego está melhorando lentamente. Contudo, os níveis de tráfego (medidos em passageiros-quilômetros pagos transportados) de 2020 devem cair 54,7% em relação a 2019, segundo a associação mundial. O número de passageiros cairá pela metade, atingindo 2,25 bilhões, quase igual aos níveis de 2006. 

Ainda de acordo com a IATA, as receitas do transporte de passageiros devem cair para US$ 241 bilhões (bem abaixo dos US$ 612 bilhões em 2019). Essa redução é maior do que a queda na demanda, reflexo da redução esperada de 18% nos rendimentos do transporte de passageiros, enquanto as companhias aéreas tentam incentivar as pessoas a voar novamente com estímulos por meio de promoções. As taxas de ocupação, prevê a IATA, devem apresentar uma média de 62,7% em 2020, cerca de 20 pontos percentuais abaixo da alta recorde de 82,5% atingida em 2019.

Os custos não estão caindo tão rápido quanto a demanda. As despesas totais de US$ 517 bilhões estão 34,9% abaixo dos níveis de 2019, mas as receitas terão queda de 50%. A baixa utilização de aeronaves e assentos resultante das restrições também contribuem para o aumento dos custos.

Os preços de combustível representam algum alívio, segundo a IATA, Em 2019, o combustível de aviação foi em média US$ 77/barril, enquanto a média prevista para 2020 é de US$ 36,8. Estima-se que o combustível representará 15% dos custos gerais (em relação a 23,7% em 2019).  

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.