O advogado José Luís de Oliveira Lima, responsável por sua defesa na Operação da Polícia Federal, bem como do deputado federal Fábio Faria e a apresentadora Patrícia Abravanel na Operação Lava Jato, está entre os 15 advogados mais poderosos do Brasil, segundo o site Globo.com.

Aos 47 anos, Oliveira Lima tornou-se um dos criminalistas mais requisitados do país durante o mensalão. É de Juca, como é chamado, a defesa do réu mais importante do processo: José Dirceu. O ex-chefe da Casa Civil de Lula chegou a ele por indicação de seu tio, o criminalista José Carlos Dias, ex-ministro da Justiça de FHC. Em 2006, quando o Ministério Público ofereceu denúncia à Justiça acusando um esquema de compra de votos no Congresso, Dirceu procurou Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, para se aconselhar. Diante do viés político do caso, Kakay recomendou contratar um advogado próximo aos tucanos – e indicou José Carlos Dias. Já comprometido com a defesa do Banco Rural no processo, o tio indicou Juca. Foi um salto em sua carreira, mas também sua maior derrota. “É inegável que foi uma derrota, e sofro com ela”, admitiu, ao comentar a prisão de Dirceu.

Oliveira também atuou na defesa do deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), flagrado recebendo uma mala de dinheiro de R$ 500 mil do diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud, o mesmo que acusa de ter repassado R$ 10 milhões em propinas ao governador.

jose-luis-de-oliveira-lima

Foto: Andre Lessa, Diego Bresani e Felipe Gaspar