Em discurso na tribuna do Senado nesta segunda-feira (9), o senador José Agripino (RN) rechaçou acusação da base aliada de que a oposição estaria incitando manifestações pró-pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No entanto, lembrou o sentimento de insatisfação que toma conta de todo o Brasil e disse que a oposição estará ao lado do sentimento popular. “A revolução de 64, o impeachment do ex-presidente Fernando Collor só ocorreram após as manifestações nas ruas. A insatisfação dos brasileiros é um copo que está enchendo: inflação de 1,4% ao mês, taxa de juros de mais 0,5%, a decepção com a corrupção na Petrobras, o produto interno bruto um desastre”, ressaltou.

“Nós, da oposição, não vamos provocar nenhum cataclisma, mas não vamos nos apartar do sentimento popular de modo a levar este país a seu porto seguro. Vamos, com equilíbrio e sensatez, caminhar ao lado do povo”, acrescentou Agripino.

Para o presidente do DEM, a maior prova de que o país está decepcionado com o governo do PT refletiu na recente pesquisa Datafolha, divulgada neste sábado (7), em que apontou queda na popularidade da chefe do Executivo de 42%, em dezembro de 2014, para 23% em fevereiro de 2015. “Tudo isso que o brasileiro tem vivido – essa corrupção escancarada, os preços dos alimentos subindo a cada semana, as promessas feitas e não cumpridas – mostrou a maior inversão de popularidade de alguém que exerce a vida pública. Índice positivo de mais de 20% para menos de 20% em questão de um mês e meio. Isso tudo é decorrente da indignação, frustração e decepção das pessoas”.

Foto: Mariana DiPietro

z