Daniel Buarque
Do G1, em São Paulo

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda (31), após visita de cerca de uma hora a Luiz Inácio Lula da Silva no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, que, na conversa com ela, o ex-presidente “poupou a voz”. Segundo Dilma, ele está “falando baixo” e não fez comentários sobre a previsão dos médicos de que perderá cabelos e barba durante o processo de quimioterapia.

Lula se internou nesta segunda para iniciar o tratamento de quimioterapia contra um câncer na laringe, diagnosticado no último sábado. Na visita, Dilma estava acompanhada dos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

Em entrevista após a visita, a presidente afirmou que o antecessor “está maravilhoso, excepcional de humor, com aquela alegria dele”. Rindo, Dilma afirmou que Lula está “muito disposto” e que participará no Carnaval do desfile da escola Gaviões da Fiel, em São Paulo, que homenageará o ex-presidente. A escola apresentará o enredo “Verás que o filho fiel não foge à luta – Lula, o retrato de uma nação”.

Dilma, que já enfrentou um câncer e passou por sessões de quimioterapia no mesmo hospital, disse que deu “poucas dicas” sobre o tratamento. Segundo ela, Lula estava “bem mais interessado” em discutir o encontro do G20, que reunirá os principais líderes mundiais na França e do qual a presidente participará.

Dilma afirmou que, durante o encontro, Lula demonstrou “a extrema energia que sai da bondade do presidente e da extrema alegria de viver que ele tem”. “O povo brasileiro que torce por ele e quer que ele melhore, pode ter certeza de que ele é um guerreiro e que vai sair de mais esse desafio inteiro, feliz e que vai ainda dar muita contribuição para o nosso país”, disse a presidente.

Foto: Ricardo Stuckert