O deputado estadual José Dias (PSD) confirma que a Assembleia deverá mudar a distribuição dos recursos. “Acredito que a Assembleia vai aprovar o empréstimo, mas não com a aplicação que foi enviada pelo Governo. Claro que vai ter mudanças. Se fosse apenas para carimbar (um  projeto enviado pelo Governo) a Assembleia seria cartório”, ressaltou.

O secretário chefe da Casa Civil, Paulo de Tarso Fernandes, afirmou que caso a Assembleia Legislativa modifique o plano de destinação do empréstimo de U$ 540 milhões todo projeto deverá ser revisto pelo  Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). Embora reconhecendo a autonomia do Legislativo para modificar o projeto, o secretário observou que a distribuição dos recursos está incluída dentro de um plano feito pelo Bird.

“A discussão desse empréstimo começou em janeiro. É preciso entender que o banco é um fundo internacional de combate à pobreza, tem regras específicas”, disse Paulo de Tarso, ressaltando que o empréstimo contemplou uma “carta consulta de intensa negociação com a missão vinda de Washington”.

Com informações da Tribuna do Norte