O movimento no comércio potiguar está menor do que em todos os anos.

O motivo é óbvio: os servidores do Estado sem o salário de novembro e sem o 13º salário.

E ainda com a incerteza de quando – de fato – vai receber o atrasado.

E os comerciantes amargam o prejuízo. Alguns, ainda maior, pela ação de criminosos que saquearam estabelecimentos.