A Câmara dos Deputados entregou, nesta quarta-feira (5), o Prêmio Brasil Mais Inclusão 2018, destinado a empresas, entes federados (União, estados, Distrito Federal e municípios), entidades ou personalidades que tenham realizado ações em prol da inclusão de pessoas com deficiência ou que sejam, elas mesmas, exemplos de superação.

A deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), que propôs a sessão solene, lembrou que o prêmio este ano recebeu o nome de Darci Barbosa, esposa do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), que teve sua vida interrompida prematuramente, em um acidente automobilístico. “Ao longo de sua vida, Darci Barbosa militou em defesa das pessoas com deficiência. Era superintendente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae-BH) em Belo Horizonte. Sua obra em vida contribuiu para a melhoria da qualidade de vida de muitos brasileiros em situação de dificuldade”, disse.

Uma das homenageadas por indicação do deputado federal Rafael Motta (PSB-RN), a professora Débora Araújo Seabra de Moura, primeira pessoa portadora de Síndrome de Down a se formar professora no Brasil, agradeceu a indicação. Ela também pediu ajuda aos deputados, para que lutam pela causa da educação inclusiva que está sendo ameaçada. “As regras do Ministério da Educação e Cultura (MEC) para a educação inclusiva devem continuar. Esses direitos são garantidos pela convenção dos direitos da pessoa com deficiência e pela lei brasileira de inclusão”, disse.

A deputada federal Zenaide Maia (PHS-RN) indicou a Sociedade Amigos do Deficiente Físico do Rio Grande do Norte, representada pelo seu presidente, Tércio Barreto.

IMG_4719