Campanha Julho Verde alerta sobre risco de diagnóstico tardio do Câncer de Cabeça e Pescoço

A pandemia tem alterado as rotinas e afetado diversas pessoas, seja nos afazeres do dia a dia, no trabalho ou nos afetos. No setor da saúde, além do combate a própria Covid-19 também tem agido de maneira direta em outras doenças já conhecidas da população, como os cânceres. Em 2021, a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), realiza a quinta edição do Julho Verde e traz o slogan “O câncer tá na cara, mas às vezes você não vê” para tratar da importância da prevenção, do diagnóstico precoce, tratamento e reabilitação; sendo o dia 27/07 o Dia Mundial de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço.

Anualmente, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra cerca de 40 mil novos casos de cânceres de cabeça e pescoço, denominação genérica de tumores que se originam em regiões das vias aéreo-digestivas, como boca, língua, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe e seios paranasais.

“Chama-se atenção para rouquidão crônica que não melhora com remédios em trinta dias, feridas na boca, na bochecha, uma afta que não cicatriza, dificuldade para mastigar ou engolir, dentes moles, caroço no pescoço, por exemplo, são sintomas que denunciam prenúncio para algo que possa estar acontecendo no organismo. E isso pode fazer a diferença entre a rapidez do diagnóstico, por se tratar de sintomas iniciais. Então, é necessário recorrer ao médico o quanto antes”.

Dr. Luís Eduardo Barbalho de Melo, da SBCCP