Segundo o G1RN, o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) começou nesta quarta-feira (6) o trabalho mais minucioso de perícia no carro do universitário Máximo Augusto, cujo corpo foi encontrado na tarde do último domingo (3).

De acordo com a perita criminal Lidyce Guerra, esta etapa tem como objetivo coletar material biológico – sangue, sêmen, fios de cabelo – que possa ajudar na identificação dos suspeitos.

O carro de Máximo Augusto foi encontrado na manhã desta terça (5) em uma rua do bairro Candelária, na Zona Sul de Natal. Dentro do carro a polícia encontrou uma calça jeans e uma camisa vermelha, provavelmente a roupa que o estudante usou antes de desaparecer.

z