Geral

Gestantes, puérperas e lactantes: Saúde orienta vacinação contra a Covid-19 para mulheres de grupos prioritários

Gestantes, puérperas e lactantes podem se vacinar contra a Covid-19 no Brasil, desde que pertençam a um dos grupos prioritários, especialmente se tiverem alguma comorbidade. Essa é a orientação do Ministério da Saúde, que tem como base estudos nacionais e internacionais que avaliaram os riscos e os benefícios de imunizar mulheres nessas condições.

No caso de gestantes sem doenças pré-existentes, mas que façam parte do público-alvo da campanha, a recomendação é que seja realizada uma avaliação cautelosa junto ao seu médico, principalmente se a mulher exercer alguma atividade que a deixe mais exposta à doença. A gestante também deve ser informada sobre os dados de eficácia e segurança conhecidos dos imunizantes. Quem se enquadrar nesses critérios, deve ser vacinado contra a covid-19 conforme a ordem de imunização dos grupos prioritários, estabelecida pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Mas atenção: o Ministério da Saúde orienta que as gestantes, lactantes e puérperas procurem os serviços de saúde somente quando chegar a fase de vacinação do grupo prioritário no qual elas estão inseridas.

As gestantes, puérperas e lactantes, pertencentes aos grupos prioritários, que não concordarem em serem vacinadas, devem ser apoiadas em sua decisão e orientadas a manter medidas de proteção como higiene das mãos, uso de máscaras e distanciamento social. Além disso, lactantes que forem vacinadas contra a covid-19 não precisam interromper o aleitamento materno por conta do imunizante, uma vez que não há evidências de riscos para a saúde do bebê, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A doação de leite materno também é permitida.

Geral

UFRN cadastra aprovados no Sisu 2021 a partir da segunda (19)

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a partir desta segunda-feira, 19, o cadastro e matrícula dos candidatos selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), de acordo com as notas obtidas na edição 2020 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A primeira chamada é voltada aos 6.939 aprovados dentro do número de vagas, que devem enviar a documentação exigida pela UFRN entre os dias 19 e 20 de abril, exclusivamente por meio do site. Eventuais necessidades de retificação ou complementação serão realizadas no dia 22 de abril, no mesmo endereço eletrônico.

A lista de documentos consta no edital de cadastramento e matrícula, disponível no site. Neste ano, será implantado pela primeira vez o processo de heteroidentificação, ao qual serão submetidos os candidatos autodeclarados pretos ou pardos. O procedimento será realizado por meio do envio de um vídeo individual, que será analisado por uma banca composta por três membros. Já os candidatos que desejam preencher as vagas reservadas às pessoas com deficiência devem encaminhar exames e laudos comprobatórios, que serão analisados pela banca de validação de caráter multidisciplinar.

Vagas

A UFRN oferta 7.106 vagas para 119 cursos de graduação nos campi de Natal, Macaíba, Santa Cruz, Currais Novos e Caicó. Do total de vagas, 4.822 são para o primeiro semestre, que terá início em 7 de junho, e 2.284 para o segundo semestre, cujas aulas começam no dia 18 de outubro. As vagas eventualmente não ocupadas na primeira chamada serão preenchidas em uma segunda chamada, a partir da lista de espera disponibilizada pelo Sisu 2021. Para compor a lista de espera, os candidatos devem manifestar interesse no portal do Sisu, em prazo estabelecido em cronograma do Ministério da Educação (MEC). A convocação da segunda chamada na UFRN está prevista para o dia 3 de maio de 2021, já o cadastro e matrícula acontecerão no provável prazo de 5 e 6 de maio, com retificação no dia 10.

Geral

Ministério da Saúde envia ao RN mais 89.400 doses da vacina contra Covid-19

O Ministério da Saúde envia amanhã (15) ao Rio Grande do Norte um novo lote com mais 89.400 doses da vacina contra Covid-19.

Ao todo, serão 36.400 imunizantes da CoronaVac e 53 mil de Oxford/AstraZeneca.

Deste lote, são 54.752 vacinas para primeira dose e 26.470 para segunda dose, entre doses de CoronaVac e AstraZeneca.

O Rio Grande do Norte já recebeu 604.040 doses de CoronaVac e 150.650 da Oxford/Asrazeneca desde o início da vacinação.

Geral

AstraZeneca/Oxford: Saúde reitera que a vacina é segura e reforça a importância da imunização

O Ministério da Saúde monitora constantemente a segurança e a efetividade de todas as vacinas incorporadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Com as vacinas covid-19, não é diferente.

Até o momento, não foi identificada uma relação de causalidade entre o imunizante da AstraZeneca/Oxford com eventos raros de trombose (formação de coágulos sanguíneos) associados à plaquetopenia, em pessoas que receberam as doses do imunizante.

Dessa maneira, a pasta reitera a importância da vacinação, considerando que os benefícios da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Oxford superam, em muito, os potenciais riscos. No Brasil, as doses do laboratório são produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – o País também já recebeu vacinas do mesmo imunizante produzidas em fábricas na Índia e na Coreia do Sul.

Geral

Botafogo e ABC se enfrentam nesta quarta na Copa do Brasil

O Botafogo visita o ABC, nesta quarta-feira (14) a partir das 21h30 (horário de Brasília) no estádio Frasqueirão, em Natal (RN), pela 2ª fase da Copa do Brasil. O confronto, em jogo único e eliminatório, definirá quem avançará na competição, abocanhando um prêmio de R$ 1,7 milhão. Caso prevaleça a igualdade no tempo normal, a vaga será decidida nas penalidades máximas.

Os donos da casa estão na quarta posição do Campeonato Potiguar, com dois jogos a menos do que os líderes (América-RN e Globo). No último sábado (10), perderam para o Bahia por 2 a 1 e acabaram eliminados da Copa do Nordeste. Pela Copa do Brasil, o time do técnico Sílvio Criciúma empatou por 1 a 1 com o Rio Branco de Venda Nova e levou a classificação, pois o regulamento previa essa vantagem nesta etapa para a equipe melhor posicionada no ranking da CBF.

Da Agência Brasil

Geral

Vacina da Johnson é suspensa nos Estados Unidos após casos de trombose

Do Poder 360

O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) e a FDA (Food and Drug Administration, autoridade sanitária dos EUA) decidiram suspender a aplicação da vacina da Janssen (braço farmacêutico da Johnson & Johnson) nos Estados Unidos. O motivo é uma reação adversa rara em que a pessoa desenvolve coágulos de sangue. As agências afirmaram nesta 3ª feira (13.abr.2021) que foram registrados 6 casos no país.

Em comunicado conjunto, o CDC e a FDA informaram que todos os casos ocorreram em mulheres com idades de 18 a 48 anos. Os sintomas começaram a aparecer de 6 a 13 dias depois da vacinação. As agências afirmam ainda que aparentemente essa é uma reação “extremamente rara“. Mas pediram que as pessoas que tenham tomado a vacina e não estão se sentindo bem procurem um médico.

O CDC vai realizar uma investigação e revisão dos casos e segurança da vacina na 4ª feira (14.abr). A FDA também vai revisar os dados relacionados à vacina da Janssen. “A segurança de vacinas contra a covid-19 é uma das principais prioridades do governo federal, e levamos muito a sério todas as notificações de problemas de saúde após a vacinação“, afirmaram as agências.

A vacina da Janssen é administrada em dose única. Ela foi autorizada para uso emergencial nos Estados Unidos no fim de fevereiro, tanto pelo CDC quanto pela FDA.

O imunizante foi testado em mais de 44.000 voluntários nos EUA, na África do Sul e em países da América Latina. Tem eficácia média de 66% contra o coronavírus. Nos EUA, é considerado 86% eficaz contra formas graves da covid-19.

Geral

Leite materno produzido por mães vacinadas tem anticorpos contra a Covid-19, diz estudo

Do G1

Dois anticorpos específicos contra o novo coronavírus (IgA e o IgG) foram identificados no leite materno produzido por mulheres que receberam a vacina, de acordo com um estudo publicado nesta segunda-feira (12) na revista científica americana “The Journal of the American Medical Association (JAMA)”.

Os pesquisadores avaliam que o leite materno pode ser uma fonte de anticorpos contra a Covid-19 para os recém-nascidos, embora essa conclusão dependa de novos estudos específicos.

“Os anticorpos encontrados no leite materno dessas mulheres mostraram fortes efeitos neutralizantes, sugerindo um potencial efeito protetor contra infecção em bebês”, afirmam os cientistas no artigo sobre a pesquisa.

Para chegar aos resultados que confirmaram a presença dos anticorpos no leite, os pesquisadores acompanharam um grupo de 84 mulheres em Israel entre 23 de dezembro de 2020 e 15 de janeiro deste ano.

Todas as participantes receberam as duas doses do imunizantes fabricado pela Pfizer-Biontech respeitando o intervalo de 21 dias entre as doses.

As amostras de leite materno foram colhidas antes e depois da administração da vacina. Após a aplicação do imunizante, os pesquisadores coletaram o leite materno semanalmente durante um período de seis semanas a partir do 14º dia após a primeira dose da vacina. Ao todo, foram colhidas 504 amostras de leite materno.

Dentre as amostras colhidas na primeira semana, 61,8% apresentaram anticorpos IgA contra a Covid. Após a segunda dose da vacina, esse percentual sobe para 86,1%.

Já no caso do anticorpo IgG, os níveis das células de defesa contra a doença permaneceram baixos durante as três primeiras semanas e foram aumentando a partir da quarta semana, após a segunda dose do imunizante. Entre as semanas 5 e 6, 97% das amostras de leite materno testadas apresentaram o anticorpo.
Esse aumento acontece porque a segunda dose da vacina é responsável por estimular o corpo a produzir um número maior de anticorpos, enquanto que a primeira dose ensina o corpo a reagir à doença.

A pesquisa investigou dois anticorpos: O IgA e o IgM. Os anticorpos são proteínas do sistema imune e são uma das frentes de defesa do corpo contra doenças.

Existem diferenças entre os anticorpos: o IgA, no geral, protege contra infecções de membranas mucosas presentes na boca, vias aéreas e aparelho digestivo. Já o IgG é o principal anticorpo presente no sangue e age dentro dos tecidos para combater infecções.

Eficácia nos bebês
Os pesquisadores, liderados por Sivan Haia Perl, do Shami Medical Center, apontam que o estudo tem limitações e não permite concluir que bebês estão protegidos contra a Covid por terem recebido anticorpos no leite materno. Eles aponta que não realizaram “nenhum ensaio funcional” para testar a possibilidade, embora estudos anteriores já tenham mostrado capacidade de neutralização dos mesmos anticorpos.

Geral

Veja Aqui: Novas regras do Código de Trânsito Brasileiro passam a valer nesta segunda-feira (12)

As novas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), sancionadas em outubro pelo presidente da República, passam a vigorar nesta segunda-feira (12) para todos os usuários de trânsito do país. Com essas mudanças, o CTB irá garantir mais simplificação e redução da burocracia nos processos, diminuição de custos e investimento em medidas educativas.

Entre as regras está a ampliação da validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que passou de cinco para 10 anos para condutores com idade inferior a 50 anos, e a quantidade de pontuação para a suspensão da CNH.

Confira apresentação sobre o Novo CTB
Clique aqui para conhecer as principais alterações

Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, as novas regras, além de tirar o peso do Estado sobre o cidadão também vão endurecer as normativas sobre condutas graves no trânsito. “As mudanças foram necessárias para acompanhar o novo momento que o país está vivendo. Os motoristas e cidadãos que exerçam sua cidadania no trânsito, terão uma melhoria considerável no que diz respeito aos serviços prestados” afirmou.

Além disso, Tarcísio ressaltou que o trabalho do Governo Federal é baseado em três pilares: engenharia, educação e esforço legal (fiscalização e legislação). “Essas três vertentes nos ajudam a garantir um trânsito mais seguro para todos. Elas trabalham juntas e com as novas regras, vamos conseguir aperfeiçoá-las” complementou.

Confira as principais mudanças no CTB:

CNH – O aumento da vaidade da CNH passou de cinco para 10 anos para condutores com idade inferior a 50 anos. Para quem tem entre 50 e menos que 70 anos, a necessidade de renovação é de cinco anos e aqueles com 70 anos ou mais passam a renovar a cada três anos. A regra é a mesma para motoristas profissionais.

PONTUAÇÃO – São considerados três limites: 20 pontos para quem tem duas ou mais infrações gravíssimas; 30 pontos para quem tem uma infração gravíssima; e 40 pontos para quem não cometer nenhuma infração gravíssima. Para motoristas profissionais, valerá a pontuação de 40 pontos, independente da natureza das infrações cometidas. Todos os limites servem para quem atingir essa pontuação no período de 12 meses.

FARÓIS – Antes obrigatórios em rodovias federais, agora serão necessários somente em casos de rodovias de pistas simples, fora de perímetro urbano, durante a luz do dia também sob neblina, chuva ou cerração.

PENA DE RECLUSÃO – Fica proibido converter pena de reclusão (privativa de liberdade) por penas alternativas no caso de morte ou lesão corporal provocada por condutor sob efeito de álcool ou drogas.

MULTAS – Com a nova regra, será obrigatória a substituição de multas leves ou médias por advertência para infrator que não cometeu nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

RECALL – Não existia qualquer obrigação quanto ao atendimento das campanhas de recall no CTB. Agora, as informações referentes às campanhas de chamamento de consumidores não atendidas no prazo de um ano, contado da data de sua comunicação, deverão constar no Certificado de Licenciamento Anual (CLA). Após um ano da inclusão, o veículo somente será licenciado mediante comprovação do atendimento.

BOA CONDUTA – A finalidade do Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC) é cadastrar os condutores que não cometeram nenhuma infração, seja de qualquer natureza, nos últimos 12 meses. Com isso, a União, estados, Distrito Federal e municípios poderão usar o RNPC para conceder benefícios fiscais ou tarifários aos condutores cadastrados.

CADEIRINHAS – Não existia a obrigatoriedade expressa na lei para o uso da cadeirinha, apenas em regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Com as mudanças, o CTB trouxe os dispositivos de altura, peso e idade da criança para utilização do dispositivo de retenção adequado:

1) O bebê conforto é indicado para crianças de até um ano de idade e até 13 kg;
2) A cadeirinha é utilizada para crianças de 1 a 4 anos de idade, que tenham entre 9 e 18 kg;
3) O assento de elevação é indicado para crianças de 4 a 7 anos e meio de idade que NÃO tenham atingido 1,45 m de altura, com peso entre 15 e 36 kg;
4) Para as crianças com mais de sete anos e meio de idade que ainda não tenham atingido 1,45m de altura, o transporte deverá acontecer no banco traseiro, usando o cinto de segurança.

CONDUÇÃO MOTOCICLETA COM CRIANÇAS – É proibido transportar criança menor de 10 anos, ou que não tenha, nas circunstâncias, condições de cuidar da própria segurança. Antes da mudança, crianças com menos de 7 anos não podiam ser transportadas em motocicletas.

TOXICOLÓGICO – Além da realização do exame de obtenção e de renovação já previstos anteriormente, os condutores das categorias C,D e E, com idade inferior a 70 anos, deverão realizar novo exame periódico toxicológico a cada dois anos e seis meses, a partir da obtenção e/ou renovação da CNH. A infração é considerada gravíssima, e tem como penalidade a multa e suspensão do direito de dirigir por três meses.

MUDANÇA NO CONTRAN – O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) passa a ser composto por ministros de Estado, no qual, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, será o presidente do Contran, e o diretor-geral do Denatran, Frederico Carneiro, o secretário-executivo.

DOCUMENTOS DIGITAIS – A CNH poderá ser expedida em meio físico e/ou digital, à escolha do condutor. O porte do documento será dispensado quando, no momento da fiscalização, for possível ter acesso ao sistema informatizado para verificar a habilitação do condutor.

Geral

Covid-19: vacinados devem observar intervalo entre imunizantes

Com a vacinação de pessoas contra a covid-19 avançando, é importante ficar atento ao intervalo entre essa aplicação e a de outros imunizantes. Médicos recomendam um prazo entre essas duas vacinas para não prejudicar os efeitos delas.

Segundo o infectologista Hemerson Luz, o intervalo sugerido pelos profissionais é de 14 dias. A orientação médica vale para qualquer vacina do calendário ou para influenza no caso dos grupos que serão imunizados contra a covid-19.

Essa preocupação não inclui, por exemplo, crianças que ainda não tiveram testes comprovando a eficácia das atuais vacinas contra a covid-19.

Hemerson Luz explica que o intervalo de duas semanas é recomendado para que a vacina consiga gerar resultados, com a produção de anticorpos correspondentes aos efeitos de cada imunizante.

O período de 14 dias deve ser observado independentemente de qual vacina foi tomada primeiro. Então, se alguém receber imunizante contra a covid-19, deve aguardar pelo menos duas semanas antes de tomar qualquer outra vacina e vice-versa.

O infectologista comenta que os calendários foram pensados para evitar que uma pessoa tenha tomado a vacina contra a Iifluenza e, logo depois, chegue a sua vez na lista de grupos prioritários da campanha contra a covid-19.

“O planejamento vai ser feito da seguinte forma: a vacinação contra a influenza vai começar por crianças e gestantes, que não estão incluídas na vacina da covid-19. Isso vai dar tempo de resposta para começar a campanha, enquanto os mais idosos estão sendo vacinados contra a covid-19”, afirma Hemerson Luz.

Se houver, no entanto coincidência dos períodos de vacinação fica mantida a orientação de esperar os 14 dias para não prejudicar nenhuma das duas.

Geral

Médico pede união aos colegas para enfrentamento do inimigo comum: Covid-19

O desabafo do médico Sebastião Paulino, que pede a união de todos os colegas.

Nobres colegas, amigos e amigas, meu respeito!

A profissão médica está alicerçada em duas premissas fundamentais, cujo espírito humanitário se sobrepõe a qualquer regramento.

São elas:
Preservar a vida e atenuar o sofrimento humano.

O ato de preservar a vida está intrinsecamente atrelado aos desígnios de Deus.
Em minha formação acadêmica tive um professor que costumava repetir em suas aulas a assertiva seguinte: o médico trata; Deus cura.
Esta é uma verdade que conduzo comigo diuturnamente no exercício do meu ofício.

Atenuar o sofrimento humano envolve imperiosa preocupação com nossos semelhantes. É aqui que sentimos a presença forte dos familiares e demais entes queridos.

Dentro de cada criatura humana existe um coração que impulsiona sangue para o corpo inteiro, levando com ele a esperança, a expectativa do retorno, a fé na cura e o desejo incomensurável de que tudo volte ao normal.

É impossível não sentir a dor de uma família no instante em que aquela criatura humana já não respira mais.
Dói. Dói muito saber que uma vida foi interrompida, levando consigo inúmeros desejos e planos.

Muito difícil não chorar com aqueles que ficam.

Não posso abandonar a crença de que a vida continua, embora em outra dimensão.

O que mais me atordoa em meio às adversidades do dia a dia, em plena pandemia, é o conflito de ideias protagonizado pelo conhecimento de tantos medalhões perfilados em busca de notoriedade, dividindo uma classe tão nobre, justamente em um instante em que precisamos tanto de união.

A soberba e a vaidade de grupos antagônicos devidamente representados por profissionais renomados só produzem insegurança em meio à sociedase civil bombardeada por informações conflitantes e perseguida pelo medo.

Ainda não se deram conta da imperiosa necessidade que o mundo exibe de manter acesa a chama da esperança por dias melhores.

Estamos enfrentando um embate de índole e deslinde atroz. Precisamos aniquilar o inimigo.
Nossa frente de batalha não pode ruir.

O mundo clama por união.
Separados e em busca de notoriedade gratuita, seremos fragorosamente vencidos.
Estamos perdendo nossos guerreiros em linha de frente e inúmeros entes queridos.

Jamais, em tempo algum, mendigamos tanto a supremacia da união.
União e humildade.

Somos uma família.

É chegado o momento de organizarmos a nossa linha de frente e modo de atuação, enquanto ainda temos força.

É possível que a sociedade civil organizada nem saiba ainda: a jornada tem sido extenuante e o nosso limite está sendo tangenciado.

Quem cuida também pede socorro.

Deus Existe. Ele é Único.

Sebastião Paulino da Costa.
Médico e Advogado.
Natal, 02 de abril de 2021. Sexta-feira Santa.

Geral

Anvisa aprova uso emergencial da vacina da Janssen (Johnson)

A Diretoria Colegiada da Anvisa (Dicol) aprovou, nesta quarta-feira (31/3), a autorização temporária para uso emergencial da vacina Janssen COVID19 Vaccine (Ad26.COV2-S, recombinante), desenvolvida pela Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson.

A solicitação de uso emergencial foi feita pela empresa no dia 24 de março. A Anvisa concluiu, após a análise dos estudos apresentados, que a vacina protege contra a forma grave da doença e é eficaz para prevenção da Covid-19 em pacientes adultos.

Sobre a vacina

A vacina da Janssen é baseada em vetores de adenovírus sorotipo 26 (Ad26). É indicada para pessoas acima de 18 anos.

O imunizante é aplicado em dose única de 0,5ml e demonstrou, nos testes apresentados, 66,9% de eficácia para casos leves e moderados e 76,7% de eficácia para casos graves, após 14 dias da aplicação.

O prazo de validade é de três meses quando armazenado na temperatura entre 2°C e 8°C. Após aberto, o frasco pode ser utilizado em até seis horas.

Geral

Vacinação prioritária para pessoa com deficiência, autismo, Síndrome de Down, paralisia cerebral e doenças raras é aprovada pela Assembleia Legislativa

A vacinação prioritária de pessoas com deficiência, com foco em pessoas com espectro autista, Síndrome de Down, paralisia cerebral e doenças raras vai se tornar lei no Rio Grande do Norte. Nesta quarta-feira (31), a Assembleia Legislativa aprovou, à unanimidade, o projeto de lei de iniciativa da deputada estadual Cristiane Dantas (Solidariedade).

Para a deputada, a proposição atende a pleitos recebidos pelo mandato por diversas pessoas com deficiência, autismo Síndrome de Down e doenças raras. A parlamentar explicou que a proposta tem base científica.

“As pessoas com necessidades especiais estão entre os grupos prioritários de saúde pois são consideradas, cientificamente, mais vulneráveis à gravidade da covid-19. As pessoas com Síndrome de Down, por exemplo, têm dez vezes mais chance de contrair a forma grave da doença e, por isso, devem ser imunizadas com prioridade”, disse.

De acordo com o projeto de lei, caberá ao Poder Executivo Estadual e a Secretária Estadual de Saúde proceder a inclusão no rol de prioritários do programa de vacinação as pessoas com deficiência, e estabelecer as diretrizes e planejamento de distribuição dos imunizantes.

Deputada Cristiane Dantas - Autora da proposta

Deputada Cristiane Dantas – Autora da proposta

Geral

Aluno do CEI Romualdo Galvão é um dos 28 no Brasil a tirar nota 1000 na redação

O CEI da Av. Romualdo Galvão comemora mais uma conquista.

E mantém a boa tradição.

Aécio Pinheiro Fernandes Filho é um dos 28 inscritos do ENEM que tiraram nota máxima na redação: 1.000.

O compromisso do aluno, o apoio da família e a dedicação da equipe de professores foram fatores determinantes para essa conquista, segundo o próprio colégio.

Aluno CEI

Geral

Hospital Infantil Varela Santiago terá mais uma ala de UTI com 10 novos leitos

Centro multidisciplinar completo e, o mais importante: gratuito, 100% SUS, conhecido pela excelência na prestação dos seus serviços e referência em pediatria geral no Rio Grande do Norte, o Hospital Infantil Varela Santiago está construindo uma nova ala para instalação de mais 10 leitos de UTI. Atualmente, a unidade tem 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIPED) e 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTINEO).

A obra está em estágio final e tem previsão de ser entregue no mês de junho. Para a conclusão do projeto, o hospital ainda precisa cumprir duas etapas: a habilitação no Ministério da Saúde e a aquisição dos equipamentos. A obra, que tem um valor estimado de R$ 1.720.000,00 foi custeada por emendas parlamentares e a parceria do hospital com o Natal Cap.

O Varela Santiago atende crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, de todo o estado do Rio Grande do Norte. A Instituição realiza em torno de 15 mil procedimentos por mês, todos prestados exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital conta com 110 leitos para internamento, além da Casa de Apoio Nazinha Lamartine que fornece abrigo, alimentação e material de higiene para os acompanhantes durante o período de internamento dos pacientes.

Hosp Varela Santiago

Geral

OAB/RN pede inclusão com urgência de pessoas com deficiência na vacinação contra Covid-19

Nota

A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN), associando-se a diversas manifestações recentemente trazidas a público, vem pleitear ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte e às Prefeituras Municipais que, no âmbito de suas atribuições constitucionalmente estabelecidas, implantem, com a devida urgência, a vacinação das pessoas com Síndrome de Down, autistas, pessoas com deficiência e doenças raras.

Além de razões médico-científicas que apontam para a alta vulnerabilidade desse grupo aos efeitos da COVID-19 em virtude, dentre outros fatores, de sua baixa imunidade, fundamentos de índole estritamente jurídica amparam o pleito.

Refere-se, por exemplo, ao princípio da máxima proteção instituído pela Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (recebida pela ordem jurídica brasileira com status de Emenda constitucional) bem como às regras insertas na Lei Brasileira da Inclusão, notadamente as veiculadas pelos artigos 9º, I e 18, parágrafo 4º, inciso IV, que criam direito subjetivo desse grupo a atendimento prioritário para “proteção e socorro em quaisquer circunstâncias”, bem como em campanhas de vacinação.

Assim, amparada em tais razões e na finalidade da Ordem dos Advogados do Brasil de defender a Constituição, a ordem jurídica e os direitos humanos (artigo 44, I da Lei 8.906/94), é que a Seccional do Rio Grande do Norte torna pública seu posicionamento quanto à questão.

Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte

Geral

FEMURN culpa sistema do Estado pelo atraso na atualização de informações sobre vacinação

Nota de Esclarecimento

É fato que o Governo do Estado tem, sim, distribuído em tempo hábil as doses de vacinas contra a Covid-19. Mas, o sistema criado pelo próprio Estado para que os municípios informem o andamento da vacinação é o maior culpado pela dificuldade em manter dados atualizados em tempo real.

Enquanto o tempo para vacinar um cidadão não passa de 1 minuto, o agente de saúde precisa dedicar no mínimo outros 3 ou 4 minutos orientando os usuários, ou mesmo fazendo o cadastramento para atualizar o sistema criado pelo Governo do RN. O Sistema não é ágil, não dá resposta rápida e ainda enfrenta instabilidades constantes na internet, principalmente nas cidades do interior. É um complicador a mais para os municípios que assumem a maior e mais importante responsabilidade, que é vacinar a população com a primeira e segunda dose do imunizante.

A Femurn enfatiza que os municípios potiguares e de todo o país executam campanhas de vacinação há mais de 30 anos. Um trabalho que sempre foi feito com seriedade, cuidado e rapidez. Mas a necessidade de mudança para o novo sistema de atualização do governo estadual, acabou gerando mais burocracia.

Com a absoluta confiança que todos os municípios estão fazendo o seu máximo para que a campanha seja realizada o mais rápido possível, inclusive disponibilizando postos de vacinação aos finais de semana, contratando mais profissionais e ampliando horários de atendimento, a Femurn registra ainda que o Estado poderia estar utilizando o sistema nacional, que já existia e permitia uma atualização mais prática e ágil no cadastramento dos vacinados.

Babá Pereira

Presidente da Femurn

Geral

Nota Técnica do Ministério da Saúde exclui educadores físicos e veterinários do grupo prioritário da vacinação contra Covid-19

O Ministério da Saúde distribuiu hoje com todas as prefeituras do Brasil um ofício com orientações técnicas sobre vacinação no Brasil no qual informa que os trabalhadores de academias de ginástica, clubes, salão de beleza, clínica de estética, óticas, estúdios de tatuagem e estabelecimentos de saúde animal não serão contemplado nos grupos prioritários elencados inicialmente para a vacinação.

Nota Técnica