CDL de Natal lança projeto que fortalece empreendedorismo feminino

Como transformar a vida de mulheres que estão em vulnerabilidade ou são chefes de família e precisam incrementar a renda? A resposta pode estar no empreendedorismo. É com esse propósito que nasce o projeto Rede Mulher de Valor, encabeçado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL). O lançamento será na próxima quinta-feira (23) a partir das 15h no Espaço Neuma Leão. Além da apresentação oficial do projeto, o evento vai contar com a participação de Maria Brasil, especialista em comunicação estratégica e gestão de marcas. Ela vai proferir a palestra “Branding com propósito”.

À frente do projeto Mulher de Valor está a vice-presidente da CDL, Malu Fontes, única mulher a ocupar o cargo de primeira vice-presidente da instituição. “Há 60 anos a CDL é liderada por homens, então, buscamos um jeito de fortalecer a presença feminina na instituição por meio de um projeto que mobilize as emprendedoras a mudar a vida de outras mulheres, para que, dessa forma, possamos crescer juntas”, aponta.

Entre os microempreenderes, 48% são mulheres. De acordo com o Pnad Contínua do IBGE, apesar de as mulheres representarem 53% da população economicamente ativa brasileira, elas seguem sendo sub-representadas entre os ocupados (43%), super-representadas entre os desocupados (51%) e fora da força de trabalho (64%).

O quadro se agrava ainda mais se analisado sob a perspectiva da pandemia: 8,5 milhões de mulheres deixaram a força de trabalho no terceiro trimestre de 2020; mais da metade da população feminina com mais de 14 anos ficou fora do mercado – uma queda de 45,8% em relação a 2019.

Para ajudar a transformar essa realidade, o projeto Rede Mulher de Valor se propõe a trabalhar com quatro eixos de sustentação: capacitação, crédito, networking e inclusão. Inicialmente serão colocados em prática três projetos focados nas mulheres vítimas de violência doméstica, apenadas e trabalhadoras informais.

“Nós já temos recursos garantidos para colocar em prática de forma imediada esses projetos, seja por meio de emendas parlamentares, por liberação de verbas do Tribunal de Justiça, da Agência de Fomento do RN, ou por apoio de instituições como o Sebrae e outros parceiros e parceiras que se agreguem para incremento financeiro. O importante é nos unirmos para mudarmos a vida dessas mulheres”, reforça Malu.

A Rede Mulher de Valor será composta por 15 embaixadoras que ficarão responsáveis pela coordenação desses projetos. No entanto, outras mulheres das mais variadas áreas de atuação podem se agregar como membros, desde que possam dar apoio de alguma forma.

O importante, como reforça Malu, “é que a Rede seja composta por lideranças femininas que se disponham a fomentar o empreenderismo feminino e que tenham o seu propósito como farol, que é incluir as mulheres de forma que se tornem protagonistas na transformação socioeconômica da capital potiguar por meio do empreendedorismo.”