O Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (Proedi) instituído pelo Governo do Estado, em substituição ao Proadi – Programa de apoio ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte, rendeu debates e críticas na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (15).

“Foi uma decisão sem abrir o debate, sem uma ampla discussão, prejudicando os municípios, muitos deles sem condições de pagar até a folha de pessoal. O governo usou a força da caneta, por decreto, instituindo o Proedi”, criticou Getúlio Rêgo.

O deputado Tomba Farias (PSDB) afirmou que os parlamentares não são contra o Proedi, mas a forma como foi editado, sem consulta popular. O deputado afirmou que o Proedi é uma forma do governo “dar isenção com o chapéu alheio, com recursos que não são seus”.

Os deputados Dr. Bernardo (Avante) e Hermano Morais também apartearam o pronunciamento, defendendo que não haja perdas para os municípios e que seja encontrada uma forma de compensação.