A desembargadora Judith Nunes, acatou o pedido do Governo do Estado e determinou que os policiais militares retomem as atividades normais.

Na decisão, a desembargadora fala em “paralisação”.

O Sinpol diz que não existe nenhuma greve ou paralisação deflagrada e sim uma mobilização em busca de – apenas – receber pelo serviço prestado e que é um direito do trabalhador receber o salário em dia.