Iara Lemos

Do G1, em Brasília

A visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao Brasil resultou na assinatura de dez acordos e memorandos bilaterais envolvendo os dois países.

Um dos principais acordos prevê a criação da Comissão Brasil-Estados Unidos para Relações Econômicas e Comerciais, que será responsável por deliberar a respeito de questões comerciais entre os dois países.

Segundo dois itens do acordo, a comissão ” identificará oportunidades para expandir o comércio bilateral e os fluxos de investimento” e “promoverá a remoção de obstáculos desnecessários ao comércio bilateral e ao investimento, particularmente no campo regulamentar”.

O desequilíbrio nas relações comerciais – o Brasil atuamente tem déficit na balança comercial com os EUA – é uma das principais diferenças entre os dois países.

Os acordos foram assinados na manhã deste sábado (19) pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, e pelo representante de Comércio dos Estados Unidos, Ron Kirk.

Os acordos preveem parcerias em diversos setores, como aéreo e comercial. O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, também participou da assinatura dos atos.

Dilma e Obama não participaram da assinatura dos acordos, mas farão um comunicado conjunto em que devem ressaltar as necessidades de parceria entre os dois países.

Copa e Olimpíadas
Um dos documentos assinados pelos representantes dos dois países prevê a cooperação dos Estados Unidos para apoiar o governo brasileiro na organização de grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Segundo o Itamaraty, por ter grande experiência na área de segurança, os Estados Unidos poderão ajudar o Brasil com treinamentos específicos. O setor de infraestrutura também deve receber apoio americano, especialmente nas obras que precisam ser feitas pelo Brasil para receber os jogos.

Biocombustíveis
Os dois países também assinaram um acordo que prevê parcerias para o desenvolvimento de biocombustíveis, especificamente para a área de aviação. Ainda nesta área, os dois países fecharam um acordo que deve facilitar a concessão de licenças para voos de empresas aéreas brasileiras para os Estados Unidos.

Educação
Na área da educação, um dos acordos prevê a facilitação para ingresso de brasileiros em universidades norte-americanas, a partir de programas de bolsas de estudo. O ato prevê “aprofundar a cooperação entre acadêmicos e cientistas brasileiros e americanos”.

Veja abaixo a relação dos acordos firmados entre os dois países:

– Acordo de comércio e cooperação econômica.
– Acordo sobre transportes aéreos.
– Acordo sobre cooperação nos usos pacíficos do espaço exterior.
– Memorando de entendimento sobre cooperação para apoiar a organização de grandes eventos esportivos mundiais.
– Memorando de entendimento para a implementação de atividades de cooperação técnica em terceiros países no âmbito do trabalho decente.
– Memorando de entendimento para o estabelecimento do Programa Diálogos Estratégicos Brasil- EUA, assinado entre a Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Comissão Para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos e Brasil (Comissão Fulbright).
– Memorando de entendimento sobre as dimensões da biodiversidade.
– Parceria para o desenvolvimento de biocombustíveis para aviões.
– Protocolo de intenções sobre a ampliação de cooperação técnica em terceiros países.
– Acordo relativo ao exercício de atividades remuneradas por dependentes do pessoal diplomático e consular.

Foto: Agência Estado