O deputado federal Walter Alves (MDB-RN) voltou a defender, no Plenário da Câmara Federal, os municípios do Brasil e, especialmente, do Rio Grande do Norte. Em pronunciamento na manhã de hoje (27), o parlamentar cobrou da Caixa Econômica Federal (CEF) explicações sobre os novos valores das taxas administrativas nos contratos de repasse de emendas parlamentares. Um Requerimento foi protocolado no Ministério da Fazenda.

Os recursos oriundos das emendas parlamentares destinados aos contratos de repasse por meio da CEF sofreram reajuste na taxa de administração de 2,5% para 10,86%. “Causa estranheza a Caixa, de uma hora para outra, aumentar o valor da taxa de administração das emendas parlamentares. A taxa que era de 2,5%, de repente, querem cobrar 10%? O que está acontecendo?”, questionou Walter Alves.

Hoje, coincidentemente, a Caixa divulgou que teve lucro líquido contábil de R$ 12,5 bilhões, 202,6% superior ao registrado em 2016. Segundo o banco, é o maior da história da instituição financeira. O lucro líquido recorrente (que desconsidera efeitos extraordinários) totalizou R$ 8,6 bilhões, alta de 106,9% em 12 meses, e também superou o melhor resultado já alcançado pelo banco.

O deputado encaminhou um Requerimento para o Ministério da Fazenda solicitando explicações para o aumento do percentual da taxa de administração da CEF no repasse das emendas parlamentares. “Os prefeitos estão aflitos e querem uma explicação. Esse aumento vai maltratar os prefeitos do Rio Grande do Norte e, consequentemente, afeta diretamente a população que deixa de receber melhorias na saúde e educação, por exemplo”, completou.

Walter Alves faz pronunciamento na Câmara - 03.05.17