Empresas de todos os setores estão em busca de alternativas para aumentar a segurança aos funcionários e clientes e retomar as atividades em meio à pandemia do novo coronavirus. Uma das possibilidades que surge é a desinfecção dos locais com frequência, o que pode ser útil tanto para um estabelecimento comercial quanto para indústrias.

A preocupação com as alternativas é válida: são mais de 1.000 casos confirmados no estado do Rio Grande do Norte e Natal concentra o maior número de óbitos. Neste cenário, a desinfecção de superfícies se mostra eficiente, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o vírus pode permanecer até 72h em aço inoxidável e plástico e até 4h em cobre.

Segundo a Astral – Saúde Ambiental, especializada em controle de pragas e dedetização em Natal, uma das empresas que está realizando o serviço em Natal e Mossoró no RN, é importante que o protocolo atenda as recomendações da OMS com relação aos produtos de desinfecção aplicados por UBV ou Pulverizador: quaternário de amônia, hipoclorito de sódio 0,21%, Peróxido de Hidrogênio e álcool a 70%. Destaca-se também que uma superfície lisa e reta exige menos trabalho do que outra em formato diferente, por isso os produtos devem ser espalhados para aumentar a eficácia.

Um dos pontos colocados em questão sobre o serviço é com relação ao odor causado pela desinfecção devido ao uso do quaternário de amônio e o hipoclorito de sódio. Como isso não pode ser evitado, as medidas adotadas são para diminuir o incômodo. O ideal é que a desinfecção seja realizada sem a presença de crianças, idosos ou pessoas com mobilidade reduzida por algumas horas no local. Melhorar a ventilação do espaço também auxilia para o odor se dissipar mais rapidamente.

Outros protocolos de prevenção ao COVID-19 também devem ser seguidos para a empresa que contratar o serviço de desinfecção de superfícies. Portanto, a equipe responsável deve utilizar álcool em gel 70% antes e depois de entrar nas dependências do cliente, evitar o contato físico e utilizar protetor respiratório quando necessário. 

Com isso, a pandemia está forçando também as empresas a reestruturarem os seus serviços. No caso da Astral, ela atua há mais de 30 anos no controle de pragas e vetores urbanos, sendo líder na América Latina. Com a disseminação do COVID-19, a empresa passou a disponibilizar a desinfecção focada no vírus, que apresenta alto poder de contágio conforme as pesquisas apontam. Essa, portanto, seria uma alternativa que poderia auxiliar os empresários na retomada aos negócios com segurança.